História Pedido às estrelas (short-fic Jimin) - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Personagens Originais
Tags Bts, Jimin, Romance
Visualizações 7
Palavras 1.912
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello 💜💜
Espero que gostem e desculpa qualquer erro 😘😘
Boa leitura bbs 💜

Capítulo 2 - Me perdoa...


Fanfic / Fanfiction Pedido às estrelas (short-fic Jimin) - Capítulo 2 - Me perdoa...

Dois anos depois...

Mia abriu a porta do apartamento  do namorado com a chave reserva que tinha em baixo do tapete, e entrou, tentando fazer o mínimo de barulho possível. Seguiu até o quarto do mesmo e abriu a porta.

-Supresa!

Mia ascendeu as luzes do quarto de Hoseok, que, pensou ela, devia estar dormindo. E estava. Mas não estava sozinho.

- Ah! Quem ascendeu as... M-mia? O que faz aqui?

Sem sair do lugar, Mia tinha os olhos arregalados. Mas seus olhos estavam na mulher recém acordada, ao lado do cara que agora chamaria de ex.

- Hoseok...

Com uma voz manhosa, a outra passou um dos braços ao redor dele e sorriu debochada.

Mia também sorriu, pegando o celular do bolso e tirando uma foto. Aquela era a oportunidade perfeita.

- O que pensa que está fazendo, garota!?

Mia gargalhou. Por algum motivo, não se sentia triste por si mesma, apenas por Jimin. Era só nele que pensava. Como sempre. Suspirou, cansada.

- Engraçado... Você está aí na cama do meu namorado... ou melhor, ex namorado, e me pergunta o que EU estou fazendo?

Deu dois passos e sorriu, mostrando a tela do celular.

- Mas se você insiste eu te mostro. É uma pena  que o Jimin tenha que saber sobre quem você é dessa forma, Yoona.

Se virou e fez questão de apagar as luzes ao sair do quarto, enquanto Hoseok tentava se soltar do aperto da cobra e levantar, indo atrás dela. Mas já era tarde demais. Mia largou as chaves reserva em cima da mesa e nem mesmo fez questão de fechar a porta ao sair.

- Durmam bem... idiotas.

 

(...)

-Um brinde à nós...

Jimin ergueu o copo de vodka e Mia fez o mesmo, porém recuou um pouco e deixou o rosto cair pro lado, fazendo uma cara fofa de dúvida (cara fofa = bêbada).

Horas depois de contar a "novidade", Mia levou Jimin pra beber. O que era um ótimo pretesto pra ficar mais tempo perto dele, o que não acontecia com muita frequência, porque Yoona era simplesmente a pessoa mais ciumenta do planeta. E chata também. Então digamos que Mia não estava tão triste assim.

- Mas, vamos brindar pelo quê?

- Somos os cornos do ano, é algo pra se levar em conta!

- Aish... do jeito que você fala até parece que foi culpa nossa.

Jimin riu e virou o copo, seguido de Mia.

- Sabe no que eu pensei?... será que foi destino?

- Mas você nunca acreditou em destino, Jimin, porque pensa isso agora?

- Porque faz um tempo que... eu pedi uma coisa e parece que estão trabalhando pra eu ser atendido...

A voz dele, já alterada pelo álcool, ficava cada vez mais embargada.

- Pediu pra quem? O que?

Jimin colocou um dedo na boca e sorriu, bêbado.

- Shhhhhh... Segredo!

- Hummm... Ok senhor mistério, pode ficar! Aish...

- Porquê? Porque eu fui namorar aquela garota?

Jimin estava na famosa fase bêbada de tagarelar, o que significava que ele não calaria a boca por um segundo.

- É, as vezes eu me faço a mesma pergunta...

Mas Mia sabia muito bem que os motivos dela ter começado a namorar eram óbvios :

1- Jimin tinha acabado de começar a sair com a Yoona/ rainha da escola e blá blá blá... ele não ia terminar por causa dela (era o que ela pensava)

2- Hoseok era um gato ( e muito atencioso, dançava muito bem e... deixa pra lá)

Só que agora, nenhum dos dois motivos fazia sentido.

Suspirou, enchendo o próprio copo outra vez e virando. E mais uma vez. É.... e mais uma vez.

