História Prinplup e Raichu:O amor unido pelo gelo - Capítulo 33


Escrita por: ~

Visualizações 26
Palavras 2.368
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Slash, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpa a demora à postar
Criatividade foi pro saco e fiquei sem tempo para escrever

Eh...titulozinho longo para um cap. curto...mas espero que gostem.Dividi em partes as histórias,mas seguem a ordem cronológica dos acontecimentos,OK?

Obrigado à todos que me acompanharam até aqui e boa leitura!

Capítulo 33 - Torrentes vívidas de um amor incompreendido


  Prinplup havia saído de sua sala com uma cara meio chateada,mas nada de muito claro e sua face logo mudou para um belo sorriso ao ver Raichu o esperando não muito distante da porta de sua sala.

-Oi...o que aconteceu?Sua cara parecia meio triste.-Indagou Raichu ao se aproximar de Prinplup.

-Ah,só cansaço mesmo.-Prinplup abraça o tal laterlamente.-Mas estou melhor agora,já que estou com você.

-Assim você me deixa sem jeito.-Dizia Raichu rindo levemente corado. Prinplup apenas sorriu com a reação do tal.

  Prinplup e Raichu foram até seus dormitórios. Prinplup estava na cama usando seu celular,pois já havia terminado os deveres antes e de vez enquando auxiliava Raichu na escrivaninha com seus deveres. Estava de noite quando Raichu finalmente acabou seus deveres,dando um suspiro de alívio.

-Ai...aleluia acabei.-Raichu parecia meio tonto ao falar.-Isso quase fritou minha cabeça.

-Ainda bem que você tem uma pessoa fria ao seu lado.-Prinplup aguentava para não rir.

-Prinplup...não faça esse tipo de piada...-Raichu implora deitando sua cabeça na escrivaninha.

-Piu?-Prinplup dá uma risadinha.

-PRINPLUUUUPP!!-Disse Raichu revoltado e se levantando da cadeira bruscamente.

-Aí,você animou agora.-Dizia Prinplup se levantando da cama e dando um beijo na boca de Raichu.

-(Verdade...)-Pensou Raichu retribuindo o beijo.

  O beijo durou poucos segundos que pareciam horas para eles. Prinplup pensa um pouco e acaba se lembrando de uma coisa.

-Lembrei que aprendi à fazer piadas de toc toc,tanto em inglês quanto na nossa língua,quer ouvir uma?-Indaga Prinplup para Raichu meio animado

-Ah,pode ser (Piadas de toc toc não podem ser tão ruins assim).-Pensa Raichu se lembrando de piadas desse tipo.

-Toc toc.-Prinplup começou,sorrindo de leve.

-Quem é.-Raichu ria antecipadamente.

-Prato.

-Prato quem?

-Prato ver como essa piada é ruim.-Prinplup ria de leve.

-COMO VOCÊ CONSEGUE ESTRAGAR PIADAS DESSE TIPO?!?!?-Raichu se revolta.

-OK...vamos tentar outra...Knock knock.-Prinplup se recompôs.  nseguindo pela timidez.

-Who's there?

-Olive.

-Olive who?

-Olive you.-Prinplup dá um selinho em Raichu.

-Fofo...mas ainda continua sendo ruim.-Raichu fica meio surpreso.

-Bem...vamos dormir logo,amanhã é um longo dia.-Diz Prinplup vendo as horas.

-Ah...nem vai me deixar chupar seu amiguinho?-Raichu faz uma cara muito fofa e pidona para Prinplup.

  Prinplup vira para o tal sorrindo sugestivamente para Raichu que se arrepia de leve e solta um leve gritinho.

-Não.-Respondeu Prinplup virando novamente indo para a cama.-Apaga a luz por favor?

  Raichu fica emburrado enchendo suas bochechas de ar e então apaga a luz se deitando com Prinplup logo em seguida.

-...Idiota.

  Na mesma noite,Luxio vagava pelo vazio e escuro corredor com seus olhos brilhantes iluminando-o,voltando para seu escritório,onde considerava como um segundo dormitório.

