História Princes of the Night - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chanbaek, Hunhan, Kaisoo, Sulay, Taoris
Visualizações 200
Palavras 2.155
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Yaoi

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 17 - Os príncipes da luz e os príncipes da escuridão


 Pov Chanyeol.

Eu olhava a cena estático.

Baekhyun não poderia estar morto.

E naquele momento eu senti que queria morrer também.

Eu não podia ficar sem ele.

Eu não queria

- O que você fez? – berrei desesperado.

Luhan me olhou como se pedisse desculpas e eu tive que me controlar para não matar o companheiro do meu irmão.

Meu coração sangrava.

Heechul olhava furioso assim como Amon.

O corpo de Baekhyun jazia jogado no chão

- Calma Chanyeol – Luhan falou aflito e só então eu percebi que lágrimas de sangue escorriam de meu rosto.

Como ele pode?

Meu pequeno?

Ele ainda me pede calma?

- Ele não esta morto Chanyeol. – Luhan falou alto e eu o olhei incrédulo.

 Todos ainda encaravam em choque o corpo de Baekie.

- Como não? Você enfiou uma faca em seu pescoço. – gritei desesperado e Luhan se encolheu.

A dor em minha voz era palpável.

Eu sentia como se meu coração estivesse sendo esmigalhado.

- Ele estava possuído. – Luhan falou alto e eu olhei incrédulo – Por que você acha que eles estão furiosos e não contentes? – ele arqueou a sobrancelha e eu olhei para o corpo de Baekhyun.

Arregalei os olhos ao ver que o lugar aonde Luhan cortou estava fechando.

- Como você sabia? – Heechul perguntou furioso e Luhan sorriu de lado.

O que porra ta acontecendo aqui?

Vi Baekhyun abrir os olhos lentamente e corri me ajoelhando ao seu lado. Ele piscou várias vezes tentando entender o que acontecia.

- Seu demônio é fraco. – Kyung zombou – Foi só Baekhyun ver o Chanyeol que ele conseguiu tomar controle do próprio corpo. – ele apontou debochado e Heechul gritou furioso jogando um raio de luz na direção de Jongin.

Kyungsoo entrou em sua frente e eu arregalei os olhos ao ver que nada aconteceu.

Eu não estava entendendo nada.

Outros bruxos que estavam na noite em que Baekhyun foi sequestrado nos olhavam furiosos.

- Eu avisei Heechul. – alguém rosnou - Luhan e Baekhyun são uma pedra no sapato, vamos acabar logo com isso. – me virei vendo um bruxo que eu não lembrava o nome grunhir e tirar uma adaga de prata banhada em sangue e foi em direção a Yunho.

- AGORA KYUNG. – Luhan gritou e eu levantei Baekhyun ficando a postos.

O bruxo correu em direção a Yunho.

- Hoje e aqui, liberte minha alma de todo o mal que o amor se faça soberano destruindo todas as trevas que a em mim, liberta meu ser, liberta minha alma, vinde a mim luz, paz e amor, com esta faca de ouro cravo em minha alma e meu corpo me libertando de todo mal que habita em mim. – Kyungie gritou e eles arregalaram os olhos.

Kyung fechou os olhos e continuou a repetir as palavras.

Eu e meus irmãos avançamos sobre os bruxos e caos estava feito. Eram muitos contra nós. Vi a figura de Jaejoong sair da sombras.

Eles tentavam chegar até Kyungsoo mas nenhum poder os atingia.

Amon caiu de joelhos.

Um brilho intenso tomava conta de seus olhos.

Eu podia ver meu irmão tentando tomar o controle.

Heechul jogou uma luz contra mim e eu senti meu braço pegando fogo e eu gritei alto.

- CHANYEOL. –  Baekhyun me gritou desesperado.

Meus irmãos estavam presos.

Yifan se debatia tentando sair de amarras invisíveis. Minseok estava caído desacordado e eu olhei em desespero. A dor latejante estava saindo dos meus braços e indo para o meu corpo todo.

- Para!!! Meus irmãos. – ouvi a voz de Yunho falando falha e eu sabia.

Ele estava lutando pelo controle.

O local estava um verdadeiro cenário de guerra.

Sehun, Joonmyun e Jongin ainda lutava.

Jongdae nos dava vantagem se teletransportando e atingindo o inimigo.

- Jongdae. – Jaejoong gritou eu assistia tudo quase perdendo a consciência.

Nós não aguentaríamos.

Eles eram muitos.

Me debatia berrando, era como se meu corpo estivesse pegando fogo.

Jaejoong parou na frente de Yunho e meu coração se encheu de esperança.

- Por favor Chanyeol, aguente firme. – ouvi a voz de Baekhyun e sua mão segurava a minha.

Minha vontade era sorrir em meio a dor.

- Eu te amo – falei fraco sentindo minha consciência se esvair pelos meus dedos.

