História Please Remember (Imagine Jungkook) - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Hoseok, Imagine, Jimin, Jin, Jungkook, Namjoon, Taehyung, Yoongi
Visualizações 278
Palavras 2.246
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 24 - O Diário


Fanfic / Fanfiction Please Remember (Imagine Jungkook) - Capítulo 24 - O Diário

POV (S/N)

 

 Jungkook parou em minha frente e meu coração automaticamente se partiu em dois. Havia pequenas bolsas roxas de olheiras em baixo de seus olhos e seu cabelo estava um pouco bagunçado, mas ele ainda continuava lindo.

 Para com isso! Espantei rapidamente esses pensamentos de minha cabeça. Sim, ele era Jeon Jungkook, mas ele também era o mesmo garoto que me usou e me magoou. Eu juro que eu tentava ao máximo não guardar rancor dele, mas eu não podia sequer ouvir o seu nome que meu coração já se apertava.

 Agora com ele tão perto assim de mim, eu me lembrei de seu diário que Jimin havia me dado. Eu tentava não pensar nas dezenas e dezenas de folhas decoradas com sua letra cheias de sentimentos, mas era difícil não pensar nisso com Jungkook tão perto de mim.

 Sai de meus pensamentos quando notei que Jungkook esticou sua mão em uma tentativa de acariciar o meu rosto.

-Nem pense em me tocar Jungkook.

-(s/n), eu...

-Vamos embora Jimin. – Peguei em sua mão e comecei a puxa-lo em direção à saída do Shopping, mas é claro que Jungkook veio atrás de nós.

-(s/n) espera, por favor.

-Esperar pra que Jungkook? – Perguntei zangada sem olha-lo.

-A gente pode conversar? Eu só quero saber como você está e...

-Como você acha que eu estou? – Me virei para ele e o encarei. – Hein Jungkook, como você acha que eu estou?

-(s/n) calma. – Jimin disse preocupado e senti seu polegar acariciar as costas de minha mão gentilmente.

-(s/n) eu sinto muito, eu...

-Eu não quero as suas desculpas Jungkook, você nunca vai poder mudar o que fez no passado.

-Eu sei disso, mas se você me der outra chance eu juro que...

-Outra chance? Depois de tudo que você fez você acha que merece outra chance?

-Eu sei que eu não mereço, mas...

-Mas nada Jungkook. Você já respondeu por mim, você não merece uma segunda chance.

-(s/n) eu sei que eu errei em ter te usado, mas prometo que eu nunca mais vou fazer uma coisa dessas de novo.

-Você não entende que o problema não é só isso? – Soltei a mão de Jimin quando senti meu sangue ferver. – Primeiro você me usou, depois você não me contou a verdade e claro não podemos esquecer que você mentiu descaradamente na minha cara! Por que você não falou a verdade logo de uma vez?

-Eu estava com medo de te perder de novo, será que você não entende isso?

 Nós nos encaramos e um misto de sentimentos estava presente em nosso olhar. Sentimentos tão confusos, que chegava a ser difícil decifra-los.

-Já chega vocês dois! – Namjoon disse calmo enquanto nos encarava. – Se vocês se esqueceram, nós estamos em público e precisamos ser discretos. Vamos para um lugar mais reservado onde vocês possam conversar melhor.

-Eu não vou a lugar nenhum com ele. – Eu disse com raiva e percebi que Jungkook suspirou triste.

-Me desculpe (s/n), não foi a minha intenção estragar o seu passeio... eu só espero que algum dia você possa me perdoar.

 O olhei por uma última vez e sai do Shopping sendo logo seguida por Jimin. Não fiquei nem um pouco surpresa quando ele começou a falar comigo sobre Jungkook.

-Conversa com ele (s/n), você não precisa dar nenhuma chance ou coisa assim, mas conversa com ele, por favor.

-Jimin nem adianta gastar o seu tempo com isso, eu não quero e nem vou conversar com ele.

-Se você soubesse o quanto ele se arrepende do que fez...

-Eu sei muito bem o quanto ele se arrepende, eu li o diário dele.

-Você leu? – Ele perguntou surpreso e eu apenas assenti com a cabeça. – Então você sabe o quanto ele te ama e que ele está arrependido.

-Eu sei, mas você acha que saber disso apaga o que eu sei sobre o passado?

-(s/n)...

-Eu tento não ficar com raiva, eu juro que eu tento Jimin, mas você tem ideia do quanto é difícil saber que o seu maior ídolo não é aquilo que aparenta ser?

-(s/n), o Jungkook é uma pessoa incrível, tudo o que vocês viveram não foi fingimento.

