História Por Trás das Câmeras - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, V
Tags Taekook Vkook Kookv
Visualizações 77
Palavras 4.409
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Annyeong

Cheguei, um pouco tarde mas cheguei.

Sei que é chato pedir mas leiam as notas finais.

Boa leitura

Capítulo 7 - Descobrindo Taehyung


Fanfic / Fanfiction Por Trás das Câmeras - Capítulo 7 - Descobrindo Taehyung

Jungkook está parado e com a respiração acelerada. O olhar cada vez mais penetrante do castanho faz seu sangue parecer que vai congelar nas veias. Taehyung se aproxima e fica frente a frente com ele e respira lento e profundamente. O moreno fecha os olhos assim que sente o rosto do outro encostar-se a sua bochecha. A saliva não desce e a boca permanece aberta como se dali fosse sair um grito de socorro.

 

 

      − Você quer mesmo saber o que eu vim fazer aqui?

 

 

O tom ameaçador faz o garoto dar um passo para trás e mais rápido que ele é a mão de Taehyung que o segura mantendo a proximidade de seus corpos. Ele respira no ouvido de Jungkook deixando no ar a duvida se vai fazer alguma coisa ou se só quer mesmo enlouquecer o outro.

 

Risos são escutados no corredor e imediatamente Taehyung se afasta indo para a porta e deixa o moreno quase em estado de choque.

 

 

      − Eu só vim até aqui saber como está seu pé afinal somos colegas e me preocupo com o bem estar de todos.

 

 

O castanho fala e com a porta já aberta sai quase a fechando. Jungkook abre os olhos e respira por que até então o ar não entrava em seus pulmões assim como uma agulha não entraria em seu cu de tão apertado que ficou pelo susto. Ele passa a mão nos cabelos molhados e libera a mão do aperto na toalha que cobria seu pênis a deixando cair ao chão.

 

O moreno ainda tonto com a tensão do momento vai até a porta para fechá-la e é surpreendido pelo rosto do outro que aparece lhe dizendo baixo sem que ecoe pelos corredores.

 

 

 

      − Adorei o que vi oh – ele faz um sinal de ok com os dedos longos e finos – nota dez.

 

 

Jungkook fecha a porta rápido e encosta o corpo contra ela quando escuta a gargalhada do garoto que sai indo embora. Decididamente Taehyung está querendo o enlouquecer. Ele só pode estar de piada com a cara do moreno e a tal aposta deve estar alta para ainda insistir nisso.

 

Jungkook nem percebeu que o curativo sangrava pelo esforço que usou no pé caminhando até a porta. Sentou na cama e largou o corpo como se caísse em uma piscina de plumas. Queria muito estar morto tamanha era a sensação de vergonha que o outro lhe causara. Na verdade ele queria era matar Taehyung. Após recuperar a sanidade ele levanta e ao colocar o pé no chão sente a dor do machucado e vê o sangue encharcar o curativo. Arruma-se como consegue e vai à enfermaria do hotel onde uma simpática senhora troca o curativo e o aconselha repouso afinal um dos pontos abriu.

 

 

 

 

A tarde está terminando e Mary volta do dia cansativo que tiveram naquela praia. Ela entra e vê o namorado entediado com o pé em cima da pilha de travesseiro e corre para lhe dar um beijo. O garoto está chateado, mas não nega um carinho da namorada. Ela entra no banheiro dizendo que não se esqueceu do que o outro prometeu antes que saísse pela manhã. O banho dela é rápido e como uma flecha ela sai se insinuando toda e joga a toalha longe deixando a visão de seu corpo nu iniciar uma ereção no moreno.

 

Jungkook tenta sentar na cama para o ato tão esperado, mas o pé dói e ele mal consegue mexer a perna. Mary vai até ele e tenta ajudar achando alguma posição confortável o que não é possível. A perna elevada de Jungkook não facilita em nada que seus corpos se encaixem e a solução achada pela namorada foi um oral bem caprichado de sua parte. A boca da menina é macia e pequena então ela satisfaz o moreno em sugadas longas e gemidos baixos que vibram no membro do outro o fazendo gozar rápido e forte.  Mary senta na boca do namorado e deixa que ele faça sua parte.

