História Paper Hearts - Kim Taehyung BTS - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Humor, Kim Taehyung, Romance
Visualizações 54
Palavras 2.199
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Escolar, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


>Aviso<
Essa história contém loucura em excesso.

Avisados, agora podem aproveitar a leitura.

Capítulo 15 - Apenas amigos


Fanfic / Fanfiction Paper Hearts - Kim Taehyung BTS - Capítulo 15 - Apenas amigos

Tae se vira lentamente na direção dele.

Se olhar matasse, neste exato momento Chung-Hee estaria estirado no chão, com uma faca fincada no peito dele.

- O que faz aqui? - Diz Tae, ele tinha o escutado muito bem, só perguntara para ter certeza do que ouvira.

Chung-Hee suspira de desdém.

- Não é da sua conta, vamos (s/n)?

Me levanto, mas Tae me puxa pelo braço, me fazendo sentar novamente.

- Ela não vai a lugar nenhum com você. – ele diz, ainda segurando meu braço.

Chung-Hee sorri.

- Sério? E quem é que vai impedir?

- Eu vou impedir. Se dependesse de mim, nem olhar na sua cara, ela iria mais.

O sorriso de Chung-Hee se alarga mais.

- E como pretende me impedir? Vai fazer cócegas em mim? Ou será que vai picotar seu papel de trouxa e usar como confetti para me atacar?

- Você se acha muito, não é? – Tae se levanta com o punho cerrado.

Prevendo que aquilo não iria acabar bem, levanto e rapidamente entro na frente dele.

- Vamos? – pergunto para Chung-Hee.

- Mas (s/n), você não pode... – Taehyung diz atrás de mim.

- Tae entenda... – digo me virando para ele – Você é meu amigo, não meu dono. – ele abaixa levemente a cabeça – Até amanhã.

Dou um abraço nele e me viro para o garoto de olhos verdes que estava à minha espera.

 

∞∞∞

 

Eu e Chung-hee viemos ao Shopping e almoçamos por aqui mesmo.

Já havíamos comprado nossos ingressos e agora estávamos na fila para comprar pipoca, com duas pessoas à nossa frente.

- Seu amigo é muito esquentadinho. – comenta ele.

- Ele é assim apenas com você, nunca vi pessoa mais dócil que o Tae. – digo suspirando – Não entendo toda essa implicância dele.

- Vai ver ele tem ciúmes de você.

- Bobagem, por que ele teria ciúmes de mim?

- Boa tarde. – a atendente do caixa fala, não dando tempo para ele me responder.

Pagamos as pipocas e os refrigerantes, e fomos para a sala de cinema.

Quando chegamos, o filme tinha acabado de começar e as luzes já estavam apagadas.

 

Droga

 

Como sou uma pessoa muito sortuda, estava distraída tentando encontrar minha poltrona no semiescuro da sala e acabo tropeçando na escada, quase derrubando tudo no chão.

Chung-hee que estava à minha frente, não viu, mas escutei um grupinho que estava sentado, dar risadinhas.

 

Idiotas, não sabem que quase cair de cara no chão era para ser um charme meu?

 

Finalmente Chung-hee entra em uma fileira e eu o sigo, sentando na poltrona ao seu lado.

Tiro minha mochila das costas e a coloco aos meus pés, no chão.

Coloco o refrigerante no porta-copos da minha poltrona e seguro minha pipoca esperando o filme começar.

 

∞∞∞

 

- Eu vou ao banheiro – digo para Chung, que prestava total atenção ao filme.

- Uh? – pergunta virando-se em minha direção.

- Eu vou ao banheiro. – repito e ele apenas acena com a cabeça.

Me levanto e me dirijo rapidamente ás escadas, para não atrapalhar a visão das outras pessoas. Desço os degraus com cautela, para não tropeçar novamente.

Saio da sala de cinema e me encontro no corredor vazio, me perguntando para onde ficava o banheiro.

Caminho devagar procurando alguma placa onde me informasse, mas nada. Nem sequer uma pessoa para me ajudar...

Ouço vozes se aproximando, vindo de uma porta próxima à mim.

