História Reinos - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Kookv, Reinos, Taekook, Taekook Abo, Vkook, Vkook Abo
Visualizações 257
Palavras 4.732
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, Boa leitura. ♡

Capítulo 20 - Coragem


O dia estava novo, ainda escuro, por serem cinco horas da manhã. Porém, Taehyung já estava de pé, tomou um banho no banheiro que a suíte tinha, vestiu a mesma roupa simples que antes.

Olhou-se fixamente no espelho, via o reflexo de sua imagem, levara a mão para o seu rosto refletido no objeto e  deixou um de socou de leve no local.

— Eu não posso ser mais fraco. — Disse baixinho, fechou os olhos e socara novamente.  — Eu preciso proteger aqueles que me protegeram. — Abriu os olhos e deu uma última olhada em si antes de sair dali.

Entrou no quarto e viu Jin dormindo profundamente, a coberta estava esparramada para longe, então Taehyung a pegou e cobriu o lobo amarelo carinhosamente.

Jamais, de jeito nenhum, acordaria Seokjin agora. Por causa do esforço dele, que estava tendo a oportunidade de fazer algo, já que antes estava impossibilitado por conta do cio. Jin já tinha trabalho de mais, seu trabalho estava concluído e Taehyung faria de tudo para concluir sua parte.

— Durma bem, Hyung. — Disse antes de sair do quarto, observou o local assim que saiu. Olhava pelo chão e viu um pouco de sangue manchado, agachou-se e colocou a mão ali, não estava totalmente seco, era recente. Sabia de quem era, na verdade, era óbvio. Quem estava ali antes? Jeongguk. — Jeonggukie... 

Estava com uma raiva que não sabia expressar, levantou dali e saiu com passos firmes dali. A cabeça erguida e peito estufado, para quem conhecia o ômega, diria que alguém havia o possuído. Porém, ele não estava possuído, essa era a parte que ninguém conhecia, a parte que apenas Jeon tinha ciência. 

Saiu da pousada, olhou para os lados e andava rápido, mas todos o olhavam, como se a aura dele chamasse atenção. Que poder, todos diziam em suas mentes. Todos os lobos sagrados tem poder, mas e o poder do mestre? 

Ah... O poder dele, era diferente. Seu poder era baseado em sua força de vontade, determinação, o que ele queria. Era capaz de assustar um oponente apenas com o seu olhar, seu olhar flamerjante cheio de várias histórias carregadas com afinco em suas costas.

Suas próprias histórias, a de todos os lobos, a de pessoas próximas a si e os lobos antigos, de todas as gerações. Um mestre deveria ser capaz de aguentar todo o peso em suas costas e proteger aqueles que eram importantes para ele e isso estava claro para o Taehyung atual.

— Ei, garoto, quer uma bebida grátis? É uma nova que eu criei. — Um senhor perguntara estendendo um copo com uma bebida branca, Taehyung olhou bem para o copo morrendo de fome, precisava saciar a sua fome, mas sabia que tinha algo errado naquilo. Olhou bem para o senhor, que parecia assustado com o olhar penetrante do outro. 

— Me dê, por favor. — Estendeu o braço para pegar o copo,  e foi lhe entregue. — Obrigado. — Disse e saiu andando com pressa dali, com o copo em mãos. Levou o copo ao nariz, o cheirando e sentindo um cheiro forte, chegou a quase espirrar. Isso só serviu para apertar o passo para seu destino.

Estava a caminho do acampamento, não estava muito distante, quase lá. Não conseguia parar de pensar em como Jeon estaria agora, e em como ele havia sido sequestrado. Um dos maiores generais do mundo, provavelmente, o alfa mais forte da Coreia, não deveria ser capturado fácil assim.

Havia acontecido algo além dos inimigos, algo que impediu Jeon de agir. Será que Jeongguk estava escondendo algo de si? Provavelmente, já que ele quer o proteger de tudo e quase nunca fala de sua vida pessoal, não, não é ele que não fala... Taehyung que nunca quis saber. Droga, era culpa dele. Mudaria isso com o tempo, assim como seus sentimentos para com o alfa mudavam gradativamente.

Chegou no acampamento e viu Yoongi e Namjoon abraçados dormindo, sentira um alívio ao vê-los bem juntos. Foi até uma grande mochila e pegou seu arco que estava lá, colocou ele em suas costas e as flechas em uma bolsa presa em sua cintura, em que seria fácil o acesso. A bebida estranha, deixou-la perto de uma árvore, longe dos alfas, caso eles acordassem.