 

Os dois cansados pelo pouco esforço no sexo que foi somente oral deitam lado a lado e a garota conta como foi o dia. Jungkook sorri a tudo e pergunta se conseguiram terminar a filmagem. A namorada afirma que não por que faltou a parte das fotos mais que tudo será resolvido assim que ele melhorar. Seu chefe é uma pessoa bem flexível, ainda mais depois que Jungkook descobriu que era ele o dono das orgias que aconteciam na madrugada.

 

Eles riem mais ainda quando o garoto lembra-se do nervosismo que passou ao ver o rosto do chefe na porta e não de Taehyung como ele esperava. Taehyung o colega chato e abusado que Jungkook tanto tentava esquecer e que sempre aparecia em sua cabeça agora até em uma conversa na cama com a namorada está presente. O moreno começa a lembrar da tarde de hoje em que saiu do banho e o castanho o viu nu. O coração dele acelera com a lembrança e a namorada que adormeceu em seu braço não percebe.

 

Por que esse garoto tem que estar sempre lhe perturbando, qual o objetivo de Taehyung em fazer Jungkook o bobo da vez. Jungkook está desconfortável com a posição na cama e tira a namorada do braço indo até a cômoda pegar o envelope com as fotos que tinha revelado. Ele abre o pacote e tira algumas dali. Taehyung está nelas e o garoto as coloca em uma gaveta com meias e cuecas. Resolve entregar ao chefe o restante delas e agradecer por ele entender a situação prometendo se recuperar o mais rápido possível e terminar a sessão de fotos daquele dia. Ele sai do quarto com o envelope em mãos, sabe que já é tarde, mas não ouve nenhum barulho estranho ao lado que o impeça de ir até ali e bater na porta. Bate uma vez e aguarda. Barulhos na madeira da cama mostra que o homem parece acordado e sem sons de outras vozes Jungkook acha que ele está sozinho desta vez.

 

A porta abre e Taehyung está ali parado olhando para o outro que abre a boca pela surpresa em ver o colega e não seu chefe.

 

 

      − Tae... Taehyung...o que vo...você faz aqui?

 

      − Transando.

 

      − Quê?

 

      − Isso ai eu estava transando o que você quer Jungkook?

 

O som um pouco agressivo da voz do outro faz Jungkook soltar um arfar estranho e ele não consegue falar mais nada. Como assim transando, esse é o quarto do chefe e Taehyung afirma com essa cara que está fudendo o chefe deles? Jungkook não entende muito bem o que acontece ali e repete a pergunta.

 

 

      − O que você está fazendo aqui?

 

      − Cara eu te acho gostosinho viu mais não sabia que esse era seu único dom. Eu disse que estou transando o que você quer?

 

      − Você está transando com o meu chefe?

 

      − Não Jungkook - ele gargalha da pergunta do moreno e a porta abre deixando um garoto da equipe de maquiagem sair – eu estava transando com ele – aponta para o menino que sai com a cabeça baixa escondendo o rosto – e pelo jeito não vou terminar por que você me interrompeu.

 

 

Jungkook olha para um e para o outro que agora tem um ar bravo no rosto e fita o seu em descontentamento. Taehyung o puxa pelo pulso fechando a porta assim que o moreno entra no quarto.

 

 

      − Viu o que você fez agora o que eu faço com isso – ele diz apontando para a ereção que está presa dentro de um calção, mas bem marcada pelo fino tecido – ah já sei eu vou ter que continuar com você.

 

O garoto afirma e Jungkook continua de olhos arregalados e fala fina. Taehyung dá passos lentos na direção do outro que dá os mesmo passos para trás. O olhar sedutor do castanho acompanha o olhar assustado de Jungkook que para ao bater o corpo contra a parede.

 

 

      − Voc. você é GAY?

 

 

Jungkook menciona a palavra com tamanho espanto que Taehyung para e ri com a pergunta do outro. Ele bate nas pernas rindo alto e coloca a destra no ombro de Jungkook que está paralisado.