  O silêncio assombroso tomava conta dos corredores cujo não parecia ter fim e a brisa que batia nas árvores lá fora soavam como gritos distorcidos. Chegando no escritório,Luxio tirou as roupas que tanto o incomodava,ficando apenas com a roupa de baixo e enfim conseguiu se deitar no confortável soltando um bocejo de sono que infelizmente foi interrompido pelo calafrio que sentiu quando Duskull atravessou seu corpo.

-Boa noite Luxinho.-Disse Duskull parecendo animado.

-Duskull...AVISA QUANDO FOR APARECER ASSIM BUCETA!!-Disse Luxio estressado por causa do cansaço.

-Desculpa,desculpa mas calma que tenho uma ideiazinha pra você colocar no jornal...-Duskull chega perto de Luxio e o possui deixando apenas sua máscara e o olho esquerdo vermelho.

  De repente Luxio começa à ter a visão de Prinplup fazendo piadas ruinsPara Raichu. Luxio estava chocado com tal cena.

-AI ARCEUS,TIRA ISSO!!!-Gritou Luxio desesperado e Duskull atendeu ao desejo saindo do tal que ofegava depois de tal experiência.-D-Definitivamente não posso colacar isso...

-Por que?-Indagou Duskull confuso.

-É muito...muito...muito ruim a piada...-Luxio volta à deitar no chão ainda ofegante e se recuperando.

-Nah...eu achei boa.-Duskull entra na parede deixando apenas sua máscara de fora.-Bem...qualquer coisa só me chamar,estarei vagando por aí tentando achar algo de interessante.

  Então Duskull desaparece numa risada macabra. Luxio suspira e então volta sua concentração para dormir,se não fosse pelo Duskull que acaba de voltar e possuir Luxio.

-E-Ei!-Luxio protesta com o susto.

-Desculpa...é que eu sinto falta de fazer isso.-Duskull despiu Luxio por completo e fica o masturbando com Psychic.

  Luxio ficava ereto rapidamente com seu pênis espinhoso exposto. Estava ofegante e com a língua para fora depois de um curto período de tempo,não saia  palavras de sua boca,apenas gemidos quentes e suaves que saiam de Luxio. O prazer luxurioso era tentador demais para o tal,que entregou o corpo para Duskull.

  Duskull apenas continuava com aquilo percebendo na reação de Luxio. Ele aumentava mais a velocidade dos movimentos fazendo Luxio pirar mais ainda e mover suas patas traseiras inconciêntemente. 

  Enfim,Luxio delira-se de um gozo expresso por um alto gemido,fazendo soltar o sêmen de sua genital que derramava no chão,fazendo uma pequena poça com o líquido branco e na última jorrada que deu,começou a ficar mais flácida com o tempo. Luxio ofegava deitado,aquilo o cançava ainda e sentindo isso,Duskull saiu do corpo do tal ficando do lado do mesmo onde adormeceu quase no mesmo instante.

-Heheee,quero ver ele limpar isso de manhã.-Duskull desaparece na escuridão logo em seguida.

[...]

  Na manhã seguinte,Sábado,Lucario vagava pela escola já com um pouco de movimento,alguns grupos de alunos disperçados pelo corredor ali se encontravam,a brisa da manhã que batia nas árvores comseguia o atingir através da janela. As vozes e o som das árvores de folhas dançantes distraíam Lucario que sem querer tropeça em algo e cai.

-Ai...-Disse Lucario na queda.

-Ah,desculpa!-Disse o menor que estava do lado de Lucario. Era um espeon e olhava preocupado.

-Ah,estou bem,não se preocupe.-Lucario disse sério e se levantando.-Espera...por acaso você é novo?

-Sim,estou mais ou menos...um mês?-Indagou-se pensando fitando para o lado e colocando a pata direita na bochecha.

