História Playstation ou Polystation? - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~LastMemories

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Bangtan Boys (BTS), Luan Santana, Silvio Santos
Personagens Alan Ferreira, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Luan Santana, Personagens Originais, Rap Monster, Silvio Santos, Suga, V
Tags Acre, Alan, Alanzoka, Bangtan Boys, Bib'sfirra, Bom Dia & Cia, Bts, Crack Fic, Dudu Camargo, Electronicdesirege, Jimin Pega Tudo, Jogo Da Vida, Latino, Luan Santana, Maísa, Namjin, Playstation, Pyong Lee, Silvio Santos, Vhope, Yoonkook Referencias, Yudi Tamashiro, Yumin
Visualizações 11
Palavras 3.210
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


EllenLokison/Padoca - Má sás ideias também viu...
Procurei no site mermo e cadê esse shippe maravilhoso, cadê os Yumin? XD
Ok, isso brotou na minha cabeça aí eu dividi a nóia com a miga/dos parça, Nix. E tô esperando pra ver aonde isso vai dar :n
Nix - Espero que vocês gostem, porque se não gosta eu vo caçar sua familia asuhusah

Capítulo 1 - Risole apresuntado e bem assentado


Fanfic / Fanfiction Playstation ou Polystation? - Capítulo 1 - Risole apresuntado e bem assentado

 

- Jimin -

 

Quando eu acordo no meu quarto, eu sou um nada.

Depois que o sol se põe, eu ando tropeçando... Ouvindo o barulhinho das teclas da maquininha de cartão durante trocentas horas também, é claro que eu enlouqueço! Esse som já está até ecoando na minha mente.

Tudo o que eu queria...

Era poder se trancar em algum cantinho por aí e comer os meus risole. Que foram tudo pra conta do Jin, claro, porque ele é a rainha; ele que é rico; ostentador; principalmente mostrando que é um bicho de que de tão ruim, não engorda, esse miséra.

Ele não precisa saber da verdade, eu invento uma desculpa fulera pra ele depois, uma bem TOP.

Tava quase encontrando uma forma mágica ou satânica de fugir daquele caixa, que me botaram a força. Era para eu estar requebrando por ai, mostrando como eu sou Deus grego, mas aí, me rebaixam pra essa porrice de ser caixista.

“Meu querido, vem me ajudar aqui” – Aquela inútil da Geraldina me ferrando, tentando tirar-me do meu posto, já que agora aqueles cegos dos fotógrafos viram que eu fico perfeito de modelo e nasci pra divar.

Acredito que os meus olhos nem são mais vistos, tamanho sono e tédio que eu estou. Meus saltos agora devem estar nos pés de uma pagante a Cinderela qualquer...

Só tem a porra do cheiro de Progesterona nesse lugar!

Cadê as Testosterona me rodeando? Tem que ser das boas, não pode ser umas merdinhas que nem as dos outros leks que moram comigo, na casa da rainha. Qualidade e sincronia são o que quero. Circulando, vamos! Saiam daqui suas beach!

A única coisa que tem cheirinho melhor do que o meu perfume, lógico, é poder sentir um pouco das minhas fontes lá de fora. Eram dois, estavam trocando as letras do logo da loja que eu tô trabalhando agora; C&A. Quero ver se eles vão resistir ao meu portão de entrada pro paraíso.

Minhas roupas de brilhinho estão deixadas de lado, tenho tanta pena delas... Sem alguém como eu para vesti-las e sair jogando charme pra todo esse mundo mortal, que vou te falar, anda precisando, e muito.

Olha só... Que estranho, tá lotando mais a lojinha. O gerente vai ficar feliz pelo menos, vai que ele me tira desse caixa e nem é muito difícil cativar aquele cara... Ou é porque eu sou Park Jimin, meu bem!

 

[...]

 

A situação tinha como piorar?

Agora eu sou bombeiro também?

Tem uma mulher largada no chão da entrada da lojinha. Eu que não vou me responsabilizar por isso.

Eu pego os meus risole. E vou embora!

Essas gritaria do cão tão me deixando surdo... Só tem dragão rugindo nessa porra!

Quem me dera não estar na seção de calcinha, tudo de ruim acontece aqui... O loko é que todo mundo que tá chegando agorinha está pensando que aqui vende eletrônicos; games e consoles, pra ser mais específico.

- EU VOU CHAMAR O SEGURANÇA! SENHORA, AQUI NÃO VENDE PLAYSTATION! – Quero ver se essas pessoas todas vão resistir ao tiro da pistola hipnótica do segurança.

