História Percy Jackson- Uma nova profecia - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Annabeth Chase, Calipso, Chris Rodriguez, Clarisse La Rue, Connor Stoll, Frank Zhang, Grover Underwood, Hazel Levesque, Jason Grace, Júniper, Leo Valdez, Luke Castellan, Nico di Angelo, Paul Blofis, Percy Jackson, Personagens Originais, Piper McLean, Quíron, Rachel Elizabeth Dare, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Sally Jackson, Thalia Grace, Travis Stoll, Tyson, Will Solace
Tags Aventura, Percy, Romance
Visualizações 44
Palavras 2.643
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiii : )

Olha eu aqui com um capitulo extra : D

Vocês não fazem ideia do que estão fazendo comigo... 32 FAVORITOS é demais para uma pessoa só. Querem me infartar?
NÃO QUE EU ESTEJA RECLAMANDO. Pelo contrário estou absolutamente maravilhada e feliz por ter tanta gente assim interessado pela fic.
Obrigada pelo tempo que vocês gastam favoritando, comentando e lendo minha história que faço o possível para agrada-los e ficar á altura.

Boa leitura á todos e desculpem pelos erros, pois dessa vez eu não revisei o capitulo, já que estou acordada desde as 5:25 e voltei do curso 20:00, então acabei postando sem revisar; mas espero que os erros não tirem a emoção do capitulo. ; D

Capítulo 35 - Luke e Annabeth. -Monstro suíno alado.


Fanfic / Fanfiction Percy Jackson- Uma nova profecia - Capítulo 35 - Luke e Annabeth. -Monstro suíno alado.

Luke:

 -Virar á bombordo!

  Annabeth gritou para Connor que tentava controlar o leme do barco; mas depois de muito esforço ele conseguiu desviar por um tris do ataque do monstro suíno alado. Porém, graças a essa manobra Annabeth se desequilibrou do mastro de vigia e caiu.

 -Annabeth!!!

  Eu e Percy gritamos juntos e corremos até a garota que se segurava com apenas uma das mãos nas grades.

 -Não se preocupem! -Tainara gritou, já invocando um enorme galho que ia de encontro à Annabeth.

 -Já chega dessa brincadeira.

  Percy vociferou e foi até a grade do barco, pulando logo em seguida; segundos depois ele apareceu montado em Blackjack e olhou em minha direção.

 -Você vem?

 -Claro!

  Corri montando no lombo do Pégaso. Passamos por Hazel que estava andando sobre a água em cima de Árion, fazendo o possível para trazer a enorme porca (isso mesmo, estamos sendo atacados por uma porca gigante de asas cor-de-rosa) para baixo; um pouco mais acima, Piper e Frank (que havia virado um dragão) tentavam convencer o presunto alado a desistir de atacar o barco.

  Percy desviou de um esguicho de água e voou um pouco mais alto onde Jason sobrevoava o perímetro.

 -Hei! Precisa de ajuda parceiro?

 -Achei que iria me divertir sozinho! -Jason respondeu sorrindo.

 -Tobias. -Percy olhou para trás. -Nos dê cobertura.

 -Pode deixar.

  Percy pulou de Blackjack sendo segurado por um redemoinho que brotou do nada, ele se aproximou de Jason que me encarou.

 -Vamos testar uma coisa que não é muito confiável, se você quiser se afastar um pouco seria melhor.

 -Não precisa pedir duas vezes.

 O Pégaso não pareceu se importar por outra pessoa o estar guiando, fui até Piper que estava claramente decepcionada pelo monstro não ouvi-la.

 -Piper! Jason e Percy pediram para nos afastarmos.

  Ela olhou desconfiada para cima. -O que será que esses dois estão aprontando?

  Antes que pudesse responder, o rugido de Frank me fez olhar na direção do porco que aproveitou para se afastar e nos atacar com um arroto de gás tóxico.

 -Cuidado!

  Gritei para os dois que não conseguiriam desviar. No segundo seguinte, já havia pulado de Blackjack e me colocado na frente deles, usando minha espada como escudo.

  Então algo muito estranho aconteceu.

  Inúmeras coisas se passaram pela minha cabeça, nenhuma delas era boa, as possibilidades do que aquele gás poderia causar. Mas nunca pensei que sairia vivo dali, porém mais uma vez fui surpreendido pelo fato do ataque passar direto pelo meu corpo.

  Apesar do susto, olhei para trás e vi que ambos tremeluziam e Piper parecia surpresa.

 -Tobias... Você está transparente. -Olhei para baixo e vi que a garota falava a verdade, assim como eles, meu corpo tremeluzia. -O que você fez?

 -Eu não sei... eu...

 -Riiiii!!

  O guincho esganiçado da porca cortou o assunto, aparentemente ela não ficou muito feliz de sairmos vivos de seu ataque, então resolveu usar o próprio corpo para nos esmagar.

