História Possua-me, Kakashi sensei! (KakaSaku) - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Kakashi Hatake, Sakura Haruno
Tags Hentai, Kakasaku, Kakashi, Naruto, Sakura
Visualizações 859
Palavras 2.690
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Yo minna! 🖖
As proximas duas semanas terei uma viagem, mas vou postar assim mesmo. Só não sei se consigo criar ilustrações, vou tentar mas não garanto. 😉😉

Obrigada pelo apoio de todos e todas vocês,
╔══╗
╚╗╔╝
╔╝(¯`v´¯)
╚══`.¸.´you

Espero que gostem do capitulo e desculpem-me se passou errinhos de português, divirtam-se 💓
Kissus

Capítulo 5 - Icha Icha Paradise, parte 1


Fanfic / Fanfiction Possua-me, Kakashi sensei! (KakaSaku) - Capítulo 5 - Icha Icha Paradise, parte 1

Kakashi narrando:

Por todos os quatro cantos do inferno, de onde aquele estúpido emo-viado tirou a estupida emo-ideia arrogante que agora podia ficar tratando a minha olhos verdes rosada como uma qualquer. Ela era minha e a época dele já passou. Como disse Tereza Cristina: quem não presta assistência abre concorrência, perdeu playboy!

A trouxe de volta para perto de mim a protegendo e parti para cima daquele louco, um murro era pouco para aplacar minha fúria. Minha intensão era deforma-lo, destroça-lo e se conseguisse capa-lo.

Fechei o punho e soquei-o bem certeiro no meio da cara. Ele tentou revidar, mas certamente aquele almofadinha estava vendo muitos clones da minha pessoa por conta do álcool. Sorri irônico e apertei o punho.

Os convidados se afastaram e formaram um círculo grande, nos olhando. Ninguém ousou se aproximar.

Mais um com a direita e escorreu sangue pelo seu nariz. Tomara que tenha quebrado.

Um chute no estômago...

Mais outro de esquerda... Estava me divertindo ao faze-lo de saco de pancada.

Ele tentou me acertar mas o almofadinha estava tão alcoolizado que não conseguia nem ficar sobre as pernas.

E... 

Um soco cruzado no queixo com a direita...

Foi com tanta força que ele voou por cima dos convidados, chamando ainda mais atenção para nós dois. Fechei o semblante e tenho certeza absoluta que minhas sobrancelhas deviam estar unidas de tão franzidas.

O emo cambaleou tentando se levantar novamente com a cara toda ensanguentada. Estava bêbado e fedendo como um gambá. A ruiva correu para acudi-lo. Apertei o punho sorrindo como um verdadeiro psicopata, eu queria mesmo era soca-lo até deformar aquele belo rostinho! Mas alegria de pobre dura pouco, Neji e Gaara me seguraram enquanto Naruto amparava o bêbedo.

- Se tocar nela, arranco suas bolas aos chutes e depois jogo pras piranhas, seu emo dos infernos.

- Eu tenho dinheiro bastante e posso pagar pra essa puta gostosa de luxo aí! – as palavras saiam todas emboladas de sua boca imunda e sarcástica mas deu pra entender perfeitamente. O sangue subiu pra minha cabeça e agora não ia me contentar em deforma-lo. Eu ia deixa-lo no hospital por um ano!

- Ninguém fala assim da minha garota. – gritava tentava me soltar, ia arrebentar e deformar toda a cara dele e não ia conseguir parar até conseguir, depois só com cirurgia plástica.

- Calma, cara. - Neje e Gaara seguravam-me com bastante força e eu debatia-me querendo sangue.

– Você é forte como um touro! Puta que pariu! – ouvi Neji reclamar ofegante e mais um cara veio me segurar.

- Que calma que nada, me soltem! Eu vou escalpela-lo.

Foi, então, que aconteceu algo que ninguém previu. Sakura veio andando calma e ‘rebolenta’ por entre todos e chegou pertinho dele...