Andara pelo local, adentrando a floresta, olhava para todos os lados até ver uma ave em um galho na árvore, mirou a flecha na ave e soltou. Acertou com êxito e viu a ave assustada, Taehyung já não estava mais com medo de agir, não estava com pena, havia se acostumado com a ideia de matar para sobreviver.

Pegou a ave e voltou para onde os alfas estavam dormindo, fez uma fogueira com a lembrança de Lisa fazendo e tentava se lembrar ao máximo das técnicas de cozinha da outra. Taehyung não sabia nada sobre culinária, sempre tinha alguém cozinhando para si.

Lisa fazia falta, não só pela cozinha, mas como companhia. Onde ela estaria também? Havia brigado com Yoongi e Namjoon? Mas pelo o que Jin tinha dito Yoongi e Namjoon também haviam brigado entre si, talvez tenham feito as pazes.

Colocou a ave no espeto feito de galhos improvisados e na fogueira, do jeito aprendido, a prendendo sobre um graveto acima do fogo. Sentou na frente do fogo e ficou observando queimar, a fumaça subindo e o fogo queimando a grande ave.

Depois de alguns minutos, tirou a ave com cuidado dali e deixou sobre algumas pedras para chamar Yoongi e Namjoon.

— Ei, meninos. — Chamava com uma voz calma, viu os olhos de ambos abrirem devagar. Logo, estavam com os olhos abertos encarando surpresos Taehyung. 

— E o cio? — Questionaram juntos.

— Jin deu um jeito sobre isso com o poder dele, agora ele está descansando. — Disse o que sabia para eles. — Vamos comer. — Apontou para a ave.

— 'Tá bom. — Yoongi falou ainda confuso, mas não preocionaria o ômega, afinal, ele também não parecia saber muita coisa.

— Vocês brigaram? — Taehyung perguntou enquanto já comia com os alfas.

— Ah... — Yoongi abaixou a cabeça no que parecia arrependido e triste. 

— A gente sim, mas já fizemos as pazes. — Namjoon falou e olhara para Yoongi que ainda parecia chateado, era sobre Lisa.

— Vamos resgatar Lisa e Jeongguk, quando ela voltar, quero ver vocês fazendo as pazes! Não por meu bem, Yoon, mas porque somos uma família. — Taehyung disse sério, assustando os alfas. — Você só dá valor aquilo que tem, quando o perde. — Falou rindo fraco, sabia muito bem daquilo, já havia provado daquela dor e bom, estava provando agora, sem Jeon.

— Entendi, obrigado Tae. — Yoongi agradeceu e Namjoon apenas sorriu.

— Sabe, estive na cidade e um cara me ofereceu uma bebida estranha, pensei sobre e acho que isso tem haver com a cidade ser tão... Anormal? — Taehyung falou e caminhou até a bebida e mostrara para os alfas.

Namjoon pegou a bebida e cheirou e na  mesma hora espirrou, Yoongi encarou o líquido e depois cheirou de leve e mostrou a língua em seguida.

— Isso deve ser horrível. — Yoongi quase berrou indignado. — Como alguém bebe isso?

— Isso é uma droga. — Namjoon analisou bem o líquido na mão do lobo branco.

— É mesmo, ninguém beberia isso. — Dramatizou,  fazendo Taehyung rir da cara do mais velho.

— Não, Yoongi, eu disse que é uma droga de droga, é realmente uma droga. É ruim, mas para viciados, deve ser como uma salvação. — Disse sabiamente.

— Isso mesmo, Hyung. — Taehyung falou sério, surpreendendo novamente os mais velhos. — Eu também acho que é apenas voltada para Ômegas, afinal, ninguém ofereceu isso para vocês na cidade, certo?

— Não mesmo... Será que a Lisa bebeu disso? — Namjoon perguntou retórico.

— Não! De jeito nenhum! Ela nunca beberia isso! — Yoongi negou.

— Se você diz. — Nam disse dando de ombros, mas por dentro estava preocupado, só não preocuparia o lobo branco ainda mais.

— Yoongi, temos que conversar. — O Kim mais novo falou olhando fixamente para o mais velho.

— Assim você me assusta! — Yoongi disse rindo fraco, mas ainda um pouco surpreso. Hoje Taehyung estava o surpreendendo, tinha certeza que o ômega estava agindo assim, para achar logo Jeongguk.

