História Over Again - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Little Mix, One Direction, Taylor Swift, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Perrie Edwards, Taylor Swift, Zayn Malik
Visualizações 110
Palavras 3.025
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fluffy, Romance e Novela, Yaoi

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


O drama continua.
Seguem-se firme que estamos chegando no topo da montanha russa (não riam da minha analogia)

Capítulo 28 - Can't Hold You Close


Fanfic / Fanfiction Over Again - Capítulo 28 - Can't Hold You Close

Quando Louis acordou naquela manhã, ele não encontrou Harry no quarto. Estava jogado sobre os lençóis e o corpo quente e grande de seu marido fazia falta. Mas o cheiro dele permanecia em seu tato.

Ele podia lembrar vagamente de como foi a subida até ali. Tudo que importava era que ele tinha ido até Harry e o beijado com a saudade reprimida de uma semana longe um do outro. Não conversaram muito. Na verdade, poucas palavras foram trocadas desde o momento em que o Styles abriu a porta e o recebeu.

A conversa aconteceu por meio de toques, de carícias que arrancaram suspiros de satisfação e desespero. Os corpos se uniram como se estivessem se reconhecendo. Cada parte de um, se completando nas falhas do outro. Eram perfeitos ali, juntos. Como se fossem duas metades destinadas a ficarem juntas, por que funcionavam juntas melhor do que sozinhas. E Louis nunca soube de como ele era melhor ao lado de Harry antes de o ter para depois o perder. Agora ele sabia, sua vida nunca poderia ser a mesma depois de tudo que passaram juntos.

Antes, seu maior sonho era ser cozinheiro. E ainda era, uma coisa pela qual ele lutava e queria. Mas agora, acima de tudo estava Harry. Ele era, agora, sua primeira escolha, seu maior sonho.

O cheiro característico impregnado nos lençóis fazia daquela a melhor forma de acordar. Louis nem percebeu que estava sorrindo até um suspiro verter de seus lábios, se fundindo com o ar gelado daquela manhã de inverno. Estava em um limar de consciência em que ainda podia sentir os toques gentis de Harry em seu corpo, como se tivessem acontecido a minutos atrás.

Podia sentir os rastros que aqueles dedos longos deixaram em sua pele. O olhar carinhoso e marcante sobre seus olhos o fazia se derreter. Havia tanto sentimento naquela troca de carinhos. Seu coração explodia em amor por Harry, não sabia como aguentou ficar tanto tempo longe, sendo um dia muita coisa sem o ter ao seu lado.

Foi idiota pensar que poderia viver sem ele. Foi ainda mais estupido demorar para entender que sua vida estava onde Harry ia. Como se ele carregasse seu coração por onde passava. Os erros do passado eram tão pequenos e até mesmos os atuais eram desprezíveis se ele considerasse o quanto de amor ele nutria por aquele homem.

Mas, se não pode lhe dizer tudo que queria na noite anterior, por estar ocupado demais dizendo com seu corpo, agora tudo que ele queria era olhar nos olhos de Harry e pedir pra ficar o resto de sua vida ao seu lado, por que percebeu que nada mais importava além do fato de que ele o amava.

Com isso em mente, ele se levantou da cama e se vestiu rapidamente, logo saindo a procura de Harry pela casa.

Encontrou o cacheado dedilhando o piano em uma melancólica melodia. Seus ombros estavam caídos e ele parecia brilhar em meio a luz vinda da janela. Como se fosse um anjo caído. Seu anjo caído.

Ele se lembrava de o ter ensinado a tocar aquela música. Ainda que fosse um principiante, ele parecia bem familiarizado com aquilo. A melodia triste de despedida saia perfeitamente das teclas enquanto Harry murmurava em tom baixo o refrão que ele mesmo uma vez o pediu pra cantar.

Caminhou lentamente até seu marido e abraçou-o pelas costas, encaixando seu rosto na curva de seu pescoço e cheirando seu perfume. Harry tencionou ao senti-lo, mas não o afastou. Apenas ficou ali, o deixando aperta-lo em seus braços.

-Bom dia. – Louis disse feliz. Harry não respondeu. Louis achou estranho, mas apenas se sentou ao lado de Harry no banco em frente ao piano.

Harry se afastou novamente quando ele tentou o tocar e Louis sentiu então seu coração doer, como se sentisse que algo estava errado. Ficou sentado o observando enquanto Harry se levantava do banco e se afastava.

-Hum, talvez você queira conversar sobre ontem. – Sugeriu ao ver Harry levar as mãos aos cabelos e os apertar entre seus dedos em um gesto de puro nervosismo. – Eu pensei muito e...

-Louis. – Harry interrompeu. Ele olhou em seus olhos e depois de soltar um suspiro triste e cansado, murmuro mesmo contra sua vontade. – Você deve ir embora.

