História Os instrumentos mortais: O reinado. - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Magnus Bane, Personagens Originais, Simon Lewis, Valentim Morgenstern
Tags Alec, Clace, Clary Fray, Izzy, Jace, Malec, Merlion, Morgenstern, Princesas, Reign, Sabastian Morgenstern, Sebastian Bash, Seelie Queen, Sizzy, Torrance Comboos
Visualizações 13
Palavras 1.085
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


✴Notas finais

Capítulo 19 - O sádico: parte 1


Fanfic / Fanfiction Os instrumentos mortais: O reinado. - Capítulo 19 - O sádico: parte 1

Bash caminhava pelos corredores procurando por Jace, estava distraído olhando para os cantos quando se deparou com alguém.

- Louro errado. - ele fala ao levantar seu olhar e dar de cara com Sebastian.

- Então vai ser assim entre nós dois? É sério? - A cada palavra que Sebastian falava ele conseguia soar ainda mais irritante perante aos ouvidos de Bash.

- E você esperava o que?! - ao dizer isso, Bash passou por seu primo esbarrando abruptamente em seu ombro.

- Você não mudou nada dêsde que éramos crianças não é?! O mesmo tolo e idiota de sempre. Preferia fujir para floresta com seu arco e flechas bobos ao invés de encarar frente os seus problemas. - Sebastian falava de modo como se fosse superior a Bash, o que não era verdade pois quando eram crianças Sebastian sempre teve inveja de como Bash era tratado, tanto por seus pais como pela as demais pessoas.

Naquele momento Bash parou de andar e voltou onde estava. Sebastian era alto tal como ele, porém o louro-platinado ainda conseguia ser alguns centímetros maior que ele.

- O que você disse?

- Nada além do óbvio.

- Então deveria saber que daquele tempo pra cá eu mudei muito, encaro muito bem os meus problemas quando se trata de certas coisas, ou você se esqueceu do que aconteceu no ano retrasado? No meu aniversário de 16 anos lembra?! - Bash estava tão calmo quanto debochado.

Sebastian agora não estava mais brincando, estava tão sério quanto rígido encarando seu primo.

- Sabe de uma coisa, "você continua o mesmo desde que éramos crianças" mimado, implicante e um idiota a cada dia que se passa. - Bash prosseguiu ao ver silêncio de seu primo.

- Deveria tomar mais cuidado com o que você fala "Bash". - seu tom era calmo porém, capaz de deixar qualquer um intimidado.

- Se não o que Sebastian? - Bash responde sem medo algum ao o enfrentar.

os dois estavam com seus braços ao lado de seus corpos, ambos com os punhos cerrados, prontos para sacarem o primeiro soco. Isabelle passava por perto ao ver a cena dos dois meninos, estavam prontos para se grudarem no chão, ela foi depressa até eles antes que um deles pudesse fazer  alguma besteira.

- Hei o que estão fazendo? - ela diz ao se aproximar dos dois.

- Só estávamos acertando umas coisas, nada de mais. - foi Sebastian quem falou.

- Bash vamos! - ela diz ao ver o menino pronto para atacar.

- Isso mesmo vai lá Bash, saia correndo da mesma forma que fazia quando tínhamos 6 anos.

- Bash vamos, não vale a pena. - Izzy põe sua mão no peito dele com a esperança de move-lo.

✴✴✴

- Alec? Está tudo bem? - Jace diz ao ver seu amigo o chamando.

- Isabelle está te procurando, ela quer falar com você.

- Bom neste caso, o dever me chama nos vemos depois. - Jace diz para Amélia a deixando sozinha.

Alec permaneceu em frente a porta impedindo a passagem após Jace sair.

- Amélia, acertei? - Ele apontava seu dedo em direção a garota.

- sim, e você é?

- Alexander Lightwood prazer. - ele faz referência em respeito a princesa.

