História Quando eu voltar - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Stranger Things
Personagens Chefe Jim Hopper, Dustin Henderson, Eleven (Onze), Jonathan Byers, Joyce Byers, Karen Wheeler, Lucas Sinclair, Mike Wheeler, Nancy Wheeler, Personagens Originais, Steve Harrington, Will Byers
Tags Aventura, Byers, Caleb, Dustin, Eleven, Ficção Cientifica, Finn, Gaten, Harrington, Hawkins, Henderson, Hopper, Ives, Jane, Jim, Jonathan, Joyce, Lucas, Mike, Millie, Nancy, Noah, Onze, Romance, Sinclair, Steve, Suspense, Terror, Wheeler, will
Visualizações 120
Palavras 1.393
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Ficção Científica, Fluffy, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Como prometido, lista de músicas:
Lorde - Buzzcut Season

Theory of a deadman - RX(medicate)

Kat Dahlia - I Think I'm In Love

Alex & Sierra - Little Do You Know(Quem vê TVD deve conhece-laer essa)

The Police - Evert Breath You TakeTake

Imagine Dragona - Believer(Riverdale cena final do archie e Veronica, Jughead e beth)

Capítulo 17 - Eleven - A volta


Fanfic / Fanfiction Quando eu voltar - Capítulo 17 - Eleven - A volta

A noite ia se aproximando cada vez mais rápido e não havia sinal da Max em lugar algum. Com o inverno já batendo na porta antes da hora, a temperatura  cairá de maneira drástica. Havia levado apenas um casaco fino, mas nada, estava quase congelando quando de repente escuto Mike me perguntando.



-Quer um casaco? Podemos voltar no carro e pegar um casaco de inverno que eu carrego por lá.-Olhei de forma apreensiva pois não sabia se falava sério ou apenas queria implicar comigo, de novo.



-Tudo bem.-Falei batendo o queixo.



Caminhamos de volta, no silêncio por mais ou menos trinta minutos até chegar no carro. Assim que chegamos pude notar que Mike que foi direto para o porta malas, então fiquei me perguntando se ele estaria pegando casaco ou fazendo outra coisa esperando que eu encontrasse o casaco sozinha. Procurávamos Max na parte mais afastada da cidade, por tanto, além de mais frio era mais mórbido e medonho por lá.



-Entre no carro, já levo o casaco pra você.-Entrei no banco da frente, mesmo estando cansada. Queria voltar dormindo no banco traseiro, mas fiquei com medo de pedir naquele momento e ele me deixar só.



-Imagino que esteja cansada, venha para o banco de trás enquanto voltamos.-Assim que ele disse isso, como se lesse cada um dos meus pensamentos, pulei para o banco de trás.



-Obrigada por entender.-Sabia que estava na minha cara o quão cansada estava. Meus pensamentos foram cortados por clarões cortando o céu de fora a fora, “chuva”, falei para mim mesma.



-Parece que vai chover.-Disse ele como se fosse uma surpresa. O céu não tinha uma estrela e até mesmo a lua se escondia do frio daquela noite.



Repentinamente tive uma ideia que, em parte era boa e em parte não. Estava com medo de propor a ele pois sabia que ele não iria gostar nem um pouco, mas eu estava cansada e queria deitar na cama logo.



-Vai começar a chover antes de chegarmos na minha casa, que é mais próxima que a sua, podemos ir pra casa na floresta. Só uma ideia, nada mais. -Disse com medo de que ele ficasse irritado comigo.



-Boa ideia, liga para seu pai e avisa para ele, por favor.-Pediu calmamente ligando o carro.




Assim que liguei falei com ele e expliquei tudo, desliguei o telefone e adormeci no banco de trás. Acordei com Mike em cima de mim me sacudindo e o vento com gotas de chuva caindo no meu rosto.



-Vamos! A chuva está pior aqui do que na estrada.



Quando ele trancou o carro, corremos com uma lanterna para dentro da floresta e, mesmo eu achando perigoso depois de Max ter sumido, achamos rapidamente a cabana. Mike foi na frente abrindo as portas e, logo depois que entrei, fechando as mesmas novamente. Assim que eu tirei parte da minha roupa que em instantes molhou por completo, lembrei que não tinha roupa ali.



-Toma.-Mike estendia uma toalha cinza chumbo e uma blusa de gola V de um tom de cinza mais puxado por branco.-Pode ir na frente.




Ao terminar o banho, pude notar que estava muito silêncio lá fora, então lembrei que havia outro banheiro. Esperei Mike na sala, tentando ver televisão, mas acabei desistindo depois de um tempo por conta dos ruídos incômodos. Resolvi que voltar para o quarto era melhor opção naquele momento. Fiquei deitada na cama e em menos de dois minutos estava quase adormecendo.



-Boa noite. Estarei no outro quarto se precisar de mim. Qualquer coisa, grita, liga ou vai lá.-Eu apenas fiz um sinal afirmando que havia entendido as instruções.



Depois que ele esteve no meu quarto, não pude deixar de notar que algo tinha mudado desde o momento em que conversamos naquela manhã até agora. Voltei a deitar com as luzes acesas, “quero falar com ele, estar com ele, ficar com ele”. Meus pensamentos foram cortados por ele entrando em meu quarto.