 

 

      − Sim eu sou vai me dizer que não tinha percebido?

 

      − Você é gay mesmo?

 

      − Sim eu sou gay, muito gay, eu adoro uma rola, eu acoco no boneco, eu dou a bunda... ops isso não.

 

 

O clima entre os dois fica estranho e Jungkook se afasta tirando a mão do outro que estava em seu ombro. Ele sai dali e vai para seu quarto onde entra e tranca a porta. Mary dorme e ele deixando o envelope de fotos onde estava vai até o banheiro.

 

Jungkook precisa lavar o rosto, beber água ou fazer qualquer coisa do tipo que lhe faça voltar à sanidade. Como assim o colega é gay? Ele sempre achou que Taehyung fosse o maior garanhão de todos eles, que todas as colegas eram apaixonadas pelo garoto e que ele não recusava uma boa transa só que agora ele vê que na verdade ele não recusa é dar a bunda.

 

Jungkook está com o rosto molhado e a cabeça mais confusa que antes. Ele resolve deitar novamente e ir dormir. Volta para a cama e deita ao lado da namorada. Taehyung é gay... isso não sai da cabeça do moreno e o impede de dormir.

 

Mas então com quem ele fez essa aposta idiota de me beijar? Será que os outros colegas sabem que ele é gay e por isso apostaram ou será que por isso eles acham que também sou?

 

O moreno não consegue fechar os olhos lembrando da cena do maquiador saindo do quarto do colega e levanta depois de meia hora nesses questionamentos e vai até a porta do outro novamente.

 

Jungkook bate na porta e com as mãos um pouco suadas ele espera que o castanho abra. Bate novamente pela demora e escuta um gemido. Será que Taehyung achou outra vitima e está transando novamente? A porta abre um pouco depois e Taehyung aparece escabelado e com os olhos semiabertos. Ele não deixa que Jungkook abra a boca e o puxa para dentro.

 

O corpo do garoto bate de encontro à parede e o castanho fecha a porta deixando o quarto voltar a ficar escuro sem a luz do corredor. Ele deita sua testa no ombro do moreno e fala arrastado pelo sono.

 

      − Que foi agora Jungkook, você veio me deixar terminar a transa que interrompeu?

 

      − Sai pra lá Taehyung – o moreno responde empurrando o outro – e... eu só queria saber o que você faz aqui e onde está o chefe afinal esse era o quarto dele.

 

 

Taehyung caminha cambaleante até sua cama e arrasta o moreno consigo. Eles sentam mesmo Jungkook não querendo e o castanho volta a deitar sua cabeça no ombro do garoto. O quarto está escuro iluminado só pela claridade que vem da rua. A janela está com a cortina semiaberta e Jungkook tem a visão apenas do rosto do outro que repousa em seu ombro. Ele está com os olhos fechados e parece cansado. Por um momento Jungkook esquece que detesta o garoto e fita seu semblante percebendo o quão bonito Taehyung é. Ele pigarreia ao perceber que está analisando o colega e tenta levantar da cama sendo impedido pelo outro que ainda o segura.

 

 

      − Que desculpa idiota – ele diz lento e baixo pelo sono – diz logo o que quer saber.

 

 

Jungkook fica em silêncio por alguns segundos e então fala curioso.

 

      − Por que você fez aquela aposta de me beijar?

 

 

Taehyung levanta a cabeça do ombro de Jungkook e fita seu rosto. O moreno vira a cabeça olhando diretamente nos olhos castanhos que estão fixos nele. Os dois suspiram e vem à resposta.

 

      − Eu não fiz aposta nenhuma. Eu menti.

 

      − Quê? Como assim mentiu?

 

      − Eu menti. Desde o dia em que te vi ali de canto naquela recepção sem conversar com ninguém e parecendo um pouco perdido eu percebi que você era sozinho e que talvez a gente pudesse ser amigos. Me enganei.

 

Jungkook escuta a resposta e não acredita que foi por isso que o outro começou a dar em cima de si.

 

 

      − Mentira você quer é me enlouquecer.