 

- ... Um jantar romântico?

 

Espera aí! Eu reconheço essa voz... Jin?

 

Arregalo olhos. O que eu faço?

A porta da qual eu escutara a voz de Jin, se abriu. Rapidamente me viro de frente para a parede, de modo a esconder meu rosto e pego meu celular do bolso, fingindo estar em uma ligação.

 

- Tae você pirou? Eu já lhe falei que estraguei tudo, não vai adiantar nada...

- Mas você também hein hyung? Tinha que sair correndo né? Agora quem tem que aturar suas lamentações sou eu! Vamos logo, antes que eu perca mais ainda o filme.

Assim que escuto seus passos se distanciarem, suspiro aliviada por não terem me notado. Me viro, a tempo de ver os dois entrando em uma das salas de cinema.

 

O que o Tae estava fazendo aqui com o Jin?

 

“Isso é um cinema, com certeza tomando banho (s/n)”

 

Rio com meus pensamentos. Foi apenas uma coincidência, não tinha como ele saber que eu viria ao cinema.

 

Avisto ao longe, uma mulher vestida com o que parecia ser um uniforme. Caminho em direção a ela, com certeza saberá onde fica os benditos banheiros.

 

∞∞∞

 

 

- Você demorou. – comenta Chung quando finalmente me sento ao seu lado.

- Apenas me perdi. – respondo simplesmente.

 

 

POV’S TAEHYUNG

 

- Tae entenda... – ela diz se virando para mim – Você é meu amigo, não meu dono. – eu abaixo levemente a cabeça – Até amanhã.

Ela me abraça e se vira para o garoto de olhos verdes que estava à sua espera.

Vejo os dois se afastarem e sinto um aperto no peito. Sinto que estou perdendo ela aos poucos... Se é que um dia ela já foi minha.

 

∞∞∞

 

Estou deitado na cama de meu quarto, mexendo no celular quando Jin me liga.

 

Ligação on:

 

- Oi Jin, o que você quer?

- Nossa, que bicho te mordeu?

- Nenhum, só estou sem paciência hoje, portanto se você for breve, eu agradeço.

- Tudo bem... Eu só... ah... precisava conversar com você... Mas não é uma coisa para mim contar por telefone...

Suspiro

- É muito importante?

- Muito...

- Aish... Tudo bem, venha até a minha casa, além de mim só está a minha mãe.

- Okay então... Daqui a pouco chego aí.

 

Ligação off

 

Respiro fundo. O que será que ele fez agora?

 

∞∞∞

 

- O que?! Como assim você fugiu Kim Seokjin?!

- Eu... Er...

- Você tem o que na cabeça?! – exclamo andando de um lado para o outro em frente à Jin, que está sentado em minha cama – Coitado do Namjoon... Imagino como ele deve estar agora... E tudo isso por sua causa!!!

- Sim... foi tudo culpa minha... Eu sempre faço tudo errado...- diz com a voz trêmula e eu me viro para ele.

 

Ai meu Deus, ele está chorando! O que eu faço? Eu sou péssimo para consolar alguém, como se faz isso? ...

 

- Olha Jin... – digo me sentando ao seu lado – Me desculpe... eu fui rude de mais com você... não deveria ter dito aquilo... – digo, mas ele apenas continua olhando para o chão, tentando inutilmente conter as lágrimas.

 

O que eu faço?

 

Me aproximo dele sem saber o que fazer direito e o envolvo em meus braços, torcendo para que isso fosse o suficiente.

Ele retribui o abraço e sinto sua respiração se acalmando.

- Sabe, que tal a gente sair para distrair um pouco? – pergunto ainda em seus braços.

 

∞∞∞

 

- É melhor assistir um filme pela metade do que nada... – digo quando pagamos nossos ingressos e nos dirigimos para a sala de cinema – Mas sabe, eu estava aqui pensando como você poderia se redimir com Namjoon.

- Como?

- Um jantar romântico! – exclamo feliz pela magnitude do meu cérebro em ter pensado algo infalível.

- Um jantar romântico? – pergunta confuso - Tae você pirou? Eu já lhe falei que estraguei tudo, não vai adiantar nada...