— Você gosta da Lisa? Sinceramente. — Perguntou, fazendo o lobo branco corar nas bochechas.

— Eu... Ah, eu, de verdade, não sei. Hm, não, eu sei, ah, mas... — Falou tudo atropelado, todavia quando olhou nos olhos do mestre, sentiu-se seguro, sentia o mais novo emanando empatia. — Gosto.

— Então corra atrás, mesmo que pareça tarde de mais, não minta para a realidade. Não tente esconder seus sentimentos atrás de outros, se não, você pode perder seu amor. — Taehyung disse cheio de vontade, com a voz alta, Yoongi sorriu na hora.

— Acho que Jeongguk gostaria ouvir isso da sua boca. — O lobo branco disse achando graça, mas nessa mesma hora, Taehyung corou fraquinho nas bochechas.

— Ele deveria mesmo saber sobre isso. — Disse mais acanhado, olhando para o chão. Namjoon riu daquilo, era como uma palavra mágica, basta falar sobre Jeon que já deixava o Kim todo molengo. — Na verdade, ele não, eu deveria saber sobre isso.

— Hm, como assim? — Yoongi perguntou com sobrancelhas arqueadas.

— Ah... É que eu estou perdidamente apaixonado por Jeongguk! — Disse cheio de si, mas corado.

— O quê? — Os alfas berraram alto, assustando até os pássaros. 

— Esses anos todos, estive escondendo meus sentimentos por Jeon, em uma ditadura dentro de mim mesmo, eu ditava que gostava de Shinwoo, quando, na verdade, meus sentimentos eram de Jeongguk, eu mentia para mim mesmo. — Falou sorrindo fraco, vendo os alfas felizes.  — Eu não sei como eu vivi minha vida toda tratando ele, mas eu quero me redimir!

— Isso é bom, Tae. Ainda dá tempo de correr atrás dele! — Yoongi encorajou.

— Sim, e você, Namjoon, quero ver você conversando mais com Jin Hyung. — Taehyung disse,  e viu o alfa ficar envergonhado.

— Ah... Tudo bem? — Perguntou confuso, meio nervoso. 

— Vamos ir atrás daqueles que amamos. — Taehyung colocou a mão para frente, Yoongi colocou sua mão sobre a do ômega e Namjoon sobre a do lobo branco.

—  Vamos.

Mesmo que Yoongi tenha que lidar com Hoseok e Youngjae, mesmo que Namjoon tenha que lidar com o passado triste de Jin, mesmo que Taehyung tenha que lidar com suas próprias ações, com uma lenda, uma doença e Jimin, não desistiram jamais das pessoas que amam.

Nunca é tarde para ir atrás daquilo que ama.



(...)


Taehyung andava calmamente pela cidade junto de Namjoon e Yoongi, haviam decidido que deveriam olhar a cidade primeiro, depois achar o lobo verde, aliar-se e achar Lisa e Jeongguk.

O ruivo viu um ômega de cabelos rosas, e um senhor diferente da última vez oferecendo a mesma bebida.

— Olhem lá. — Taehyung apontou e os alfas olharam abismados com a naturalidade com que o senhor entregava a droga para o de cabelos rosas, esse que curvou-se em questão de educação e recusou.

— Um ômega sozinho de cabelos rosas, wow. — Yoongi disse analisando o outro das cabeças aos pés, o ômega virou para eles e parece ter travado, os olhos deles foram para Taehyung, onde o olhava com um olhar penetrante. Viram o rosado olhar para os alfas também e procurar alguém em volta deles.

— Jeonggukie... — Taehyung tinha certeza que ouviu o ômega chamar o nome do alfa, mas logo perderam o rosado de vista.

— Por que eu sinto que ele era importante? — Yoongi perguntou confuso, seu instinto estava quase berrando consigo para não perder aquele ômega de vista.

— Eu também sinto isso. — Namjoon acrescentou passando a mão no próprio cabelo, suspirando.

— Sinto como se ele tivesse chamado por Jeonggukie, acho que estou ficando louco. — Taehyung disse, deixando os alfas surpresos.

— Eu também vi. — Yoongi falou assustado. 

— Então somos três loucos. — Namjoon estava realmente surpreso com aquela situação.

— Eu o chamei porque eu estava o procurando. — Escutaram uma voz próxima e viraram-se, encontrando o mesmo ômega de antes com as mãos no bolso. — Cadê o Jeongguk!?



