História Rainbow - Jikook - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Drama, Fluffy, Jikook, Kookmin, Lemon, Romance, Taejin, Vmin, Yaoi
Visualizações 51
Palavras 1.811
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Crossover, Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Chegueei :3

Desculpem a demora, mas vamos lá!

Boa leitura!

Capítulo 11 - Eleven


— Oi bonequinha — Chanyeol disse, debochado. — Parece que o destino quer mesmo que fiquemos juntos, pois até mesmo num ambiente com milhares de pessoas, eu consigo te achar. Pena que isso que isso nunca vai acontecer, pois eu amo bucetas.

— Me solta! — Jimin retirou violentamente as mãos ásperas de sua cintura, virando-se para o encarar.

— Qual é? Vai dizer que não gosta? — riu, cínico. — Agindo assim, até parece que é hétero.

— Me deixe em paz! — Park lhe deu as costas, pronto para sair dali, mas Chanyeol o impede, segurando firmemente seu braço.

— É assim que se trata um amigo?

— Nós não somos amigos — bufou, irritado.

— Olha, eu sei que você guarda rancor por não sermos como antes, mas eu não podia me arriscar com alguém como você. Vai que você se apaixona por mim e tenta me...— Park o interrompe.

— Chanyeol, para! — Jimin explodiu-se de raiva. — Se você me odeia, perfeito! Me evite e espalhe boatos por aí como sempre fez, eu não me importo! Mas por favor, pare com isso.

— Porquê eu pararia? Todos vocês possuem um tipo de distúrbio qual a ciência não estuda profundamente — o olhou enojado, se aproximando lentamente — Se estou fazendo isso, é por que você merece, precisa saber quem você é e sinceramente...— suspirou — Você não passa de um...

— Jimin? — Ouviram uma voz próxima, que fez ambos olharem na direção de onde vinha.

— Jungkook... — foi tudo o que Park conseguiu responder.

Ótimo. Que comece a humilhação!

— É isso mesmo que estou vendo? — Chanyeol debochou. — Park Jimin encontrou um príncipe encantado? Uau, esse é corajoso.

— O que está acontecendo? — Jeon aproximou-se de ambos — Quem é você? — perguntou à Chanyeol, que apenas riu sem humor algum.

— Relaxa aí, namoradinho do Park, nós somos amigos.

— Não é o que a expressão dele me diz.

Jimin apenas ouvia tudo cabisbaixo, envergonhado demais para encarar Chanyeol ou Jungkook.

— Será que dá pra soltá-lo? — Jeon perguntou, ríspido.

— Não quer ouvir umas historinhas de seu namorado primeiro? — Chanyeol debochava, lançando um sorriso cínico à Jungkook.

Park só queria ter o poder da invisibilidade para sumir dali naquele momento. Chanyeol o conhecia muito bem, temia  de algo constrangedor sair de sua boca, não sabia como agir na frente de Jeon, só queria correr dali, poupando-se de mais humilhações.

— Solte-o! — Jungkook chegou mais próximo de Chanyeol, o maxilar trincado e punhos fechados, prestes a socar aquele rostinho angelical.

— Eu entendo, eu entendo. Eu o solto e vocês vão ao banheiro pro Jimin pagar uma oral pra você. Aposto que ele ama se engasgar no seu pau, não é mesmo? — riu.

— Desde quando isso é da sua conta? Está com ciúmes por não ser o seu?

— Você não está entendendo — bateu os pés no chão, como uma criança birrenta. — Quer tratá-lo como um príncipe, quando na verdade ele não passa de alguém que foi a porra de uma putinha de um motoboy metido, é esse tipo de pessoa que quer para a sua vida? — dizia, chacoalhando levemente o braço de Jimin, que ao ouvir tais palavras sendo proferidas de sua boca, sentiu um nó na garganta juntamente com uma ardência nos olhos.

— Legal, mais alguma coisa? — perguntou Jeon, sarcástico. — Eu estou perdendo a paciência, quer soltá-lo ou quer passar uma semana segurando um saco de gelo em seus olhos?

— Tá bom, tá bom príncipe de New York. Mas quando encontrá-lo transando com alguém desconhecido na sua cama, não diga que não avisei. — disse, olhando profundamente nos olhos de Jeon, antes de se afastar e em um movimento brusco, soltou o braço de Jimin, que apenas encarava seus sapatos.