- Com todo respeito, mas puta de luxo é a senhora sua mãe, seu viado. – e acertou uma joelhada bem lá em baixo com toda a sua força concentrada ali.

- Aaaaaaaaaah! – o moreno gritou de dor contorcendo-se a sua frente.

- Uiiiiii – murmurei parando de me debater. – Essa é a minha garota!

Ela segurou as bolas do indivíduo, apertando-as, dizendo:

- Ajoelha e pede desculpas, Uchiha miserável, porque da próxima vez que pensar em me xingar vou te capar com um estilete afiado, seu pau mole.

- Ahhhhhhhhhh – ele gritava ainda mais forte e alto, acredito que ela estava apertando aquilo com força.

- Anda logo, pede desculpas antes que seja tarde de mais e fique impossibilitado de gerar!

- Desculpaaaaa – ele gritava uivando de dor com dificuldade. Desculpaaaaa...

Sakura soltou-o e me agarrou pela gola, saiu pisando duro me arrastando festa a fora.

Uau! Esse lado agressivo da minha rosada não conhecia. Isso é que é mulherão!

Sakura narrando:

Arrastava Kakashi, queria sair dali o mais rápido possível e ficar sozinha com o prateado. O infeliz do Sasuke estragou minha surpresa, mas pelo menos me senti vingada, de frígida a puta gostosa, foi um salto de um lado a outro de uma mesma corda. Definitivamente, ter terminado com aquele hipócrita foi a melhor coisa que aconteceu.

Eu ainda tremia de raiva mas me sentia vingada! Provei que sou gostosa e depois ainda consegui diminuir suas chances de procriar, nada melhor que isto. Bufafa de raiva e arrastava Kakashi até o carro.

Ele abriu a porta do carona para que eu pudesse entrar.

- Ele ficou com ciúmes, olhos verdes. – disse assim que entrou e colocou a chave na ignição.

- É muito imbecil! – bufei novamente.

- Sei de algo que vai te relaxar! - Virei em sua direção e o vi com um ar super, mega, hiper, completamente safado.

- O que você está pensando, lobo branco? – o apelido carinhoso o fez rosnar e sorrir de lado. Acariciou minha coxa e senti todo o calor daquela mão grande e quente.

- Surpresa... – continuou a dirigir tranquilamente com uma mão me alisando a outra dirigindo.

Cara, Kakashi é muito sexy! O incidente começou a diluir e só conseguia sentir o calor de sua mão.

Notei que estavamos numa auto estrada e enfim, Kakashi direcionou-se para uma edificação enorme parecendo um castelo feudal antigo à moda japonesa só que com letreiros luminosos e corações ao redor das letrinhas rosadas.

- Icha Icha Paradise? – pulei na poltrona. – Nunca entrei ai dentro. – Dava pulinhos animadíssima.

- Sério mesmo? Sinto te informar, seu ex noivo é mesmo um babaca pau mole! Ele nunca te trouxe aqui?

- Não... – eu disse e Kakashi abaixou o vidro de seu carro.

- Jardim dos amassos, quarto de luxo – o prateado murmurou grave. Ele parecia saber exatamente tudo sobre aquele lugar.

O homem lhe entregou umas chaves com corações vermelhos e disse com um sorriso simpático.

- Sejam bem vindos e divirtam-se.

- Parece que você conhece bastante sobre esse lugar.

- Absolutamente tudo, você nunca soube mas eu já trabalhei de porteiro nesse hotel.

- Sério? – meu queixo caiu – Como assim, por que nunca me contou?

- Isto não é coisa a se comentar com uma boa moça de família noiva, sem falar que foi por pouco tempo. Depois consegui montar a banda e agora está tudo indo de vento em polpa.

- Desculpa ter me afastado de você por conta daquele estupido e ter perdido parte da sua vida, Kashi-kun.

