História Por Mais Coincidências - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Dna, Fluffy, Taekook, Vkook
Visualizações 33
Palavras 843
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Comédia, Drabs, Festa, Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 11 - Hoje de Manhã


Quando aquela cambada toda chegou lá em casa, tentei não pensar sobre o que os vizinhos estavam achando daquilo.

Porque todo mundo do prédio deve ter uma única dúvida em comum: Kim Taehyung mexe com drogas ou com prostituição?

Eu juro de dedinho que não mexo com nenhum dos dois (eu não seria esse pobre garoto fodido se tivesse toda essa coragem).

É só que meus amigos costumam ser bem excêntricos.

 

Primo chamou um Uber para si, Jimin e Agusd.

Eu chamei outro para mim, Jin e Hobi.

Primo ligou perguntando onde estávamos porque eles já tinham chegado.

Falei que o Uber tava demorando mesmo.

Então Jin tirou o Peterson da minha mão e descobriu que eu tinha pedido um Uber, sim.

Em Busan.

Mas, porra, me dá uma trégua, vai! Em espírito, eu estava em Busan mesmo.

(E era muito cedo, não funciono bem cedo)

Ele cancelou a viagem e me proibiu de chamar outro Uber até eu ter um mínimo aceitável de conhecimentos geográficos.

O que vai ser nunca, né?

Porque nem fodendo que eu vou ficar estudando geografia pra chamar Uber.

 

Hobi e eu colocamos os edredons, futons, tudo que ele tinha que levar pro trabalho, um kit primeiros socorros extra e as mochilas (a que ele tinha levado pra minha casa e a minha) no porta-malas do carro.

Jin colocou sua mala estampada no banco traseiro, separando nós dois e Hobi foi na frente, sem esquecer de me xingar por estarmos atrasados.

Eu, sinceramente, estava bem mais preocupado em descobrir o que Jin estava levando naquela mala enorme.

 

Quando chegamos ao hospital, Jimin e Namjoon estavam sentados juntos em uma das malas e Agusd estava há uns 3 metros distante deles.

Perguntei o motivo dele estar afastado e ele disse: Desde que chegamos, a única coisa da qual as pessoas falam é desses ‘jovens procurando abrigo no hospital’ e sabe? Eu sou Min Yoongi, não quero ser confundido com aqueles dois.

O mais engraçado era que todo mundo estava ouvindo porque ele acabou se exaltando com a fala e perdeu o controle do volume da voz.

Jimin abriu a mochila e jogou um estojo de escova de dentes nele.

Pelo menos nós estamos preparados!, ele falou tentando se defender pelo fato de ter levado coisas demais para o hospital.

Eu também estou!, Agusd retrucou e abriu os braços pra continuar a falar.

Estamos num fucking hospital! Absolutamente qualquer coisa ruim que possa acontecer vai ser tratada aqui!

Nessa hora, Primo começou a argumentar e enumerar todas as coisas ruins que poderiam acontecer e que não seriam resolvidas no hospital.

Provavelmente, quando ele terminou de falar eu já estava longe.

Entrei correndo - com aquelas tralhas todas nas costas, igual um jumento - e Hobi me acompanhou porque eu precisava estar no quarto 203 o mais rápido possível e ele tinha de ir para o estágio.

 

No quarto 203, cumprimentei as crianças, Gogo e a enfermeira e fui direto para a cama de Lou, debaixo da qual coloquei minhas coisas.

Ele começou a gargalhar assim que eu entrei e, depois de muito rir da minha cara, disse:

Eu pensei que você ‘tava brincando sobre acampar aqui!

Aposto que se aquele garoto tivesse um celular, ele tiraria uma foto minha e colocaria “representação humana do desespero” na legenda.

Mas nem ligo, sou mesmo.

Eu respondi àquela afronta dizendo “você não viu nada” porque, realmente, meu bonde de suporte estava pra chegar.

O primeiro foi Primo, que conhecia o hospital melhor que Hobi, se bobiar.

Depois, Jin, arrastando a mala porque umas das rodinhas tinha quebrado.

Jimin, o “culpado” por quebrar as rodinhas da mala de Jin, chegou brincando em cima da sua. Ele 'tava com a cara mais lavada do mundo, como se não tivesse incentivado uma corrida de malas no corredor do hospital.

Agusd veio em seguida segurando um copinho de isopor com cappuccino.

Tomar no cu dele, acaba de chegar e já senta na janelinha.

 

Peguei uma garrafa de café que estava na minha mochila e puxei Agusd comigo pra me ajudar a arrumar um daqueles pra todo mundo.

Ele tinha conseguido a bebida como cortesia em uma lanchonete ao lado do hospital.

Sabe-se lá o que aquele cara falou, mas voltou de lá de dentro com a garrafa cheia.

Safado cheio de lábia.

Quando voltamos para o 203, Gogo estava alimentando todo mundo com frutinhas, torradas de pão integral e geleia caseira.

Estendi um lençol ao lado da cama de Lou, todos se sentaram e eu dei a cada um uma máscara facial descartável para colocarem enquanto não estivessem comendo. Eu sabia que eles não se lembrariam disso.

Chamei a enfermeira para me ajudar a colocar meu filho no chão junto com o resto de nós.

Nos certificamos de que tudo estava limpinho e de que ele estava quentinho. Meu bebê tem estado muito sensível esses dias.

Um simples piquenique no hospital me fez perceber que o sorriso de todas aquelas pessoas podia ser maior do que costumava ser.

 

E só aquilo já fazia tudo valer a pena.

 


Notas Finais


Eu to sentindo q estou surtando sozinha por já estarmos no dia que o Kook volta


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...