-O que? – Perguntou incrédulo. Harry ainda o olhava mas Louis poderia dizer que estava quase despencando. Ele não entendia como eles haviam saído do momento em que estavam juntos, abraçados e se beijando como se nada mais além daquilo importasse, até o momento em que Harry o mandava ir embora sem nenhum motivo aparente.

Na falta de palavras Louis percebeu que era o momento de dizer tudo que pretendia desde o momento de sua chegada. Olhou dentro dos olhos verdes brilhantes de Harry e esperou que ele entendesse tudo o que ele queria dizer.

-Harry, me escuta. Eu sei que pode estar magoado por que fui embora, mas eu voltei pra dizer que quero ficar aqui com você. – Começou lentamente. Seu coração batia tão intensamente dentro de seu peito que chegava a doer. Ele segurou firme o olhar de Harry no seu e continuou antes que perdesse a coragem ou a força. – Eu percebi muitas coisas também, mas a coisa mais importante e que eu acho que você precisa saber bem é que eu te amo. Podemos não ter uma história convencional em que o normal é se conhecer, namorar e depois casar, mas isso não importa. Não importam os erros também por que foram eles nos fizeram chegar ate aqui. Eu notei que consigo suportar qualquer coisa menos ficar longe de você, eu posso ignorar Taylor por que amo você e nós podemos superar isso se você disser que sente o mesmo ou...

-Eu não sinto. – Harry disse. Foi um momento torturante desde as palavras até o silêncio que perdurou no cômodo. As lágrimas que juntaram nos olhos de Louis foram a coisa mais triste que Harry viu desde a morte de sua mãe. Ele viu cair diante dele tudo aquilo que ele queria. Mas em momento algum teve coragem de olhar dentro dos oceanos tempestuosos de Louis e dizer que não o amava.

Por que ele amava. Amava tanto que chegava a doer. Ou talvez a dor fosse causada pelo fato de que ele nunca poderia o dizer isso. Ele esperou pra ouvir coisas tão lindas e quando Louis as disse ele não pode retribuir.

Por um momento, apenas por um mísero momento, Louis esperou ele dizer que era mentira. Ele realmente achou que Harry pudesse o amar, ou sentir por ele metade do que ele sentia. Ele apenas achou demais...

Engoliu a bola que se formou em sua garganta e encarou Harry embora ele não olhasse de volta. Ainda disposto a tentar, não querendo desistir dele, por que sabia que jamais amaria alguém como amou ele.

-Tudo bem, você não precisa amar. Eu posso amar por nós dois. – Disse calmamente embora por dentro, seu coração sangrasse. Ele poderia estar soando patético. Na verdade, ele se sentia um idiota por estar dizendo isso, mas ele amava tanto Harry que estaria sim disposto a abdicar de sua reciprocidade em nome de um pouquinho do sentimento dele.

Harry o olhou e viu toda sua insegurança em relação aos dois. Ele sabia que Louis havia querendo ouvir ele dizer que o amava, embora nunca demonstrasse. Ele queria voltar no tempo e poder dizer que não era verdade, mas, assim como não poderia voltar no tempo, também não poderia dizer que na verdade, era loucamente apaixonado por ele.

Era tarde demais para eles.

-Harry. – Louis chamou após uma lágrima teimosa ter caído. – Eu não espero que tu me ame. Apenas diga que quer que eu fique e eu fico. Eu passo por cima da qualquer coisa se disser que me quer ao seu lado.

-Eu não quero. – Disse, embora estivesse mentindo. – Eu vou me casar com a Taylor. – Louis o olhou espantado. Tudo ficou em silêncio ate ele continuar. – Iremos ter um filho. Temos que evitar escândalos, e proteger essa criança que vai nascer. – Deu uma pausa. – Isso é o melhor a se fazer para manter a empresa e evitar tumulto.

-Então tudo é sobre a empresa? Só isso que importa?

As lágrimas deslizavam livres pelo rosto corado de Louis. Olhou para seu marido e procurou resquícios de alguém que estivesse dizendo a verdade. Não pareceu que era isso o importante olhando para expressão de Harry. Mas ele havia dito com todas as letras; iria se casar com Taylor, o importante era proteger a criança que ia nascer. Tinham apenas que evitar tumulto.

-É melhor você ir embora. – Harry sussurrou em meio ao aperto de seu coração. Olhando como Louis parecia destruído e pensando em suas palavras anteriores, ele quase quis voltar atrás. Mas manteve em sua mente o quanto era importante ele permanecer ali, em nome de um único objetivo; o proteger. Era isso que realmente importava.