(...)




Jeongguk estava acorrentado, em um local com pouca iluminação, morrendo de fome e sede. Estava acabado, seus braços e pescoço presos a correntes de ferro, suas pernas não estavam presas a nada, porém ele estava sem força nenhuma.

Viu a porta ser aberta, um cara encapuzado com uma garrafa de água na mão direita e um pão na outra, jogou tudo na frente de Jeon.

— Coma e beba. — Falou rígido, não demorou muito para Jeongguk avançar com a pouca força que tinha na comida. Comia com vontade e jogava a água contra a sua boca desesperado, como se fosse morrer a qualquer momento. 

O cara olhava ele comendo encostado na porta do local, dava para ver um corredor branco, diferente da sala preta com apenas uma janela pequena de iluminação. Quando Jeon terminou de comer, o cara saiu da porta e foi para frente do alfa.

— Trabalhe conosco e saia dessa sala bem. — Disse agachando-se para enxergar o rosto do outro, esse que olhava com um ódio, uma garra sem igual para si, que fazia o cara exitar de chegar perto apenas com o olhar penetrante.

— Eu não vou me juntar a vocês nunca, nem que eu morra, jamais trairei aqueles a quem jurei fidelidade. — Falou olhando nos olhos do mascarado, onde só dava para enxergar os olhos, o nariz e a boca. — Sua máscara é feia. — Caçoou.

— Como!? — Perguntara quase berrando irado, dando um tapa na cara do alfa, que não manteve a cabeça abaixada. — Feia pode ser a cara daquele ômega no cio, se você não colaborar. 

— Não encoste nele! — Disse ficando ainda mais irritado, mas não conseguia usar sua presença, provavelmente, havia algo nas correntes que o prendia impedindo o uso de tal.

— Pensa nisso, ou você se alia com a gente ou diga adeus ao ômega e seus coleguinhas. — Falou rindo sarcástico, saindo e trancando a sala.

Jeongguk deixou-se relaxar as costas no mármore gelado, agarrou os joelhos com força, escondendo o rosto em meio a suas pernas. Lágrimas começaram a descer pelo seu rosto sem parar, estava cansado.

Estava cansado, mas odiava se sentir assim, parecia vulnerável. Enquanto ele ficava ali jogado, Taehyung poderia estar precisando de si, a ideia de ter o ômega necessitando dele e ele não estar lá, deixava-o mais triste.

Ele não queria trabalhar com os caras, mas era o único modo que via de proteger Taehyung e o outros. Não! Ele nunca se aliaria ao inimigo, Jeongguk precisava confiar nos outros, confiar que dariam de conta de tudo e viriam o buscar. 

Aguentaria até que eles viessem, também não iria fingir se aliar aos inimigos só para dar um jeito de escapar. Era fiel, só prometia algo que cumpriria firmemente. Se bem que, estava falhando agora mesmo, Taehyung poderia estar correndo perigo.

— Isso é tão problemático. — Largou-se no chão, de barriga para cima, estava sentindo apenas suas lágrimas escorregarem por seu rosto. Por algum motivo, sentiu uma sensação diferente, uma nostalgia? Quem sentiria uma nostalgia daquilo? Ah, é mesmo, antes de ser adotado pelo rei do leste, eu vivia assim.

"A sensação de retornar a merda, me deixava extasiado. Eu não queria retornar para aquilo."


Sem sol, na escuridão. Em uma vida sem Park Jimin, uma vida sem Kim Taehyung, uma vida sem família, uma vida sem nada... Abaixou a cabeça e sentiu a sensação vindo novamente, algo que aumentava seu choro sem parar. 

"Traumas, eu os odiava, ali sem nada, o que eu poderia fazer sobre aquilo? Eu era um lixo que logo seria descartado."



Levantou do chão e começou a puxar as correntes com força, querendo sair dali, berrava alto, mas tudo que acresentava era sua garganta sem voz e pulsos doloridos e vermelhos, que ficariam roxos em breve.


"A dor era a minha amiga, e aliviava meus pensamentos."



— Me tira daqui! — Berrou entre lágrimas, enquanto puxava as correntes com força. — Por favor. — Falara baixinho deixando os joelhos cederem e cair no chão chorando.


"Eu vivia de ajudar os outros, mas ninguém podia me salvar, estava perdido."


— Estou perdido. 





(...)