Abro a porta que dá para as salas de cinema.

- Mas você também hein hyung? Tinha que sair correndo né? Agora quem tem que aturar suas lamentações sou eu! Vamos logo, antes que eu perca mais ainda o filme. – digo voltando ao meu mau humor. Eu tento ajudar e a pessoa usa meus conselhos? Não, nem sequer os considera.

Entramos na sala de cinema e com um pouco de dificuldade devido ao cinema já estar escuro, encontramos nosso lugar e nos sentamos.

Alguns minutos depois, uma garota entra na fileira em frente à minha, tenho a impressão de que conheço ela de algum lugar.

- Você demorou. – escuto o rapaz ao lado dela falar. Por algum motivo, não consigo desviar o olhar dos dois.

- Apenas me perdi. – ela responde. Mas espera, eu reconheço essa voz... esquece, é muita coincidência, eu devo estar imaginando coisas.

Volto minha atenção para o filme, deixando para lá minha imaginação fértil e tentando ignorar os dois que começaram a conversar, à minha frente.

- Seu cabelo é tão sedoso (s/n). – escuto o rapaz falar e um choque percorre meu corpo. Não pode ser, o destino só pode estar brincando com a minha cara.

Relutante, olho para os dois. Uma péssima escolha.

Chung-hee, ainda com a mão no cabelo de (s/n), vai aproximando seu rosto do dela.

 

POR QUE ELA NÃO SE AFASTA? VIRA O ROSTO? POR QUE ELA NÃO FAZ NADA?!

 

Pelo semiescuro da sala, consigo ver um sorrisinho brotando nos lábios dele. Tento virar o rosto para não ver aquilo, mas é tarde demais. Chung-hee beija (s/n), que parece retribuir.

Sinto alguma coisa se partir dentro de meu peito, não consigo acreditar no que estou vendo. Fico paralisado, sem conseguir desviar o rosto daquela cena.

- Taehyung?! Estou te chamando faz um tempão! – me viro para Jin – Você está bem?

Enxugo uma lágrima teimosa que escorre por meu rosto. Olho novamente para o ‘casal’ à minha frente, onde os dois agora olhavam para mim. (S/n) estava me encarando de olhos arregalados. Xingo Jin mentalmente, ele tinha que ter falado meu nome tão alto?

- Vou ao banheiro. – digo à Jin e me levanto, caminhando o mais depressa possível para sair dali.

Caminho à passos largos pelo corredor, querendo chegar logo ao banheiro.

Escuto passos atrás de mim, mas não ligo.

- Tae? Tae espera! – escuto (s/n) me chamar, mas continuo andando. Onde está esse maldito banheiro?!

Sinto algo segurar meu braço e me viro, fitando (s/n), que parecia aflita. Puxo meu braço de sua mão.

- Tae, por que está assim? Por que saiu daquele jeito quando eu o vi?

Dou uma risada sem humor.

- Sério mesmo(s/n)? Tem certeza de que não sabe?

 - Eu realmente não sei Tae... – ela passa a mão pelo cabelo e olha para o chão – V-você me viu beijando Chung-hee? – não falo nada, e ela toma isso como um sim – Mas eu não entendo por que está chateado... Somos apenas amigos...

- Claro, somos apenas amigos, não tenho direito nenhum de ficar magoado. Eu que sou muito idiota não é (s/n) ?! - dou uma risada amargurada – Já devia ter imaginado que não iria dar certo. Mas não, meu coração gosta de fazer papel de otário!

- Não estou entendendo Tae... – ela levanta a cabeça e me encara.

- Esquece, é melhor eu deixar para lá. Volta para a sala de cinema e continua com seu romancezinho com Chung-hee... Me esquece por enquanto (s/n) ...

- Tae, não fala uma coisa dessas, claro que não vou esquecer você! – diz tentando me tocar, mas eu me afasto – Se você não falar, eu nunca vou adivinhar! Tudo isso é por causa da sua implicância com o...

