História Pictures of you - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Pink
Personagens Jennie, Jisoo, Lisa, Rosé
Tags Chaelisa
Visualizações 79
Palavras 2.119
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Repostado, pq eu não consigo acreditar que todos desistiram da fic no mesmo cap... :/

OBRIGADA PELOS 100 FAV
Vocês são maravilhosos, estou cada dia mais motivada com essa história, e a cada dia mais inspirada, obrigada!

BOA LEITURA ♥

Capítulo 14 - Model?


Fanfic / Fanfiction Pictures of you - Capítulo 14 - Model?

Um barulho me acorda e eu me sento atordoada. Onde estou? Olho em volta, mas está escuro demais, e antes que eu entre em pânico, Rosé sussurra atrás de mim.

-Tá tudo bem. –ela acaricia minhas costas.

-Eu ouvi um barulho.

-Deve ser as meninas. Não se preocupe.

-Pode ser um ladrão.

Ela me puxa, para que me deite de novo ao seu lado.

-Tem alarme na casa, está tudo bem.

-Tá. –murmuro, minha voz rouca pelo sono.

Se ela estava segura de que não era nada demais, eu deixo de me preocupar. Me aconchego mais uma vez ao seu lado e fecho os olhos, me entregando mais uma vez ao sono.

[...]

Ao contrário de ontem a noite, está mais quente. Estou usando uma camiseta de Rosé e short de moletom. Faço um coque no meu cabelo com o laço que estava na minha mão enquanto desço as escadas. Ouço risadas baixas na cozinha, e vejo Jennie e Jisoo conversando baixinho. Elas param quando me vêem.

-Oi, tudo bem? –vou até Jennie e coloco o braço em seus ombros.

-Sim. Fiz panquecas pra todo mundo. –ela sorri.

Parece mais iluminada. Seus dentinhos pequenos a mostra enquanto seus olhos estão quase fechados.

-Dormiu bem? –sugiro, mas na verdade sem bem o porque da sua felicidade.

-Muito bem e você. –ela não vai abrir o jogo não é?

-Hm, melhor impossível... –eu dou-lhe um olhar que significa que eu sei mais do que ela gostaria e começo a tomar café. –Cadê a Rosé?

-Aqui. –ela entra na cozinha.

Sem se importar com Jennie e Jisoo ela me abraça por trás, colocando seu corpo bem colado no meu e beija meu ombro. Um arrepio sobe por minhas pernas, o que me lembra de ontem à noite. Eu tento manter o controle enfiando uma torrada na boca. Me viro pra ela, assim tenho um palmo de espaço, então ela segura minha cintura.

-Oi. -ela diz, seu sorriso largo me contagiando.

-Oi. Você parece tão feliz.

-Estou, muito feliz por você.

-Por que? 

-Se lembra das fotos que tirei de você a semanas? 

-Sim. –respondo, suspeitando do assunto.

-Acontece que eu publiquei algumas no meu site.

-O que? Eu nem vi essas fotos, e se eu estiver horrível?

-Impossível. -ela sorri e acaricia meu rosto.

-Ah, chega de chameguinho e vai direto ao assunto. -Jennie reclama, fazendo-nos rir.

-Tá, vou ser rápida. Eu publiquei no meu site e recebi um e-mail de um cara, eu pesquisei óbvio, e parece que ele trabalha pra uma revista ou algo assim. No e-mail ele diz que amou a modelo e gostaria de conhecê-la, pois se ele gostar, te inclui numa campanha de moda. Eu ainda não sei bem do que se trata, pois ele não explicou muito bem no e-mail, e tinha que te falar antes de responder. Mas em resumo, ele quer você como modelo pra sair na revista. -ela diz rápido, e apesar de ter entendido tudo, ainda estou processando.

Modelo? Eu sendo modelo? Nunca imaginei que isso poderia acontecer. Não sei o que penso realmente sobre isso. Será algo que vou me dedicar depois dos estudos? Okay, essa novidade ainda é coisa nova. E não posso levar tão a sério por causa de um e-mail.

-Uau, isso é muito legal. -diz Jisoo.

-Lisa, você pode ser uma super modelo, imagina? -Jennie bate em meu banco, entusiasmada, me despertando. –Você pode acabar sendo modelo pra minha marca de roupas.

-Quer ser estilista? –Jisoo pergunta.

-Sim.

-Calma, não é nada certo, mas que você seria uma super modelo, isso é. -diz Rosé.

-Hm, sei lá. Acho que pode ser legal. –dou de ombros.

-Muito legal. –Jennie diz.

-Okay, você tem tempo pra pensar, quando quiser, abre meu e-mail.

-Argh, eu não acredito que amanhã é segunda de novo. –Jennie reclama.

-Uma das vantagens de não ir mais a escola. –Jisoo diz.

