História Paraíso Sombrio (Long-fic Jimin) - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens D.O, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan, Bts, Imagine, Jimin, Jungkook, Taehyung
Visualizações 16
Palavras 1.609
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Visual Novel
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Self Inserction
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello baes 💜💜

Capítulo 7 - Náufrago


Fanfic / Fanfiction Paraíso Sombrio (Long-fic Jimin) - Capítulo 7 - Náufrago


Isabel estava sentada perto da pequena lareira, tentando aquecer as mãos, enquanto olhava preocupada para o relógio na parede. Já passava das 23 horas e nada de sua avó aparecer. A mesma havia saído a algumas horas por conta de um bilhete que um rapaz lhe entregou. Tranquilizou Isabel e disse para ela não esperá-la acordada, mas a menina não pôde evitar.

De repente, sentiu um arrepio subir por sua espinha e espalhar-se por todo o seu corpo, a deixando alerta. E não era novidade. Sentia-se assim o dia todo. Inquieta e preocupada, sem motivo aparente.

Sua mente, mesmo que ela tentasse evitar, vagava por suas lembranças de Jimin. Seu coração batia dolorido, cada vez que seu sorriso lhe vinha á cabeça. Algumas lágrimas escapavam, e Isabel tornava a limpá-las. Sua voz era quase um sussurro, quando proferiu:

-Jimin... Onde você está agora?

Antes que ela pudesse secar outra lágrima que escorria teimosamente por seu rosto, a porta se abriu com certa violência. E por ela, passaram algumas pessoas carregando um homem em uma maca, com o rosto e tronco enfaixados. Logo depois deles, a avó de Isabel.

- Podem levá-lo para o quarto. É a segunda porta a direita no corredor.

E assim fizeram, deixando Isabel assustada, a sós com sua avó.

- Isabel, querida, desculpe-me a demora!

- Vovó, o que aconteceu? Estava muito preocupada! Quem eram aquelas pessoas e... aquele homem na maca?

- Calma, uma coisa de cada vez, sim? Sente-se aqui, já vou lhe contar tudo.

Isabel sentou-se novamente perto da lareira, junto à sua avó.

- Parece que esse homem é um náufrago, Isabel. Aqueles homens são pescadores, que o encontraram boiando sobre um pedaço de madeira. Não sabemos se tinha mais pessoas, já que esses pescadores voltavam do mar aberto e não encontraram mais ninguém na praia, por já ser tarde. Enfim, ele estava muito ferido, então me chamaram para ajudar. Por isso saí daquele jeito, Isabel. Mas não queria alarmar você, e foi por isso que não contei.

- Mas esse moço está melhor? É muito grave?

- Eu não sei querida, desde que foi resgatado ele não acordou, parece estar sobre um tipo de coma... vamos cuidar dele e torcer para que ele acorde.

- Mas vovó, porque chamaram a senhora?

- Eu costumava servir como enfermeira quando jovem, antes do seu avô falecer. Ele era médico, como te contei, então, vendo o que ele fazia e como ajudava as pessoas, eu me apaixonei pela profissão. Queria ajudá-lo. Por isso me tornei enfermeira.

Isabel queria fazer mais perguntas, sua mente estava cheia delas. Mas não conseguiu, porque os homens que trouxeram o moço na maca estavam de volta.

- Senhora Alonzo, colocamos o rapaz na cama. Muito obrigada por abrigá-lo aqui e por cuidar dos ferimentos dele.

- Obrigada vocês, por salvá-lo. Agora podem ir, sei que suas famílias estão preocupadas pela demora.

Os homens se curvaram e saíram, deixando-as. A menina já bocejava, mas não queria sair de perto da avó.

- Isabel, quero que vá para a cama, querida. Vou trocar os curativos do rapaz e também vou dormir. Hoje foi um dia e tanto.

-Tem razão, vovó. Qualquer coisa, me chame. Boa noite.

-Boa noite, minha princesa.

(...)

O jovem estava em seu escritório com um copo de conhaque na mão, enquanto sua cabeça permanecia abaixada. Seu semblante era de tristeza e cansaço. Estava aguardando por notícias de Jimin á horas, mas elas nunca chegavam, nem boas, nem ruins. Taehyung estava aflito.

- Tae! Eu tenho notícias...

Hoseok agora estava encostado na soleira da porta, com um bilhete em mãos. Lágrimas escorriam livremente pelo rosto do mesmo, enquanto erguia a mão e entregava o papel a Taehyung.

" Prezado senhor Jung,

Encerramos as buscas, pois acredito termos encontrado o que o senhor procurava. Achamos, perto da praia, um jovem de cabelos negros e de estatura média, como o senhor descreveu. Infelizmente ele não sobreviveu. Sentimos muito, senhor, pela sua perda. O corpo está sendo velado numa igreja local, e logo abaixo está o endereço se o senhor desejar vir.

Minhas sinceras condolências,

Capitão Min.

Após terminar de ler o bilhete, os olhos de Kim se fecharam, apertados, como se estivesse num pesadelo e não conseguisse acordar.

- Não pode ser...

(...)

Dois dias se passaram desde que trouxeram o náufrago pra casa. Sua avó era a única que entrava no quarto em que ele estava e trocava seus curativos. Ele ainda não havia acordado e a cada manhã, elas ficavam mais preocupadas com a situação do moço.