 

Taehyung ri e deita o corpo na cama. Ele olha o corpo de Jungkook e suspira.

 

      − Mas diz ai por que tanta curiosidade em saber da minha sexualidade, está interessado no meu corpo Kookie?

 

      − Não seu imbecil, eu só queria entender por que você me persegue desde que a gente se conheceu. Eu jamais teria interesse em você, eu te odeio.

 

 

Taehyung volta a sentar na cama e olha para as próprias mãos ficando de cabeça baixa.

 

 

      − Bem vindo ao clube, mas já te aviso vai ter que pegar senha por que não é o primeiro da fila.

 

 

Jungkook percebe uma certa estranheza na fala do outro e vira de frente para o garoto que agora arrasta o corpo na cama encostando o tronco na cabeceira. Ele vê que Taehyung não é assim tão metido quando se trata de sua vida particular. O garoto todo marrento e atrevido nesse instante lhe parece um garoto normal com seus defeitos e medos assim como ele mesmo.

 

 

      − Era só isso que você tinha pra dizer? Pode sair do meu quarto agora, amanhã cedo eu tenho que trabalhar enquanto você vai estar dormindo ao lado de sua namoradinha.

 

 

Jungkook levanta e sai do quarto indo de volta para o seu. Ele entra e recosta o corpo na porta com as palavras de Taehyung ecoando em seus ouvidos. Caminha até a cama e deita tentando mais uma vez fechar os olhos e dormir.

 

 

 

 

Os dias se vão e Mary está voltando para L.A sua colega já voltou e ela tem que ir embora. O casalzinho se despede e Jungkook beija a namorada dizendo que já está com saudade, à garota está chateada por que o aniversário do namorado será dali a um mês e ela queria passar com ele pela primeira vez. A menina embarca e o moreno vai trabalhar.

Faz cinco dias que ele teve aquela conversa com Taehyung e o garoto agora evita falar com Jungkook toda vez que se cruzam nos corredores do hotel. Jungkook precisa focar no seu trabalho por que vai ter que refazer as fotos, ele acha que perdeu o cartão de memória de sua máquina.

 

No saguão do hotel o moreno conversa com um dos colegas e comenta a perda do cartão e Taehyung escuta. O castanho pegou o cartão no dia que foi ver como estava o pé do moreno e se esqueceu de devolver. Ele não fala nada para não ser descoberto e dá um jeito de devolver.

 

Jungkook terminou a sessão de fotos que precisava fazer e hoje eles terminam as filmagens naquela parte da ilha. No dia seguinte eles terão o dia de folga. Todos combinam um passeio até uma parte da ilha onde tem passeios de barco, Jet-ski e banana boat. Eles estão animados e falam muito sobre isso mais Taehyung parece não compartilhar dessa animação toda.

 

No voo de helicóptero eles permanecem calados e Jungkook observa o castanho que às vezes olha para fora. O garoto parece desconfortável cada vez que vê o mar abaixo deles. O helicóptero sobrevoa um vulcão e todos se impressionam com a magnitude que é a montanha de lava adormecida. Ela é um gigante amontoado de lava seca que escorreu pela terra abaixo e deixou tudo morto a sua volta. Em algumas partes pode-se ver o quão devastadora é à força da natureza em algumas árvores contorcidas que fossilizaram em meio aquilo tudo. O helicóptero chega o seu destino e todos descem dele.

 

Os dois colegas continuam se restringindo a cumprimentos de bom dia e boa noite ou a simples gestos de um ajudar o outro a carregar os equipamentos mais nada, além disso. As provocações do castanho cessaram assim que Jungkook sai de seu quarto aquela noite, nem mesmo um sorriso ou um olhar mais provocante foi lançado para ele. Na verdade o moreno está sentindo falta daquele Taehyung que instigava raiva nele a cada respiração perto de seu corpo.

 

 

 

 

O dia termina ao ouvirem o - Corta! – que o diretor fala no final da gravação. Sensação de dever cumprido em todos e risadas de final de tarde. Todos recolhem seus equipamentos e voltam ao helicóptero que os leva direto para o hotel.

