História Playing - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Enis, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski
Tags Amizade Colorida, Doubleshot, Enis, Ennis Ford, Gary Stu, Lemon, Stenis, Stennis, Stiles Stilinski, Teen Wolf, Universo Alternativo
Visualizações 106
Palavras 1.408
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shounen, Slash, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Pois é, gente. Me perdoem. Eu to super atrasada com tanta coisa, mas foi por causa de trabalho (graças a Deus). Mas vocês sabem que nunca os abandonarei. To voltando na área ;3

Capítulo 2 - Games


Games

Depois de uma incessante sessão de batidas irritantes em sua porta – as quais Ford sabia exatamente de quem eram – o loiro finalmente resolve atendê-la.

“Demorou bem menos tempo do que imaginei.” – diz sério, mas escondendo a satisfação, como o bom ator que era.

“Não fica convencido...” – o castanho responde, empurrando o maior para o lado e entrando em sua casa como se não fora nada. – “Eu trouxe pizza de desculpas.” – completa, entregando a embalagem quadrada a Ennis.

“E o refrigerante de desculpas?” – o maior solta uma risada baixa.

“Você é muito fominha, sabia?” – o Stilinski retruca, retirando da mochila uma garrafa com a bebida.

“E você me conhece muito bem.” – o loiro termina, abraçando o mais baixo.

“Tá me esmagando...” – Stiles diz, fingindo sua melhor atuação de sufocamento.

“Então...” – Ford recomeça. – “...Não veio aqui só por causa da pizza, ou veio?”

Stiles bufa.

“Você não vai aliviar essa, né?”

“Nem nos seus sonhos mais dourados.” – o mais alto responde de imediato e alisa delicadamente o queixo do castanho.

“Ai... Ta bom...” – suspira pesado. – “Eu vim pedir desculpas. Admito que fui um pouquinho exagerado...”

“Um pouquinho?” – Ford questiona, erguendo a sobrancelha minimamente.

“É... Um poucão... Ah, você entendeu...” – dando um soco leve no ombro do loiro. – “...E eu não queria que a gente continuasse brigado... Sabe, você faz falta...” – discursa, enquanto segura o braço e olha para o nada.

Ford sorri.

“Então... Comemos pizza e depois continuamos de onde paramos?” – o loiro pergunta.

“Só se você não usar essas munhequeiras como trunfo pra tirar minhas roupas.” – o Stilinski diz e sorri lateralmente.

“O mesmo vale pras suas meias...”

“Fechado. Mas fique sabendo que eu descobri como te dar um couro federal dessa vez.” – o mais baixo diz, convencido. 

“Me mostre do que é capaz, seu narizinho empinado.”

.::.

E lá estavam os dois novamente, no mesmo pé de igualdade em que estavam da ultima vez.

Stiles ainda dava umas ensaiadas de nervosismo, mas se mostra ponderado ao segurar heroicamente um chilique ou outro. Certamente tinha aprendido bem com o que acontecera anteriormente. Fora que estava com uma vontade imensa de se agarrar com Ennis.

O que era perceptível pelas olhadas intensas que dirigia ao maior.

Apenas uma partida o separava da vitória, ou da derrota. E parando para pensar direito, o castanho se sentia um idiota por ter se deixado levar pela emoção na vez anterior. Ganhando ou perdendo no jogo, ele sairia ganhando de qualquer maneira, pois teria para si – e somente para si – um dos garotos mais cobiçados do bairro. Assim, de graça.

Terminando esse pensamento o castanho simplesmente deixa o controle de lado e se levanta, seguindo em seguida ao console preto estacionado ao lado da televisão do quarto de Ford.

O loiro seguia-o com olhar curioso, imaginando o que aquele baixinho invocado estaria tramando. Justo agora que ele iria mostrar ao Stilinski que não era nada inteligente subestimá-lo.

E para seu espanto, o outro adolescente simplesmente aperta o botão de comando que desliga o aparelho.

“Hey! O que foi isso?” – o loiro reclama, surpreendido pela atitude de Stiles.

O Stilinski nada pronuncia. Em resposta começa a retirar a ultima peça de roupa que cobria seu corpo. De forma lenta e até sensual demais para a surpresa de Ennis.

“Eu percebi que não valeu a pena perder a cabeça daquela vez só pra provar que eu podia te vencer...” – voltando a ficar ereto e chutando sua cueca para um canto qualquer do quarto com a ponta do pé. – “Eu tava morrendo de vontade de transar com você aquele dia... E ainda to.” – ruborizando por estar revelando tal coisa. – “E pensei... Caralho, foda-se esse jogo idiota e foda-se quem comanda o que... Se eu te comer, ou se você me comer... Tanto faz. Eu só quero sentir você. Seu calor. Seu bafo no meu pescoço. Então... O que você acha? Estamos empatados?” – o castanho finaliza, sorrindo de maneira doce.