Louis limpou as lágrimas e se dirigiu para a porta. Olhou uma última vez para Harry, agora sentindo que havia mesmo perdido o amor de sua vida. Ele estava parado perto do piano, uma mão apoiada no objeto enquanto sua cabeça estava baixa. Ele não chorava.

-Eu ainda te amo, Harry.

Então foi embora de sua casa novamente. Assim que a porta se fechou pode enfim se permitir chorar toda a dor que sentia em seu coração. O que ele nem imaginava era que dentro da casa, Harry estaria fazendo o mesmo, atirado no chão com o coração nas mãos.

Eles haviam se deixado ir, quando tudo que queriam era que o outro tentasse mais um pouco.

                            • • •

Quando Louis chegou em sua casa chorando desesperadamente, Perrie teve duas reações; a primeira foi de preocupação. Ficou sentada o abraçando enquanto ouvia ele contar em meio a soluços que balançavam todo seu corpo sobre tudo que aconteceu. Então veio a raiva. Ela pensou que quando ele disse pelo telefone que iria atrás de Harry, tudo poderia ficar bem. Mas ver seu melhor amigo naquele estado a fez reagir de uma forma que nunca antes achou que seria capaz.

Estava com Zayn em sua casa e o obrigou a levá-la até a mansão de Harry. Furiosa com tudo que Louis havia lhe contado, ela apenas queria gritar na cara do Styles tudo que havia visto Louis passar por causa dele e o fazer engolir todas aquelas palavras que havia dito.

Quando aconselhou seu amigo a ir atrás dele, achou que estivesse fazendo o certo. Ela sempre pensou que Harry realmente o amasse, mas que apenas não tinha coragem de dizer ainda. Mas já estava cansada de vê-lo sofrer por causa disso, então decidiu que havia chegado a hora de jogar umas verdades na cara de Harry.

Nem pensou direito quando ele abriu a porta. Apenas olhou para seu rosto e acertou um tapa na cara dele o fazendo cambalear pra trás com o susto. Zayn tentou a impedir mas ela fechou a porta antes que pudesse fazer qualquer coisa e em seguida se virou para Harry, o encarando com ódio.

-Como você pode fazer isso com ele? Como pode o fazer se apaixonar por você, deixar ele vir aqui e se entregar pra você pra em seguida o mandar embora como se não fosse nada, dizendo que tudo que importava era o cacete daquela empresa de merda, pisando nos sentimentos dele como se não valessem nada pra você?

-E-eu não fiz i-isso...

-Fez sim, você humilhou ele. Tem noção de como é ver seu melhor amigo chorar durante uma hora inteira e dizer que nunca seria o suficiente pra você? Por que ele sentia que não valia nada, por que te amava e você não foi capaz de retribuir ou ao menos respeitar esse sentimento? Você não tem ideia do quanto destruiu ele.

Harry encarou os olhos azuis raivosos de Perrie e não tentou revidar. Ele sabia que ela estava preocupada com Louis e assumia que suas atitudes a levaram a acreditar que estava interessado apenas no dinheiro e na empresa. Ela não tinha como saber sobre como tudo que ele fez foi em nome do seu amor incondicional por Louis.

O tapa que ela deu em seu rosto não doeu tanto quanto as palavras que ela disse. Ele se sentou no sofá e pôs as mãos em sua cabeça e chorou abertamente pela primeira vez em anos. Seu corpo todo doía e os espasmos causados pelos soluços o fazia tremer dos pés a cabeça.

Perrie o olhou por um tempo. A raiva passando a medida que o via naquele estado. Ficaram em silêncio, perdidos nas profundezas de seus pensamentos até que Harry decidiu falar alguma coisa.

-Eu precisei fazer isso. – Sua voz não passava de sussurros. Perrie esperou ele continuar, ainda parada perto da porta. – Eu tinha que o proteger. Eu preciso casar com Taylor, essa é a única maneira de consertar as coisas.

-Não entendo como isso pode consertar alguma coisa. Se você visse o estado dele agora, entenderia que tudo que realmente precisa, é estar com ele.

Harry balançou a cabeça lentamente e deixou suas costas caírem no encosto do sofá, em um gesto de puro esgotamento.

-Taylor veio me ameaçar, isso a uns dois dias atrás. – Respirou fundo e encarou Perrie, que agora tinha toda sua atenção voltada pra ele. – Ela disse que eu deveria me casar com ela, assumir a criança e juntar a empresa com a do pai dela. Se não...

-Se não... – Ela incentivou quando viu que ele estava perdendo as forças.