- Eu te amo, nós vamos ficar juntos. – seu choro dolorido me trouxe um agonia intensa - Mas por favor, aguenta. – puxei em meu corpo a força que me restava.

Eu estava tentando.

Eu juro que estava.

Olhei para o lado e vi Jaejoong ajoelhado na frente de Yunho.

- Baekhyun... Heechul ... Jaejoong. – falei fraco vendo Heechul ir em direção aos dois e Baekhyun entendeu se levantando.

Kyungie continuava intacto com os olhos fechados no centro de todos fazendo a oração em voz baixa. Tao estava ao lado de Yifan e ninguém poderia o atingir. Enquanto Jongdae fazia a proteção de Minseok que aos poucos recobrava a consciência.

Yixing, Sehun, Luhan, Jongin e Joonmyun lutavam matando quem estivessem em seu caminho.

Fechei os olhos ao ver Baekhyun criar um feixe de luz gigantesco.

Fiquei um tempo com os fechados.

Eu precisava abrir os olhos.

Eu precisava me manter forte.

Ouvi um grito estridente e me forcei a abrir os olhos. Jaejoong segurava uma faca que estava enfiada no peito de Yunho.

Ele mordeu o próprio pulso e levou a boca de Yunho e em seguida o mordeu no ombro.

Nós precisávamos nos ligar.

Jongdae mordeu Minseok e vice versa.

 Heechul atacou Baekhyun desesperado para que nada acontecesse. Tao suspendeu o tempo e somente os bruxos continuavam a lutar. Eu olhava desesperado para Baekhyun lutando fraco.

Sehun mordeu luhan e ambos trocaram sangue

Yixing ainda lutava quando vi Joonmyun se aproximar e morder seu pescoço, com uma mão ele matou o bruxo que lutava com Yixing, enquanto seu pulso era sugado com avidez por Yixing.

Procurei novamente Yifan com um olhar e vi ele e Tao trocando um beijo de sangue.

Como se aquele fosse o último beijo.

Kyungie havia parado a oração e ele Jongin levavam a boca um o pulso do outro.

Só faltava eu e Baekhyun.

Eu sabia, só podia parar a maldição quando todos estivessem trocando sangue juntos.

Arrastei meu corpo mole e arregalei os olhos ao ouvir o grito de Baekhyun. Ele caiu de joelhos ao meu lado quando levou uma facada de Heechul que olhava vitorioso.

Ele se arrastou ficando ao meu lado.

Heechul tinha uma adaga na mão pronto para dá o golpe certeiro que o matasse.

Não conseguiria.

Nós estávamos morrendo.

O feitiço ainda corria por minhas veias me queimando completamente.

Era uma dor agonizante.

Mas se eu morreria, seria provando seu sangue.

Berrei me arrastando para mais perto.

Ergui meu braço para Baekhyun e mesmo fraco senti sua mordida rasgar minha pele.

Ele jogou seu braço livre para mim.

Mas no momento em que eu ia morder, Heechul afundou a faca em seu coração.

Gritei o mais alto que consegui.

E fiquei minhas presas em seu pulso.

Eu precisava sentir seu gosto.

Nem que fosse a última coisa que eu fizesse.

O gosto de seu sangue quente envolveu meus sentidos. Eu sentia as lágrimas escorrendo em meu rosto.

Não deu tempo.

Não teríamos outra chance.

Eu falhei.

Eu não protegi meu companheiro como devia.

E a culpa daquela situação era toda minha.

Afinal meu irmão havia vendido a alma para me salvar.

Eu amei Baekhyun desde o momento que o vi, eu não queria ter uma fraqueza, eu não queria amar e nem me apegar, mas não se pode escapar do destino e eu descobri isso da pior forma possível. Eu não tive nem a oportunidade nem de sentir seu toque, seus carinhos, ouvir sua risada pela última vez.

Me arrastei ficando por cima dele.

Seus olhos estavam perdendo o foco.

Tirei as duas adagas de seu corpo.

E olhei em seus olhos pela última vez.

Eu queria morrer olhando em seus olhos.

- Eu te amo. – falei em um fio de voz.

Seus olhos brilharam e vi as lágrimas escorrendo.

- Te amo – ele falou fechando os olhos aos poucos.

Selei nossos lábios e antes que pudesse fechar os meus.

Uma luz forte nos envolveu.

Senti como se meu corpo estivesse sendo suspenso no ar.

Olhei envolta e de fato todos nós estávamos sendo suspensos.

Baekhyun ainda em meus braços voltou a abrir os olhos. Eu arregalei os olhos ao sentir todas as feridas de meu corpo sendo curadas. Olhei meus irmãos envolta e estavam do mesmo jeito.

Era como se eu nunca tivesse sido ferido.

Seria possível?

Vi as feridas de seus corpos sumirem.

A Maldição foi quebrada.

Baekhyun não estava morto.