Ford lança seu controle de lado e levanta, todo imponente, indo em direção ao Stilinski. Sorria seu sorriso mais satisfeito.

“Era o que eu queria desde o começo.” – Ennis diz, segurando carinhosamente os pulsos do mais baixo e conduzindo suas mãos ao cós de sua cueca.

Stiles entende perfeitamente o que deveria fazer a partir dali e enfia seus dois indicadores por dentro da peça intima de Ford, puxando-a em seguida de maneira desesperada para baixo.

A visão do membro semiereto do loiro em sua frente era algo que nunca deixaria de deslumbrar o castanho. Era tão irresistível quanto o dono.

A boca de Stiles encontra facilmente o caminho até a glande do outro, buscando saciar a vontade que tivera desde a vez anterior de ter aquele pedaço firme e macio de carne em seu interior.

O maior pareceu rugir de prazer ao sentir a caloria da boca do outro adolescente cobrir-lhe a pele sensível e necessitada de atenção.

Stiles sabia muito bem o que e como fazer. Tinha as técnicas e o molejo quase que milimétrico para atingir todas as terminações nervosas daquela região em particular no corpo do mais alto. Seus lábios e língua trabalhando em perfeita harmonia para alcançar o máximo possível do prazer que ele tanto queria dar ao loiro.

E isso ele conseguia com maestria. Somente com movimentos labiais e linguais, Stiles conseguia fazê-lo chegar ao orgasmo numa ejaculação tão grande quanto o ser que a ejetava.

Ennis se estremecia todo pelos milissegundos de vibrações orgásticas que percorriam seu corpo no que ainda lhe restava de prazer, os quais iam se esvaindo assim como a firmeza de suas pernas.

O loiro tomba para trás, caindo pesado em sua cama e trazendo o castanho junto a si, fazendo-o deitar-se sobre seu corpo enorme.

Ford procura os lábios do Stilinski e lhe rouba um beijo acalorado – o qual numa surpresa agradável, Stiles não tentou negar dessa vez.

Aproveitando-se desse momento vulnerável do castanho, Ennis gira seu corpo sobre o do outro e se põe sobre ele.

A pele do Stilinski era tão macia, tenra e alva. Com pequenos apertos nada rudes já se marcava facilmente. E aquilo deixava Ford quente novamente.

Stiles gemia provocativamente. Sabia que isso mexia com os sentidos do neanderthal acima de si e o deixava fodidamente mais atraente no semblante másculo que ficava seu rosto.

Ennis leva suas mãos aos quadris firmes do outro e desliza habilmente seu corpo para baixo, ficando com o rosto de frente para a bela ereção do Stilinski, que cintilava com as gotas peroladas que saiam da fenda de sua glande. Gotas essas que foram prontamente captadas pela língua sedosa, úmida e quente de um loiro sedento de prazer.

Não foi preciso mais que dois movimentos de sucção para tirar o primeiro grito de prazer do Stilinski. Assim como ele próprio, Ford sabia os pontos certos a serem pressionados. O que incluía um certo ponto específico em seu interior, o qual o maior aprendera com o tempo a atingir de primeira, com seu dedo indicador. Um dedo tão esperto e grande, quanto o resto de seu dono.

O loiro era realmente bom no que fazia. Tanto quanto o castanho. Pareciam viver numa intensa guerra de quem era o melhor em que. Ao que no final de tudo ambos saiam vencendo. Completamente exauridos de tanto gozarem.

E foi exatamente o que aconteceu. Ennis desvia suas carícias labiais ao orifício inebriante de Stiles e começa a penetrá-lo com a língua, enquanto sua mão gigante se ocupa em masturbá-lo.

Os gemidos do castanho ecoavam escandalosamente altos, reverberando pelas paredes do quarto e trazendo a sensação da plenitude a Ford de estar fazendo um ótimo trabalho.

E é com uma voz grave e entrecortada que o Stilinski anuncia a proximidade de seu orgasmo, fazendo assim com que o outro aumentasse seus movimentos em busca do jorro do menor.

Jorro esse que veio de forma abundante em alguns jatos grossos da seiva do Stilinski.

Stiles se contorce embaixo de Ennis, retorcendo os dedos dos pés e esmagando os lençóis da cama do outro em suas mãos.

Estava feito. Ambos haviam ganhado suas recompensas e estavam felizes, com sorrisos radiantes em seus lábios e semblantes satisfeitos.

“Nunca mais vou brigar com você por causa de jogo...” – Stiles começa. – “Prefiro me render e ter mais disso.” – finaliza, rindo sapeca.

“Vamos chamar isso de trégua.” – Ennis fala, roubando outro beijo do castanho. – “Porque não vou desistir de te derrotar em seu jogo favorito, senhor Stilinski.”

“Vai sonhando, senhor Ford... Vai sonhando.”

the end


Notas Finais


Eu voltei e em breve estarei com novidades e parcerias maravilhosas ^u^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...