História Please do not Leave Me - Jikook (1-Temporada) - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, V
Visualizações 82
Palavras 1.674
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa Leitura 🇧🇷

Capítulo 27 - I Like You


Fanfic / Fanfiction Please do not Leave Me - Jikook (1-Temporada) - Capítulo 27 - I Like You

Yura on.

Sabe quando você sente seu cu trancar? E que também não passa uma agulha? Pois é, eu tô assim.

Eu só imaginava alguém atrás de nós com uma arma apontada para nossas cabeças. Merda.

Me virei e era o cara que estava na porta, o mesmo tinha ido olhar em volta.

– Vocês mataram meu melhor amigo, sabem que podem ser presos né? - O cara era um pouco mais alto que Taehyung, tinha algumas cicatrizes mas nada muiito chamativo e era loiro.

– A gente tá cagando pra isso - Tae disse soltando minha mão e parando na frente do homem – Vocês sequestraram uma garota que não tem nada haver com que está acontecendo é que pelo visto foi sem motivo algum.

Então o loiro veio pra cima de Taehyung lhe dando um soco na cara, o mesmo virou o rosto para o lado colocando a mão no nariz, que agora sangrava um pouco.

Taehyung não espero nem um segundo e partiu pra cima do homem, ficando em cima do mesmo dando vários socos. Suas mãos grandes e ágeis eram rápidas de uma tal forma a cada novo soco.

– Tae, para com isso - Corri em sua direção e envolvi meus braços em sua cintura com força total, eu tentava puxa-lo mas estava ficando difícil – Não faz eu ficar irritada com você também, inferno.

Quando eu achei que ele tinha parado, ele soltou meus braços e me empurrou fazendo cair sentada. Ele não se importou e continuou com os socos, o pobre homem caído não teve nem chances de reagir, já estava apagado.

– Eu vou te tirar de cima dele e se você me empurrar eu mesma te dou um soco nessa sua fuça - Andei lentamente até ficar atrás dele e o puxei, fazendo se sentar. O ruivo estava ofegante, suas mãos atraíram meu olhar, seus punhos estavam fechado e cobertos de sangue, voltei a minha atenção ao rosto do homem que apanhou.

A face estava totalmente irreconhecível, lábios com vários cortes e profundos, sombrancelhas cortadas de todos os lados, nariz quebrado, olhos roxos. Até parecia que foi uma luta de MMA.

– Vamos sair daqui - suspirei – Vamos, antes que alguém apareça - O ajudei a levantar e o mesmo ficou olhando para trás – Ele não vai acordar e se acordar vai ser por um milagre, você praticamente o destruiu.

Taehyung colocou seu braço em volta do meu ombro, eu sentia suas mãos tremendo, seu rosto não estava nenhum pouco mau tirando o corte pequeno e leve no cantinho da boca. Então tratamos de ir caminhando até encontrar Hoseok com o carro.

– Quando chegarmos vou te ajudar com esses machucados - falei leve enquanto olhava para baixo. 

Era estranho estarmos desse jeito já que pra ele eu não era nada, "sexo casual não é compromisso" suas palavras rondavam minha cabeça. Claras e frescas, por mais que eu tentasse manter distância era quase difícil resistir a ele. 

Ele me faz muito bem mesmo sendo um grande erro, um erro que eu não me arrependo de forma alguma mas só de pensar que eu era uma segunda opção, doía.

Não acho que Taehyung vá ter outra pessoa mas provavelmente tenha algumas bem melhores. Ele é um rapaz legal, muito bonito, tem uma conversa excelente sabendo puxar assunto e é dono de um corpo incrivelmente maravilhoso. Como não teria propostas maiores? É uma coisa para se pensar.

– Para de achar que é insuficiente para mim, se estou com você é porquê eu realmente sinto algo grande em relação a isso - Será que pensei alto demais? – Você não precisa ser igual qualquer outra menina, você tem um jeito e isso me fez ficar interessado em você.

Caralho mermão.

– Sei que você sempre tá acostumado com meninas mais avantajadas - falei sem jeito – Mas eu também sinto algo forte por você, mesmo você sendo um pouco errado na maior parte das coisas.

Ele riu baixo. Ah, sua risada era algo tão bom de se ouvir naquele momento, literalmente.

Só pare de achar isso, ok? - beijou o topo da minha cabeça – Depois que chegarmos na minha casa você me ajuda com os machucados, assim eu posso te recompensar por aquilo mais cedo - Deu um beijo leve e uma mordida no lóbulo da minha orelha. 

Senti um arrepio percorrer minha espinha e ele sempre sabia como me fazer arrepiada, mesmo eu mostrando que não queria, ele me fazia mudar de idéia.

– Vamos logo - O ajudei e fomos calmamente até o final da mata.

Yura off.

Bo Young não parava de reclamar o quanto estava com fome para Jungkook, ele estava jurando que a enforcaria se a garota não fechasse a boca.

– Jungkook vai devagar, cacete. Eu ainda tô com dor no corpo e tô com fome - Dizia enquanto matinha a cara fechada.

– Não sei como Hoseok dá conta de ficar perto de você e te ouvir reclamar, deveriam dar um prémio pra ele - Olhou para a irmã que estava com os braços cruzados e um bico leve nos lábios.

– Ele não tem que me aguentar, não somos nada - Empinou o nariz e olhando Hoseok de só de relance.

– Não precisa ficar de indiretinha, depois a gente se resolve - sorriu malicioso para Bo Young.

Era isso, ela não podia ver o sorriso caloroso de Hoseok que já se derretia toda enquanto Jungkook presenciava a cena e morrendo de nojo e inveja, talvez.