 

A noite está bonita e o céu como sempre está brilhando pelas inúmeras estrelas que estão lá. Jungkook toma um banho demorado e sai dali esperando a ligação da namorada. Eles estão um pouco afastados por que Mary começou a trabalhar em outro filme e tem feito muitas horas extras por conta disso. Jungkook por sua vez está atarefado demais com a proximidade do fim das gravações, eles disseram que mais dois meses no máximo e tudo estará concluído, então ele precisa terminar os pôsteres e imagens que serão distribuídos na pré estreia do filme. Ele acaba adormecendo pelo cansaço do dia e não ouve quando o celular toca.

 

 

É madrugada quando o moreno abre os olhos espreguiçando o corpo. Ele pega o aparelho ao lado da cama e vê algumas chamadas não atendidas da garota. Já é tarde para retornar a ligação então ele decide descer e ir ao bar comprar uma cerveja afinal no dia seguinte não vai precisar trabalhar, está de folga e com uma imensa vontade de relaxar.

 

 

O garoto coloca uma bermuda branca, uma camisa verde claro e um chinelo branco e sai do quarto arrastando os pés. Ele olha para a porta do colega e até tem vontade de convidá-lo para essa cerveja, mas desiste ao lembrar que o outro não fala mais consigo.

 

 

Jungkook pega um pequeno fardo de latinhas e sai indo para frente do hotel pensando em ir até o lago que tem ali. Ele adora o ar noturno do lugar e ali é perfeito para ficar em uma noite estrelada. O garoto caminha com as latinhas na mão e abre uma bebendo um gole que oferece a lua. A lua está no quarto minguante o que não diminui o seu esplendor. Jungkook segue até o lago e senta, olha para os lados e vê que mais alguém teve a mesma ideia que ele. O moreno cerra os olhos e percebe que o castanho também está ali bebendo algo. Uma garrafa está ao lado do garoto e num ímpeto ele resolve ir até lá. Jungkook se aproxima e vê que Taehyung está distraído demais para perceber sua presença.

 

 

      − Posso sentar?

 

 

O castanho olha surpreso para ele e assenti. Jungkook senta ao seu lado e ambos fitam o lago. Taehyung está calado e não diz nada só continua a beber.

 

 

      − Você está bem? – jungkook pergunta curioso – não tem mais falado comigo, te fiz alguma coisa?

 

      − Eu estou bem, só não tenho tido tempo.

 

      − Hum não sabia que para conversar precisava de tempo.

 

      − Tempo e vontade.

 

      − Nossa Taehyung você parece...

 

      − Pareço com você?

 

      − Comigo? – o outro engasga ao dizer isso. – por que comigo?

 

      − Nada, desculpa é que hoje não é um dia muito bom pra mim.

 

 

      − Nossa e eu cheguei a pensar em te convidar para tomar umas comigo, o que você tem afinal, quer conversar?

 

 

O castanho olha para ele e mostra um fraco sorriso de boca fechada em seu rosto. Ele olha para a lua e suspira. Jungkook está curioso pelo fato do castanho nunca ser assim tão calado.

 

 

      − Mas então como foi seu dia? – o moreno pergunta tentando puxar conversa.

 

      − Normal e o seu.

 

      − Também.

 

 

O silêncio volta a deixar o clima estranho. Jungkook deita na grama e cruzando os braços atrás da cabeça admira o céu.

 

 

      − Eu amo olhar para o céu, me faz lembrar do tempo em que eu era criança e ia para a praia com a minha família.

 

Taehyung olha para cima e fica parado vendo as estrelas. Ele também gosta de admirar o céu. O garoto deita também e ambos ficam olhando para as estrelas.

 

 

− Desculpe não queria estragar sua noite.

      − Tudo bem, não estragou mais me diz por que você está assim tão calado ultimamente?

 

      − Não é nada esquece.

 

      − Olha Taehyung eu fui sincero quando perguntei, realmente tenho te achado estranho. Foi algo que eu fiz ou falei? Sei que naquela noite a gente meio que se desentendeu.

 

      − Não encana já ‘tô acostumado a ser tratado assim.