-Quem me garante isso? Quem me garante Jimin? – Ele não respondeu, o que apenas me fez suspirar cansada. – Eu vou pra casa, eu preciso estudar.

-Você vai acabar se matando se continuar estudando desse jeito.

-Eu fiz o que você queria, não fiz? E olha só no que deu! Eu vim ao shopping e encontrei com a última pessoa que eu queria ver. Feliz Jimin?

 Não esperei ele responder. Apenas virei as costas e continuei andando.

 

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

 

 Quando cheguei ao meu apartamento, peguei o diário de Jungkook e debati comigo mesma se valia a pena lê-lo novamente.

 Abri na primeira página e percorri meus dedos sobre as fotos em polaroides que havia ali. Eram fotos aleatórias de mim e de Jungkook em lugares também aleatórios. Havia uma em especial que eu achava muito fofa: Eu e ele em uma praia fazendo careta um para o outro.

 Virei à página e me deparei com a data mais antiga que havia ali. Era de uns dez meses atrás.

 

Olá diário, aqui é o Jungkook.

Sei que não ando escrevendo muito aqui, mas isso é por causa das minhas agendas lotadas e da escola.

Você talvez não acredite, mas hoje aconteceu uma coisa maravilhosa comigo. Soomin disse que se eu fizesse a garota estrangeira se apaixonar por mim, ela me amaria para sempre! Da para acreditar em uma coisa dessas?

Eu não conheço a garota nova muito bem e me sinto meio mal por fazer isso com ela, mas pela Soomin eu faço tudo. Espero que isso acabe logo, não quero ficar machucando a garota desse jeito, mas é necessário.

Eu só espero que algum dia a Soomin me ame como eu a amo. Eu só quero poder me apaixonar e ser feliz.

 

 Passei várias páginas do diário até parar em uma aleatória, onde a data marcava ser de uns nove meses atrás.

 

Olá diário, aqui é o Jungkook.

Hoje foi o meu primeiro “encontro” com a (s/n) fora da escola. Para mim foi apenas um encontro de amigos, mas na cabeça dela eu aposto que foi algo mais importante. Espero que sim, pois isso é bom para o meu plano.

Mas tenho que confessar, eu não sabia que (s/n) tinha tanta coisa em comum comigo. Nós fomos ao restaurante e depois ao parque. É estranho admitir isso, mas fazia tempo que eu não me divertia tanto com alguém assim.

Antes desse “encontro” eu estava me sentindo muito frustrado comigo mesmo. Eu simplesmente não estava conseguindo alcançar uma nota importante na nossa nova música. Mas tudo mudou quando o “encontro” começou.

(s/n) fez eu me sentir como um adolescente normal que não precisava ficar se preocupando com o que ia falar para não estragar a reputação do grupo. Ela é tímida, mas também muito divertida. Ela me fez rir tanto que minha barriga ainda está doendo.

Acho que ela está começando a gostar de mim. Isso é bom. Não vejo a hora de poder ter Soomin como minha namorada.

 

 Parei de ler nessa parte e decidi avançar mais nas páginas. Parei apenas quando cheguei a uma que datava ser de uns sete meses atrás.

 

Olá diário, aqui é o Jungkook.

 Eu estou confuso. Eu não sei o que está acontecendo comigo. Hoje faz três meses que eu comecei a minha “amizade” com a (s/n), e eu estou totalmente perdido.

Soomin vive me pressionando a pedir (s/n) em namoro para acabar logo com isso, mas eu não consigo. Já tentei fazer isso milhares e milhares de vezes, mas sempre que encaro (s/n) nos olhos e vejo como eles brilham, toda a minha vontade se perde.

De algum modo maluco, ela se tornou muito especial para mim. Arrisco até dizer que ela se tornou minha melhor amiga. Acredita que hoje essa menina praticamente salvou a minha vida?

Eu estava me sentindo muito sobrecarregado por causa dos ensaios e das gravações. Eu estava tão estressado e sem saber o que fazer que pensei seriamente em largar tudo e desistir de vez do meu sonho.

Mas como sempre, (s/n) me ligou bem na hora que eu mais precisava dela. Quando ela ligou eu estava prestes a fazer a maior besteira da minha vida, eu ia magoar não apenas os meus Hyungs, mas todos os staffs, produtores, diretores, dançarinos, coreógrafos e o Bang PD.

Contei a ela sobre como eu estava me sentindo e (s/n) me acalmou com suas doces palavras. Ela me fez recobrar a razão e perceber que todo esse esforço valia a pena, pois quando estava no palco olhando as armys eu sabia que elas mereciam muito mais do que eu podia dar.

Como eu posso brincar com os sentimentos dela depois disso?