-Você disse que voltou pra cidade. Onde estava? –pergunto.

-Nova York. Eu acabei de me formar e resolvi tirar umas férias.

-Férias... –Jennie diz como se o nome lhe desse tesão. –É só o que eu quero.

-Mais duas semanas, e estamos livres. –lembro-a. –Aliás, o que vamos fazer nas férias? –pergunto, e todos se entreolham.

Fico olhando para Jennie e Rosé. Quero passar minhas férias com as duas, mas e se Rosé tiver outros planos? E se Jennie não quiser passar as férias com nós duas? Bem, é claro que não é o fim do mundo, mas é nosso última oportunidade de agir como adolescentes, antes de virar adultos responsáveis com escolhas responsáveis.

-Bem, eu vou pra casa que meus pais tem em Miami, como todo ano. –diz Jennie. –É claro que estão todas convidadas, por que esse ano meus pais resolveram fazer algo entre eles. Já não sou mais o bebê da família. –ela dá de ombros, tentando, mas falando em fingir tristeza. É óbvio que ela está feliz em passar as férias longe deles.

-E você? –pergunto a Rosé.

-Ah, ano passado eu fui pra Nova York por uma semana, depois fui pra Austrália ver alguns parentes, depois voltei e fiquei aqui.

-Ela só ta preocupada. –Jennie diz. –Ela quer passar as férias com nós duas.

Rosé sorri e segura minha mão em cima da mesa.

-Vamos pra Miami. –ela diz simplesmente.

-Legal. Vocês vão amar Miami. Eu conheço lugares incríveis. Tenho alguns amigos lá, eu sempre saia escondido quando meus pais iam dormir cedo. –Jennie diz.

-Ah, espero que se divirtam, eu vou ficar por aqui. –Jisoo diz.

-Por que? –Jennie pergunta.

Eu encaro sua expressão. Normalmente ela estaria indiferente, totalmente sem interesse no assunto, mas ela está interessada, o que é estranho.

-Eu tenho que começar a planejar meu futuro, acho que não vou ter muito tempo de curtir essas férias.

-Ela não é mais criança.

-Ah, que pena, mas se mudar de idéia... –Jennie murmura.

-Vamos no cinema? –pergunto a Rosé.

-Vamos, o que você quer ver?

[...]

Jisoo se ofereceu para levar Jennie em casa, Rosé e eu tomamos banho juntas e nos aprontamos pra sair. Pequei uma de suas calças, impressionada que coube muito bem.

-Acha que ela transaram? –pergunto a Rosé enquanto ela penteia o cabelo.

-Se eu acho? Não sei, eu conheço bem minha prima, ela não perderia uma chance, mas você acha que a Jennie...

-Sim. –encaro ela.

-Bem, então acho que aquele barulho que te acordou ontem a noite foram elas. –ela diz e ri.

-Bom pra elas. Se bem que o humor da Jennie melhorou, bom pra mim também.

Rosé ri e vem até mim. Me abraça e beija minha bochecha.

-Mais tarde vamos fazer mais barulho que elas.

Isso me faz rir.

-Não se esqueça que vou pra casa hoje. A gente mal vai poder se ver semana que vem. Sei bem como são meus professores, e eles nos entopem de trabalhos.

-E depois suas provas... É, as provas. Argh.

-Bem, eu também vou estar bem ocupada com a escola, mas a minha é mais leve.

-Isso é porque você é muito inteligente. –beijo sua testa.

-Isso é verdade. Vou estar livre muito antes de você. –ela me dá língua.

-Já disse que você é muito madura?

Ela começa a me fazer cócegas, eu a empurro, mas é em vão. Ela para e me beija.

-Estou feliz em saber que vamos passar as férias juntas. Podemos fazer mais planos depois?

-Sim. –dou-lhe um selinho e me afasto para calçar meu tênis.

[...]

Como previsto, minha semana foi horrível. Trabalho atrás de trabalho, e uma ou duas provas surpresas e eu mal pude ver Rosé, o que estava me deixando mais irritada que o normal, também graças a minha TPM.

Esse é o fim de semana do casamento da minha irmã, e eu não estava muito animada para ver meus parentes. Pelo menos, Rosé vai estar lá, o que me anima, mas não por muito tempo. Acabo de enviar meu trabalho para meu professor de sociologia e fecho o notebook, finalmente me sentindo levemente livre da escola, por um fim de semana pelo menos.

Me jogo na cama e pego meu celular, sem nenhuma mensagem, Rosé deve estar ocupada e Jennie não tem se comunicado com muita freqüência, talvez os trabalhos estejam deixando ela louca também. Resolvo ligar pra ela.

Ela demora a atender, e responde ofegante.

-Oi, tudo bem? –pergunto, me referindo à falta de ar dela.

-Tô ótima, e você.