 

 

Jungkook senta na grama e observa as reações do garoto. Ele parece triste e está distante.

 

 

      − Olha eu acho que vou entrar não quero incomodar então tchau.

 

      − Fica, por favor.

 

A voz do castanho sai baixa como se não quisesse que o outro ouvisse. Jungkook permanece ali e tenta mais uma vez puxar conversa.

 

      − Tudo bem então me diz uma coisa que eu não saiba, sei lá vamos conversar.

 

      − O que você quer falar?

 

      − Sei lá, me diz como você descobriu que era gay.

 

 

O castanho vira o rosto para o garoto que o fita curioso.

 

 

      − Isso não é uma coisa que a gente descobre, a gente apenas sente que é assim.

 

      − Como assim sente? Você diz assim tipo sente vontade de dar a bunda?

 

      − Você é lesado né? – Taehyung pergunta um pouco irritado – Não a gente sente por que a vontade de estar com outro menino, beijar a boca dele, namorar ele são maiores que a vontade de estar com uma menina. Assim como você que não consegue ficar longe de mim.

 

      − Quem disse que eu quero estar perto de você?

 

      − Jungkook você é gay. – ele diz assim sem modéstia nas palavras, curto e grosso como sempre.

 

      − Mas nem fudendo. Eu sou hétero, gosto de mulher, adoro uma vagina e tenho até uma namorada pra provar isso.

 

      − Posso te provar.

 

Jungkook olha para o castanho que fala e senta ficando perto dele. O moreno reclama e de tanto o garoto insistir ele acaba aceitando.

 

 

      − Está certo me prove então. Vai quebrar a cara.

 

      − E se eu conseguir? Quero ganhar alguma coisa.

 

      − Pode pedir o que quiser você vai perder.

 

Eles se olham cada um com o ar mais desafiador que o outro. Taehyung estende a mão para Jungkook que a segura e ambos as apertam selando a aposta.

 

 

      − Fecha os olhos – ele fala manso – agora imagina que eu estou te abraçando, te beijando e agora eu começo a tirar sua camisa, ‘tá imaginando?

 

      − Ei, mas o que isso tem a ver com me provar que sou gay?

 

      − Faz o que estou falando, por favor.

 

 

O moreno fecha os olhos e segue a tal brincadeira. Na sua cabeça o castanho era um piadista e ele teria o prazer em lhe desmoralizar.

 

      − Pensa em mim e na minha boca falando perto de você.

 

      − Não. Eu não consigo e não quero isso é bobagem. – o moreno fala e abre os olhos.

 

      − Você ‘tá é com medo. No fundo sabe que eu tenho razão, hétero de araque.

 

O moreno bufa e diz que não tem medo por que não vai acontecer nada. Então ele aceita e volta a fechar os olhos.

 

 

      − Vamos fazer diferente eu vou sentar aqui – ele fala sentando atrás de Jungkook – e vou fazer o que estou dizendo.

 

      − NÂO! – o outro diz virando rápido para trás e se afastando.

 

      − Tudo bem eu só estava brincando, só vou ficar aqui e falar bem perto do seu ouvido, não vou encostar um dedo em você a menos que peça. – o moreno assenti e fecha os olhos deixando Taehyung começar a falar – Imagina que eu sou um cara que você conheceu e que te chamou muito a atenção. Você me achou lindo, gostoso, um verdadeiro tesão e quer me conquistar – a cada palavra ele vai se aproximando mais de Jungkook – então a gente começa a conversar e eu aceito sair contigo. A gente vai até uma danceteria e dança muito. Começa a tocar uma música calma e você pede pra gente dançar abraçados. É nesse momento que eu mostro que estou interessado.  – o moreno engole a saliva com dificuldade – eu passo os braços em volta da sua cintura e te puxo pra bem perto de mim, nossos corpos estão colados e a gente dança sensualmente. Minha mão desliza pelas suas costas e eu começo a beijar o seu pescoço – Jungkook de olhos fechados imagina tudo que o outro fala sem demonstrar - Você sente minha boca tocando a sua pele e me escuta gemer baixinho que te quero ali e agora. A gente vai pro banheiro do lugar e - o outro interrompe o castanho – Que nojo Taehyung eu nunca transaria num banheiro de danceteria – o castanho o repreende e segue falando – ok a gente vai para a área V.I.P da danceteria e fecha a porta de uma sala onde tem um sofá grande. Eu te deito ali e abro a sua camisa.

