História Pensão Offenders - Taekook - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~MinPark913

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Namjin, Sadicomasoquismo, Taekook, Vkook, Yaoi, Yoominseok
Visualizações 101
Palavras 1.856
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Então meus amores, aqui está o capitulo que prometi, espero que gostem e me desculpem pela demora <3.
Beijo beijo da Junnie~

Capítulo 5 - Por favor Suga, pare.


— V-vai se arrepender por não ter me mandado embora.

— T-tenho certeza que não...

Adentramos seu quarto e joguei-o levemente na cama, tirei minha camisa, e o mesmo passou as unhas sobre meu abdômen arrancando-me mais gemidos, olhava-me profundamente mordendo os lábios. Aquele olhar estava me fazendo pirar, sem pensar duas vezes retirei sua camisa e em seguida voltando a possuir seus lábios, de uma forma mais intensa. Desci minha mão até seu abdômen definido, fazendo o mesmo gemer entre o beijo e puxar meus cabelos, desabotoei sua calça e rapidamente adentrei minha mão em sua box. 

Envolvi minha mão em seu membro começando com movimentos de vai e vem, deixando o menor delirando de prazer. Aqueles gemido eram músicas para meus ouvidos, — Poderia ouvi-los para sempre —aumentei os movimentos fazendo o mesmo revirar os olhos de prazer, ele estava a pouco de seu ápice, mas não deixaria que gozasse, pelo menos não agora. 

— Nem pense em gozar.

— S-suga, por favor. Eu não vou a-aguentar.

Retirei minha mão de seu membro, fazendo o menor gemer em reprovação, fui beijando seu pescoço descendo até seu abdômen, removi sua calça junto a sua box, deixando o mesmo completamente exposto aos meus olhos. — Seu corpo era perfeitamente traçado, suas curvas delicadas, sua fisionomia inteiramente visível era a visão mais linda, era impossível me controlar em relação a esse ômega, tê-lo apenas para mim é tudo que eu mais quero. — Sorri malicioso fazendo o mesmo corar.

— Não me olhe a-assim. — Proferiu o mesmo escondendo o rosto.

— Vou olhar sim. Nunca tive e nunca terei uma visão tão linda quanto essa, seu corpo é perfeito, cada tracinho seu me leva a loucura.

Continuei a beijar seu abdomen, descendo até seu membro ereto e melado de pré-gozo, lambi-o fazendo movimentos em circulos na sua glande causando gemidos altos que ecoaram por todo o quarto, abocanhei-o movendo-me em vai e vem rapidamente. Jimin entrelaçou seus dedos em meus cabelos logo comandando os movimentos.

— Puta que p-pariu Suga, que b-boca gostosa. Eu sabia que seria u-uma delicia foder ela, m-mas não imaginei que s-seria tão gostoso a-assim.

A expressão que o mesmo fazia a cada vez que o chupava me deixava em puro delírio, seu membro já pulsava em minha boca indicando que o mesmo estava a ponto de seu ápice, enquanto meu membro permanecia sem atenção, após mais cinco estocadas em minha boca, o mesmo goza deixando meus lábios melados de gozo.

— Seu gosto é uma delicia. — Proferi ficando ajoelhado a sua frente lambendo os restos de porra que melavam minha boca. — Agora é a minha vez de foder essa boquinha linda, agora me chupa. — Jimin sorriu e andou engatinhando em minha direção.

— Sim, Senhor Yoongi. — Empurrou-me logo sentando em meu colo e desabotoando minha calça.

— Jimin não me provoca, eu já aguentei o suficiente, então não brinca com aminha sanidade, porque estou a ponto de perde-la por completo.

— Mas eu não fiz nada Sugiinha. — Pronunciou fazendo bico olhando-me inocentemente.

— Puta que pariu Jimin, ou você me chupa agora ou eu mesmo vou enfiar meu pau na tua boca e foder ela até você não senti-la mais. 

— E o que te impede de fazer isso?

— De joelhos no chão, agora! — Sorriu e assim o fez. — Vou faze-lo se arrepender por brincar comigo. 