Naquela manhã, Isabel acordou mais cedo com batidas na porta. Ainda de pijama, colocou um robe azul por cima e saiu para atender. Mas parou ao perceber que a avó já tinha feito isso.

Ouviu algumas vozes vindas da sala e pensou em ir até lá, mas não estava vestida apropriadamente. Deu a volta e entrou no quarto,tomando um banho rápido e trocando o pijama por um vestido rosa bebê.

Quando estava de volta ao corredor, viu sua avó conversando com um rapaz. Falavam tão baixo que Isabel não conseguiu identificar de quem se tratava. Resolveu, então, se apresentar.

- Com licença... Bom dia

O rapaz moreno que estava de costas se levantou e ficou de frente pra Isabel.

Imediatamente os olhos da menina se arregalaram em supresa.

- Tae!? O-o que faz aqui?

Taehyung abaixou a cabeça, dando um sorriso triste.

- Vim te ver, Isabel. Precisava saber como estava. Já conversei com sua avó e lhe expliquei tudo.

- Vovó?

Isabel olhou para a senhora, que assentiu com a cabeça. Mas percebeu que seu semblante era de preocupação.

- O que houve Taehyung? Porque estão assim?

Isabel disse olhando nos olhos do rapaz de modo sério. Sentiu o coração apertar.

- O que acha de darmos uma volta? Me falaram que tem um ótimo lugar perto do cais que podemos tomar café.

Isabel suspirou, sabendo que ele não lhe falaria nada agora.

- Tudo bem, vamos, só me deixe pegar meu chapéu.

(...)

- Nossa, esse lugar é ótimo, não?

... Isabel?

O lugar realmente era ótimo. Era um local á beira do mar com a decoração que lembrava o fundo do oceano. Na parede acima de Taehyung havia um quadro pintado com a figura de uma linda baleia azul.

Isabel amava aquele lugar. Mas naquele momento, nada daquilo chamava sua atenção.

O rapaz pigarreou tentando tirar a menina de seus pensamentos, e finalmente conseguiu.

- Ah Tae, me desculpe... O que me dizia?

O advogado suspirou e largou o garfo que tinha na mão, fazendo um pequeno barulho. Segurou a mão de Isabel por cima da mesa e olhou nos seus olhos.

- Vai me dizer agora, não vai?

- Vou sim, Isabel. Mas primeiro, quero que leia isso.

Entregou uma pequena carta a menina, que rapidamente a abriu.

- Depois que ler isso, conversamos.

Apos chegar ao fim da folha, Isabel precisou respirar fundo algumas vezes.

- Como você conseguiu isso? Porque você trouxe aqui? Eu não estou entendendo Taehyung.

Disse a última frase entrecortada pelas lágrimas, que agora caíam silenciosas pelo rosto da moça.

- Eu não sei se ele te disse tudo o que está escrito aí Isabel, mas acredite em mim, é a mais pura verdade.

- Jimin pediu pra você trazer a carta? Mas aqui está endereçada à Magda.

- Foi a Magda que me pediu pra trazê-la pra você, Isabel. Ela queria que você soubesse disso antes.

- Antes do que?

Isabel já estava com as mãos trêmulas e sua respiração um pouco mais limitada. Estava com aquela sensação na boca do estômago de quando você recebe uma notícia ruim.

- Antes de você saber o que eu vim te contar. Lembra daquela noite no cais?

Isabel fez que sim com a cabeça.

- Logo depois que saimos, Jimin pegou o primeiro navio que encontrou. Ele queria te achar, Isabel. Mas uma tempestade o pegou no meio do caminho, e o navio acabou saindo da rota e veio parar aqui perto desse porto. Mas antes que chegasse, a tempestade afundou o navio.

- Mas e o Jimin!?

Taehyung engoliu em seco e tentou ignorar o bolo que se formava em sua garganta, junto com a vontade de chorar.

- Algumas pessoas foram resgatadas por pescadores e levadas até a praia, onde fizeram uma espécie de chamada, para ver quem havia se salvado. Mas... O nome dele não estava na lista. Então pedimos para fazer uma busca pelo local para ver se encontrávamos ele. E... eles o acharam. Mas... E-ele não sobreviveu Isabel.

- Não! Jimin... ele me disse que s-sabe nadar muito bem!

A voz de Isabel estava casa vez mais fraca, por conta do choro, que por sua vez tinha se tornado mais forte. Agarrando a carta e colocando a mesma junto a si, Isabel se levantou e correu. Correu o mais rápido que pôde para casa. Para sua avó. Taehyung a deixou ir. Seus pulmões pareciam fogo, respirar era difícil, mas ela não parou. Continuou até chegar aos portões da casa e só parou quando já estava nos braços da avó.

- Vovó, o Jimin, ele... ele...

Sua voz não saia. Parecia que tinha uma pedra na garganta.

- Tudo bem querida, vai ficar tudo bem.

Mas Isabel sabia que não ia... não agora, que Jimin havia partido.

(...)

Taehyung estava paralisado em frente ao caixão de madeira, com os olhos arregalados.

- Tem certeza, Capitão Min? Essa foi a pessoa que encontraram?

- Absoluta, doutor Kim. Bateu com a descrição que o senhor me deu. E além disso, esse foi o único caso fatal. Todos os outros tripulantes do navio sobreviveram.

- Mas... esse... esse não é o Jimin, senhor!


Notas Finais


Omg 🙊
E ai? O que acharam?
Prometo postar o próximo rapidinho ❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...