— Bom dia, bela adormecida. — Hoseok disse sentado ao lado da cama em que Lisa havia dormido, estava apoiado na cama olhando bem para a ômega.

— Bom dia. — Disse  coçando os olhos.

— Dormiu bem? — Perguntou sorrindo.

— Dormi muito bem, acho que foi minha melhor noite de sono da minha vida toda. — Lisa confessara sorrindo sincera, fazendo o alfa rir.

— Uma princesinha como você, dormindo mal? Que pecado. — Falou rindo.

— Eu não sou uma princesinha. — Fechara os olhos. — Acho que eu sou bem ao contrário.

— Para mim, você é uma princesa linda. — Em um ato rápido, mais um selinho.

— Ei! — Disse com a mão na boca, corada. — Pare com isso!

— Não posso prometer isso. — Hoseok riu alto. — Levate da cama e vá tomar café, lave a boca, ninguém merece um fedor desses, eca! — Tampou o nariz.

— Idiota! — Berrara envergonhada.

Hoseok saiu do local com as mãos no bolso, andando tranquilamente.

— Ela é mais forte do que ela pensa que é. — Disse rindo baixinho. — Um diamante sujo que só precisa ser polido.

— E você vai polir ele, Hoseok-ah? — Eri que estava na porta do quarto encostada. 

— Aos poucos, se não é muito trabalhoso. — Dera de ombros fazendo pouco caso. — Mesmo que eu queria do fundo do meu coração, vê-la polida.

— Só você mesmo, Hoseok. — Disse entrando no quarto para ver Lisa.

Hoseok saiu dali, indo para o convés, vendo a tripulação toda olhando para um único lado.

— O que foi? — Perguntou em tom alto , estava curioso. 

— Um navio. — Um dos piratas respondeu rapidamente. — Ele vai nos atacar!

— Droga! — Um beta saiu correndo para a manejar o navio para longe dali, todos viram um canhão apontado para si e em questão de segundos, a bala de canhão estava vindo em direção a eles.

— Chamem a dona Eri! — Hoseok ordenou correndo em direção da onde a bala ia acertar, e em um piscar de olhos, todos viram Hoseok voar e em um chute, a bala estava voltando para o navio da onde veio. Jung aterrissou no navio, limpando o suor. 

— Oh! Seokie! Nice! — Uma alfa passou o braço pelo pescoço dele, o parabenizando.

— Não tenho interesse em alfas, Noona. — Disse zombeiro antes de receber um tapa no braço. — Não se bate no cara que você ama, Nashi Noona. — Mostrou a língua e saiu correndo antes que levasse mais um tapa.

— Nós fomos atacados? — Lisa perguntara preocupada, aparecendo no convés.

— Sim, mas a você não precisa se preocupar que o Oppa vai te proteger. — Hoseok piscou.

— Mas por que eles estão nos atacando? — Ignorou o comentário do alfa vendo o barco inimigo pegando fogo.

— Inimigos, aquela bebida que você bebeu, a culpa é deles, com direito a tráfego de ômegas. — Contara com uma feição séria, o que Lisa não tinha visto ainda no rosto do alfa em sua estadia ali, mas não era hora para pensar naquilo, até porque aquilo era sério.

— Então era isso que cercava essa cidade. — Falou suspirando pesado. — Nós temos um problema, leve-me de volta à terra.

— Fora de cogitação deixar você sozinha, não deixo ômegas sozinhos. — Disse voltando a serenidade que emanava sempre.

— Então me leva até meus... Hm... Colegas? — Perguntara, mas logo balançou a cabeça. — Não precisa, sério, posso me virar para achar eles.

— Vocês brigaram, você não se sente confortável de ficar com eles ainda, gostaria de cuidar de você, mas eu não posso largar o navio. — Hoseok suspirara pensativo.

— Hoseok-ah! Eu acho que deveria trazer os colegas dela aqui, para explicarmos o que acontece na cidade. — Eri disse sorrindo. — Vamos ir para a terra.

— Vocês não precisam se incomodar comigo, sério. — Lisa falou sorrindo sem graça.

— Pode ser, estou louco para conhecer o alfa miserável que te machucou. — O lobo verde disse rindo fraco, queria saber quem era mesmo.

— Ah, mas não se encrenque com ele. — A menina disse cedendo.