Assim o mesmo fez o que eu havia mandado, desabotoei minha calça tirando a mesma junto a minha box, deixando meu membro ereto e dolorido por não receber atenção, masturbei-o deixando-o melado de pré gozo e enfiei com tudo em sua boca, fazendo o mesmo se engasgar. Entrelacei meus dedos em seus cabelos enquanto o mesmo se apoiava com as mãos em minhas coxas.

— Awn...Jimin...Awn, que d-delicia. Olha pra mim e-eu quero ver s-seu rosto.

Jimin fitou meus olhos sem ao menos hesitar, no mesmo momento que o olhei meu corpo novamente foi invadido por diversos arrepios fazendo-me jogar a cabeça para trás com a boca entreaberta. 

— Awn...isso, chupa mais.

Aumentou os movimentos deixando ainda mais intenso a sensação de prazer, não demorou muito e logo me desfiz em sua boca.

— Hum...que delicia. — Pronunciou levando seu dedo indicador ao canto da boca que estava melada e logo o chupando.

— De quatro na cama. — Ordenei e assim o mesmo fez o que havia mandado.

Empinou a bunda mostrando-me sua entrada rosada, masturbei meu membro logo enfiando em sua entrada fazendo o mesmo soltar um grito de dor.

— Calma, ja ja você se acostuma.

Esperei-o se acostumar com o volume, passando alguns segundos o mesmo já rebolava em meu membro, estoquei-o devagar para não machuca-lo, e aos poucos fundo e forte.

— I-isso é tudo o que consegue Suga? Acho que me e-enganei sobre você.

— Ahh Jimin, você não a-acabou de me dizer isso.

Sem pena nenhuma estoquei sua entrada com toda a força e o mais rápido que conseguia, fazendo o menor apertar os lençóis e jogar a cabeça para trás gemendo meu nome. 

— Awn...Suga...anw, que g-gostoso.

— Ah...ah...você é t-tão apertado.

O barulho de nossos corpos colidindo ecoavam por todo o quarto, peguei seu membro o masturbando na mesma velocidade em que o estocava, empurrei cada vez mais meu pau contra sua entrada, fazendo-o gemer cada vez mais alto, não demorou muito para que nos desmanchássemos. Puxei-o para que deitasse sobre meu peito, e assim o fez, ficando apenas ele e eu nus naquela cama enquanto os raios de sol pairavam em nossos corpos soados e o sono nos consumia, fazendo-nos adormecermos.

Acordei com meu celular tocando, alertando que acabara de receber uma mensagem, peguei o mesmo que permanecia em cima da comada ao lado da cama, lendo assim a mensagem.

 

Baek: Açúcar azedo, ta livre hoje?

 

Antes mesmo de responder, Jimin aconchegou-se mais sobre meu peito, fazendo assim minha atenção voltar-se completamente para o mesmo.

Ele é tão lindo, parece um anjo. Queria poder sempre protege-lo.

A luz da lua sobre sua pele o deixava ainda mais lindo, queria poder acordar e vê-lo desse jeito todos os dias. Passei minha mão sobre seu rosto, decorando cada traço seu, estava encantado com aquela visão, até sentir uma pontada em meu ventre, olhei para baixo já imaginando o que era.

— Ah não, isso não pode estar acontecendo. — Falei jogando-me no chão por tamanha dor. — AAAHHHHH! — Gritei.

— Suga você está bem????? O que está acontecendo com voc...espera, que cheiro é esse? Suga não me diga que você também entrou no cio????

— J-jimin, s-sai daqui. Eu não fico o mesmo quando entro n-no cio, você p-pode se machucar, SAI AGORA!

— S-suga, eu não vou te deixar nessa situação, deixa eu te ajudar.

— Não J-jimin, eu vou acabar t-te machucando...AAHHH!

— CARALHO SUGA, EU NÃO ESTOU NEM AI SE IREI ME MACHUCAR, EU SÓ NÃO SUPORTO VER VOCÊ MORRENDO DE DOR.

— S-se eu te machucar, irei me arrepender pelo resto da vida, e-eu não irei suportar isso.