 -NÃO SE APROXIME!!!

  Piper gritou para a porca que por alguns instantes permaneceu imóvel; foi tempo suficiente para Hazel ataca-la por baixo e eu voar novamente com Blackjack até o alvo.

  Quando alcançamos uma distância considerável, fiquei de pé nas costas do Pégaso e após calcular o salto e o impacto, concentrei toda a minha força e me impulsionei para a frente. Assim como havia imaginado não cai de pé e fui obrigado me segurar na cabeça do monstro com minha espada.

 -Riiii!

  A porca não deve ter gostado da ideia tanto quanto eu, mas se á estava ferindo, então continuaria com o plano.

  Segurei com ambas as mãos no cabo da espada, enquanto o pedaço de presunto fazia o possível para me matar; mesmo vendo que a arma não parava de afundar em sua copa (pescoço), a porca ainda não havia se cansado. Pensei em pegar a adaga para causar mais danos ao animal, porém não fazia ideia onde ela estava, já que não há via desde o quase sequestro das harpias.

 -Estamos prontos!

  Olhei por cima do ombro na direção de Percy e Jason que possuíam um estranho brilho amarelo e azul à sua volta.

 -Preciso dar um jeito de...

 -TOBIAS AQUI EM BAIXO!

  Me arrastei para a beira e vi Hazel em Árion, tão velozes quanto a porca, que aproveitou para jogar todas as suas 30 toneladas apenas de um único lado. Não conseguiria escapar, mas antes de cair, segurei com toda a minha força no cabo da espada que veio junto comigo na queda.

 -Riiiinc!!

  A porca urrou de dor, não consegui ver o que aconteceu a seguir, pois assim que Árion me pegou, fomos direto para o barco que se encontrava á vários metros de distância da batalha.

  Assim que chegamos, o garoto dragão apareceu e deu um enorme abraço de urso em Hazel, que retribuiu imediatamente; até onde eu sabia eles eram namorados então resolvi deixá-los a sós e ir até os outros que ainda olhavam para a enorme explosão que ocorrera onde antes havia uma enorme porca.

 -Tobias! -Tainara veio correndo em minha direção e me deu um abraço apertado, retribui o gesto e á examinei com os olhos; tirando as roupas molhadas e um pequeno corte na mão, ela parecia bem. -Vocês conseguiram!

 -Nós todos conseguimos!

  Connor limpou a garganta para chamar a atenção, mas quando o encarei, ele fingiu estar prestando atenção no céu; olhei na direção dos outros, com exceção de Percy e Jason, todos estavam lá, com alguns arranhões e molhados, mas pareciam estar mais preocupados com eles que não apareciam.

 -Eu falei para ele não tentar. -Annabeth esbravejou. -Mas aquele cabeça de alga não me escuta. 

 -É claro que te escuto minha linda, mas as vezes as vezes precisamos entender seu duplo sentido.

  Percy apareceu em seu tornado particular com Jason logo atrás, ambos pareciam cansados, mas mantinham um sorriso vitorioso no rosto.

 -Jason!

  Piper abraçou o garoto que á tomou nos braços e deu um beijo na bochecha; já Annabeth deu um tapa no braço de Percy.

 -Qual é o duplo sentido na frase “Percy vocês ainda não estão prontos para um poder de tamanha magnitude. NÃO FAÇAM NADA DE ESTUPIDO! ”

  Ele encolheu os ombros. -Isso já não é comigo. -Percy á abraçou e sorriu. -Sabe que precisa explicar sem muitas palavras difíceis.

  Annabeth revirou os olhos e os outros riram.

 -Depois dessa nunca mais como carne de porco. -Connor falou.

 -Agora você entende porque sou vegetariana. -Piper respondeu.

 -Eu nunca havia visto um monstro como aquele. -Jason comentou. -Nem sabia que existiam porcos voadores na mitologia grega.

 -Infelizmente os deuses adoram seus monstrinhos de estimação. -Percy bufou. -A primeira vez que enfrentamos essa porca, foi necessário a ajuda de uma estátua irada de Hermes e outras duas de leões.

 -Então vocês já enfrentaram aquela coisa? -Frank parecia surpreso.

 -A porca Camoniana foi utilizada na guerra contra os titãs, até então nenhum herói á havia derrotado. -Annabeth falou. -Pelo menos não que eu saiba.

 -Ao menos conseguiram derrota-la. -Hazel comentou.

 -E duas vezes. -Connor completou. -Não que tenha sido fácil.

 -Se os deuses estão mandando monstros desse nível para nos atacar, significa que estamos no caminho certo. -Falei chamando a atenção de todos, que concordaram. -Então a nossa visita da noite passada não mentiu.

 -Ao menos alguma coisa boa aconteceu. -Piper suspirou.