– Vamos logo com isso - Jungkook olhou para trás e viu que Yura e Taehyung não os seguiam, com isso bateu os pés na grama meio amarelada daquele lugar – Eu vou acabar com a raça do Taehyung, puta que me pariu.

Jungkook só queria sair dali pra poder tomar um banho e relaxar um pouco antes de ir atrás de Jimin. Falando no próprio, Jungkook queria muito saber se estavam pelo menos o alimentando, ele ainda se lembrava da recaída que o menor teve.

– Demoramos mas chegamos - Yura disse enquanto tentava passar pelos matos altos com Taehyung – O cabeção aqui bateu num cara - revirou os olhos.

Todos se entreolharam mas não disseram nada. 

Jungkook foi ajudar o amigo e olhou para as mãos do mesmo.

– Eu soquei ele, não fique surpreso pois não foi nada - Jungkook não disse nada então apenas concordou com a cabeça.

Hoseok já estava no volante esperando todos entrarem, viu Jungkook colocando Taehyung devagar no banco de trás, ajudou também Bo Young e colocou a mesma do lado do amigo. Jungkook foi na frente ao lado de Hoseok, Yura deu a volta e se sentou ao lado do namorado.

Tinha sido uma noite um tanto cansativa, Taemin não fazia idéia de que eles foram lá. Meio lerdo não é mesmo?

Hoseok deu a partida e seguiu o atalho que encontrou, a noite tudo era pior e estava frio. Taehyung estava com a cabeça deitada no ombro de Yura enquanto a mesma fazia leves movimentos em suas coxas, nada malicioso.

Bo Young permanecia quieta, vez ou outra olhava para o rosto de Hoseok, o mesmo tinha o olhar leve e olhava atento para a estrada.

Jungkook cochilava tranquilamente e roncava baixo. A irmã estava feliz por ter saído daquele barraco, ela não foi maltratada nem nada mas só passou fome e isso era o cúmulo que ela não aguentava. 

– Hoseok? - chamou o único menino acordado.

– Uh? - sorriu um pouco e a olhou de relance.

– Obrigada por ajudar-los a me tirarem daqui - Ela não queria mostrar que estava soltando fogos de artifício por dentro, ele pode não ter tirado ela daquele quarto mas só pelo fato de ter ido já contava – Fico feliz que tenha vindo.

Hoseok morreu de amores ao ver aquela cena, mesmo separados o rapaz era louco por ela.

– Fica tranquila - estendeu a mão livre para que a menina juntasse a sua com a dele – Faria qualquer coisa por você, dorme um pouco ainda vai demorar pra chegar.

Algumas simples palavras que carregava um grande significado para Bo Young. A mesma nunca foi de entregar seu coração para qualquer pessoa mas sabia que podia fazer isso com Hoseok pois o sentimento seria recíproco.

Yura fingia estar dormindo só pra os dois terem tido aquela conversa mas não ia deixar passar abatido, mas claro que iria comemorar depois com a amiga esse momento significativo.

Então Bo Young dormiu tranquilamente e um pouco mais feliz por não passar mais tempo nenhum ali.

Quebra de tempo.

Chegaram ao amanhecer na casa de Jungkook mas ninguém decidiu ficar pra dormir, além de Bo Young. Jeon meio que insistiu para que a irmã ficasse pois o mesmo não a deixaria sozinha por nada, ainda era arriscado.

Jungkook estava no banho, com a cabeça encostada na parede. Ainda pensava em Jimin, era difícil não pensar em algo ruim, a vontade de sentir o menor em seus braços era enorme, sentir seus lábios carnudos contra os seus era a maior das saudades. O problema era que Jimin provavelmente ainda não teria recuperado a memória e isso era um puta problema mas ainda sim Jungkook iria ajudá-lo.

Ouviu algumas batidas na porta, logo vendo a irmã (agora bem melhor) colocar a cabeça pra dentro do cômodo.

– Termina isso aí logo, preciso de contar um negócio - Suas mãos pequenas combriam o rosto e era notável a mesma um pouco vermelha.

– Me espera que eu já estou acabando - Jungkook viu a irmã concordar com a cabeça e fechar a porta, logo soltando um suspiro de cansaço.

Não demorou muito e viu que seus dedos estavam começando a ficarem enrrugados, pegou uma toalha amarrando na cintura e outra para ir secando os cabelos.

A visão de seu corpo era totalmente incrível, as gotículas de água descima pelo seu peito nú lentamente, lábios entre abertos, seus cabelos castanhos caindo levemente na testa. Era praticamente um Deus.

Saiu do banheiro e foi indo em direção a sala, não tinha problema em andar de toalha pela casa quando a irmã estava, aliás não havia maldade alguma.

Quando entrou no cômodo viu quem menos esperava sentado no sofá, sua irmã estava em um canto roendo as unhas em sinal de nervosismo e ansiedade.

– O que ele está fazendo aqui? - Disse num tom alto.


Notas Finais


Oi amiguinhas.

Já notaram que eu só posto de madrugada, a maior parte é. Eu tento postar mais cedo mas eu fico com preguiça ou surge algo para fazer mas sempre posto.
As postagens vão ser mais frequentes, acho que uma por dia está bom.

Um capítulo meio amorzinho, meio estranho talvez.

Falando em amorzinho, já deram amor ao Pentagon? Se não, vocês tem que ir ver o último MV. Já tem um tempinho que lançou mas eu recomendo, é um ótimo grupo, ainda mais pra sofrer.
Dêem amor também ao Monsta X, porquê é um grupo da porra, sofro.

Esperando chegar dormindo pra eu tomar no cu por causa do BTS, nenhuma novidade sob o sol.

Espero que gostem do capítulo e até mais tarde ❤️

- L


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...