- O que importa, olhos verdes, é que agora você é exclusivamente minha. - Kakashi apertou minha coxa com vontade

Ele dirigiu o carro por corredores estreitos por um percurso todo coberto por luzinhas e corações vermelhos nas paredes. Meus olhos brilhavam e eu achei tudo aquilo incrivel. Sentia-me uma adolescente que acabara de descobrir o amor pela primeira vez.

Parou o carro numa garagem toda iluminada por letrinhas vermelhas e rosa neon escrito:

Jardim dos Amassos: Quarto de Luxo

- Ah, que da hora! – dava pulinhos animados excitadíssima com aquele lugar e Kakashi sorria divertindo-se com minhas reações.

Ele puxou-me pelo pulso, trazendo-me diretamente para ele.

- Agora a surpresa é minha e você vai sofrer em igual intensidade pelo showzinho de dança. Por falar nisso, exijo um exclusivo para mim, de preferência nua. – sua voz grave acariciando meus ouvidos arrepiaram todos meus pelinhos no corpo inteiro.

Beijamo-nos e meus pés não tocavam mais o chão. Senti-me ser levada e eu flutuava sendo agarrada pelos braços potentes do prateado.

Ele me deixou no chão para conseguir abrir a porta do quarto.

- Preparada?

- Sim, Kakashi sensei. – eu disse e Kakashi riu alto desta vez.

- Deliciosa cerejinha com chantilly, bem vinda ao Jardim dos Amassos, quarto de luxo.

Ele abriu a porta vagarosamente enquanto sentia a excitação subir pelas paredes do meu cérebro. Um mundo todo vermelho se materializou diante dos meus olhos.

Uma cama redonda no centro com um espelho enorme no teto girava quando um botão se apertava. Ela era coberta por lençóis vermelhos e rosa.

Uma loja de lingerie magníficas e apetrejos erógenos faziam-me rir divertida.

Todas as espécies de vibradores e consolos de todos os tamanhos, espessuras, formatos e cores faziam minhas bochechas ficarem vermelhas. Havia os neon, pretos, brancos, rosa, lilás, com bolinhas nas extensão, parecendo uma flor, outros bem pequenos e finos.

Chicotes, grampos para seios, mordaças, algemas e todas as espécies de coisas que eu nem imaginava para que servia.

Óleos de massagem, alguns que aumentava o frenesi do corpo, bolinhas lubrificantes perfumadas que estouravam dentro na hora do sexo.

Eu corria de um lado para outro achando aquele lugar semelhante a um parquinho de diversões erógeno.

O nome do quarto condizia mesmo com o que possuia dentro.

Kakashi divertia-se com minhas reações e deitou-se na cama redonda, como um marajá e ali permaneceu vendo-me correr de um lado para o outro rindo da minha animação.

Havia um equipamento muito louco que encaixava o casal de uma forma ergonômica. Um cavalinho em forma de balancinho com um consolo groso em pé.

Uma banheira enorme de hidromassagem que cabiam mais de um casal e pufes em forma de boca vermelha estavam espalhados por todo o cômodo.

Um bar com vinho e um estoque rebuscado de álcool era mesmo impressionante e um pequeno palco redondo giratório e um cano prateado mostrava que ali era local para shows de poli dance. Havia uma pequena iluminação e isto chamou minha atenção.

Kakashi levantou-se e caminhou até o bar abrindo um vinho bordô. Entregou-me uma taça com o delicioso liquido.

- À nós! – ele disse encarando-me.

- À nós!

- Agora, olhos verdes, minha vez de te torturar.

O caminhar sensual, masculino e erótico era de fazer qualquer um que goste da fruta, babar. Ele virou de costas, sabendo exatamente o que fazia. Ligou uma música qualquer e começou a rebolar balançando a pélvis para frente para trás no ritmo e subiu no pequeno palco giratório.

A calça preta rasgada era segura por um cinto de couro que ele tinha a mania de amarrar de lado para não estragar seu baixo, instrumento de trabalho. Kakashi remexia o quadril delicioso, com aquele sorrisinho malicioso capaz de fazer suspirar dez quarteirões de garotas. Ele marcava o ritmo desenvolvendo uma dança pélvica muito sexy e começou a brincar de tirar a maldita jaqueta.