-Ela iria até a empresa e contaria pra todo mundo sobre o que aconteceu. Sobre o casamento arranjado, a traição e o bebê que ela esperava. Em conclusão, ela tornaria a vida do Louis um inferno. Ele não iria conseguir sair de casa sem ser seguido por todos os repórteres, toda a Londres iria saber sobre nosso segredo. Ele seria conhecido de tal forma que nem conseguir ir a faculdade e lutar pelo sonho dele ele conseguiria.

-Filha da Puta.

-Eu não poderia deixar ela fazer isso, eu conheço bem ela pra saber que não estava blefando. Não posso deixar ela estragar a vida do Louis por minha culpa, nada disso teria acontecido se não fosse por mim. Eu fodi com tudo uma vez, não poderia fazer isso de novo.

Perrie sentou ao lado de Harry no sofá e colocou a mão em seu ombro. A raiva já havia ido embora, agora tudo que ela sentia era tristeza e compaixão.

-Eu entendo Harry, eu realmente entendo. – Disse o fazendo olhar pra si. – Mas ainda acho que deveria discutir isso com Louis. É uma decisão dele querer ficar ou não.

-Louis me ama e isso é a pior coisa que ele poderia sentir. Eu só iria foder a vida dele se preferisse ficar comigo, e eu sei que é isso que ele faria por que ele é bom demais para seu próprio bem. – Deu uma pausa e limpou as lágrimas que ainda caiam por seu rosto. – Se ele for embora, uma hora ou outra vai acabar superando isso, quem sabe a vida dele não seja muito melhor longe de mim.

-Isso não é verdade. – Perrie disse, segurando seu rosto e o fazendo olhar em seus olhos. - Desculpe-me o tapa, eu estava com raiva. Mas agora eu entendo tudo e preciso dizer que, ficar longe de você só fará mal pra ele. E pra você também. Ele não será feliz longe daqui.

Harry abaixou o rosto e olhou para a aliança presa em seu dedo anelar. Um símbolo de seu amor por ele. Sabia que Louis voltaria se ele pedisse, e isso seria a maior estupidez de sua vida. Por uma última vez ele faria o que sabia que era melhor pra ele. Sim, ele iria superar.

-Você precisa me prometer que não irá contar pra ele sobre nossa conversa. – Se levantou e caminhou pra longe da garota. – Prometa-me que isso ficará entre nós.

-Eu realmente acho que isso não é o certo, acho que deveria conversar com ele. Mas não irei me meter em sua decisão. Apenas saiba que, se quiser voltar atrás, eu irei te ajudar e apoiar.

Harry concordou. Tanto ele, quanto ela, sabiam que ele não cogitava essa hipótese. Era triste e Perrie sabia que essa era a decisão errada, mas não iria se intrometer na decisão de Harry. Se ele quisesse lutar por Louis, teria que fazer isso por si mesmo.

Acompanhou Perrie até a porta e antes de se despedirem ela se virou pra ele e disse:

-Desculpe novamente pelo tapa, eu estava...

-Protegendo ele, eu sei. E te admiro por isso. – Ela sorriu e o abraçou antes de sair.

Ela caminhou pelo jardim em direção ao estacionamento. Estava quase atravessando o portão quando Niall veio atrás dela. O loiro perguntou sobre Louis e ambos saíram juntos em direção a rua.

-Harry é um idiota. Aquele cabeça dura não quer me ouvir. – Niall disse contrariado.

-Eu sei, ele acha que esta fazendo o melhor para Louis, ele não enxerga que está piorando tudo.

-Eu vou conversar com ele, não irei deixar ele desistir assim.

Ambos atravessaram o grande portão da mansão Styles e se despediram quando, ao olhar para frente, viram uma cena que poderiam jurar que nunca imaginariam ver em suas vidas; Zayn e Liam estavam abraçados, mas não era um abraço normal, suas bocas estavam unidas e eles se beijavam com paixão.

Ambos separaram-se quando ouviram o grito de Perrie e tiveram tempo de apenas ver as lágrimas escorrendo dos olhos azuis dele e de Perrie antes da garota correr para longe e Niall ficar e encarar os dois, sem conseguir ter qualquer outra reação.

                            • • •

Perrie não voltou para casa. Louis já estava começando a ficar preocupado quando recebeu uma ligação de Stanley. Ficou encarando o visor antes de atender e tomar sua decisão. Se Harry queria que ele fosse pra longe, ele iria.

-Louis?

Engoliu em seco. Uma lagrima teimosa caiu antes dele dizer que aceitava. Aceitava ir para Paris com Stanley, longe de Harry, longe de seu amor.

Era tarde demais para o segurar perto.


Notas Finais


O que acharam da nova música do Niall?
Digam o que estão achando. Não se preocupem, tudo fica bem quando a montanha russa voltar para a terra (novamente, não riam da minha analogia, eu gostei dela)

Faltam oficialmente cinco capítulos para o fim da fic, contando esse.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...