— Você está bem? — Jungkook aproximou-se de si, rapidamente, o analisando com as mãos desesperadamente, para ver se o mesmo estava "inteiro".

— Estou. — respondeu, sem encará-lo.

— Quem era aquele cara?

— Ninguém — suspirou.

Jungkook percebeu que Jimin evitava olhá-lo, obviamente constrangido demais pelo acontecimento de minutos atrás. Apenas suspirou profundamente, antes de delicadamente pegar sua mão, começando a o guiar para a saída. Passaram pela enorme porta movimentada, onde haviam pessoas fumando, algumas conversando animadamente e outras apenas se agarrando. Jimin só conseguia enxergar seus sapatos e o piso daquele lugar, já que não olhava adiante. Quando subiram as escadas, voltando para a rua escura, Jimin fez menção de soltar a mão de Jeon, que o impediu e segurou sua mão firmemente, entrelaçando os pequenos dedos de Park ao seu, como se não o deixasse fugir.

Começaram a caminhar lentamente e em silêncio, apenas observando como as ruas ficavam bonitas com aquelas luzes coloridas que saíam das placas de algumas lojas ainda abertas, bom, pelo menos Jungkook reparava nisso. Jimin só conseguia pensar no quão idiota e patético era, nem sabia por que estava deixando Jungkook o guiar, sua real vontade era ir pra casa e madrugar vendo filmes melancólicos.

Jeon avistou um banco desocupado numa praça um tanto vazia, e achou que ali seria um ótimo lugar para acalmá-los. Guiou Park sem nem ao menos dirigir uma palavra para si, apenas soltou sua mão para deixá-lo sentar ao seu lado. Quando ambos se ajeitaram no banco de madeira, Jimin agradeceu internamente por Jeon não lhe dizer nada ou insistir em assuntos que não estava a fim. Estavam numa praça, sentados e silenciosos como se fossem dois estranhos.

Park levantou o olhar depois de um tempo, observando cada detalhe daquele lugar. Foi quando percebeu que a noite combinava consigo. As ruas escuras e desertas, faziam o lembrar que era exatamente assim que se sentia por dentro, como se não existisse Sol em seu mundinho. A brisa gélida batendo em sua epiderme, arrepiando os pelinhos de seus braços e nucas, o fazendo encolher-se ainda mais em seu assento. Achava que a noite fora feito para si, para poder compará-la com sua vida monótona e sem graça. Mas o que Jimin não sabia, era que a noite poderia ser tão bela quanto um dia de Sol radiante.

— Eu sou um merda — suspirou, encarando as mãozinhas apoiadas em suas pernas.

— Não diga uma coisa dessas, eu que sou — Jeon o encarou — Se eu tivesse te levado para a casa como queria antes, nada disso teria acontecido.

— Não é sua culpa — Jimin o olhou nos olhos — Eu que quis ficar.

— Está tudo bem mesmo? — perguntou, acariciando sua bochecha levemente usando as costas de sua mão.

— Está....eu vou ficar bem, não se preocupe.

— Não quer mesmo me contar quem era aquele cara?

— Por enquanto não — Park abaixou o olhar.

— Tudo bem — Jungkook sorriu sem mostrar os dentes. — Vem, vamos para a casa, já está tarde — levantou-se, esperando Jimin fazer o mesmo para irem ao ponto de ônibus.

[............]

— Obrigado por me trazer em casa — Jimin disse, trancando a porta, indo se sentar ao lado de Jeon.

— Não foi nada, não queria te ver andando por aí sozinho — respondeu, se ajeitando no sofá.

Jimin sorriu enquanto assistia Jeon tombar a cabeça para trás, os olhos fechados por conta da franja que caía sobre os mesmos, enquanto suspirava profundamente. O mesmo possuía uma beleza absurda que Jimin não entendia como o mesmo ainda estava solteiro, mesmo que isso soasse um tanto intrometido.

Jungkook abriu os olhos lentamente, encarando Jimin que ainda o olhava atentamente sem se mover, como se esperasse algo de si.

— Você têm roupas mais confortáveis para me emprestar? — perguntou, passando a mão suavemente pelos cabelos sedosos.

— Pra quê? — Park franziu o cenho.

— Quer mesmo passar a noite sozinho depois de tudo isso? — Jeon arqueou a sobrancelha.