E que segurança, meu deus. Vou mentir não, queria ter uma pistola como a dele.

- M-mas...?! – AH, NUM VAI INSISTIR MAIS!

Já estou preparado pra sair pistola atrás do pistoleiro. Tô até com medo de quebrar o salto que estou usando agora, um salto bem né... Mais ou menos, bem mais ou menos...

Mas é claro que seria, já que é presente do Kook. O que eu poderia esperar daquele lá?

Difícil manter a classe em uma situação dessas...

Vamos, nariz empinado Jimin, cara de nojinho. Você é a porra de um modelo irresistível!

Saí balançando o meu cabelo sedoso, tentando quebrar as estruturas com o meu salto que chegava a quebrar também os piso de madeira do chão.

Que quê tá acontecendo...? Ninguém olha pra mim. A multidão toda escapuliu pra fora.

Alguém me explica que porra...?

OUSHITA, ISSO É CHEIRO DE PERFUME MASCULINO?!

Minha bunda tá começando a criar vida sozinha e tá balançando como se eu tivesse realmente um rabinho. Ai que sensação. Acho que tô no cio. Gosto.

- JESUS CRISTO! - A multidão está ainda mais doida, vou ter que tomar medidas drásticas.

Saí correndo na direção da saída, já com o objetivo de mandar essas pessoas todas pra fora e trancar as porta.

Chegando a saída, eu começo a empurrar as pessoas todas pra fora. É chute, é coice, é voadora, só falta eu me jogar.

Fecho as portas rapidamente, mas parece que alguém conseguiu entrar.

O cheiro de perfume cobriu o meu arredor.

E eu escorrego até o chão diante da porta. Minha bundenha dói... Tá começando a formigar.

- Ow... EI! – QUEM É CARALEO?! NÃO TÁ VENDO QUE EU TÔ TENTANDO ACORDAR A MINHA BUNDA?!

- Que fue? – Levanto a minha cabeça.

Meu cu tá piscando. Acho que vou chorar... Se é que me entendem.

Uma voz está ecoando na minha mente.

 

“SE CONTROLA SUA CADELA! VA-GA-BUN-DA!”

 

Novidade ser a voz do Jin pistola por eu ter molhado o sofá dele... Ninguém mandou deixar o celular do Nam em minhas mãos.

Que produto será que esse cara usa? Olha o cabelo dele...! Me passa aí, na moral.

- Veio pedir Playstation também é isso? – Só não chamo de arrombado porque ele tá bem na fita.

Porra, tô pegando as gírias do Jin de novo.

- Na realidade, vim sim – Vamo lá então né... Fazer o quê.

Pelo menos esse vai ser tipo, o último cliente, e aí eu vou poder comer meus risole em paz.

Acumulei fome, acho que não vai sobrar risole nenhum pro Jin. Vai rolar só um panelaço em casa, mas vai ficar tudo bem.

Isso se eu não conseguir levar esse pitelzinho aqui comigo e escapar dessa lambança...

É hora de morfar...!

Não sou só um jogo de pecinhas para que peguem peça por peça e montem aos poucos, sou logo um Megazord, monta, entra em mim e atira... O que quer que seja né.

Vou pra bancadinha, jogando aquelas calcinhas pra longe... Elas nem servem em mim mesmo.

- Que foi neném? O que tu veio pedir? – Ainda bem que ele não tá vendo a minha raba balançando, acho que seria muita informação pra ele – Ah, espera, só um minuto! – Eu tenho os meus truquezinho né...

Antes que eu machuque os meus lindos lábios tentando provocar esse rapaz, eu vou usar outras táticas que não envolvem dor.

Desviei dos risole, pra não ficar com vontade, e fui até a minha bolsinha.

Pirulito de morango... Agora sim.

Vivem falando que o Taehyung é sexy até tomando água, então porque eu não posso ser também chupando um pirulito?

- Pode falar agora – Começo a chupar aquele pirulito vermelhinho. Vermelho não é minha cor favorita, mas o Hoseokão pegou os meus pirulito azul de Tutti-Frutti.

- Eu vim aqui comprar uma cami... – Acho que ele também tá no lugar errado.

Ou certo, porque se for camisinha eu tenho de sobra... Porque não é qualquer um que toca nessa minha raba não. Pra tocar, tem que merecer.

Tem que pelo menos me pagar uns salgados. Não gosto daqueles homens que são muito brutos, que já chegam agarrando e pah.

“Bumbum granada” começou a tocar. NÃO É NEM O MEU CELULAR! PEGUEI O DO KOOK.

