História Sarang Haeyo - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jimin, Policial, Romance
Visualizações 17
Palavras 2.403
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpe pelos erros e boa leitura.

Capítulo 6 - Capítulo 5


Fanfic / Fanfiction Sarang Haeyo - Capítulo 6 - Capítulo 5

O dia passou até que tranquilo na delegacia, o assassino não deu as caras até agora, a vítima que salvamos recebeu alta essa tarde e já prestou seu depoimento, então não tinha mais nada o que se fazer.

- Você não vai? - olhei em direção a porta e vi Tae com a cabeça para dentro da sala.

- Ir para onde Tae? - passou a mão nos cabelos os puxando para trás. 

- Esqueceu? O chefe nos chamou para comer carne. - bato a mão de leve na testa.

- É verdade esqueci. - Taehyung riu e eu o olhei sorrindo. - vamos então? - ele assentiu, me levanto e caminho até a porta. - por falar nisso onde você estava Taehyung? disse que ia ao banheiro é não voltou.

- Eu fui ao banheiro, mas quando estava voltando esbarrei em uma garota, então não pude perder a oportunidade. - ri de sua cara, bem que S/n disse, por falar nela cadê ela.

- Tae viu a S/n ?- perguntou quando chegamos ao meu carro. 

- Ela saiu antes deu entrar na sua sala. - ele dá de ombros e entra no carro assim que destravei as portas. - ela disse que tinha que resolver algo antes de ir para casa do chefe. 

Dirigia em silêncio enquanto o Tae cantarolava uma música que tocava na rádio, um tempo depois paramos em frente a casa do chefe e dava para ouvir algumas vozes e uma música ambiente tocando.

Tae saiu do carro e logo depois eu, mas antes de entrar deixei minha arma no porta luvas, entramos juntos na casa do chefe e sua esposa nos guiou até o quintal dos fundos onde algum dos nossos amigos e que estavam na reunião estavam. 

Sentada em uma mesa conversando com o chefe estava S/n ela usava um vestido? Era a primeira vez que eu estava vendo ela de vestido, ele era florido de alças apertado até sua cintura e solto até o meio de suas coxas, o cabelo estava em um coque bagunçado em seus pés estavam uma sapatilhas, ela estava linda e ria de algo que o chefe dizia.

- terra para Jimin. - recebi um peteleco na testa. - acorda. 

- Ai Taehyung! - coloco a mão na testa e o mesmo se distancia rindo.

O sigo até a mesa onde está o chefe e cumprimentamos o mesmo, Tae senta ao lado do chefe restando assim a cadeira ao lado da S/n, me sento e ela me olha.

- Desculpa por não esperar por vocês. - faz bico e uma vontade de beijar ela ali mesmo me consome mas me seguro. 

- Tudo bem. - sorri e ela retribuiu o sorriso para mim, toquei em seu braço ferido e vi os pelos do seu corpo se arrepiar. - está melhor? - ela me olha. 

- Está melhorando, eu já troquei o curativo. - ela disse entrelaçando nossos dedos por baixo da mesa, a olho e ela sorri, nossas mãos unidas me davam uma sensação tão boa, uma sensação de paz.

Todos riam e brincavam uns com os outros durante todo o jantar, S/n uma hora ou outra tocava minha perna ou segurava minhas mãos discretamente para ninguém percebe, ainda mais que Yoora estava ali presente e nos olhava de cara feia, Taehyung contava suas histórias de como foi seu ano no Brasil e de como conheceu a S/n, em determinado momento da conversa seu celular tocou e ela olhou a tela e bufou irritada.

- Com licença. - ela se levantou e sumiu da minha visão entrando na casa do chefe.

- Com licença. - perguntei a esposa do chefe onde era o banheiro como pretexto e entrei na casa.

Vi a porta de saída aberta e segui naquela direção, S/n parecia irritada ela esbraveja, passava a mão no rosto e por fim desligou a chamada, se virou na minha direção e me encontrou com as mãos no bolso a olhando. 

- Tem muito tempo que você está aí? - perguntou colocando o celular no bolso do vestido, assenti. - Então você ouviu tudo? - assenti. 

- Ouvi, eu ouvi mas não entendi nada. - ela sorriu e eu me aproximei dela a abraçando. - Porque ele continua te ligando? - ela levantou a cabeça e me olhou. 

- Ele quer voltar. - sinto meu peito se aperta ao ouvir aquilo. - Mas eu não quero e nem vou, acho que vir para cá foi a melhor coisa que me aconteceu. - levo minha mão até seu rosto e faço um carinho com o polegar na maçã do seu rosto. 

- Porque? - pergunto ao vê-la fechar os olhos aproveitando do meu carrinho. 

- Porque conheci você. - parei o carinho surpreso com sua confissão e ela abre os olhos. - tudo bem Jimin? - ela me observa.