E foi nesta hora que eu realmente entendi as verdadeiras intensões do prateado.

Arfei, com os olhos arregalados naquela dança pélvica magnifica. Kakashi era de-li-ci-o-so... Uma verdadeira tentação em forma de homem.

Pulei e gritei fazendo a cama balançar. Bebi mais um gole de vinho sem desgrudar os olhos do prateado, eu nem piscava... não queria perder nem um segundo daquela demonstração de masculinidade ultra sexy.

Enfim, ele tirou a jaqueta, a rodou acima da cabeça e a jogou em qualquer canto do cômodo. Depois passou a brincar de levantar a camisa regata.

- Caraleo – murmurei quando Kakashi deslizava aquela maldita blusa mostrando o tanquinho super delineado enquanto o palco girava possibilitando-me vê-lo em todos os ângulos.

Outro gole enorme de vinho...

A tatoo tribal do lado esquerdo era um tesão mas o que me fez gritar foi aquela bundinha arrebitada dele.

Comecei a me descabelar, sentindo-me uma de suas fãns, só que eu iria ataca-lo sem dó nem piedade. Sorri satisfeita.

- Meu Deus, tira logo isso tudo! – gritei e seu sorriso ladino mostrou que ele ainda ia me torturar mais.

Por todos os demônios, Kakashi desatou a rebolar e a mexer brincando de tirar aquela maldita camisa dos infernos ate me levar quase a insanidade. Ele tinha muito magnetismo e eu não desgrudava os olhos dele.

Minha boca salivou, eu estava quase babando!

Enfim... ele tirou a maldita blusa e a jogou em minha direção.

- Cacete... que homem da porra! – gritei fazendo-o sorrir malicioso.

Ele segurou o cano prateado subindo e girando, fazendo seus bíceps saltarem.

Kakashi possuia um corpo digno para ser estudado numa aula de anatomia.

E ele continuou, agora na vagarosa tortura de desabotoar o cinto. Lentamente, ia desabotoando o cinto enquanto rebolava e dançava balançando a pélvis para cima e para baixo plagiando o ato sexual.

- Cacete – ruminei, acho que eu nunca xinguei tanto num dia só.

Ele tirou o cinto e chicoteou o ar fazendo um barulho alto.

Isso era realmente a melhor aula de sedução que eu já tivera. Meu Deus, estava hipnotizada.

Começou a desabotoar as calças, devagar descendo-a vagarosamente, seu rosto magnificamente malicioso estava me enlouquecendo.

Eu gritava e me descabelava.

Ele usava uma boxe preta com um dragão branco desenhado do lado direito. Conseguia ver toda a cabecinha rosada de seu garotão duro querendo pular fora da cueca.

- Ai meu Deus... – gritava desesperada querendo apertar meu brinquedo super dotado.

Kakashi começou a mexer o pau numa dancinha animada inacreditável. Elevou as mãos atrás da nuca e ficou me provocando com aquele mastro enorme erguido na minha frente.

Não deu pra ficar só olhando. Eu voei mais rápido que consegui para aquele palco iluminado e agarrei aquele mastro magnificamente majestoso.

Ajoelhei na frente dele e engoli inteiro... Magnifico...

Kakashi segurou minha cabeça entrelaçando os dedos entre meus cabelos e rebolava na minha boca de uma forma pecaminosamente sexual.

Não consegui perceber como mas quando vi eu estava deitada com os braços acima da cabeça toda amarrada no pilar prateado com o cinto de Kakashi.

Juro que não vi e nem sei como ele fez aquilo... realmente somente um mestre no assunto poderia ser tão competente.

Kakashi deliciosamente tirou a sunga, rebolando, diante dos meus olhos, perto da minha boca. Queria ataca-lo mas ele havia me amarrado.

