História Secrets - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Anime, Luta, Magia, Mistério, Romance
Visualizações 2
Palavras 1.049
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Mudanças


Fanfic / Fanfiction Secrets - Capítulo 1 - Mudanças

Secrets

Cap. 1 - Mudanças

~Play

Norte da França

Quintal de Risuki

Domingo, 17 de março

Nessa bela manhã de domingo, com o sol brilhando, nuvens claras e belas como algodão doce, um cheiro bom de flores de primavera, estava brincando de pega-pega com minha avó em nosso enorme quintal.

Vovó é a única pessoa da família que conheço, ela é muito divertida, vive me contando histórias. Amo a história que ela me conta sempre em meus aniversários, sobre como meus pais foram heróis que passaram por grandes dificuldades para me manter viva. Posso ter apenas 8 anos, mas sei que isso não é verdade. Talvez seja, mas não tudo. Eles não são seres mágicos nem guerreiros de reinos mágicos.

- Kettei!!!! Senhora Risuki!!!! - Escuto a voz de meu amigo querido bem longe. E logo escuto seus passos apressados até nós.

- Kaname!!! - Corro e vou abraça-lo.

Kaname é meu amigo desde sempre. Ele mora bem pertinho de mim e sempre vem brincar comigo. Ele com seus lindos cabelos marrons caindo sobre seus olhos da cor do mar sempre me alegram, pois sei que essas são as cores do verão mais divertido. Ele sempre me protege e vive brincando de dama e cavalheiro comigo, para mim, ele é como um irmão mais velho, para preencher o vazio da família pequena apenas com minha avó.

- CUIDADO!!!! - Kaname grita repentinamente, escuto um barulho alto e quando me viro para minha avó que estava um pouco longe do nós.....

Ela havia caído no chão e o pequeno muro de madeira preenchido de flores havia caído sobre ela.

- Vou chamar a ambulância, vá ver como ela está!! - Kaname diz firme como sempre faz, ele é 2 anos mais velho que eu, então sempre toma esse tipo de decisão, melhor dizendo, ele é que sempre manda em mim...

[...]

No hospital...

Por que está demorando tanto???!!! Estou ficando preocupada com a vovó!!! - Penso fazendo bico e sacudindo os pés no ar, já que não alcanço o chão estando sentada.

- Calma Kettei... A senhora Risuki vai ficar bem, é só ter fé. - Diz Kaname sorrindo e fazendo um sinal de legal.

- Eu não acredito nisso de fé, Kaname!! Vovó sempre me ensinou que as coisas só acontecem porque algo as causou, então algo só se resolve fazendo alguma coisa!! - Falo ficando com raiva e levantando da cadeira. - Vou dar uma volta, e é bom você não me seguir!!! - Viro o rosto rápido e começo a andar sem rumo.

Por que isso aconteceu com a vovó???! - O cheiro de hospital e essas paredes brancas só me deixam mais angustiada.... - Se para cada ação tem uma reação, a vovó deve ter feito algo ruim para isso acontecer... Mas a vovó é quase um anjo, o que ela pode ter feito???

* Oreki Kettei, por favor comparecer ao quarto 03 *

* Oreki Kettei, por favor comparecer ao quarto 03 *

Assim que escuto meu nome vou correndo até o quarto que me chamaram, vovó deve estar bem, não deve ter sido nada de mais, apenas a idade, não é?! - É nisso que quero acreditar.

- VOVÓ!!! - Abro a porta do quarto com força, já com os olhos marejados na esperança da minha avó estar bem.

- Perdão senhorita... Mas a senhora Risuki não sobreviveu.... - Diz o médico olhando para mim com ar de pena. Nesse momento desabo, caio no chão e começo a chorar desesperadamente já soluçando, minha visão começa a ficar embaçada por causa das lágrimas e sinto um calor perto de mim. Kaname me abraça, sendo a única coisa que pode fazer para me consolar.

Vovó era tudo para mim, minha família, minha amiga, minha luz.... Sem ela, quem vai cuidar de mim? Quem vai brincar comigo nos dias de semana quando Kaname está na escola? Quem vai me ajudar a fazer as lições que Kaname trás para mim da escola? Quem vai me contar histórias antes de dormir?

Nesse momento eu só quero deitar, dormir, e nunca mais acordar.

[...]

6 anos depois...

Paris, França

Casa de Kaname

Quinta, 19 de dezembro

Arrumo minha mala rapidamente com o coração a mil. Havia esquecido completamente que iríamos viajar nesse natal. Passei o começo do mês todo viciada no jogo que Kaname me indicou, Paladins, e esqueci de arrumar a mala. Agora ele e a senhora Chitanda estão me esperando, que vergonha.

- ESTOU INDO!! - Falo fechando a mala com dificuldade e correndo para fora da casa.

- Finalmente, baka!! - Kaname diz bagunçando meu cabelo e rindo.

- Entrem no carro, já estamos atrasados. - A mãe de Kaname, Chitanda-san, diz calmamente trancando a casa.

Ela sempre foi gentil comigo, desde que minha avó morreu ela me acolheu e me deixou morar com ela e Kaname. Consegui viver dos 8 anos aos 14 (agora) como se tivesse uma família de verdade. Às vezes tenho problemas com Kaname, pois é meio estranho dois adolescentes dividirem o quarto com 14 e 16 anos.... Podemos ser "irmãos", mas mesmo assim é constrangedor.

- KETTEI!! - Kaname me acorda de meus pensamentos balançado a mão no meu rosto. Entro no carro e começo a ver os prédios e casas passando.

Desde que me mudei para a casa de Kaname-kun eu tenho uma vida mais normal... Mesmo sem ir a escola, eu tenho amigos, saio de casa, enfim... Não vivo "presa" como a vovó costumava me deixar.

Não sei porque ela fazia isso, não sei porque ela me deixava isolada do mundo, mas espero que ela realmente tivesse uma boa razão, senão... A vovó que eu conhecia não era o que eu pensava...

[...]

1 hora depois...

Sinto um enjôo forte e dor de cabeça.

- Ch-Chitanda-san... P-poderia parar por favor? - Falo fechando os olhos com força.

- O que houve, querida? Está enjoada? - Chitanda-san fala parando o carro.

- S-sim... - Abro a porta do carro rápido e corro para um pouco longe.

Vomito por pouco tempo, mas a dor não passa. Isso é algo muito estranho. Nunca me senti assim, eu estava apenas.... Olhando o céu... Olhando o céu!!!! Só pode ser isso... Não... Não!!! Kettei, é apenas uma lenda que sua avó contava não é verdade!!! Mas... Esses 5 anos eu ando viajando muito de carro e nunca me senti assim.

Balanço a cabeça. Não posso ficar pensando nisso agora, eles estão me esperando. Vou voltar para o carro.

- Kettei, você está bem? - Kaname pergunta colocando a mão no meu ombro.

Exit~



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...