História Os códigos de Ayla - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ayla, Futuro, Originais
Visualizações 8
Palavras 1.227
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - O sumiço


Fanfic / Fanfiction Os códigos de Ayla - Capítulo 1 - O sumiço

Sempre julguei toda a sociedade, o que ela se tornou dentro de 100 anos, e tudo por causa de uma doença mundial que matou centenas de pessoas de diversos países, e que até deixou alguns inabitáveis por conta da falta de oxigênio que esse vírus ingeriu.

Sim, um vírus que passou despercebido pelos cientistas causou a devastação no mundo!

E por conta disso, colocaram regras, para voltarmos a quantidade média de pessoas de 100 anos atrás.

Atualmente o mundo todo tem 750 milhões de pessoas. Pouco né?

As regras são símples, mas também revoltantes;

1-Todas as pessoas deverão ter que se reproduzir e ter mais de 2 filhos. Se um deles nascer com alguma indicação de doença, esta criança será levada a um laboratório para examinarem, dependendo do risco, a criança pode passar 10 anos lá. Sem contato com pais, irmãos, nem outras pessoas.

2-Nenhum tipo de relação além de homem e mulher será aceito. As pessoas que forem pegas cometendo este crime, serão apreendidas e levarão Imunidades (tiros que deixam as pessoas grogues e como se fossem robôs, se esquecem de tudo que viveu)

3-Aquele cujo for pego protestando de qualquer forma sobre os itens anteriores, levarão Imunidades e serão levadas às prisões nacionais.

E foi assim, que formaram a sociedade atual.

Somos robôs, sem escolhas. Só robôs.


}----------{


Um dia como todo londrino; indo para o colégio logo cedo, voltando para almoçar, passar a tarde aprendendo como se tornar um cidadão melhor, indo dormir, e a rotina se repetia. Sem mais nenhuma atividade.

A única coisa que animava aquilo tudo era Ayla, a garota mais sorridente e otimista que você pode encontrar em 2136. A única que permanece com a esperança de que vamos voltar pra aquele mundo de antes. Sem essas estúpidas regras, como diz ela.

-É um apelido carinhoso, -disse Ayla -acredite, poderia ter nomeado de uma coisa muito pior.

-Tipo? -questionei dando uma mordida na minha pera.

Estávamos no intervalo das aulas, o dia continuava nublado e nos encontrávamos no pátio aberto do colégio. Sentados na mesa e com os pés apioados nas carteiras, pareciamos um típico casal de 100 anos atrás, mas nem casal somos.

-As roupas da Vivy -sussurrou Ayla no meu ouvido que acabei me engasgando enquanto ria.

Vivy era a melhor amiga da Ayla, mas ela tinha um gosto um tanto... peculiar. Usava cachecóis grossos no verão e a sua mistura de cores com as roupas e combinações, eram tão estranhas como a minha amizade com Ayla.

Senti uma mão em meu ombro esquerdo, virei meu rosto e percebi que Ayla fez o mesmo olhando pra mão em seu ombro direito, de repente uma cabeça surge entre nossos ombros e se pronuncia.

-Eu não sou surda! Eu ouvi isso!

Vivy.

Ela se sentou atrás de Ayla encostando suas costas com a da ruiva que se encontrava ao meu lado.

-O que o casal apaixonado me conta? -perguntou Vivy.

-Correção: Amigos inseparáveis. E parece que descobrimos que Kyle pode levar Imunidades.

-Como é? -olhei pra Vivy, e já com o meu olhar ela já tinha entendido -Oh, que merda! Merda de sociedade! Merda de regras! -Vivy disse socando a mesa fazendo os pombos ao nosso redor voar longe, arrancando uma risada de Ayla.

Sempre adorei aquela risada, o jeito que o cabelo curto e ruivo dela voava junto com o vento, os olhos negros dela quando te julgavam que pareciam buracis negros que faziam todos ficarem perdidos naquela imensidão só com o brilho do olha dela sendo as luzes.

Sai de meus pensamentos quando vi Luca se aproximando da gente. Luca era um irmão pra mim, sendo que eu tinha mais três que já tinham filhos e uma família formada. Nos conhecemos quando pequenos, e sabíamos que eramos irmãos de sangues diferentes. Mas nunca ligamos pra isso.