 

Nesse momento Jungkook começa a respirar um pouco mais agitado. Taehyung observa o corpo do garoto e segue falando já passando a mão em seu abdômen.

 

 

      − Você está sem camisa e sente a minha mão deslizar em seu abdômen e ir em direção do seu pênis. Eu te beijo com muita vontade e abro o zíper da sua calça. – Jungkook recosta a cabeça no ombro do outro e deixa a boca levemente aberta – Minha mão agora passa pela sua cueca e toca sua glande onde meu dedo desliza. O seu pau está todo molhadinho esperando por mim. Eu deixo sua boca e desço até a ereção presa dentro da cueca que está pedindo por atenção e começo a lamber ali como se fosse um pirulito. Minha língua brinca com a cabeça do seu pau e eu engulo tudo começando a fazer um oral forte.

 

 

Jungkook deixa um gemido escapar pela boca e Taehyung ri sem se fazer ouvir pelo outro que esta entregue a ele e se afasta. O moreno está com a respiração descompassada e fala com dificuldade.

 

      − ‘Tá e ai, o que você faz depois?

 

O garoto não escuta a resposta do outro e abre os olhos lentamente buscando por Taehyung. O castanho fita Jungkook e responde.

 

      − O que eu faço? Eu te provo que você é gay.


Notas Finais


Bom amores é isso. A partir de agora vai começar a ter a ação entre eles.

Primeiro quero explicar uma coisa. Quando eu resolvi fazer essa fic eu tinha mais ou menos uma ideia para ela.
Eu decidi fazer o Jungkook hetéro por que achei ser a melhor forma deles não serem um casal e pra ele poder odiar o Tae. Por que? não sei foi o que me veio na cabeça.

Bom eu me ferrei com isso por que a ideia morreu ai. Então conversando com um amigo meu que é gay ele disse que gostava de BTS e de fanfic. Claro que eu falei da que estou escrevendo e comentei como era. Ele me deu uma idéia que gostei.

Já que fiz a bobagem do kook hetéro e quero que ele e o Tae se envolvam nada melhor que mostrar como ele descobre que não é hétero.

Esse meu amigo me contou como conheceu o namorado dele e como foi a primeira vez deles. Ele era virgem e tinha duvidas de sua sexualidade. O namorado é mais velho que ele e já tinha tido outras experiencias né então ele vai meio que me dar dicas pra estória.

Eu não vou usar as estórias dele por completo até por que eu tenho que fazer a parte florida da coisa né kkkk como ele disse " amiga dar o cú a primeira vez dói pra caralho". Não vou colocar isso na fic galera senão pode ficar sem graça...eu acho :/

Bom só pra vocês saberem que a fic vai ter o desenrolar desse relacionamento aos poucos. Meu amigo disse que ele e o namorado foram passar um final de semana num sitio e lá tudo aconteceu só que na fic vai ser em vários dias e não num final de semana tá.

Acho que era isso, é mais pra vocês saberem o que está acontecendo com o Kook em relação ao que ele sente e não entende.

Pra dizer a verdade acho que seria bem assim mesmo kkkkk kook tem um jeito de indeciso e o Tae é mais o que ama mesmo e manda ver.

A antes que eu esqueça o Tae nessa fic vai ser meio osso duro, tipo daqueles que não se apega, não quer compromisso mas tem um por que tá. No decorrer vocês vão saber :)

Então é isso, espero que tenham gostado do capitulo que foi o primeiro onde eles começaram a desvendar esses sentimentos do Kook.

A e não me xinguem viu eu tenho visto muito Dorama e acabei pegando a mania de deixar a pulga atrás da orelha nos finais de capitulo kkkkk

Sorry e Kisses See you soon


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...