- Jimin, tive uma ideia!

O outro já estava abraçado a uma garrafa, quase dormindo. Pelo menos a tagarelice tinha passado.

- Hum, que ideia?

- Vamos pra balada!

(Ótima ideia = desastre)

- Mas Mia... Você  odeia balada...

- Jimin, aproveita enquanto eu to bêbada, vamos antes que eu fique sóbria e me arrependa!

- Tudo bem, vamos!

Os dois ficaram de pé, e meio cambaleando conseguiram pegar um táxi. Jimin disse o endereço é motorista começou a dirigir, ignorando os dois animados no banco de trás.

- Moço, o senhor conhece BIGBANG? Sabe, tem aquele gosto... quer dizer, lindo do G-Dragon, T.O.P...

Jimin tapa a boca dela com uma das mãos e faz que não com a cabeça.

- Desculpa moço, é a primeira vez que ela bebe...

Alguns minutos depois o táxi para em frente à um lugar cheio e barulhento (pensamento de Mia naquele instante), os dois pagam a corrida e entram no local. A música estava alta e as pessoas dançavam numa grande pista, perto do palco do DJ. Era um ambiente totalmente normal pra Jimin, mas pra Mia... Era o inferno.

Milhares de pessoas aglomeradas, fumaça e música ruim... Era assim que estava, até tocar sua música preferida. Tomou mais um shot e, junto com Jimin, começou a se mexer. Primeiro, devagar, tímida. Mas antes do meio da música já estava no meio da pista, junto à  aquele mar de gente.

Três músicas depois, suada e bêbada demais pra se lembrar de algo no dia seguinte, sentiu dois braços a envolverem e um corpo colar no seu. Jimin? Foi o que ela pensou até se virar. Ah, merda.

- Hoseok!? Me. Solta. Agora!

- Ah Mia, não fica assim não gata, você sabe que a Yoona não significa nada pra mim...

- Gata? É assim que você trata suas putas, não a mim, desgruda!

- E se eu não quiser? Vai me bater?

Hoseok deu uma gargalhada jogando a cabeça pra trás e apertando a cintura de Mia.

- Porque, acha que eu não posso?

- Você é muito pequenininha, que tal gastar seu tempo de outra forma?

Esmagou a boca contra a dela, enquanto a mesma se debatia, tentando se soltar. Mas seu aperto só aumentava.

 Mas de repente, ele é puxado pelo ombro e tirado de perto dela. Antes que Jimin faça mais  alguma coisa, Mia fecha a mão e acerta um soco no rosto de Hoseok.

Jimin arregala os olhos, enquanto Hoseok encarava Mia com ódio.

- Desculpa Jiminie, esse era meu.

- Jiminie!? Então foi por isso que me largou, não foi Mia! Nem ficou triste! Você é qualquer uma mesmo!

- Do que você chamou ela!? Fala de novo que acabo de quebrar a sua cara, idiota!

- Porque tá defendendo essa daí? Olha pra ela cara... ela não vale isso tudo. Sinceramente... A Yoona... Foi uma ótima experiência.

Mia engoliu em seco, assim que viu Jimin derrubar Hoseok no chão e subir em cima dele socando seu rosto várias vezes.

A música já tinha parado, e a roda se abriu ao redor deles, segundos antes de um dos seguranças segurar Jimin, o tirando de cima de Hoseok, quase desmaiado.

- Vem Mia, vamos embora.

Jimin segurou o braço da menina, guiando ela até a saída e pegando o primeiro táxi que viram  pela frente.

Jimin deu o endereço do próprio  apartamento e Mia franziu a testa, afinal ele sempre levava ela em casa primeiro.

- Jimin... Você não vai me levar?

- Não, você vai dormir na minha casa hoje... não posso arriscar deixar seus pais te verem assim...

- Convenhamos que você tá pior que eu...

Mia sorriu, mas Jimin ainda estava sério.

- Mas eu moro sozinho, lembra? Sem broncas, sem regras...

- Tá legal, bad boy, vamos lá.

(...)

- É mamãe... estou aqui no Jimin... pode deixar que vou ir embora cedo amanhã... ok, beijos.

