História Our Sweet Baby (Imagine Jungkook - BTS) - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Baby, Bts, Elychanx, Imagine, Jungkook, Você
Visualizações 275
Palavras 1.607
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


VOLTEI CAMBADA!!!

AMÉM

OH, GLÓRIA!!!

Esse capítulo tá muuuuito pequeno porque eu tô meio sem inspiração, mas eu prometo que o próximo sairá maior e melhor que esse.

É o que temos pra hoje.

Nome dos gêmeos: Davi e Do Yun(meninos)
Sofia e Su Mi(meninas)

Boa Leitura!

Capítulo 16 - Uma Mini Gênio


Fanfic / Fanfiction Our Sweet Baby (Imagine Jungkook - BTS) - Capítulo 16 - Uma Mini Gênio

Capítulo 15

Oito meses depois...

Cinco minutos de silêncio.

Caí de costas na cama e me virei de lado, abraçando um dos travesseiros. Lentamente fui fechando os meus olhos até consegui pegar no sono de vez, sorri apertando o travesseiro, soltando um suave suspiro. Finalmente um descanso e um pequeno momento de paz. Depois de longas horas cuidando dos bebês e brincando de tomar chá com Sook, eu consegui arranjar um momento de paz para descansar, sem choro de bebês para todos os lados e um momento para tirar uma soneca e descansar um pouco. Mas infelizmente aquele período de paz se foi quando eu ouvi sons de choros de criança ecoando por toda a casa.

— Porra, será que vocês não podem dormir durante um minuto? — Bati as duas mãos na cama e me levantei num só pulo.

Tudo bem, pelo menos foi só um que acordou, é só colocá-lo para dormir e depois voltar para a minha bela zona de conforto.

Com a pouca força de vontade que tive, saí do quarto como se estivesse sendo arrastado por milhares de correntes presas aos meus pés e segui até o quarto dos quadrigêmeos. No instante em que cheguei no cômodo, parei em frente a porta aberta do quarto e me escorei na parede, observando Candy acalmando um dos bebês, balançando-o devagar de um lado para o outro enquanto cantava uma daquelas musiquinhas de programas infantis dos quais Sook gosta. E falando na minha filha mais velha, rolei os olhos pelo o quarto e parei em Sook que se encontrava sentada no chão, brincando com Davi e Do Yun em cima do tapete.

A minha vontade de sorrir foi maior ainda por ver que ela estava se dando muito bem com os irmãozinhos e por perceber o quanto a minha princesinha estava crescendo à cada dia que se avançava. Só em pensar que um dia ela será uma adolescente os meus nervos já ficavam nervosos por imaginar a possibilidade de ela ter uma multidão de garotos ao redor dela, nem em sonho a minha filha namoraria com um marmanjo qualquer e se um deles tentassem se aproximar dela eu agiria como o pai protetor que sou e cortaria o pinto do garoto que tentasse namorar a minha filha. Além do mais, ela só poderia namorar com vinte anos e se casar aos trinta.

Mas ainda era muito cedo para pensar nessas coisas para ela, minha princesinha havia acabado de completar quatro anos de idade e ela ainda teria uma infância inteira pela a frente, sendo a menina fofa e doce que é e sempre será.

— Jungkook? — Candy me chamou com a sua doce voz baixa e eu a olhei, arqueando uma sombrancelha. — Você não disse que iria tirar uma soneca? — Perguntou enquanto colocava Sofia de volta no berço após ela ter voltado a dormir.

— É mas... — Cocei atrás da nuca. — Eu ouvi os choros da Sofia então decidir vir aqui para ver como ela está. — Respondi.

Ela sorriu acompanhada de seu doce sorriso que Sook herdou dela e caminhou próxima a mim.

— Oh, tão fofo agindo feito um pai preocupado. — Apertou minha bochecha, beijou a mesma área apertada e enlaçou os seus braços em volta do meu pescoço.

— E você fica mais linda segurando um dos nossos filhos. — Sussurei no seu ouvido e ela riu baixinho.

Não pensei duas vezes e a beijei de uma só vez, desfrutando do cafuné carinhoso que ela fazia nos meus cabelos. O gosto de seus lábios eram os mais saborosos que já provei em toda a minha vida, sua língua tocando a minha dentro da boca quase me deixava excitado. Ah, como eu era louco por aquela mulher.

— Eca… — Nos afastamos um do outro por causa de Sook que observava tudo em pé, perto de nós dois. — Vocês adultos são tão nojentos. — Comentou fazendo uma careta que fez com que eu e Candy rissemos juntos.

— É mesmo Sook. Eca, tudo um bando de nojentos esses adultos. — Disse uma voz familiar atrás de nós, revirei os olhos e me virei, já sabendo de quem se tratava.

Kim Taehyung.

— Bom dia para você também Taehyung. — Candy o cumprimentou ironicamente, ele riu travesso e fez uma referência, se curvando.

Esse humor de infinito de Taehyung logo de manhã não me surpreendia nada, até porque todos os dias ele estava bem humorado, essa era marca dele e só o que eu conhecia; o Taehyung alegre e inconveniente.

— Você veio sozinho ou trouxe o resto do bonde? — Candy perguntou. Taehyung e eu franzimos o cenho juntos e a olhamos confusos.

— Bonde significa grupo de amigos. — Sook traduziu para a gente, Candy sorriu orgulhosa da filha e bateu palmas, a parabenizando.