- Você por acaso é irmão da Izzy? - ela pergunta ao reconhecer seu sobrenome.

- Eu mesmo. - ele sorri - Vejo que está se adaptando por aqui.

- Pode se dizer que sim. Sem querer ser mal educada de sair agora, mas eu tenho que ir.

- Sem problemas. - ele diz se retirando da porta.

- É que eu preciso ver o Harry, ele está me esperando provavelmente já devo estar atrasada.

- Ele está? - Alec realmente estava surpreso.

- Ele quer que eu veja seu novo vestido para que eu possa usar hoje a noite.

- A mas é claro que está. - ele diz ao se lembrar do que o garoto faz.

✴✴✴

POV ON ALBERTO

Finalmente já estou acabando de preparar todas essas comidas, se Amélia não tivesse me ajudado provavelmente eu não estaria nem na metade.

- Ora Ora, o que temos aqui? - alguém fala se aproximando da cozinha e por favor que não seja ele.

- Merlion. - droga é ele.

- Para você é Sr. Merlion! - ele diz se aproximando ainda mais com sua reluzente roupa branca - O que é isso que está fazendo? - ele pergunta ao olhar bem para os doces enfeitados que preparei.

- São as coisas que Isabelle pediu que eu fizesse para hoje a noite. - eu falo cruzando os meus braços.

- Parece que você tem muito trabalho a se fazer ainda.

- Na verdade eu já acabei. - eu falo sorrindo orgulhoso de meu trabalho.

- Eu acho que ainda não. - seu sorriso malicioso era inegável e ao terminar de falar ele joga a metade de meus doces no chão os esmagando sem piedade.

- Qual é a sua! Por que fez isso seu imbecil! - eu grito com ele me ajoelhando até o chão para pegar os doces, nesse exato momento ele saca sua espada e faz um corte em minha bochecha. O sangue começa a escorrer e ele me dá chute me durrubando por completo no chão.

- Abaixe o seu tom de voz quando estiver falando comigo seu rato! - ele se ajoelha ficando de frente para mim, me encarando nos meus olhos enquanto se pronunciava - Você ainda não aprendeu desde a última vez não é? - ele falava comigo como se eu fosse uma espécie de animal que ele abominava - Não tente se impor contra mim novamente caso contrário, a dor que você sentiu antes não será nada comparado ao que você que irá sentir depois. - ele me dará um forte tapa ao lado de meu rosto, minha face está fervendo de calor enquanto minha bochecha esquerda está escorrendo do sangue feito pelo corte que ele havia sido responsável - Estamos entendidos?

- Sim! - eu falo tentando conter as lágrimas quentes.

- Repita. - ele fala bem próximo ao meu rosto fazendo com que eu o encare.

- Sim senhor Merlion.

- Ótimo! - após dizer isso ele sai da cozinha me deixando sozinho.

Eu coloco uma de minhas mãos em minha bochecha para limpar o sangue escorrido e definitivamente Merlion é um filho da mãe! Sempre foi dêsde que éramos crianças, ele sempre implicou comigo, sempre me torturou e sempre fez coisas horríveis mas o pior de tudo era que eu nunca pude revidar, pois ele sempre deixou bem claro que se eu contasse algo para alguém minha mãe e minha irmã adotivas sofreriam as consequências. Eu gostaria de saber o que Isabelle vê nesse cara, ele é um covarde isso sim!

POV OFF ALBERTO


Notas Finais


Bom primeiramente me desculpem se teve algum erro de português ou algum erro de pontuação e vírgula.

Segundamente é o seguinte: Alberto e Merlion eles nunca tiveram uma boa relação, pois Merlion sempre soube da apaixonante de Alberto por Isabelle, e com isso o garoto esnobe sempre dava um jeito de "ferrar" com a vida do humilde menino.
Com os anos Merlion acabou por se virar um sádico homem cujo o único e somente a saber sobre os seus desejos cruéis, é Alberto.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...