Mia desligou o telefone depois de ouvir aquele famoso sermão da mãe.

Suspirou e colocou o mesmo no gancho.

Jimin morava sozinho desde o Ensino Médio, foi emancipado com apenas 16 anos, pois os pais se mudaram com o irmão mais novo para trabalhar em outro país, e ele se negou a ir, não queria ficar longe de tudo o que conhecia. Principalmente de Mia.

- E agora, o que a gente faz? - Mia pergunta suspirando e se deitando no sofá - Não estou com sono e você Jiminie?

Jimin, que estava sentado do outro lado, pensativo, olhou para a amiga e sorriu conspirador, se levantado e indo até a cozinha. Minutos depois volta com um balde de pipoca e um pacote de balas, e Mia logo que entende do que se trata, se levanta e escolhe um filme, antes de se juntar a Jimin embaixo do cobertor. Era como os velhos tempos. Estavam ali, juntos depois de tanta coisa, do mesmo jeito, como se o tempo não tivesse passado.

Mas agora, talvez por causa de uma certa estrela, algo estava diferente.

Cada vez que Mia, sem querer, esbarrava em Jimin, na hora de pegar a pipoca ou as balas, era como um pequeno choque. Quando estavam abraçados por causa do frio, cada vez que a respiração dela atingia o pescoço dele geravam arrepios no mesmo.

Aquela barreira, aquele muro, que delimitava a relação deles apenas em amizade estava ruindo, levando cada insegurança e defesa que tinham. E isso dava um medo danado.

Depois de quase duas horas torturantes de filme, limparam as coisas e foram se arrumar pra dormir. Jimin no colchão no chão e Mia na cama.

- Jimin... Já tá dormindo? - Mia sussurra no escuro, com os olhos abertos.

- Não, ainda estou sem sono.

- Normalmente você dorme primeiro que eu, o que houve?

Jimin suspira pesado e segura a mão da menina, que pendia pra fora da cama.

- Algumas coisas mudaram por aqui... talvez eu não tenha mais tanto sono quanto antigamente. Não como quando você estava aqui...

- Jiminie...

- Me desculpa Mia...

- Pelo que?

- Por deixar você esse tempo todo...

- Eu entendo Jiminie, a gente se afastou... você estava namorando a Yoona... eu sei que ela não gostava de mim...

- Não, Mia, não entende.

Jimin se levantou num pulo e se sentou ao lado da menina na cama, segurando o rosto dela com as duas mãos e olhando seu pequeno rosto no escuro.

- O-o que está fazendo Jiminie?

- Olhando pra você. Senti sua falta.

- Eu também senti sua falta.

Mia sorriu, mas Park continuava a encarando sério.

- Mia... eu... Me desculpe por isso...

Mas antes que ela pudesse perguntar o motivo, Jimin se aproximou dela devagar e selou seus lábios de forma demorada, sentindo a menina estremecer. Lentamente, passou seus braços ao redor da cintura dela ela segurou levemente os cabelos loiros de Jimin, o que fez o mesmo suspirar ainda com os lábios colados no dela.

Após o que pareceu uma eternidade, Jimin encerrou o beijo e se afastou para olhar Mia, que ainda tinha seus olhos fechados.

- Mia... olhe pra mim... por favor.

A menina, dando graças por estar escuro e Jimin não perceber que o rosto dela parecia um pimentão, deixou que seus olhos se encontrassem com o dele no escuro.

- Eu sinto muito Mia...

Disse ainda olhando pra ela, de forma carinhosa.

- Por ter me beijado?

- Não... por ter demorado tanto pra fazer isso.

- C-como assim? O que está dizendo Jimin?

- Estou dizendo que eu te amo Mia...

Faz muito tempo. E eu tentei te esquecer porque você gostava de outra pessoa, mas não consegui, Mia. Eu não consegui desistir de você mesmo despois desses dois anos. Me perdoa...

- Eu não posso Jiminie... não posso perdoar você.

Jimin tinha um olhar triste, quase de desespero. Agora Mia nunca mais olharia pra ele.

- Porque não? Por favor Mia...

- Porque eu também amo você, Park Jimin.


Notas Finais


E ai? Gostaram?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...