— Não, quero dizer....— coçou o couro cabeludo — Jeon, você já fez demais por mim.

— Quer que eu saia agora? Tão tarde assim? Sabia que podem me assaltar no ponto de ônibus? — Jeon dizia, fingindo apavoramento, arrancando risadinhas de Park.

— Tudo bem, pode ficar. Devo ter pijamas confortáveis no guarda roupa, e se quiser, eu posso dormir no sofá, você merece mais conforto do que eu.

— Sua cama tem espaço para dois? — perguntou, vendo Jimin assentir — Então nós podemos dividir — disse, dando de ombros.

— Você está querendo dizer que vamos dormir juntos? — perguntou Jimin, um tanto surpreso.

— Algum problema pra você? — questionou tranquilamente, como se fossem amigos de longa data.

— Não, é que...Aish, tudo bem.

Ambos subiram e Jimin foi para o banho, enquanto esperava sua vez, Jungkook viu retratos espalhados pela escrivaninha, tentou distrair-se com outras coisas, mas sua curiosidade foi maior, o fazendo levantar-se para observar as fotos que ali estavam. Jeon esperava fotos em família ou em grupos de amigos, mas tudo o que haviam nelas era somente Jimin e um rapaz qual Jungkook não conseguiu identificar. O mesmo aparecia em várias fotos com os cabelos verdes, mas quando olhava para outras fotografias no canto, seu cabelo estava rosa, e em outras, estava simplesmente preto. Na maior parte das fotos, ambos estavam sorridentes e abraçados, outras estavam engraçadas como se tivessem os fotografados distraídos, o que o fez sorrir, ao ver a felicidade estampada no rostinho de Jimin. Reparou também que o cabelo de Park também mudara de cor as vezes, pois em algumas seu cabelo aparecera laranja e preto.

— Mexer nas coisas dos outros é feio, sabia? — olhou assustado para a porta, vendo um Jimin sorrindo debochado para si, secando os cabelos com uma toalha azul.

— Eu só quis ver suas fotografias, são bem bonitas.

— Obrigado. — sorriu, fazendo seus olhinhos sumirem, como se fossem dois risquinhos.

— Quem é esse? — apontou para Yoongi na fotografia.

— Min Yoongi, meu melhor amigo, ele morava aqui mas precisou ir embora, então ficou apenas eu.

— Gosto do jeito que sorri nessas fotos — admitiu Jungkook.

— Obrigado de novo, ele é um idiota, então sempre me fazia rir por nada — corou, sob o olhar admirado de Jeon.

— Pode sorrir desse jeitinho pra mim? — andava lentamente até Jimin.

— Como?

— Assim...— abraçou Park por trás, começando a fazer cócegas em sua barriga.

— Jeon! — exclamou Jimin já em meio às risadas — Eu....você..me paga.

Jimin se debatia nos braços de Jeon, que sorria bobo ao ouvir sua risada. Era tão melodiosa que o deixava encantado, mas o soltou assim que viu tom avermelhado surgir no rosto do menor. Jimin andou desnorteado até a cama, onde se jogou na mesma, tentando regularizar sua respiração.

— Por causa disso, você vai dormir no sofá — disse Park, que forçou uma voz irritada.

— Tá bom — Jeon respondeu, lhe dando as costas para sair do quarto — Boa noite.

— Ei, é mentira, volta! — Jimin apressou-se a dizer, fazendo uma careta emburrada quando viu que Jeon ria de si.

— Claro que é mentira — disse, convencido.

— Vá logo tomar seu banho — Jimin jogou a toalha em seu rosto.

Naquela noite, Jimin não soube explicar mas conseguiu dormir mais rápido do que de costume, talvez. Pode ser que o motivo seja as distrações que Jeon o proporcionou, riram tanto antes de dormir que até esqueceram-se de tudo à sua volta. Pode ser que o motivo também seja os braços de Jeon apoiados em sua cintura a noite toda, como se quisesse o proteger até mesmo dormindo.

 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado.

Eu to pensando em fazer um especial quando chegarmos ao vigésimo capítulo, mas só pra quem shippa o shipp que eu shippo. *-*

Quem entendeu, entendeu.

Não estranhem se as interações de Jikook ficarem muito gay, eu sou dessas mesmo.

Até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...