Selei meus lábios no dela ela sorriu com os lábios junto aos meus, e voltamos separados para o quintal de novo, as horas foram passando e o pessoal começou a ir embora restando assim eu e S/n.

Nos despedimos do chefe e da sua esposa e entramos no meu carro, o caminho até o prédio dela foi feito em silêncio, parei em frente ao prédio e ela soltou o cinto.

- Obrigada Jimin! - sorriu e olhou para frente. - Jimin? - sua voz saiu baixa mas eu pude ouvir, e virei minha cabeça e sua direção e ela me olhou. - quer subir? Eu vou ver um filme se você quiser pode assistir comigo. - assenti sorrindo e saímos do carro. 

Depois que subimos ela disse que ia no banheiro e me deixou na sala sentado no sofá, escuto passos vindo do corredor e me viro para olhar, S / n vinha com uma coberta, sentou-se ao meu lado e ligou a tv colocando em um filme ao qual brigamos para escolher, me aconcheguei e ela fez o mesmo, a puxei para perto de mim e ela sorriu nos cobrindo. 

Era para estarmos prestando atenção no filme, mas no meio dele começamos a nos beijar, puxo ela pela cintura fazendo ela se sentar no meu colo, apertei sua cintura fazendo ela suspira com os lábios próximos aos meus.

- Tem certeza? - digo ao sentir ela levantar minha camisa. 

- Tenho. - ela disse olhando nos meus olhos, sorri e a beijei novamente. 


[...]


Acordei ouvindo o som de tv ligada, olhei para o lado e sorri ao ver a S/n deitada ao meu lado de bruços dormindo, deitei de lado tomando o máximo de cuidado para não acordá-la, toquei seus rosto e dedilhei delicadamente cada traço do rosto dela.

Quando meus dedos chegaram aos seus lábios ela sorriu e abriu os olhos, ficamos um tempo só nos olhando em silêncio, o que ela fez comigo? como pude gostar de uma pessoa assim então pouco tempo, nem parece que esse sou eu.

- O que tanto pensa? - ela apoiou a cabeça nos seus braços.

- Em como em tão pouco tempo alguém pode mexer tanto comigo. - ela sorriu ladino e escondeu o rosto nos braços, me aproximei dela e beijei seu ombro. - O que você fez comigo? - ela levanta a cabeça e me olha. 

- Não sei. - sorriu e deu de ombros. - porque eu também não sei o que você fez comigo. - ela se aproximou e me deu um selinho. 

- Temos que ir trabalhar. - ela fez bico, e eu sorri beijando seu ombro. - Jimin? 

- Ok! - me levanto e ela tampa o rosto. - Você não quis tampa o rosto ontem. - sorri ladino. 

- Para Jimin. - ela disse ruborizada, coloquei minha cueca e me sentei no sofá para colocar a calça, ela se levantou do sofá enrolada na coberta, puxei a coberta fazendo ela sair do corpo dela. 

- Acho que não quero ir trabalhar. - disse sorrindo, ela negou sorrindo e foi em direção ao quarto. 

Depois de nós vestimos e eu passar no meu apartamento para tomar um banho e trocar de roupa, fomos encontrá Taehyung na cafeteira próximo a delegacia. 

Nós dois estávamos sentados em uma mesa, S/n se inclina um pouco e me dá um selinho, olho para o relógio e Taehyung como sempre estava atrasado.

 - Tae deve ter dormido demais. - S/n disse se ajeitando na cadeira, concordei dando um gole no meu café, o celular dela tocou e eu a olhei, ela tirou o aparelho de dentro do bolso traseira e olhou para tela de cenho franzido. - número desconhecido, vou ali fora atender, já volto. - me deu um selinho e saiu com o aparelho no ouvido. 

Um tempo depois Taehyung aparece na porta da cafeteira, aceno para ele sorrindo e ele retribuiu o aceno vindo na minha direção e sentando na cadeira. 

- Cadê a S/n? Pensei que ela ia estar com você. - o olho de cenho franzido, como assim ela não está lá fora?

- Ela não está lá fora? - ele nega dando um gole no meu café. - Taehyung tem certeza? Ela disse que ia atender o telefone ali fora. - passo as mãos nos cabelos nervoso. 

- Claro que tenho, ela não está lá. - ele me olha e pega o celular. - vou ligar para ela. - ele disca o número dela rapidamente e coloca no ouvido. - Só está chamando. 

Pego o meu celular e tentou uma, duas, três, quatro vezes e nada, pago a conta e vou para delegacia talvez ela esteja lá, entro na delegacia acompanhado por Taehyung e começamos a perguntar se alguém a tinha visto, mas todos disseram que ela não havia chegado ainda, passo as mãos no rosto e olho para Taehyung, meu celular então toca, tiro ele do bolso e vejo o nome dela reluzir na tela.