— SUGA, CALA A BOCA E ME FAÇA SEU! ME FODA COM TODA FORÇA QUE VOCÊ PUDER, ME DEIXE SEM ANDAR POR DIAS, EU QUERO QUE APENAS VOCÊ FAÇA ISSO, EU NÃO QUERO MAIS NINGUEM ALÉM DE VOCÊ. DESDE A PRIMEIRA VEZ QUE EU TE VI, EU ME APAIXONEI, EU NÃO SEI COMO EXPLICAR, MAS APENAS SEI QUE TE AMO, O MEU LOBO DIZ ISSO, APESAR DE NÃO TE CONHECER O SUFICIENTE, APENAS SEI QUE TE AMO E QUERO ESTAR CONTIGO PELO RESTO DA MINHA VIDA!

Não demorou muito para que eu o beija-se, ouvir aquelas palavras foi a melhor coisa que eu escutei, não era apenas eu que tinha sentimentos inexplicáveis pelo o mesmo, era algo reciproco. Depois daquele dia, tivemos varias noites de amor, —​ Ou seja tive varias noites em que fudi aquela bunda gostosa, mas isso não vem ao caso. — nos conhecemos melhor, e no ultimo dia do cio, o marquei. Eu sei que terei que enfrentar meus pais e os dele mas farei de tudo para ficar com Jimin, e se for preciso saímos de casa. 

Estava uma manhã linda, acordei com Jimin nu ao meu lado, o mesmo estava tão lindo. Assustei-me ao olhar para porta me deparando com a senhora Park.

Caralho, fudeu!

Ela mantinha uma cara de espanto e raiva, algo me diz que vai dar merda.

— Jimin. — Chamei-o na tentativa de poder resolver a situação.

— Oi amor. — Abriu um lindo sorriso, mas logo o desfez ao perceber minha cara de assustado.

— O que diabos está acontecendo aqui? — Questionou o senhor Park.

A situação já não está nada boa, tinha que piorar? 

— Pai? Eu posso explicar, por favor me ouve. — Proferiu Jimin com a voz embargada.

— ​A gente se gosta Senhor... — Falei na tentativo de acalmar as pessoas ali presente.

— Eu não quero saber se vocês se gostam ou não, eu não permitirei que meu filho namore um Min! —​ Proferiu exaltado.

Senhor Park andou em nossa direção como se fosse batê-lo, e então agarrou seus cabelos o derrubando da cama. 

Ele pode até ser o pai de Jimin, mas não vai bater em meu ômega.

​Joguei-me para cima dele lhe acertando um soco, o que fez o mesmo cair no chão por tamanha força, comecei a dar socos seguidos, eu já não me controlava mais.

Eu quero matar esse desgraçado, como ele ousa tocar assim em meu ômega? Ninguém vai machucar ele! 

—​ Jimin agora tem a mim para defende-lo, e não é por você ser pai dele que terá exceção. Nunca mais toque um dedo no MEU ômega!

Senti alguém me abraçar, virei-me em direção a aquele calor e o vi.

— Por favor Suga, pare.

Ele estava chorando, olhei para a figura inconsciente em baixo de mim com a cara toda ensanguentada.

— Vamos resolver isso de outra forma, vai para sua casa Suga. — Disse a Sra. Park ainda chorando. — Sai de cima dele, não acha que já bateu o bastante?!

— Desculpa Jimin, eu não podia deixar ele te bater. — Abracei-o. — Eu te amo tanto.

Ao entrar em casa, percebi que meus pais já haviam chegado, eu não vou contar isso para eles agora, nenhum vai me entender, não tem nenhum dos Park ou dos MIn que entenderiam isso. eles não sabem o que é amar alguém, e eu amo o Jimin, nós vamos ficar juntos de qualquer forma.

Fui direto para meu quarto, eu precisava processar tudo que havia acontecido e me preparar para o que estava por vir. Em meio aos meus pensamentos acabei adormecendo. Acordei no dia seguinte com batidas na porta.

— Abre essa porta garoto, quero que você me explique a besteira que você fez, os Park estão vindo para cá, resolvemos conversar para entrar em um acordo.

Levantei-me e abri a porta.

— Vou esperar que eles cheguem. — Pronunciei com firmeza.

— Saiba que não gostei nenhum um pouco do que aconteceu.

— Conversamos depois pai. — Proferi de forma simples. 

 

 


Notas Finais


Postarei mais capítulos em breve, continuem a nos acompanhar. <3
Comentem, amo quando vocês interagem, por mais que seja uma critica, adoraria saber as opiniões de vocês <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...