 

 Fechei o diário com força. Como ele pode me usar desse jeito? Limpei uma pequena lágrima teimosa que insistia em cair de meu olho e peguei os meus cadernos dentro de minha mochila. Eu precisava urgentemente distrair minha cabeça de alguma forma.

 Fiquei horas e horas estudando, e só percebi que já era de noite quando ouvi minha barriga roncar alto. Fechei meus livros e fui até a cozinha ver se tinha alguma coisa para matar a fome em meu estômago.

 Olhei na geladeira e nos armários, que agora estavam cheios graças a Jimin, mas nada parecia gostoso o suficiente, então decidi sair um pouco e comer algo na rua. Como eu ainda estava com as roupas que fui ao shopping, apenas peguei meu celular e sai de casa.

 Eu não sabia direito para onde ir, então deixei os meus pés conduzirem o caminho. Agora, graças a Jimin mais uma vez, eu já estava familiarizada com as ruas agitadas de Seul. Era bom o fato de eu conseguir reconhecer as lojas e as ruas mais uma vez. E era melhor ainda sentir que minha vida estava finalmente voltando ao normal.

 Parei em uma loja de doces e comprei alguns chocolates. Isso com certeza não saciaria minha fome, mas eu não ligava. Continuei andando e quando vi eu estava no meu lugar favorito de toda cidade: O Rio Han.

 Sempre que eu vinha aqui, a noite que tive com Jungkook voltava a minha cabeça. Eu ainda me lembrava como se fosse ontem das nossas conversas a margem do rio, de como Jungkook contava com entusiasmo a história da cidade e de como ele ficou envergonhado quando o chamei pela primeira vez de “Kookie”.

 Essa lembrança me machucava, mas ao mesmo tempo me fazia bem. Eu não sabia explicar, mas esse momento foi especial, pois foi nele em que Jungkook se abriu e mostrou suas fraquezas para mim. Eu não sabia se era fingimento ou não, mas era uma lembrança especial.

 Sentei-me no mesmo banco que nos sentamos semanas atrás e fiquei admirando o rio percorrer seu curso. Vendo o rio, me lembrei de que Jungkook havia dito que antigamente o Rio Han era muito poluído, mas que agora ele estava mais limpo. Abaixei a cabeça e suspirei alto. Eu só queria que isso acontecesse comigo também.

-Está tudo bem? – Ouvi uma voz perguntar, mas não me importei de ver quem era.

-Não.

-Quer me contar o que tá acontecendo?

-Não quero parecer grossa, mas não quero falar sobre isso.

-Você tá sozinha? Se você quiser eu posso te fazer companhia. – Senti um arrepio percorrer minha espinha e olhei para o dono da voz misteriosa.

 Era um garoto que aparentava ser um pouco mais velho que eu. Porém por algum motivo, eu sentia que não devia confiar nele.

-E-eu estou bem, eu já estou indo embora. – Respondi enquanto me levantava do banco.

-Eu posso te acompanhar até a sua casa, já tá escuro e você não devia andar sozinha por aí. – Ele deu um sorriso sinistro.

-Não precisa, eu moro aqui perto e eu sei me cuidar muito bem sozinha.

-Tem certeza boneca?

-Tenho. – Respondi firme e me virei para ir embora, porém ele agarrou o meu braço.

 Não sei se foi uma adrenalina de coragem ou de idiotice que me atingiu, mas assim que senti sua mão fria agarrar meu pulso, me virei e empurrei seu peito com a minha mão livre.

-Eu disse que eu não preciso de companhia.

-Tá calma princesa, não precisa usar a violência. – Ele me lançou aquele sorriso sinistro novamente. – Se você não quer companhia é só falar.

-Mas eu já falei que eu não quero.

-Me desculpa então boneca, eu acho que não ouvi. – Ele sorriu de lado e felizmente se virou e foi na direção aposta a minha.

  Suspirei aliviada e voltei a andar rápido.  Eu não sei se era paranoia minha, mas eu podia jurar que estava ouvindo passos atrás de mim. Não quis olhar para trás para não dar muita bandeira, então apenas comecei a andar mais rápido. Será que aquele cara estranho estava me seguindo?

 Quando eu estava a três quarteirões de meu apartamento, uma mão quente segurou o meu ombro. Sem hesitar, deixei o medo agir e me virei dando um soco certeiro no rosto da pessoa que havia me segurado e comecei a correr.

 Esse homem não entendeu que eu não queria companhia?

-AI!

 Parei imediatamente quando ouvi uma voz gemer atrás de mim. Só que essa voz era diferente da do homem no Rio Han e estranhamente familiar. Virei-me e arregalei meus olhos surpresa quando vi que a pessoa que eu havia nocauteado era Jungkook.


Notas Finais


Espero que gostem!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...