-(Fofo...não,calma aí Lucario.)-O tal suspirou de leve como um alívio e estendento a pata para Espeon.-Bem,eu sou Lucario,se...não tiver amigos,nós...

  Antes que pudesse terminar de falar,o Espeon pega na pata dele sorrindo. Aquela imagem fez Lucario se sentir como o tempo estivesse parado por alguns segundos.

-Eu aceito ser seu amigo.-Disse aproximando de leve seu rosto com o de Lucario.

-Vamos em um lugar melhor,aqui está movimentado.-Lucario se levanta. Seu coração bateu mais rápido por uns instantes quando aquela aproximação tinha ocorrido e colocou a mão no centro de seu tórax por uns instantes.

-Que tal um lugar mais...privado,tipo o meu quarto ou o seu?-Opinou o menor.

-Pode ser no meu quarto então.-Lucario coçou a nuca ecomeçou á andar devagar na direção dos dormitórios.-Venha,vou te mostrar onde é.

-OOOK.-Espeon saltitava de leve ao acompanhar o tal.

  Enfim eles entraram no dormitório depois de uma breve caminhada pelos corredores e pelo pátio onde se via os dormitórios. Lucario fecha a porta logo depois de Espeon entrar e então senta em sua cama e convida o menor para sentar-se também e o convite foi aceito,Espeon senta do lado do tal.

-Err,desculpa por ter tropeçado em você.-Lucario coça a nuca por um momento.

-Nah,tudo bem,é normal por você ser grande e tal.-Espeon deu um sorrisinho fofo para Lucario

-Err...-Lucario sente seu coração bater mais rápidoe então vê a cauda de Espeon como uma oportunidade de mudar de assunto.-Sua cauda é bem interessante.

-Ah,aceita pegar nela?-Espeon oferece levantando de leve a cauda e a balança de leve.

-Se não tiver problema...-Lucario aproxima seu rosto e segura de leve na parte birfucada e pressionando-a para ver a anatomia óssea,mas Espeon solta um gemido segurado que faz Lucario se assustar e soltar.-Desculpa,te machuquei?

-A-Ah,não...é que aí é uma parte mais sensível,mas pode continuar,só ignora meus gemidos.-Espeon se vira pegando o travesseiro e colocando perto de sua boca.

  Lucario segura de leve a cauda de Espeon,massageando ela de leve,fazendo o tal dar gemidas suaves em cada movimento da firme pata de Lucario,que olhava para Espeon ofegando e gemendo tentando controlar sua excitação e imaginação.

-T-Tira minha calça...-Disse Espeon no meio dar gemidas.

-Espera,por quê?-Lucario se assusta de leve e seu coração bate mais rápido de repente.

-E-Está doendo...em b-baixo.-Disse levantando sua cintura.-T-Tira p-por favor.

  Tal palavra de educação social foi irresistível para Lucario. Ele retirou as roupas baixas de Espeon deixando a penas a cueca que revelava um volume mediando para o porte de Espeon. Lucario via aquilo babando de leve e ao perceber isso,cessa os movimentos se afastando de leve do menor.

-P-Por que...parou?-Espeon se recuperava ofegante.

-N-Nada demais.-Lucario fica meio pensativo olhando para a direção oposta de Espeon.

  O menor se aproveita da distração do tal e segura a cauda de Lucario bem na dobra da ponta e o tal dá um grito meio gemido e dá um pulo da cama.

-Me avisa antes,OK?-Lucario se vira para Espeon.

-Só queria retribuir o favor.-Disse o menor com uma expressão fofa.

-OK,mas vai com calma.-Disse Lucario suspirando,virando de costas para o tal ficando quadrúpede e abrindo a parte da frente da calça,disfarçando seu membro já meio excitado.

  Espeon começa devagarinho à massagear a cauda de Lucario que gemia grosso e segurava forte a roupa de cama ficando cada vez mais ereto com todas as sensações. Espeon estava admirando com um sorriso meio pevertido e olhando pra baixo de vez enquando vendo a cueca do tal pulsar e enfim pega de leve a cueca do maior e a puxa para baixo,revelando o grande membro com um grande bulbo na base.

