História Se Você Souber Que Eu Te Amo - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kuroko no Basuke
Personagens Akashi Seijuro, Alexandra Garcia, Aomine Daiki, Furihata Koki, Himuro Tatsuya, Kagami Taiga, Kise Ryouta, Kuroko Tetsuya, Midorima Shintarou, Momoi Satsuki, Murasakibara Atsushi, Takao Kazunari
Tags Akafuri, Aokuro, Gay, Kagakuro (de Leve), Midotaka, Muita Viadagem, Nada De Pwp, Nash Gold Jr, Romance, Sexo, Silver, Yaoi
Visualizações 47
Palavras 2.597
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


1) Não tem dia exato para postar capítulos
2) Se não gosta de Homossexualidade, pegue o seu banquinho e saia de fininho
3) Esse é meu "OTP", esteja avisado caso queira critica-lo
4) Espero que gostem

*ESSA SERÁ UMA LONGFIC. EDITADA POIS INICIALMENTE SERIA UMA ONESHOT*

Capítulo 1 - Capítulo Um - Chuva De Primavera


#Capítulo I

*Aomine Daiki*

   Juro que se á qualquer momento minha mãe me chamar dizendo que tem tal de “Kagetora” querendo falar comigo, peço para que me mate. Sério, se eu soubesse que o jogo contra a Jabberwock iria ser tão cansativo tem teria aceitado, além de jogarmos novamente com a Seirin como uma “despedida” para o Bakagami. Aliás, como deve estar Tetsu? Kagami era sua luz, e ele foi morar na América novamente para se tornar um jogador da NBA.

   Ainda são duas horas da manhã, normalmente durmo mais cedo que isso (apesar de ter o teto da Touo para descansar amanhã), mas sempre que eu fecho os olhos à imagem do Gold batendo em Tetsu aparece. Aquele Gold idiota, se não fosse por Akashi com certeza o teria matado, todos da Jabberwock são um pé no saco, seu estilo de jogo é bem mais violento do que o meu e o de Kagami, é como se estivessem em uma briga de rua e fazem de tudo para ganhar. Mas o que mais me irritou, foi chegar naquela boate e encontrar aquela situação, quase perco minha peçonha por Gold ter tocado em Tetsu.

   AHHHHH... Ainda estou com raiva, mesmo que eles já tenha ido embora do Japão! Tetsu... Será que ele está bem? Talvez um pouco triste que Kagami tenha o deixado, mas Kuroko entendeu que é o sonho daquele idiota que... Foi embora... E se ele foi embora, significa que Tetsu não tem mais uma luz... E sem uma luz...

  Levantei-me rapidamente tendo uma pequena queda ao tropeçar em meu lençol e bater meu rosto contra a cadeira rotativa. Maldita. Olhei para a porta vendo se minha mãe a abria, felizmente não aconteceu, soltei um suspiro de alivio e me levantei com a ajuda da cadeira e em seguida a empurrei para bem longe, puxei o cabinho do abajur da minha mesa fechando os olhos por um momento, depois peguei meu celular desbloqueando-o e procurando o nome de Tetsu logo lhe enviando uma mensagem.

Aomine Daiki: Tetsu está acordado? [Mensagem Visualizada ás 02:53]

  Assim que vejo “Tetsu está digitando” sinto meu coração bater um pouco mais rápido, eu (na verdade) não esperava que ele fosse me responder.

Tetsu: Estou.

Aomine Daiki: Eu queria saber se não queria ir á algum lugar comigo amanhã. [Mensagem Enviada ás 02:54]

  Fiquei olhando aquela mensagem e imaginando a cara de Tetsu quando lhe enviei isto, é claro que iria demorar em ele me responder, então pressionei a conversa de Kise que havia me enviado uma mensagem em plena madrugada (eu não posso reclamar).

Kise “idiota” Ryouta: Aomine-Chi! Eu preciso conversar com você!

Kise “idiota” Ryouta: Aomine-Chi!

Aomine Daiki: Pelo o santo Kise! O que quer agora?! [Mensagem Visualizada ás 02:55]

Kise “idiota” Ryouta: Finalmente! É bem rápido! Seja sincero...

Kise “idiota” Ryouta: Você acha que o Kuroko-Chi namoraria comigo?

  Arregalei meus olhos diante aquela mensagem, de todas as coisas que Kise já falou, essa foi de longe a pior, quase me engasgo com minha própria saliva, Kise já demonstrava ter um pouco mais de sentimentos com Tetsu, mas eu nunca pensei que seria este tipo de sentimentos.