-E ai cara! -cumprimentei Luca com nosso aperto de mão e logo ele se sentou do meu lado e pegou o resto da minha pera e comeu ela toda, enquanto eu ficava olhando ele com os olhos arregalados, as garotas não paravam de rir


}----------{


O dia se passou rápido, cheio de aulas e felizmente nos dispensaram mais cedo, o que deu tempo de tratar de algo que eu deveria tratar desde que descobri isso.

Descobri que sou apaixonado pela minha melhor amiga, Ayla, e pelo o que Vivy me disse, é recíproco, então é a hoa certa!

-Hey, Ayla!! -gritei chamando ela que estava no meio de uma multidão saíndo do colégio.

Ela logo parou e se virou pra mim e veio até mim, ficamos lá encostados no portão próximos um ao outro.

-Então... -começou Ayla, sempre tão direta.

-Quero te falar uma coisa.

-Acabou de falar não? -rimos por conta da minha burrice, sempre Ayla arranjava um jeito da situação melhorar.

-Olha, é muita coisa, você pode levar o tempo que precisar pra pensar, mas eu vou estar aqui de braços abertos quando você decidir ok? -ela assentiu ainda confusa -Desde que tivemos mais essa intimidade eu senti que algo mudou, e mudou dentro de mim, eu passei a sentir meu coração palpitar quando você chegava perto, ou dava aquela gargalhada escandalosa -ela deixou escapar um riso, merda, agora devo parecer um pimentão de tão vermelho -e só quero dizer que não importa se você me odeie depois que eu dizer isto: Eu, Nick Firmen, estou apaixonado por você, Ayla Heins

Ela me encarava com os olhos arregalados, ela se aproximou e colocou as mãos em meu rosto me fazendo olhá-la nos olhos. Ela deixou nossas testas coladas e fechou os olhos calmamente.

-E eu acabei me apaixonado por você desde o início. -disse ela e enfim selou nossos lábios.

Havia muita coisa acontecendo, eu estava festejando dentro de mim, mas por fora aparentava estar calmo.

Quando nos separamos reparei que ela sorria de lado com os olhos brilhando, e logo disse:

-Promete que vamos nos reencontrar.

-Como assim? Nos vemos todo dia!

-Você vai entender


}----------{


Enfim, finalmente estava junto com Ayla, a ruiva que eu sempre estive apegado demais pro gosto de muitos. E acho que como estamos juntos agora, seria mais educado ir com ela pro colégio não?

Como morávamos perto, não demorou muito para que eu chegasse em sua casa, mas logo na estrada percebi uma coisa.

Algo estava errado.

A porta da entrada estava aberta e tinha vários carros pretos e grandes parados em frente à casa, várias pessoas saindo e entrando na casa.

Eram policiais.

Corri pra dentro tentando entender toda aquela movimentação dentro da casa, logo atravessei a sala e encontrei os pais de Ayla em desespero sentados na sala de jantar com uma policial ao lado anotando tudo.

Agora era a questão:

-Cadê a Ayla? -perguntei e os pais de Ayla olharama direto pra mim.

Eles começaram a falar junto, o que dificultou pra eu entender.

-Onde está a Ayla?! -comecei a entrar em desespero, Ayla sempre se metia em encrenca, mas naquela hora, parecia muito sério.

-Senhor Firmen, certo? -assenti lentamente -Poderia responder à algumas perguntas.

Concordei e me sentei ao lado da mãe de Ayla, e logo a policial começou as prerguntas.

-Esteve com Ayla nessas últimas 48 horas?

-Sim, ontem eu a trouxe pra casa, mas o que está acontecendo?

-Primeiro precisamos que responda às perguntas, Ayla teve algum protesto contra as regras governamentais?

-Olha, eu não vou responder essas perguntas até que alguém me diga onde está Ayla!! -gritei batendo na mesa.

Parecia que tudo desfocou e só conseguia ouvir as vozes ao redor, mas nem tão claras.

-Senhor Firmen, -ouvi a voz da policial dizer -Ayla está desaparecida desde ontem à noite. Nenhuma pista nem sinal dela foi deixado.

Merda, sabia que alguma coisa aconteceu de horrível pra ela


Notas Finais


Hello hello leitores fantasmas!
Bem vindo ao primeiro capítulo da minha 1* história!!
🚫
Me desculpem qualquer erro ortográfico, meu teclado está uma verdadeira merda!
🚫
ERROR❌
🚫
🚫
🚫
🚫
-Não vou deixar que um sistema governamental me manipule. Eu tenho um cérebro, não preciso do deles pras minhas decisões.
-Ayla


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...