- EU GOSTO DE VOCÊ (S/N)! Será que nunca percebeu?! – a interrompo, colocando para fora o que eu sempre quis ter dito a ela. (S/n) arregala os olhos, surpresa. – Mas, é tarde demais para dizer isso... Agora percebo, minha chance acabou... – digo me virando para ir embora. Ela segura meu braço, me impedindo.

- Tae...- me viro para ela, que me abraça. Fico um pouco surpreso mas depois retribuo o abraço – Ah, eu sinto tanto Tae... – ela fala, em meus braços, se afasta um pouco e segura meu rosto entre suas mãos. Percebo que seus olhos estão cheios d’água e meu coração se amolece um pouco. – Por favor, não me deixe...

- (S/n) ...

- Tae, me escute por favor... – pede e eu enxugo uma lágrima que escorre por sua bochecha. – Mesmo não querendo admitir... Eu me afeiçoei à você... Eu gosto muito de você Taehyung, mas não dessa maneira... – ela abaixa a cabeça e deixa cair suas mãos, soltando meu rosto – Por favor, me perdoe por seu tão estúpida com você, se eu pudesse escolher por quem meu coração bate mais forte... Com toda certeza eu lhe escolheria... Mas as coisas não funcionam dessa maneira... – ela respira fundo e volta a me fitar- Sei que o que eu vou pedir é muito difícil, mas... Será que poderíamos continuar a ser amigos? Eu realmente te quero ao meu lado... Mas vou entender se não quiser mais olhar na minha cara...

 

O que eu estou fazendo? Ela está tão aflita... Tudo por minha causa!

Aish, eu sou um babaca... A culpa não é dela se eu não lhe contei meus sentimentos antes...

Só estou a fazendo sofrer desse jeito...

Eu não suportaria ficar longe dela...

 

- O cara que faz seu coração bater mais rápido é Chung-hee, não é? – pergunto e ela demora um pouco, mas afirma levemente com a cabeça. Suspiro e a envolvo em meus braços- Se ele te magoar, eu vou fazê-lo se arrepender amargamente de ter cruzado o seu caminho. – digo com o rosto apoiado na curvatura de seu pescoço – Mesmo que eu seja apenas seu amigo, o que importa é estar ao seu lado. – sussurro rouco e ela me aperta um pouco mais em seus braços.

 

 


Notas Finais


Hello terráqueos lindos do meu core!

A sumida apareceu!
Bem, um momento de desabafo rapidinho:

Eu não suporto mais prometer que não vou demorar mais para postar e acabar fazendo o contrário!
Sim, o destino é totalmente ao meu favor, sempre quando uma coisa dá certo, outras mil dão errado.


Agora vou contar uma pequena história nada comum para vcs:

Eis uma garota que escreve um imagine, finalmente depois de muito tempo as coisas começam a fluir e feliz, ela diz que não vai mais demorar (uma eternidade) para postar.
Eis que ela está sozinha em casa, com preguiça de fazer algo para comer, ela resolve fazer miojo (quem nunca? kk).
Eis que essa anta deixa o celular cair dentro do miojo que, devido ao calor excessivo, estraga o celular da criatura.
Eis que ela perde o cap que já tinha escrito e faltava apenas postar. Desanimada, ela demora para tentar escrever de novo. Quando ela resolve escrever pelo computador mesmo, descobre que esqueceu a senha da sua conta no Spirit.(quanta sorte).
Putassa da vida ela pensa em desistir do imagine... Até que um certo dia ela está arrumando o quarto e encontra um papel com os e-mails e senhas que ela tem, e então sua alegria retorna, assim como sua vontade de escrever.

Gostaram da histórinha? Sim, não riam, eu fui retardada a ponto de perder o celular por causa de um miojo kkk
A minha sorte é que eu sempre anoto minhas senhas e etc em um papel, pois eu sempre acabo esquecendo.

Mas bem, retomando aqui, espero que me perdoem pelo atraso, devido a algumas circunstâncias (que eu expliquei), não pude postar antes...
Agora eu vou parar de prometer as coisas, pois sempre algo dá errado e não consigo cumprir... Peço a compreensão de todos ❤️

Espero que tenham gostado do cap (não me matem, amo vcs) ❤️

Beijinhos de glitter e até a próxima ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...