Kise “idiota” Ryouta: Aomine-Chi?

Aomine Daiki: Por que você pensou nisso primeiramente? [Mensagem Enviada ás 02:56]

  Levei meu olhar para a foto de Kuroko piscando no canto da tela e pressionei rapidamente lendo suas duas mensagens.

Tetsu: Claro.

Tetsu: Por que não?

Aomine Daiki: Ótimo, então... Maji Burger?

  Por algum momento pensei que se encontrar com Tetsu na Maji Burger seria mais como uma coincidência, já que quase todos os dias nos encontramos lá.

Tetsu: Pensei em irmos jogar um pouco basquete.

Aomine Daiki: Vamos dar uma pausa um pouco! Estou realmente cansado do jogo de ontem!

Tetsu: Ok. Maji Burger então.

Aomine Daiki: Posso te pegar ás 12?

Tetsu: Claro.

Aomine Daiki: Tenha uma boa noite Tetsu! [Mensagem Visualizada ás 02:58]

  Deixei meu celular de lado e me joguei na cama com um sorriso. Ao menos esqueci completamente a minha conversa com Kise assim que eu dormir.

XXXXXX

*Kuroko Tetsuya*

  Quando acordei já iria quebrar o meu celular de tanta raiva. Eu sabia que colocar um alarme não iria me fazer bem, apenas desliguei meu celular e o joguei ao meu lado, eu senti algo macio passear em meus cabelos e em minha nuca, ignorei, já que poderia ser Nigou pedindo por carinho, e assim virei-me e tateei a cama em busca de pelos fofos e assim que encontrei puxei-o para mim.

  Estranho, Nigou sempre foi grande e tão quente assim? Abri meus olhos lentamente na esperança de encontrar Nigou, mas, dei de cara com uma blusa azul escuro e um colete branco, me afastei bruscamente e pisquei algumas vezes tendo a visão de Aomine deitado em MINHA cama com um sorrisinho de lado me fitando.

- O QUE ESTÁ FAZENDO AQUI?! – Lhe joguei o travesseiro mais próximo de mim vendo-o desviar facilmente, Aomine concertou sua posição e ficou sentado frente a mim.

- Achei que iriámos almoçar na Maji Burger, já são... – Aomine olhou em seu celular. – doze e vinte três. Pensei que você acordava mais cedo Tetsu. – Diz com uma risadinha, franzi o cenho e lembrei vagamente da minha conversa ontem com o Aomine, não me importei com as piadinhas desta tarde de Aomine, por que só de lembrar que amanhã não verei Kagami já me deixa triste, mas eu o entendo, quero dizer ele quer realizar o seu sonho, nada mais justo do que apoia-lo não?

- Como entrou aqui? – Olhei para a janela e depois para ele, depois que ele entendeu o que eu queria dizer soltou uma risada.

- Não! Como pode imaginar isto de mim?

- Pode imaginar tudo de um delinquente. – Digo levantando-me e fitando Nigou na porta do banheiro.

- Eu não sou delinquente.

- Claro que não é. – Resmungo. Pego Nigou e o deixo na minha cama ignorando seus resmungos matinais, vejo Aomine deitar-se novamente e ligar a televisão em um jornal onde já estava na meteorologista que dizia que hoje seria 14°c. Achei que na primavera teria mais um pouco de calor. – Como quer ir para a Maji Burger num frio desses Aomine-Kun?

  Aomine apenas deu de ombros e continuou a vasculhar canais, revirei meus olhos com aquela atitude. Sempre foi assim, em qualquer casa Aomine se apossa do quarto (principalmente a cama), lembro-me da última vez em que ele veio em minha casa, quando ainda estudávamos na Teiko. Foi os melhores dias da minha vida, tirando a parte que minha mãe achou em meu quarto duas revistas (de Aomine) de mulheres seminuas e eu fui obrigado a ter a conversa com minha mãe, sendo que eu não tinha (nem tenho) o mínimo interesse nisso.

  Quando me dei conta, já estava debaixo do chuveiro com uma água quente demais. Desliguei o chuveiro e sai do box, olhei-me no espelho e fiquei observando minha pele, eu realmente sou pálido demais, acho que deveria me bronzear um pouco. Anotei mentalmente ir á praia na próxima férias, percebi também que abaixo do meu olho ainda estava inchado pela a “briga” com Nash, ainda bem que os outros chegaram á tempo. Balancei minha cabeça e escutei ruídos no quarto, me enrolei na toalha e sai do banheiro tendo a visão de Aomine tentando puxar sua calça da boca de Nigou.