-Aconteceu algo?-Pergunto assustada.



-Sim.-Ele não esperou eu falar mais nada. Simplesmente me beijou.



Eu não sabia o que ele queria provar com aquilo, nem o que estava acontecendo naquele momento, mas o beijei de volta. Estávamos quentes, com a respiração pesada e a cada toque na minha cintura parecia que uma onda de êxtase me invadia. Não tinha explicação, aquilo era muito bom, precisava daquilo e queria mais. Mike parou de me beijar, ficou me olhando por um tempo e só depois disse:



-Eu quero pedir desculpas por ter te ignorado e te maltratado. Eu te amo, desde os doze anos e esperava que você tivesse a mínima consideração de me dizer que era Eleven. Eu entendo que estava com medo, mas, eu estava com saudades e uma tristeza profunda de ter perdido a garota que eu amava.-Eu o olhava assustada, pois era o único jeito que eu sabia olha para ele nos últimos tempos.



-Mike, eu te desculpo, de verdade. Eu te desculpo. Eu só não sabia como te contar.-Disse já chorando e o abracei de modo com que nossos corpos ganhassem proximidade.



Assim que parei de abraçá-lo, ele ficou apoiado nos braços e nas pernas de frente pra mim me olhando. Por um instante pensei ter acabado por ali, mas não conseguia. Oito anos sem tocá-lo, sem vê-lo. Quero afastar essa distância. Lembrei dos filmes românticos que via escondida com minha irmã, eles botavam a mão de um lado da bochecha, depois no outro e começam a se aproximar para depois encostar seus lábios. E foi o que eu fiz. Depois de um tempo, a distância que eu queria tanto que se fosse, realmente se foi. Ele segurava minha cintura como se um vento pudesse tirar meu corpo de perto do seu e acabar com o momento prazeroso. Minha nuca deveria estar vermelha por seus puxões fortes. Nessa hora lembrei de tudo o que ele havia dito e notei que Mike não havia mentido. Ele realmente tinha se magoado, realmente me amava e demonstrava tudo isso pelos seus atos, neste momento. Meus braços estavam esticados para além de sua nuca, uma de minhas mãos acariciando sua cabeça e a outra dando a volta no seu pescoço.



Com o tempo, o beijo ficou mais intenso e Mike já estava sem a camisa, pois estava com calor pela pouca ventilação da cabana. Eu ainda estava com a camisa, mas ela agora cobria apenas o meu sutiã preto. Empurrei ele de leve para termos uma pequena separação e tirei logo a blusa. Quando ele me olhou ficou paralisado, provavelmente pela minha magreza, mas não estava preocupada com isso agora. Movi meus olhos de seus olhos, para sua boca até chegar em seu pescoço. Fui calmamente em direção a ele,o beijei levemente e em seguida trilhando beijos até seu pescoço. Aos poucos consegui fazer com que ele ficasse sentado na cama enquanto eu beijava seu pescoço. Depois de um tempo a necessidade da aproximação era grande demais para fazer aquilo, então sentei em seu colo com uma perna de cada lado de seu corpo e continuamos a nos beijar. Já estava enlouquecendo com toda essa necessidade de tê-lo.



-Mike. -Disse tentando respirar.-Por favor.



Quando eu disse isso, ele instantaneamente me segurou com força pelas pernas e voltamos a ficar da maneira em que estávamos. Ele tirou a minha calça, me deixando apenas de  lingerie. Depois de algum tempo tentando desabotoar sua calça, pedi ajuda pois não estava conseguindo fazer e ele abriu a mesma. Quando ele encostou sua cintura na minha, pude notar que ele já estava querendo o mesmo que eu a muito tempo. Ele viu que eu estava encarando sua cintura e me deixou fazer aquilo, pois não queria me apressar. Assim que tive coragem, tentei tocá-lo, mas voltei instantaneamente porque não sabia o que fazer. Então olhei para Mike como um pedido de ajuda, que ele entendeu. Então tirou a cueca. Eu não sabia o que fazer e estava com vergonha de admitir aquilo, mas ele iria perceber se eu não fizesse nada.



-Não sei o que fazer. Nunca fiz isso.-Tive que admitir.



-Você ainda é virgem? Depois de todo esse tempo?-Perguntou


-Sim, tenho medo de fazer e a pessoa me abandonar. E eu estava te esperando.



Aquilo não foi um pedido para que ele tirasse o que eu achava ter de valioso, mas sim um pedido para que, pela primeira vez eu fosse de alguém além de mim mesma. Então, entre os barulhos de chuva naquela noite, pude ouvir os barulhos da cama em que estávamos, logo depois o de nossas respirações, ofegantes e pesadas. 


Notas Finais


Bom gente, sei que demorou mais esta aqui e eu perguntei no aviso se vocês gostariam que eu fizesse uma playlist, então? Vocês querem? O que acharam deste capítulo? Gostaram?me digam o que acharam pois hoje, tivemos um capitulo especial. E eu queria saber de mais uma coisa, gostariam de ter um capítulo com a Max desaparecida narrando? Se sim, deixem ai, se não também.

Beijos
😍😍😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...