Sook estava ficando cada vez mais esperta e sempre curiosa para conhecer mais o seu segundo país de origem, o qual de onde a mãe veio. Talvez um dia eu devesse levá-la para o Brasil quando ela e os bebês estiverem maiorzinhos.

— Mas que criança mais inteligente. — Comentou Taehyung. — Tem certeza que é a sua filha, Jungkook?

Olhei para ele indignado. Mas como esse ser inconveniente se atreve?

— Tá me chamando de burro é? — Perguntei e ele riu. Aish, Taehyung!

— Tô! — Admitiu no seu tom de voz risonha e feliz.

Ele quando percebeu que a situação estava séria e eu ficando com raiva, saiu correndo em disparada, bufei com raiva e fui atrás dele, pronto para lhe dar uns belos puxões de orelha. Taehyung correu pelo o corredor todinho e desceu as escadas gritando por socorro, o segui rindo do jeito desesperado que ele gritava. Nem adiantava gritar, eu ia o pegar de qualquer jeito por mais rápido que ele fosse. Ele pisou no último degrau da escada e correu na direção da cozinha, parei para descansar por alguns minutinhos. Eu acho que já estou ficando velho pra isso, apesar de ainda ter apenas vinte e cinco anos de idade.

Me direcionei até a cozinha e no instante em que cheguei lá, encontrei Tae virado de costas, parecendo estar comendo algo que ele provavelmente pegou da geladeira. Sorri de um jeito diabólico e silenciosamente fui me aproximando devagar dele. Dessa vez você não me escapa Kim Maluco Taehyung.

Você já era Taehyung.

                 ° ° °

— A, B, C, D… — Apontava para cada letra no papel, enquanto Sook repetia todo o alfabeto que eu ditava para ela.

Deixei que ela ditasse sozinha e fiquei a observando junto de um sorriso de orgulho recém formado, ouvindo-a cantar todo o ABC, apontando para cada letra sem nem ao menos errar. Talvez estivesse na hora de matricula-la em uma creche, assim ela poderia conviver mais com crianças de sua idade, digo isso porque ela já convive com os hyungs que mesmo sendo adultos, agem feito crianças na presença de Sook. Já havia passado do tempo de pôr Sook numa creche, eu teria de matricular ela o mais rápido o possível. Mesmo ela tendo somente quatro anos era bastante inteligente para a sua idade; sabia todo o ABC completo, desenhava bem e desde os seus três anos ela falava corretamente. Definitivamente eu e Candy trouxemos uma mini gênio ao mundo.

O que mais me impressionava em Sook era a sua facilidade com números, tão cedo e ela já sabia resolver conta básicas de matemática.

— Papai terra chamando. — Fui tirado de meus devaneios por Sook que estalou os seus dedos em frente ao meu rosto.

Balancei a cabeça para os lados arrancando doces risadas da menininha e ri junto com ela, bagunçando propositalmente os seus cabelos curtinhos soltos. Aquela menina puxou todos as minhas feições características, a única coisa que herdou da mãe foi só a cor dos olhos, fora isso todas as suas feições foram herdadas do papai aqui. Até mesmo os bebês puxaram para mim, exceto Davi e Su Mi que nasceram com uma mistura de ocidental com o oriental.

— O que foi Sook? — Puxei minha cadeira para mais perto da dela e olhei para o papel em que ela escreveu algo.

Ainda sem acreditar no que os meus olhos viam, peguei o papel e o levei para mais próximo de meu rosto. Franzi o cenho surpreendido e estretei os olhos, olhando para Sook e em seguida para o papel que estava escrito "Casa" com um desenho de uma casa abaixo. Aquilo era surpreendente, como uma menina de apenas quatro aninhos soube escrever sem nem ao menos saber ler ou soletrar?

— Foi você mesma que escreveu isso Hyo? — A questionei surpreso e ela afirmou positivamente com a cabeça.

Sook só poderia ter um caso de desenvolvimento cerebral precoce. Espera aí, esse caso existe?

— Soletre o nome. — Pedi seriamente. Era muito difícil eu também estar bem sério, eu era super bem humorado assim como o Tae.

— Casa? — Abaixou o olhar para o livro do alfabeto, aberto exatamente na página que com as letras. — C. A. S. A… — Mirou para o nome escrito no papel. — Casa. — Sorriu doce e bateu palmas em seguida.

Sim, Sook só podia ser uma mini gênio.

— Desde quando aprendeu a soletrar sozinha?

— A Dany me ensinou.

Quem diabos é Dany?

— Quem é essa?

— A staff de vocês.

Como assim staff? Caramba, desde que os bebês nasceram eu fiquei tão afastado do Bangtan quem nem fazia ideia que o CEO havia contratado uma nova staff. Taehyung deveria ter me dito. Aish, Aquele idiota.

— Vem. — Agarrei a mão dela e a puxei para se levantar junto comigo. — Vamos conhecer essa staff.

Precisava urgentemente conhecer essa garota que ensinou minha filha a soletrar e agradecer a ela. Claro, depois matar Taehyung por ele não ter me contado que o Bangtan tinha uma nova staff.


Notas Finais


(Obs: A Dany tem a mesma personalidade que o Taehyung, então vocês já sabem né... Jungkook passará vergonha em dobro com ela e Taehyung)

Kissus e até o próximo♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...