CULPA DO JIN, QUE TIROU O PAPELZINHO QUE COLEI PRA NÃO CONFUNDIR OS CELULAR TUDO, JÁ QUE TODOS SÃO IGUAIS.

Vou até a minha bolsa, atender logo o porrinha que tá me ligando em horário de expediente.

- TaeTae...? – Atendo a ligação, enquanto vejo cada canto da minha bolsa, pra ver se tem camisinha mesmo – VOCÊ ME LIGA PRA PERGUNTAR COMO É QUE FAZ PRA ABRIR O POTE DE DOCE! DE QUE MUNDO VOCÊ É?! EU JÁ TE ENSINEI! TEM UMA BAITA DE UMA LISTA GRUDADA NA PORRA DA PORTA DA GELADEIRA FALANDO TUDO O QUE VOCÊ PRECISA – Certeza que o Jin saiu pra fazer coisa errada e deixou os “irmãozinhos” para eu cuidar.

Desligo o celular e o taco dentro da minha bolsa, pegando uma camisinha lá do abismo da bolsinha e colocando em cima da mesa.

- AH NÃO MANO – Ué, o boy colocou a mão na cara por quê? Será que tá envergonhado de ter me pedido pra rolar umas?

- Se não for pra comprar nada, pode se retirar? Eu ainda tenho coisas mais importantes pra fazer hoje – Eu juro que tô sendo educado, tio. Não olha pra mim assim não.

- EU TENHO QUE ANDAR LOGO TAMBÉM! EU VIM PEDIR UMA CAMISETA DA PLAYSTATION! – A cara dele não está a das melhores...

- MAS AQUI NÃO VENDE PLAYSTATION, CASSALHO! – Nem sei mais o que tô falando.

Tampei a minha boca, fingindo ter me arrependido de ficar pistola com ele. Vai que ele fica com peninha e não desiste Jimin.

Mesmo eu tentando agir de modo bem barbiezinha e meiguinho, se ele começar a encher muito a minha paciência, baixa o Yoongi em mim.

Na realidade, eu não quero que ele deseje um dia baixar em mim não... Ele deve dormir no meio das decida ou cansar muito rápido.

- FALA LOGO O QUE VOCÊ QUER ENTÃO! MELHOR, VEM CÁ VER O QUE TU QUISER! EU JÁ NÃO SEI MESMO O QUE EU TÔ FAZENDO AQUI! – Saio de trás da bancada e deixo a portinha aberta pra ele passar.

Eu que não sou bobo e nem nada, fico no caminho dele, esperando que ele perceba como eu sou rabetão. Desde que não esteja suado vai ficar tudo bem.

- Pode me deixar passar man? – Tem nem tamanho pra me dar ordens.

Na realidade, nós dois temos praticamente a mesma altura, mas sou eu que mando nessa porra aqui, então que fique assim. Além de que eu estou usando salto, então dois à zero.

- E se eu não quiser? – Estufei o meu peito de pomba e levantei a raba. Estou só esperando a rola.

Ele passou de qualquer forma. Me deixando de queixo caído com tanta audácia.

Sou eu que devo ter a audácia em minhas mãos, eu que tenho a raba mais grande dessa festa.

Apesar de que não reclamo da dele não...

- Sabe uma roupa que combina muito com você, bonitão? Toma ai – Pego uma roupa das gavetas da bancada que eu estava agora a pouco.

Vamos ver se ele percebe que o jogo da vida que ele precisa passar está começando agora e que o melhor prêmio sou eu.

- Ah não... Você tá de brincadeira?! – Ai, o sorriso sacana que ele me deu quase me fez se molhar de vez agora. Às vezes um estressadinho vai bem mais forte. Vem me castigar, vem!

 

Controle-se Jiminimie! – Diz o meu consciente, mas ele não tá controlando o meu corpo pertinente.

 

- Jogo da vida. Tá precisando viu. Acha mesmo que eu não te conheço, Yudi? Tu é da época do meu amigo Kook – Dou um tapa na bunda dele. Rindo da cara que ele me olhou – Cadê meu Pleiteixo?! – Faço uma cara de puto, de macho alfa peludo.

Ah, eu num gosto não! Aqueles pelos me roçando, credo. Eu exijo que seja rapadinho.

- Você é ousado assim mesmo? Tem algo errado... – Avah, agora que ele percebeu?

- AI PORRA! CARAAALHO! – O pirulito cortou a minha língua. Desgraçado! Odeio quando isso acontece.