-Hm, bem, acabei de fazer o último trabalho. O que estava fazendo?

-Correndo.

-São quase dez horas da noite.

-É, eu sei, mas está quente e eu resolvi sair um pouco. –ela diz, e seu tom é um pouco suspeito, mas deixo pra lá.

-Tá, você vai no casamento da minha irmã, convenci ela de colocar seu nome na lista.

-Hm, na verdade não, mas obrigada.

-Tá bom, mas o que vai fazer amanhã, de repente posso te encontrar depois do casamento.

-Ah, eu planejei ficar na cama o dia todo. –ela diz, e está dizendo claramente que não quer fazer planos.

-Ok, eu vou comer algo e dormir. Boa noite.

-Boa noite Lisa.

Mando uma mensagem de boa também para Rosé e desço para comer.

[...]

Está tudo perfeito, minha irmã está mais linda do que nunca e seu marido está radiante. Nunca vi ele sorri desse jeito, e talvez o que minha irmã disse sobre ele seja verdade. Ele só é fechado pras outras pessoas, mas no mundo da minha irmã ele é outra pessoa (ou apenas ele mesmo).

Depois da bela cerimônia porém chata, tirei as fotos obrigatórias de família, minha mãe apresentou a fotografa como minha namorada para amigos e parentes e eu fiquei irradiando felicidade, e quando tudo acabou, eu me sentei pra jantar. Estava varada de fome. Rosé sumiu, minha irmã e Dan também. Provavelmente estão fazendo mais uma seção de fotos em algum lugar antes da minha irmã finalmente liberá-la. Mais da metade dos convidados já foram embora, são quase cinco da tarde e o céu estava nublado durante a cerimônia, mas agora está quase totalmente limpo e algumas estrelas já são visíveis.

-Já disse que você está especialmente maravilhosa hoje?

Sorrio e sinto um calafrio subir minha espinha quando sinto o hálito quente de Rosé em minha nuca.

-Você é que está muito linda, como é que se diz... –ela se senta na cadeira a meu lado. –Mulherão da porra!? –ela ri, eu me inclino e beijo-a.

-Eca. –Noah resmunga e eu me viro para ver ele de mãos dadas com minha mãe.

-Estamos indo pra casa, com um monte de doces. –ela parece cansada. –Você vai também?

Olho para Rosé, pois mal nos falamos hoje, mas provavelmente vamos fazer algo pra finalizcafetear o sábado, afinal mal nos vimos durante toda a semana.

-Não, vamos dar uma volta, eu levo ela pra casa depois, se tiver tudo bem. –Rosé diz, com seu belo sorriso.

-Tudo bem, boa noite meninas. –Laura sorri para Rosé e acaricia meu ombro quando passa pela mesa em que eu estava.

-Algo em mente?

-Não sei, só quero ficar com você o resto da noite.

-O céu está limpo, podemos observar as estrelas.

-Você gosta? –ela pergunta, tirando fios de cabelo da minha franja.

-Sim, você não?

-Gosto de observar você.

Sorrio, sentindo minhas bochechas queimarem. Ela me deixa toda derretida, e nem tocou em mim. Rosé pega minha mão, e juntas saímos dali. Ela já havia guardado todo seu equipamento de fotografia, resolvemos passar em sua casa, assim poderíamos mudar de roupa e ela poderia pegar uma ou duas cobertas, depois passamos na cafeteria que gostamos e compramos donuts e Milk shakes.

Tem uma música tocando baixinho, mas eu só presto atenção em Rosé. Ela está completamente concentrada na estrada, que começa a ficar escura e canta suavemente. A viagem poderia durar horas e eu não me sentiria entediada. Eu estava no meu lugar feliz.

-Podemos ficar apenas uma semana. –digo.

-Han? –ela olha pra mim de cenho franzido depois olha para a estrada.

-Miami. Podemos ficar apenas uma semana, e depois fazer outros planos.

-E que planos você teria? –seu tom de voz me diz que a idéia é completamente bem vinda.

-Uma viagem de carro, podemos ir pra qualquer lugar, ficar sozinhas na estrada, enquanto você fica cantarolando... –me sento mais próxima de seu banco, e acaricio seu cabelo atrás da nuca.

-Está tentando me convencer? –ela inclina a cabeça em minha mão, pedindo mais. A voz baixa e rouca. –Você sabe que não precisa muito pra me convencer. –ela pega minha mão e beija-a. –Vamos fazer isso então.

Eu sorrio, encosto no banco e volto a ouvir minha Rosé, imaginando que eu não me sentia dessa forma a muito tempo. Feliz pra caralho!


Notas Finais


A partir desse cap, vou tentar acelerar mais as coisas. Tivemos ótimos capítulos de um belo romance adolescente, mas tem muito mais em frente, então... Espero que gostem! ♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...