Queria chorar de emoção.

Queria gritar de felicidade.

Livres.

Minha família estaria completa.

A luz sumiu e de repente estávamos todos no chão e os corpos dos bruxos a nossa volta.

Inclusive o de Heechul.

Olhei abismado.

- Acabou. – Yifan falou alto e a primeira coisa que nós fizemos foi olhar para Yunho.

Eu não podia acreditar.

Meu irmão mesmo.

Yunho nos olhava incrédulo.

- Meus irmãos. – ele sussurrou com lágrimas nos olhos e em segundos estávamos nos abraçando.

Não sei quanto tempo ficamos assim.

Olhei de canto de olho e vi os meninos se abraçando e conversando timidamente.

- Yunho nos perdoe, nós guardamos mágoas por tanto tempo! Não sabíamos de nada. – Yifan falou choroso e eu senti minhas próprias lágrimas vindo a tona.

- Ei, a culpa não foi de vocês. – Yunho acariciou os cabelos de Yifan - Eu que tenho que pedir perdão, a mamãe e o papai estão mortos por minha culpa. – ele falou chorando e eu balancei a cabeça negando.

- Não Yun, a culpa não é de ninguém! – afirmei sem hesitar - Obrigado por salvar minha vida. – murmurei e ele sorriu me abraçando.

- Ah meu dumbo, você não sabe o quanto eu senti falta de vocês, o quão horrível você assistir tudo e não ter controle do seu corpo, das suas ações, querer falar e não poder. – ele falou baixinho e o Jongin o abraçou o apertando forte.

- Acabou Yun, agora acabou. – Jongin falou calmamente - Estamos juntos agora, me perdoe irmão. – ele sussurrou e Yunho o abraçou mais forte ainda.

- Jongin a culpa nunca foi sua, Taemin errou feio com nós dois, mas agora tudo esta bem.. Nossos verdadeiros companheiros estão conosco. – ele murmurou e nós viramos vendo nossos companheiros conversando animadamente.

Com minha audição aguçada vi Yixing explicando tudo Baekhyun perdeu enquanto esteva sequestrado. Jaejoong conversava animadamente com Luhan e Kyungsoo, enquanto Tao implicava com Jongdae.

Sorri completamente extasiado.

Meu irmão estava de volta.

Meu Baekhyun estava de volta.

A maldição havia sido quebrada.

Eu não poderia estar mais satisfeito e mais feliz.

Baekhyun veio caminhando lentamente em direção a mim com um sorriso no rosto.

Arqueei a sobrancelha e esperei ele vir até mim.

- Então quer dizer que você me ama? – ele perguntou debochado me fazendo sorrir de lado.

- E você também me ama? – perguntei irônico e ele sorriu se aproximando colando nossos corpos.

 Ele arqueou a sobrancelha fingindo estar pensativo e eu tive vontade de rir.

- Amo, mas você acha que eu vou pegar leve com você por isso orelhudo? – ele ronronou e eu revirei os olhos.

É claro que não.

Afinal, estamos falando de Baekhyun.

- Eu te amo, mas você vai continuar sendo um anão de jardim. – debochei de volta e ele me fuzilou.

- Mas com meu tamanho, eu posso usar sapatos altos que façam eu ficar maior. – semicerrei os olhos - Agora suas orelhas... – ele gargalhou e eu fechei a cara – Mas eu tenho uma ideia, você pode pegar fita adesiva e colar elas para trás ou até mesmo prender atrás do boné. –  vi meus irmãos reprimirem uma risada com seu deboche me fazendo revirar os olhos.

- Cala a boca Baekhyun. – praticamente rosnei revoltado.

Ele poderia ser um pouco carinhoso...

Mas estamos falando do Baekhyun, não é.

Ele ficou na ponta dos pés e deu um risinho baixo.

- Além de orelhudo, é lento. – bufei indignado - Estou esperando você calar. – ele ronronou e eu não consegui reprimir uma risada baixa.

- Então acho que devo realmente te calar porque só assim para você parar de falar besteira. – sussurrei e o peguei firme pela cintura o fazendo ofegar.

Levei minha boca a dele em um simples selar. Logo ele abriu a boca dando passagem a minha língua. Segurei sua cintura firmemente e o beijei extasiado por saber que ele estava ali.

Que ficaria tudo bem...

- Vamos? - Yifan gritou.

- Para onde? - Yunho questionou e eu me separei de Baekhyun o abraçando com um sorriso largo.

- Para casa meu irmão, para casa. - falei alto e todos nós trocamos sorrisos apaixonados.

Os príncipes da Luz e os príncipes da escuridão estão juntos novamente.

Como tudo deve ser.

A maldição foi quebrada.

Agora, era daqui a eternidade.

Troquei um olhar cúmplice com meu pequeno.

Meu coração estava feliz.

Agora definitivamente tudo ficaria bem.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...