-Calma aí cara.-Lucario tenta colocar a cueca de volta com muita dificuldade.

-É que eu não estou resustindo ao chamado do seu membro.-Riu o menor.

-Errr...-O maior fica sem graça e constrangido tampando a genital pulsante com a pata.

-Deixa que eu resolvo aí...só tira a patinha.-Disse Espeon apertando mais forte a cauda de Lucario que fez o tal se desequilibrar e colocar a pata que estava tampando na cama e o menor pega as duas pontas da cauda e coloca lateralmente no bulbo,pressionando-os de leve.

  Lucario soltou um gemido mais alto e seu membro pulsava mais forte começando a soltar uma leve ejaculação.  Estava tonto e ofegante,nunca ninguém havia feito sentir de tal maneira antes. Espeon se aproximou da cintura do tal soltando a cauda e depois coloca a boca na ponta do pênis de Lucario e dando uma leve chupada que fez o tal reagir se virando de barriga pra cima.

Espeon chupava devagar o resto do corpo da genital de Lucario,arrancando gemidos másculos e contorçimentos de prazer. O maior sentia a pequena boca apertando e succionando,mal conseguia se segurar com aquilo.

  Enfim o orgasmo de Lucario chega,liberando rajadas de esperma na boca do menor que tentava engolir tudo com fracasso. O líquido sosso derramava da pequena boca de Espeon e caía na cama a molhando no local.

-D-Desculpa,é que faz um bom tempo que não acontecia isso.-Disse Lucario meio constrangido.

  Espeon dá uma última chupada e deita no colo de Lucario vendo o pênis voltar no lugar.

-Bem...gostou?-Perguntou fofamente.

-Demais.-Lucario riu de leve e apenas relaxou cobrindo-os.

  De repente alguém bate na porta

-E-Espera um pouco!-Lucario colocava de volta suas roupas meio de baixo meio assustado e surpreso assim como Espeon.

-Lucario,nós estavamos pensando se poderíamos sair com uns amigos.-Era a voz de Nuzleaf.

-Ah...pode ser.-Disse o maior olhando para Espeon.

-OK,vou chamar o Prinplup e o resto do pessoal,Até mais!-Apenas se ouviu Nuzleaf sair correndo.

-N-Não vá...-Disse Espeon tremendo de leve.

-Por que?-Lucario fica vendo o menor tremendo e o envolve em um abraço.

-Bem...-Espeon se vira para Lucario.-Aconteceu o seguinte...

  Dewott estava em seu dormitório com Monferno e ambos estavam meio distraídos com a televisão que passava um filme de ação. A manhã estaria silenciosa  se não fosse o eletrodoméstico e o barulho de pipoca que os dois comiam em uma pequena caixa de papel.

-Hmm...o meu acabou.-Disse Dewott meio chateado.

-Toma,pode pegar do meu.-Momferno aponta para a caixinha que estava em seu colo ainda quase cheia.

-Ah,obrigado.-Dewott se aproxima do tal.

  Monferno abraça o tal de lado ainda segurando na caixinha. Dewott cora de leve e pega uma pequena porção e começa a comer ainda assistindo o filme.

-Você...gosta de mim?-Perguntou Monferno parecendo meio desanimado.

-Gosto...como um amigo-Disse Dewott corando mais ainda.

-Não...eu quis dizer "gostar" de me amar.-Monferno cora só um pouco virando seu rosto na direção oposta de Dewott.

  O albino se afasta de leve de Monferno quando o tal disse tais palavras.

-Promete não ficar com raiva?-Indagou o Pokémon de água.

-Por que eu ficaria com raiva?-Disse Monferno se virando para o tal e dando um grande sorriso.

-Bem...é que eu te amo muito...muito mesmo...e voc...-Dewott mal ia terminar e Monferno abraça-o beijando-o intensamente.