Começou então a desabotoar minha blusa e apalpou meus seios apertando-os com cuidado. Revirei os olhos sentindo cada toque, cada caricia. Apertou meus biquinhos mesmo por cima da blusa. Depois tratou tira-la com verdadeira maestria e logo a seguir partiu para desabotoar minhas calças e senti o tecido ser puxado vagarosamente esfregando na minha pele.

Tudo, ele usava para me excitar...

Beijou a pontinha do meu dedinho do pé e o ouvi dizer.

- Agora... cerejinha, vou te devorar inteirinha...

Senti um certo medo diante de seus olhos vorazes que assemelhavam-se a um lobo faminto. Brilhavam sedutor.

Senti a pontinha de sua língua deslizar sutil e lamber meu pé, subir até o tornozelo. O caminhar dos beijos molhados deixava um frescor sobre minha pele, sua boca quente massagear minha virilha. Arqueei as costas quando senti-me ser abocanhada e estremeci completamente gemendo alto, contorcendo-me em deleite, diante de sua boca experiente. Kakashi desenhava círculos com a pontinha endurecida da língua, friccionando e criando ondas de incrível calor por todo meu corpo febril.

Gritava ensandecida e rebolava lutando com sua língua ávida até que não aguentei mais e derreti-me inteira em sua boca com tremores por todo o corpo.

Ele não parou ali...

Esfregou-se por cima de mim e abocanhou meu seio direito enquanto apertava o biquinho do outro sem parar.

Sugava meu seio voltando a transformar meu corpo numa absoluta combustão.

Voltei a gemer desnorteada e esfregava-me, buscando roçar seu membro em minha intimidade encharcada.

- Possua-me, Kakashi sensei! – implorei manhosa e sôfrega por tê-lo dentro de mim.

Kakashi narrando:

Ouvir Sakura dizer “Possua-me, Kakashi sensei” era tentação demais, impossível se segurar. Mais do que imediatamente, invadi a intimidade rosada. Eu estava quase tendo uma overdose de tanto tesão. Kakashão quase a explodir, implorando e querendo se espremer dentro daquela bocetinha divinamente deliciosa.

Deslizei pelo túnel escorregadio e lubrificado até o extremo facilmente e arfei deleitoso de prazer. Os biquinhos durinhos roçando no meu peitoral era muito delicioso e o contato da minha pélvis com seu clitóris a deixava ainda mais excitada.

Elevei suas pernas acima da minha cabeça já sabendo que ela possuia uma certa elasticidade.

Fundo...

Extremamente fundo...

Conseguia alcançar o ponto mais sensível dela e senti suas paredes internas se contraírem.

Sakura e eu gemíamos alto sem menor pudor ou medo de ser feliz, nos soltamos completamente e aquilo era verdadeiramente delicioso e erótico.

Rebolava e a estocava fundo, cada vez sentindo-a apertar meu pau, espremendo-o.

- Vai delícia, goza no meu pau! – disse com a voz falhada e ofegante, acelerei as estocadas e senti-a derreter em gozo juntamente com meu jato de prazer que espirrei invadindo-a completamente.

Suados...

Ofegantes...

Mas felizes...

- Vem, quero tomar banho naquela banheira gigante ali. – ela sussurrou

Continua...


Notas Finais


1. A fic tá chegando a reta final, mas tenho outra que já tô bolando para iniciar assim que esta acabar: Kazekage ou Hogake, santa indecisão! 😉😉😉😉 Esta realmente precisarei da ajuda de vcs, pq como o nome mesmo diz: eu e a Saky-chan estamos indecisas. 😅😉

2. Bem, eu estou bastante enrolada com projetos de trabalho, então, vou passar postar cada uma das três fics que atualmente escrevo uma vez por semana, num dia específico:
A Paixão do Último Uchiha: terça.
Possua-me, Kakashi sensei: quarta
As Pedras das Inscrições: quinta
Espero que entendam!
Bejinhos 😘😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...