Ah... Agora botei pressão nele. Ficou com medo do meu High Note maravilhoso, querido?!

- Você tá fazendo um jogo comigo, mano? – Não deixa o rosto ficar estressado rapaz, vai dar ruguinhas depois.

- Vem jogar comigo então – Vou até o lado dele, que tava vasculhando cada canto das gavetas e prateleiras. Ele começou a jogar calcinhas na minha cara, me deixando com uma expressão bolada no rosto.

- Preciso voltar pro estúdio ainda... – Ele tá nem prestando atenção mais em mim. Não vai ser hoje que você vai voltar, meu bem.

- CHEGUEEEEEEI... – Ele pode se sentir honrado de estar presenciando o meu desfile – TÔ PREPARADA PRA ATACAAAAAAAAR! QUANDO O GRAVE BATER, EU VOU QUICAAAAAAAR! – Começo a rebolar na cara dele. Ninguém mandou alguém passar de carro, seja lá o que for, lá fora, na rua, escutando “Sua cara” ao alcance dos meus ouvidos.

- OH MANO! – Oh mesmo, porque garanto que muita gente queria estar no seu lugar.

-... QUE EU VOU JOGAR BEM NA SUA CA-RA! - O derrubo pra trás com uma bundada, uma bem gostosa no rosto.

O carro que tava tocando “Anitta” tava seguindo e eu tava dançando, mostrando meus desfile de Top Model pra ele.

Agora com ele no chão vai ficar tudo melhor.

Vou até ele e começo a quicar, de verdade, no colinho dele. Quero ver se resiste mesmo.

- MANOOOOOOOO! – Tá gritando de tesão, certeza.

Finalmente ele tá pegando na minha bunda, tava demorando já.

Ai que pegada, ai que tudo.

- VOCÊ VAI ENTREGAR O PLEITEIXO PRO KOOK AGORA! E VAI TAMBÉM ME COMPRAR UM MUNDO DE RISOLES! – Tô adorando dançar em cima dele, que sonho.

SOCORRO, ELE ME PEGOU NO COLO! É HOOOJEEEEEEEE! MAS É HOOOJE!

Espera... Aonde ele vai?!

- EU ENTREGO, EU E-ENTREGO! – ELE VAI ME DERRUBAR, ALGUÉM ME SALVA!

Passei minhas pernas ao redor da cintura dele e me segurei firme. Agora eu tô é com medo de cair e passar micão.

Ufa, ele se sentou...

- MEUS RISOLE, SEU ANIMAL! – Dou um tapa na cara dele, saindo do colo do mesmo – VOU TE ENCHER DE RABADA AGORA! – Já estava preparado pra meter a minha raba na cara dele, quando esse me para, segurando ela forte. Acho que ela tremeu um pouquinho, só acho.

Ele respira fundo. Mas começa a tossir, se engasgando com algo. Deve tá babando por mim e se engasgou com a saliva.

Acho que ver a minha raba de muito perto, pegar nela e tudo mais é realmente muita informação pra ele.

Mas confesso que esse apertinho tá me dando uns coiso.

- QUE COISA É ESSA?! – Ai Jinsuis... Fodeu. E bem fodido.

Lá vem o segurança vir me impedir nos meus esquemas. Trazendo a pistola hipnótica.

- JIMIN, SAI DAÍ! – O segurança me puxa, fazendo-me levantar a minha bunda, que bateu bem no queixo do Yudi. Eu vivo falando que o meu corpinho é flexível demais, mas parece que não adianta.

- EITAAA MANO! – Deve ter doído, já que além de bundinha gostosa eu tenho uns bons músculos.

- O que você estava pensando em?! – Aff, vai começar o sermão.

Viro meu rosto para o segurança, com um biquinho nos lábios, que é claro que é fofo né monamu!

- CHEIRA ISSO! VEM DA FLOR DO PARAÍSO! – Fiz mermo. Levantei minha raba e peidei na cara dele, com direito a tapinha na bundinea pro perfume espirrar bastante.

Se enganou quem pensava que a minha raba não podia servir como arma, além de ser chamada pra taradoncio.

Peguei o isqueiro que roubei do Yoongi e apontei na cara do segurança.

- Vai querer sentir meu fogo no rabo?

- VOCÊ VAI DORMIR EM TRÊS, DOIS, UM... – Pyong Lee, o segurança que me trouxe pra trabalhar aqui, que eu só fui apresentar agora, apontou pra mim a pistola hipnótica dele.