 -Mas não podemos ficar parados. -Annabeth olhou para a direção oposta à batalha. -Esse foi o primeiro ataque, mas não será o último; estamos no meio do oceano, precisamos conferir e reparar os estragos do barco e seguir viagem.

 -Annabeth está certa. Não podemos ficar muito tempo no mesmo lugar. -Percy concluiu. -Vamos nos dividir e cada um fica com uma tarefa.

  Todos concordaram e como se soubessem o que tinham que fazer cada um foi para uma direção. 

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Annabeth:

  Adoraria dizer que depois da porca voadora nosso dia foi tranquilo, tudo que tivemos que fazer foi concertar os estragos do barco (que não foram muitos graças as armadilhas de Tainara) e aproveitar tudo na mais completa calmaria...

  Às vezes é bom ter esperanças... Mas não foi isso que aconteceu.

  Terminamos de arrumar as coisas para seguirmos viajem e nos reunimos no refeitório, onde metade iria tomar um merecido banho após a batalha e a outra parte prepararia a refeição.

  Mal completamos a divisão quando fomos interrompidos pelo barulho do mastro de vigia (que havíamos acabado de arrumar) caindo.

 -Só podem estar brincando! -Piper bufou.

 -Se for uma brincadeira eu mato quem fez isso. -Connor falou irritado enquanto colocava sua maça em cima da mesa.

  Assim que saímos, fomos surpreendidos por Jason desacordado em meios aos destroços.

 -Jason!

  Piper correu até ele, Percy, Frank e Tobias foram ajuda-la á tirá-lo de lá; enquanto o restante de nós foi investigar a causa do acidente.

 -Abaixem-se!

  Tainara gritou e acertou com seu arco, um animal voador que passou a centímetros de nossas cabeças; tudo que vimos foi a poeira sendo levada pelo vento.

 -O que era aquilo? -Connor perguntou.

 -Não consegui ver. -Falei. -Mas não acho que tenha apenas um.

 -Coarghhhh!!!

  E como resposta um monstro com corpo de réptil, cauda de dragão (um pouco desproporcional), asas de morcegos e cabeça de galo atacou; dessa vez estávamos prevenidos e conseguimos desviar.

 -Que monstro é esse? -Connor perguntou.

 -Seu nome é Cocatrice, ele é parente distante do basilisco.

 -Ou seja, nada de olhar nos olhos. -Tainara falou, arrancando sua fita (que antes prendiam os cabelos) do pulso e á amarrando em volta dos olhos.

 -Já fizemos isso antes e mesmo que esse seja mais fácil de matar eu recomendo que não encostem no animal. -Tobias falou enquanto ajudava Tainara a amarrar a fita.

 -Á não ser que vocês tenham um estoque de flores roxas por ai. -A garota caçoou.

 -Então qual é o plano? -Connor perguntou e os outros me encararam em expectativa.

 -Além dos olhos, temos que evitar seu hálito e as garras. -Eles assentiram e sorri confiante. -Vamos manda-los de volta para o tártaro.

  Devo admitir que a luta não teria demorado tanto caso fosse apenas um, mas infelizmente o cocatrice se mostrou um ótimo adversário e sempre que achávamos que havia acabado, mais deles aparecia.

  Nossa vantagem em saber seus pontos fracos não ajudou muito, pois depois de um tempo eles haviam se habituado aos nossos golpes e conseguiam desviar facilmente.

 -Hazel!

  Frank gritou se transformando em uma enorme baleia assassina e levando duas dúzias de galinhas para o fundo do mar. Corri até a garota desacordada, acertando uma flecha explosiva em todos os monstros que se aproximavam.  Assim que me aproximei, tirei sua venda dos olhos e lhe dei um pouco de néctar; Frank apareceu logo em seguida.

 -O que aconteceu?

 -Ela foi acertada pelo vapor venenoso deles, mas não se preocupe, vai ficar tudo bem.

 -Como pode ter tanta certeza? -O garoto parecia prestes a ter um ataque.

 -Porque acabei de dar um pouco disso á Connor e ele ficou bem.

 -Certo, mas por precaução vou leva-la á enfermaria.

 -Faça isso, explique para Piper o que aconteceu e veja se Jason já mostrou sinais de melhoras.

  Ele balançou a cabeça, pegou Hazel nos braços e saiu em disparada, sendo escoltado por Tobias que o viu correr.

  Menos dois; isso não estava indo nada bem, agora éramos apenas cinco contra milhares que não paravam de aparecer.

  Corri até a grade, onde Tainara, guiada por Connor, acertava flechas enfeitiçadas (cortesia do chalé de Hécate) nas galinhas aladas.

 -Cadê o Percy?

  Connor apontou para acima do mar, onde um aglomerado de cocatrice estavam reunidas.

  Tobias apareceu logo em seguida, ele estava sujo e seu braço levemente queimado, mas pareia mais irritado do que ferido.