- Solte minha calça cachorro! – Nigou finalmente me percebeu (meu crush me notou) e correu até mim com aquele rabinho tão bonitinho balançando.

- Aomine-Kun, o nome dele é Nigou. – Repreendo indo até o meu guarda-roupa e escolhendo um roupa normal e claro, um enorme casaco que antes pertencia ao meu pai. Essa era minha primeira vez usando o casaco do meu pai, tem um cheiro de coisa velha e perfume para roupas. Olhei para Aomine que me fitava de cima abaixo. – Não vai sair?

- Por quê? O que eu tenho embaixo você também tem. – Sinto meu rosto queimar com as palavras de Aomine e seu sorrisinho. Um dia terei a coragem de calar a boca lasciva de Aomine! E com certeza vai ser de um jeito que ele não vai gostar. Bem que nós dois poderíamos gostar do jeito que eu estou pensando, sabe? Um beijo. Bem que não poderia estar duro com a presença desta criatura em meu quarto. É pessoas, Kuroko Tetsuya não é mais o mesmo.

XXXXX

   Ao chegarmos à Maji Burger, começou a chover, ainda bem que já estávamos dentro da lanchonete, mas mesmo assim fiquei um pouco molhado e por isso estou usado o casaco de Aomine para tirar a água dos meus cabelos. Deixei os pedidos por conta de Aomine e uma coisa incrível aconteceu, ele havia pedido somente dois hambúrgueres (o meu e o dele) e um milk-shake de baunilha para mim, na verdade em queria um bagel. O novo sanduiche da Maji Burger, parece que um novo cozinheiro da América trabalha aqui e trouxe essa nova receita.

- Então – Começa Aomine cutucando o gelo do seu refrigerante com o canudo. – ele se comunica com você? O Kagami? – Deixei meu hambúrguer de lado.

- Raramente. – Digo virando o rosto observando a chuva bater fortemente contra a janela. – Ele está se esforçando muito, a Alex não o deixa descansar. – Explico agora fazendo a mesma coisa que Aomine só que com meu hambúrguer inacabado. Eu olhava para o hambúrguer e meu estômago revirava, somente o milk-shake tinha o poder de fazer passar minha fome.

- Você vai terminar o próximo ano na Seirin? – Viro meu rosto para Aomine que me fitava, agora sem o cenho franzido de sempre, seu rosto estava calmo. Há quanto tempo não vejo mais esta expressão?

- Hm... Sim... E você?

- Eu pensei em sair da Touo, mas a Satsuki não quer que eu saia de lá, já me familiarizei com todos. – Responde com um suspiro pesado. Mas eu tenho que concordar com a Momoi, Aomine não pode sair da Touo, ele precisa deles tanto quanto eles precisam de Aomine.

- Isso é bom. – Assim que vi Aomine abrir a boca, não escuto mais nada, achei que tinha ficado surdo ou algo do tipo de repente, mas a causa da minha surdes foi uma coisa pior e que nunca vou me acostumar, num grito irritante:

- KUROKO-CHI! – Sinto minhas costas estalarem todos os ossos com o peso de Kise. Viro o meu rosto para o lado vendo Kise sentar-se ao meu lado com um grande sorriso. – Não sabia que estava tendo um encontro com o Aomine-Chi! Por que não me chamaram?!

- Se não te chamamos foi por que sua presença não é bem vinda. – Responde Aomine franzindo o cenho novamente e voltando a comer seu hambúrguer, fiquei um pouco triste por ver a expressão antiga novamente.

- Cruel! – Grita Kise fingindo um choro, olha para mim com um sorriso, apenas fiz o mesmo deixando Kise com o rosto meio avermelhado, nunca entendi o motivo disto. – Kuroko-Chi, você aceita ir a um cinema comigo? O Kasamatsu-Senpai ignorou minha mensagem! – Diz Kise mostrando o celular ligado na conversa dele com seu companheiro onde todas as mensagens de Kise foram todas visualizadas e nenhumas respondidas. Coitado.

- Ele está ocupado. – Escuto Aomine soltar o hambúrguer raivosamente na bandeja.

- Aomine-Chi, estou pedindo para que o Kuroko-Chi tenha um encontro comigo! Pode calar a boca, por favor? – Admito que fiquei com um pouco de medo pelo o tom da voz de Kise, mas também admito que sentir meu peito doer quando Aomine esmurra a mesa deixando algumas notas ali e sai da mesa.

  Ignorei os gritos de Kise assim que me levantei da minha cadeira e sai correndo atrás de Aomine. Ele não podia simplesmente me deixar aqui, e para começo de conversa, ele me chamou para almoçar na Maji Burger! Não se pode deixar a pessoa que convidou plantado!