Ligação on


- Onde você está? - escuto a respiração dela. - S/n? - Taehyung me olha.

- Acho que você errou. - era uma voz masculina. 

- Quem está falando? - digo sério. - Cadê a detetive S/n? - Taehyung me olha preocupado. 

- Poxa você me procura a tanto tempo e não sabe quem eu sou. - riu e meu coração parou na hora, ele está brincando? Ele não a pegou? Taehyung me sacode e eu volto a respirar. - ficou sem fala Detetive Park? 

- Se você encostar em um fio de cabelo dela eu te mato seu desgraçado. - esbravejo e todos da delegacia me olha, ouvi sua risada. 

- Fica tranquilo eu não vou encostar em nem um fio de cabelo dela, só não garanto no resto. - fecho minhas mãos e punhos. - Ah e a menina ao qual vocês salvaram ela também está comigo, tente me achar antes que seja tarde. - ele riu e antes que pudesse responder ou fazer qualquer pergunta ele desliga.


Ligação off


- DROGA! - jogo o celular contra a parede e vejo ele se quebra. - ele a pegou Taehyung, ele a pegou. - sussurrei a última parte.

Taehyung passa a mão nos cabelos e me olha, a minha sensação de paz vai embora e uma vontade de chora me invade, tenho a sensação de me desligar do mundo e a imagem dela dormindo hoje cedo e a única coisa que vejo na minha frente. 

Braços me rodeiam e sinto meu rosto molhar, um grito escapa da minha garganta e um medo de nunca mais vê-la começa a aparecer. 

- Vamos acha-la Jimin. - Taehyung me aperta. - Nós vamos acha-la. - sua voz embargou indicando que ele também queria chorar.


[...]


Uma, duas, três, quatro semanas e nada dela, nada de sua voz me chamando, nada do seu sorriso, nem seu cheiro eu sinto mas, já procuramos em todos os lugares mas nem sinal dela é da vítima que salvamos. 

Apoio meu antebraço na mesa e abaixo minha cabeça, como todos os dias deixo as lágrimas saírem sem me importar com quem vai ver, eu só queria ouvir sua voz, saber se está viva e poder dizer que eu a acharia custe o que custar, meu celular toca e eu atendi sem ver quem é


Ligação on

- yeoboseyo? - digo choroso. 

- Jimin? - era ela! sua voz estava fraca mas era ela, me levanto rápido da cadeira. 

- Onde você está? - escuto sua respiração. - S/n?

- Estou aqui. - ela gemede de dor. - você precisa achá-la Jimin, tem que nos achar. - ela começa a chorar. - tenho que desligar ele está chegando, rastreia. - e então a ligação cai.


Ligação off


Caio sentado, penso no que ela falou “rastreia” como não pensei nisso antes, não pensei pois o mesmo nunca havia usado um celular, saio da sala correndo e procuro por Taehyung, entro em sua sala e ele levanta a cabeça me encarando. 

- Precisamos do Yoongi hyung. - ele franze o cenho, mas parece entender pois pega o celular e liga para o mesmo. 

Yoongi e o melhor rastreador da polícia e literalmente consegue achar uma agulha no palheiro, além de rastreador ele é hacker ele foi eleito o número 1 da Coreia, se formou junto comigo e com Taehyung. 

- Ele está vindo para cá. - Taehyung disse ao desligar o celular. - o que te vez pensar no hyung?

- S/n me ligou e disse para rastreamos. - olhei. - eu não pensei nisso antes, pois ele nunca havia entrado em contato conosco nas outra vítimas por isso nem cogitei essa possibilidade. 

Eu batucava com as pontas dos dedos o tampão de vidro da mesa, toda essa espera estava me deixando nervoso, Taehyung cruzou a porta com Yoongi logo a trás com uma mala, ele vestia calça jeans rasgada no joelho e uma camisa branca, em seu coldre preso que pegava os dois lados de seu tronco tinha duas pistola. 

- Quem eu tenho que achar? - sorriu de lado e me olhou. 

- Um assassino. - Yoongi assentiu e abriu sua mala tirando de lá um notebook. 

Dei a ele o número do celular da S/n e ele passou a procurá, ele olhava a tela do notebook concentrando e quando um sorriso ladino apareceu no seu rosto eu sabia que ele a tinha achado.

- Aí está. - virou a tela para mim e puder ver sua localização. - não é muito longe daqui e pelo que parece e um galpão abandono. - ele disse cruzando os braços. 

Aguenta firme S/n estou indo te buscar, só aguenta mais um pouco eu estou chegando. 

- Taehyung? - ele me olhou. - liga para os alfas.


Notas Finais


E agora S/n foi rapida? Quem são os alfas? será que S/n está bem?

Espero que tenham gostado, não? ! Tudo bem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...