— Não vou. — Hoseok disse dando de ombros, e a ômega não sentiu firmeza naquela afirmação. — Vou me arrumar para encontrar seus colegas. — Virou-se de costas e pela primeira vez, Lisa se tocou de algo importante que havia apagado de sua mente. Pelagem verde. Verde, lobo verde, pêlo. Ó céus, que tipo de humano sem ser Jeongguk, jogaria uma bola de canhão para longe?

— Você finalmente percebeu. — Escutou a voz de Eri ecoar e olhou para trás, vendo a senhora fumando.

— Então você sabe quem eu sou? — Lisa perguntou suprimindo os lábios nervosa.

— Sei, você é amiga dos outros lobos e de Jeon Jeongguk. — Falou simplista se aproximando, apoiando no navio, e observando o mar.

— Eu estou confusa. — Disse exprimindo os lábios, como ela havia descoberto?

— Eu só suspeitava, na verdade. Nenhum ômega fica tantos dias sozinho naquela cidade, você era especial, quando você chegou, os lobos também chegaram, só liguei os fatos. — Riu fraco com o espanto da mais nova.

— Do jeito que você fala, isso é um problema? — Perguntou com medo.

— Hoseok não quer se juntar com vocês. — Eri explicou. — E eu como capitã desse navio, entendo que é como uma obrigação dele, mas não posso o deixar ir quando nós precisamos dele para destruir o mal dessa cidade.

— Tenho certeza que meus colegas não vão sair daqui sem resolver isso, de qualquer jeito. Na verdade, acho que podemos nos aliar, certo? Vocês tem informação, e a gente tem força. — Lisa olhou nos olhos da mais velha. — Depois vemos como faremos com Hoseok, o que, no final, ele vai querer fazer.

— Gosto dessa ideia, e também do seu olhar. — Falou sorrindo. — Mas não vou me aliar com vocês, não conheço direito. — Ainda com um sorriso no rosto.

— Como eu posso fazer para nos mostrar de confiança? Por favor! Esse pode ser o único jeito de achar meu companheiro que foi sequestrado! Eu faço qualquer coisa. — Começou a se desesperar, daria um jeito de salvar Jeongguk.

— Você só precisa provar coragem, eu sei que você é de confiança, afinal, não fez nada que provasse ao contrário até a agora e eu já disse que gosto do seu olhar. — Eri comentava enquanto tragava seu cigarro novamente.

— Como eu posso provar minha coragem, então? — Perguntou segurando sua calça larga com força.

— Existe um medicamento muito importante, o melhor, mas ele fica no mar. — Eri falou olhando para a menor que trajava uma feição séria. — Na parte mais perigosa, conhecida como Cabo dos Pesadelos.

— Tudo bem, ele fica no fundo, certo? Como ele é? Você vai me levar até lá? — A ômega disse decidida.

— Ele é na cor branca, é como uma alga. — A beta riu fraco. — Não se preocupe em ir, nós vamos lá agora, só se preocupe em pegar na hora e não morrer de medo e nem ser levada pelo mar.

— Eu não vou morrer de medo e nem falhar, obrigada pela chance. — Lisa reverenciou.

— Tudo bem, se você falhar, esquece a ajuda. — Eri disse e viu Hoseok voltar todo sorridente.

— Para onde vamos mesmo? — Perguntou animado.

— Lisa irá pegar a planta no Cabo dos Pesadelos. — Um dos marujos que viu tudo contou assustado.

— O quê? Não! Lá é muito perigoso! — Hoseok ralhou com Lisa.

— Hoseok, por favor, é a única chance que eu tenho de poder salvar meu amigo. — Lisa pediu manhosa. 

— Isso é muito perigoso para um ômega! — Balançava a cabeça negativamente.

— Eu não sou uma ômega comum, eu nasci em meio a morte, eu nasci como um nada. Eu, com certeza, não sou uma ômega que tem que ser protegida por um alfa. — Falou firme, fazendo Jung sorrir, mas ainda preocupado.

— Eu ainda não acho certo! — O alfa cruzou os braços com um bico. — Mas se der algo errado, eu não vou exitar em pular na água para te ajudar. — Antes que Lisa falasse algo, viu o mesmo a abraçar com força.

Eri só sorriu ao ver a cena, e olhava para o mar, o Cabo dos Pesadelos não era tão longe quanto todos pensavam. O vento era forte, fazendo o navio chacolhar, a água era agitada, muito agitada que uma ômega tão magra e sem força como Lisa, seria levada num instante, até Hoseok com a força de suas pernas encontrava dificuldade de nadar ali.