  Dewott corou com tal experiência e apenas se deixou por levar na sensação,retribuindo tanto o beijo quanto o abraço que foi-lhe concebido. Eles ficaram assim por alguns minutos até separarem-se ofegantes e entreolhando.

-Demorou tanto para fazermos isso...-Monferno riu um pouco.

-C-Como assim?-Dewott fica meio espantado com isso.

-Bem,da primeira vez foi sem querer e fiquei meio assustado com aquilo pois eu era hétero e tambem pensei que você era e tal,mas aí depois eu gostei disso e decidi perguntar se você gosta de mim e aqui estamos.-Explicou o primata de fogo virando Dewott,que reagiu surpreso,deixando ele em cima de si.

-B-Bem...eu g-gostei daquele outro beijo que demos...m-mas como foi acidental,não p-pensei que você tinha gostado.-Dewott recebe outro beijo de Monferno depois que terminou de falar.

-Claro que gostei.-Monferno vê as horas.-Aliás...agora somos tipo...namorados?

-A-Ah,isso depende de v-você também...se quiser,n-nós podemos n-na-namorar...mas eu aceitaria-Dewott cora um pouco mais.

-Hhmm...eu também aceito.-Monferno dá um outro beijo em Dewott e demorou mais do que os anteriores.-Enfim,vamos sair pra fazer algo?

-Tipo...um encontro?

-Eh,eu não sei exatamente como é um,mas acho que podemos tentar.-Monferno deu um grande sorriso mesmo estando meio constrangido.

-V-Vamos considerar aqui c-como um enc-contro?Aí p-podemos conversar mais sobre muita coisa e...comer pipoca...-Dewott tenta relaxar,mas acaba nã conseguindo pela timidez.

-Pode ser e quer deitar no meu peito?(Eu sempre quis sentir como é.)-Monferno alisa um pouco o tórax.

-E-Eu posso?-Indagou o albino escitando de deitar.

-Claro,acho que assim podemos dar um passo em nosso...relacionamento.-Monferno fica sem jeito.

-O-OK...-Dewott deitou meio tremendo no tórax do tal. Era confortável e quente,sentia e ouvia o coração do tal acelerar de leve e Monferno o acaricia na cabeça,o confortando ainda mais.

-Está gostando?-Perguntou Monferno depois de alguns segundos e Dewott apenas afirma com a cabeça e enfim relaxa demais e acaba dormindo. Monferno ri de leve e então os cobre dormindo logo em seguida.



Especial de agradecimento


Quando estou contigo


A brisa soava

Acorda Quilava

Depois de uma noite intensa

Despertador soando na despensa


-Que noite!

Ainda bem que foi amoite.

Disse Quilava

Que levantava


O local escuro

Obscuro

Croconaw ao seu lado

Relaxado


Eles na noite transaram

Com gemidos asonoros

Muito amaram

Os amorosos


Mas dessa vez Quilava

Em Croconaw,tadinho

Com gemidinho

Nele enfiava


Quilava com força ia estocando

Croconaw estava amando

Nocolo de Quilava,Croconaw pulou

E dentro dele enfim ejaculou


Não foi forçado

Croconaw terminando

Quase delirando

Quilava no pênis foi chupado


Quilava não estava aguentando

Estava sendo chupado

Estava enquadrado

Mas foi continuando


Movimentos de vai e vem

Ambos gemem

Continuo instável

Incessável


De repente o orgasmo

Croconaw ficou pasmo

O quanto Quilava  ejaculava

E da boca de Croconaw vasava


Formou um poço

Com o líquido sosso,groço

Disse depois,um abraço apertado

-Estarei sempre ao seu lado.



Notas Finais


Próximo capítulo teremos mais romance,suspense e lemon...óbvio
Por que o que não falta aqui é lemon

Mas dá saudade de escrever depois de tanto tempo

;p

Não recomendo ler os capítulos seguidamente depois do cap. 6

Sobre um abraço bem dado
Acaba o texto do autor indedicado
Espero quetenham gostado
Mês que vem,capítulo novo postado

Até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...