 -Preciso que me guie. -Falei enquanto amarrava um pedaço da minha calça nos olhos. -Vou ajuda-lo, me dê as instruções pelo rádio.

 -Ok.

  Sem que fosse possível enxergar qualquer coisa, subi na grade e assobiei; alguns segundos depois ouvi o relinchar de um cavalo e me joguei do barco, sendo pegada pelo que eu esperava ser Blackjack.

 -Annabeth está na escuta? Cambio.

  Peguei o alque toque e pressionei o botão próximo à boca. -Estou ouvindo, qual é a situação? Cambio.

 -Você está se aproximando deles, não consigo ver o Percy, mas vá para a direita, e direcione Blackjack até seu dono; cuidado que há cinco deles naquela direção. Cambio.

  Fiz como ele falou e tudo que ouvi foram os guinchos de morte dos monstros.

 -Annabeth?

 -Reconheceria essa voz em qualquer lugar. -Sorri. -Como consegue me ver?

 -Annabeth. Há mais três atrás de você. -Tobias falou, me virei e atirei as flechas todas de uma vez.

 -Bela pontaria. -Percy elogiou. -Mas pode tirar a calça do olho.

  Mostrei a língua para ele, mas fiz o que mandou; demorou um pouco para que minha vista se acostumasse e quando notei estava envolta em uma bolha que refletia tudo do lado fora.

 -Bolha refletora. -Ele sorriu, fiquei boquiaberta.

 -Como você...

 -Um bom semideus nunca revela seus segredos. -Ele fez cara de convencido, levantei uma das sobrancelhas.

 -Vai mesmo me desafiar?

 -E o que você vai fazer? -Percy cruzou os braços e me desafiou.

 -Por hora vamos acabar com esses monstros e depois conversamos.

  O que aconteceu depois foi um massacre completo da parte das galinhas. Lutamos com se fossemos uma só pessoa, eu sabia todos os seus movimentos assim como ele não tinha dúvidas de quais eram os meus.

  No final das contas a batalha acabou antes mesmo de começar; não que tenha sido fácil, ainda mais se for levar em consideração que quatro horas antes tínhamos lutado contra um monstro suíno (se continuasse desse jeito, á noite teríamos a visita de um monstro bovino).

  Percy e eu acabamos com os que estavam a volta do navio, enquanto Frank, Connor, Tainara e Tobias destruíram todos os outros.

  Passamos as duas horas seguintes arrumando os estragos causados pelas duas batalhas; apesar da fome, todos concordaram que o melhor a fazer seria nos dividir e continuar da parte que paramos antes do segundo ataque, com a diferença que Hazel e Jason (que haviam se recuperado) ficaram responsáveis pelo jantar, claro que Tainara teve que ajudar, mas ela não se importou; enquanto o restante de nós fizemos uma última vistoria por todo o perímetro e fomos tomar um merecido banho romano (não era como a casa de banho do acampamento Júpiter, mas era muito melhor do que água do mar e veneno).

***

 -Sabia que você fica linda quando está pensando?

 -Eu estou sempre pensando. -Respondi sem tirar os olhos do mar.

 -Exatamente.

  Ele me abraçou por trás e beijou meus cabelos soltos; sorri escondendo o vermelho que tomava conta do meu rosto.

 -Vim tomar um pouco de ar.

 -Imaginei. O dia hoje foi longo.

  Suspirei cansada. -Nem me fale.

 -Todos os outros já estão dormindo e Jason e Piper parecem ansiosos para começar logo o turno deles.

 -Sei disso... Só estava conferindo se está tudo certo.

  Ele me virou para encará-lo e antes que pudesse dizer qualquer coisa, nossos lábios se tocaram; a sensação de tê-lo perto era sempre maravilhosa e nova a cada dia que se passava, não conseguia mais viver sem meu cabeça de alga e naquele momento, nada mais importava, apenas ele e eu.

 -Eu te amo. -Falei em meio ao beijo, Percy parou e me encarou com um sorriso bobo.

 -Também te amo minha sabidinha, e acho que mesmo que eu quisesse jamais conseguiria deixar de te amar.

  Não o deixei dizer mais nada, selei nossos lábios novamente e tudo à nossa volta desapareceu.

  Não importa o que aconteça, nada nem ninguém será capaz de nos separar.


Notas Finais


Então o que acharam?
Coitados dos nossos heróis não tem um minuto de sossego :´(
Mas a vida de um semideus é assim, principalmente quando a briga é com os deuses.
O que acharam do momento Percabeth?
E que será que esta acontecendo com a nossa querida pretora e o nosso ex-soldado temperamental? (sei que fiz a mesma pergunta um capitulo antes, mas é pra deixá-los realmente curiosos)

Até o próximo capitulo e quem sabe vocês descubram ; D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...