XKuroko TetsuyaX

*Aomine Daiki*

  Quando escutei aquilo sair da boca de Kise, apenas deixei a minha parte paga e sai. Não queria ter que ficar e escutar Kuroko aceitar sair com Kise para o cinema, do jeito que eu o conheço, sua bondade o venceria. Ainda não consigo acreditar nisto! Kise bastardo! Idiota! Sempre atrapalhando os meus planos!

  “Você acha que o Kuroko-Chi namoraria comigo?” Arregalei meus olhos e parei em meio ao parque, as pessoas passavam por mim e ficavam me olhando como se eu fosse um idiota. O que na verdade eu sou. Se Kise me perguntou isto ontem, deveria haver um motivo.

  Um: Ele gosta MUITO de Tetsu á ponto de querer namora-lo.

  Dois: Ele VAI pedir TETSU em NAMORO.

  Três: TETSU já PEDIU KISE em NAMORO e ele quer saber se Kuroko acha alguma coisa dele e já falou para mim.

  A terceira e a primeira opção ficou um tanto obvia para mim, e as duas me fazem ter um calafrio na barriga que me faz querer vomitar tudo o que eu comi hoje e ontem. Sinto minha cabeça doer só de imaginar Tetsu e Kise namorando, ou pior, aos beijos.

  Uma mão pousa sobre meu ombro me virando, fico surpreso quando vejo Tetsu joga meu casaco em minha cabeça, tiro-o lentamente e sinto meu peito aquecer com o sorriso dele.

- Por que saiu correndo? – Pergunta piscando algumas vezes pela a chuva que não parava.

- Achei que estivesse atrapalhando você e Kise.

- Por que acha isto?

- Vocês estão namorando.

- De onde tirou isso? – Kuroko se senta em um banco e solta um suspiro, dá batidas ao seu lado para que eu faça o mesmo, assim que me sento, sua cabeça cai sobe meu ombro. – Eu... Gosto de outra pessoa. – Encolho meus ombros... Pode ser o Kagami.

- É mesmo? – Sinto minha voz falhar.

- É um homem. – Kagami. Com certeza é ele. Eu só quero mata-lo neste momento, maldito, foi embora sem ao menos deixar Tetsu se declarar. Eu me sinto aliviado, e eu sei por que... Sei muito bem. Kuroko nunca foi um companheiro para mim, sempre foi mais que isso... Sempre foi.

- Você é gay? – Pergunto escutando uma risada por parte de Tetsu.

- Não sei. Nunca namorei um cara. Mas eu gosto de um, isso me torna né? – Dou de ombros, tiro meu casaco e o coloco sobre Tetsu. Acaricie seu rosto, o mesmo olhou para mim com o rosto vermelho. – Aomine-Kun?

- Esse cara é o Kagami? – Kuroko me olha estupefato, ok, Kagami é riscado da lista.

- Não! Ele é... Ele me conhece a pouco mais tempo que Kagami-Kun. – Tiro minha mão de seu rosto. Os únicos que conhece Kuroko á mais são Kise, Akashi, Midorima, Murasakibara (este com certeza não é) e... Eu.

- Tetsu... – Minha voz está embargada, não consigo falar, não mesmo. – Quem é? Pode confiar em mim.

  Tetsu se levanta bruscamente deixando o casaco cair na poça de água, a chuva estava diminuindo, alguns pingos ainda caiam sobre nós, tinha tão pouca movimentação que parecia que não havia mais ninguém no mundo. Assim que o os raios amarelos foram aparecendo de pouco em pouco, foi como se eu estivesse em um filme.

  Eu senti a respiração de Tetsu contra meu rosto e arregalei meus olhos ao sentir seus lábios contra os meus, os olhos azuis ao se abrirem, brilharem com a luz do sol, Tetsu separou-se de mim com um sorriso, mas suas orbitas azuis não brilhavam apenas pelo o sol.

- Isso responde sua pergunta. – Tirou o meu casaco que estava vestindo e deixou no banco, fiquei paralisado no mesmo lugar e quando virei o meu rosto... Kuroko já corria novamente... Sumia da minha visão novamente...


Notas Finais


AVISO: HOJE O SEGUNDO CAPÍTULO SAIRÁ! NÃO HÁ HORA PREVISTA PARA POSTA-LO!

DESDE JÁ EU AGRADEÇO POR TER LIDO!!!
ESPERO QUE TENHAM GOSTADO!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...