Lisa saiu do abraço do lobo verde e olhou para o mar, suspirou e fechou os olhos.

Para salvar Jeongguk, para pode encarar os outros. Tudo o que ela fazia era cozinhar e ajudar com o mapa, não poderia reclamar de Taehyung, pensara nisso na sua estadia ali. Queria se redimir, Lisa não é chata, não é mesquinha, também não é folgada, muito menos injusta.

Ela era só uma ômega machucada, ninguém sabia o motivo pelo qual ela era tão magra, mas, por incrível que pareça, Lisa era assim por questão de sobrevivência. Ninguém reparava como ela raramente ficava cansada com as caminhadas, ela é uma ômega forte.

Subira na prancha do navio com cuidado, andava com passos firmes e cuidadosos até o fim da prancha.

— Eri Noona, isso é mesmo necessário? — Escutou a voz de Hoseok.

— Cala a boca, Jung. Deixe-a enfrentar os obstáculos, ela precisa mostrar a força que tem escondido dentro de si!

— Não tem outros métodos disso? Ali é muito perigoso! — Novamente o lobo verde, antes que ouvisse mais algo, pulou na água. 

A água era mais forte do que esperava, estava ferrada.


"Jeongguk-ah, eu te acho incrível, como você segura as pontas mesmo morrendo. Você consegue ser especial, é forte e legal, realmente te admiro.

Namjoon-ah, a sua inteligência é esplêndida! É como um livro e sinceramente, eu amo livros. Meu sonho é ter uma coleção deles... Ver você, me faz querer continuar a ter esse sonho. Eu quero ser como você!

Seokjin-ah, quando você estava se sacrificando por mim, eu fiquei tão surpresa. Você tem coragem e um bom coração, em pouco tempo, já é tão amado.

Yoongi-ah, ah, você, eu gostaria de te perto de mim sempre. Você é inteligente, legal, bonito e mesmo que você não perceba, tem muitos ômegas que se atraem por você, apenas por você ser você. Quando você acredita que algo é certo, segue aquilo e tem amor próprio. Eu, de verdade, desculpa pela briga anterior, você está certo, eu sei, me desculpa por explodir e te causar confusão. 

Hoseok-ah, Jung Hoseok! Por que você foi assim comigo? Huh? Você me deixa alegre, quando eu estava em colapso, você segurou a minha mão, até mesmo quando você me beija do nada, você me deixa feliz. Eu gosto tanto de você, mas tanto, que eu não consigo expressar com palavras.

Taehyung-ah, me desculpa, eu sei que desde o início eu tenho pego pesado contigo, mas eu percebi como você cresceu com os erros e isso é extraordinário. Eu quero lutar como você, e melhor que isso, eu quero lutar ao seu lado, como amigos. Será que mesmo depois disso tudo causado pela minha teimosia, eu tenho o direito de estar ao seu lado? Assim como eu não sou uma ômega delicada, você não é mais o príncipe miando. Nós somos mais parecidos do que aparentamos."


Levantou a cabeça e iria lutar.


"Youngjae, eu não tenho palavras para você! Eu te amo! Você não é um sacerdote louco, na verdade, você é louco, mas não pelo motivo de ser sacerdote. O motivo é por ter me acolhido, ninguém acolhe uma garota toda ferrada e de outra nacionalidade. Obrigada! Por você, eu fui capaz de chegar até aqui."


Mesmo que você esteja cansada ou cansado, nunca pare de lutar, mesmo que nao pareça, existe pessoas que estão esperando por você. E existe uma pessoa em especial que torce pela sua vitória, você mesmo... Ame a si mesmo, você precisa disso, amar a si mesmo não é egoísmo. Entenda que quando você se sentir a vontade consigo, vai conseguir entender seu coração. Lisa só pode entender isso naquela situação complicada, mas não desistira nunca, nunca é tarde para mudar e é com os erros que se aprende. 


Agora, Lisa vai mostrar o que aprendeu.


Notas Finais


Olá! Depois de dez séculos... Eu gostaria de pedir desculpas por não ter postado antes, mas aconteceu tantas coisas nessas semanas!

E também, gostaria de pedir desculpas porque eu vou mudar as datas de postagem! Agora será todo o sábado. Por quê? Porque eu estudo no ensino médio e tenho tanta coisa nesse final para fazer, por isso, só até minhas aulas acabarem, eu vou ficar postando aos sábados! ♡

Espero que tenham gostado do capítulo! ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...