Não digam nada pra ninguém, mas foi o Taehyung que me apresentou o Pyong. TaeTae  trás cada figurante até nossa casa. O “não digam nada” é porque ele me ensinou a fazer umas hipnose aí e eu o fiz ter paixão por a minha raba. Desfiz a hipnose? Não iria, mas ele conseguiu voltar ao normal.

O Pyong “atira” na minha direção, mas só jogando a minha cabela pra esquerda eu consigo desviar do tiro. Meu pescoço já tá todo quebrado mermo.

O cara vacilão do Pleiteixo levou o tiro por mim. Diria que seria romântico se não fosse trágico ver o boy caído todo mole no chão.

Até broxei aqui. Acharam uma forma de apagar o meu fogo.

Volto a ter a minha expressão bolada no rosto.

- Acabou com a minha festa... – O Pyong vem até o Yudi, tentando levantá-lo do chão. Tá que nem mula, com direito a efeito sonoro.

- Não sei como contratam praticamente uma puta pra trabalhar do meu lado.

- PUTA NÃO! DE-SE-JA-DA! – Espera só o dia que eu tirar a sanidade dele, vou fazer me engolir até não sobrar mais fôlego.

E não, não maliciem dessa vez. Eu vou enfiar meu salto na goela dele mesmo.

- Tem que ser menos “solto”, Jimin – Como se o Pyong já não tivesse dado em cima de mim, esse malandrol. Bem “hétero” ele, sei...

Espero que ele saiba como trazer o Yudi de volta à vida. Kook tá enchendo a porra da minha paciência querendo um Playstation.

Acho que vou dar um Polystation pra ele, na real. É tudo a mesma coisa também. Só que é ainda mais asiático, tá ótimo pra ele.

- Dá sapoha pra mim logo! – Pego o braço do Yudi e começo a arrastá-lo.

Ele vai se surpreender com a minha nova descoberta...

 

[...]

 

A sala que eu encontrei não era das melhores, mas o que eu esperaria do setor de calcinhas? Tô com medo de encontrar um esqueleto nesse armário, cruz credo.

- Então, seu cara dos Pleiteixo, quem cê pensa que é pra sentar nos meus risole? – Balanço os ombros do Yudi dorminhoco – Tá me devendo dois quilo de risole. Vai ter que ter espaço pra dois quilo de grana na sua carteira também – Agora vou ficar aqui, com essa fome dos caraí.

Pior que nem comida eu acho que irei ser.

- ACORDA, SEU ARROMBADO! – Agora acabou a classe, desviei do respeito bonito.

Não sei não se vai merecer...

Só se ele reembolsar os meus risole de presunto. Poxa, eu adoro tanto presunto... Dá até vontade de chorar.

Ele continua mortinho... Deve estar mole da cabeça aos pés, dessa forma não me interessa.

Quer saber? Acho que vou jogar ele ladeira abaixo, falar que tá bêbado e mandar pra casa do caraleo. Algo assim.

Mesmo que, se eu fosse o Taehyung, tentaria jogar ele no vaso sanitário e dar descarga.

Será mermo que funciona?

Já tô me preparando pra levantar esse peso morto da cadeira... Pior que eu acho que os meus salto vagabundo vão quebrar com o peso desse cabra.

Namjoon, outro vagabundo que trabalha comigo – e que não merecia, porque aguento ele aqui e em casa – está no outro setor, onde eu deveria estar posando, divando pras ser capa de revista, apesar de ele ser um fotógrafo de merda e só pegar os meus piores perfis, isso se não destruir a câmera primeiro; não só a câmera, também quebra o chão, as parede, os cabides do meu armário...

Tô cogitando a possibilidade de: Ou eu estar preso nesse setor, ou... Só tem uma possibilidade mesmo.

Pyong simplesmente sumiu, me deixando com o “ploblema meu”. Vou confessar que a forma errada que ele fala às vezes é fofa...

Alah, eu já tô sentindo o foguinho vindo de novo, me pergunto de quem eu puxei sá merda.

Quer saber, acho que vou ter que apelar.

Vai ser hoje que o grave vai bater realmente.

Pego a minha bolsinha e procuro por o meu celular, ao encontrá-lo, começo a discar para um número que certamente não é de nenhum da minha família.

 

Continua...

 

 


Notas Finais


Padoca - Só pra avisar mermo que alguns shipps que eu coloquei nas Tags não sei mesmo se só irão ser mostrados ou vou mostrar ainda mais sobre eles, pelo menos um pouquinho. Mas eu coloquei pra não deixar desavisado.
Nix - Eu avisei que se você não gostasse eu ia caçar sua familia.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...