História Segunda Chance - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gravity Falls
Personagens Bill Cipher, Candy Chiu, Dipper Pines, Gideon Gleeful, Grenda, Mabel Pines, Pacifica Northwest, Personagens Originais, Soos Ramirez, Stanford "Ford" Pines, Stanley "Stan" Pines, Waddles, Wendy Corduroy
Tags Bill, Dipper, Gravity Falls, Mabel, Romance, will, Yaoi
Visualizações 32
Palavras 1.497
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Lemon, Magia, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi zenti tzutzu baum? N me matem eu estava escrevendo esse tempo todo eu juro! So q eu escrevo mais do que essas tres fics q ando postando. Sim projetos futuros hehe
Enfim
LEMONNNN

Capítulo 5 - Y-Limonada surpreendente


Dipper beijava Bill intensamente e o mesmo respondia com puxões e apertos tanto nos cabelos quanto no corpo do outro. Se roçavam deixando ambos duros com facilidade.

O castanho se separa tendo seu lábio inferior mordido, "caralho bill" pensava. Se perguntava como não tinham feito nada antes, parecia tão certo agora.

Levanta a blusa do loiro distribuindo beijos e mordidas pelo seu peitoral, abdômen até chegar na barra da calça.

Encarava o botão da calça como se soubesse que se abrisse aquilo não teria mais volta nem como parar. Bill esperava por Dipp pra fazer algo até por quê  se caso ele se mexesse alguma coisa sobrenatural aconteceria, tipo seus braços extras que queriam aparecer.

Finalmente abre o botão, deslizando o ziper encarava o volume na cueca do outro, aquele volume que ja conecia com a palma da mão, literalmente.

Bill segura nos fios castanhos com mais força quando sente seu pênis ser coberto pela cavidade bucal do outro. Incentivava o movimento de vai e vem.

-hum... aah..

Dipper ao ouvir Bill gemer manhoso  se separando membro olhando para Bill. Ele parecia diferente, talvez... sla, brilhava amarelo bem fraco. "A luz."

-tira a roupa- ordena levantando da cama indo até a porta. Se certifica de que estava trancada e então apaga a luz do quarto. Nos primeiros 5 segundos tudo era um breu, depois seus olhos se acustumaram com a escuridão.

Se vira para Bill que já estava pelado na cama e se aproxima tirando peça por peça. Primeiro blusa, calça e por último tiraria a cueca mas... esperaria um pouco.

Sobe na cama olhando no olho de Bill se posicionado no meio das pernas do namorado. O volume crescente escondido em sua cueca branca deixava claro que queria aquilo.

Puxa as pernas de Bill fazendo com que sua bunda se levantasse e encostasse em seu membro, roçando de leve provocante.

-tem certeza que quer assim?- pergunta apertando as coxas de Bill.

-sim....uhmm- geme baixinho.

-você me quer dentro de você?- dessa vez sorria ladino.

-quero- responde sentindo seu rosto queimar.

-peça.- não sabia daonde tava vindo tudo aquilo mas tava seguindo o que seu corpo o mandava fazer.

-...- se retem

-peça- estoca em sua bunda ainda com a cueca exigindo o pedido do outro.

-di..dipper... me.. me come- diz envergonhado, não sabia que o castanho podia dar essa reviravolta.

-palavinha magica- voltou a roçar com jeitinho. Pre gozo já dizia oi pro mundo escorrendo do penis do loiro.

-por.. favor- diz desviando o olhar.

-claro hehe- abaixa apenas o suficiente da ultima peça de pano pegando em seu membro o posicionando na entrada do outro.

Bill se esqueceu que tinha que lumbrificar e só  lembrou quando o membro ja estava entrando em si.

-aaAAHH- gemeu alto ao decorrer que o pau de Dipper ia entrando cada vez mais fundo.

-uuhmm... você.. é tão apertado...- se curva em cima de bill que não perde a chance e já segura na nuca do outro e laça suas pernas na cintura do castanho.

-vai- diz tentando controlar os gemidos.

O que foi quase impossivel, diferente das outras vezes que havia tranzado, nunca havia sido o comido da história, nunca com um homem e nunca sem aquela boa dose  de agressão.

Dipper fazia diferente, até porque era sua primeira e tinha medo de machucar Bill, não  que fosse pois o mesmo se cura instantâneamente, mas mesmo assim, tentava fazer o mais gentil possível.

Com o tempo ganhou velocidade, com as duas mãos  apoiadas ao lado do corpo do loiro, investia agora intensamente bem mais rapido que no inicio. Bill gemia cada vez que dipper acertava em sua próstata e Dipper fazia seu máximo pra acertar apenas aquele lugar.

Dentro de sua mente, além de estar ocupada pelo Dipper, tentava se concentrar em não liberar  nenhum sinal de poderes, pena que não percebia que o mesmo brilhava um pouco nos cabelos, olho e mãos.

Dipper sentia que estava vindo, tão concentrado no seu trabalho que não  consegue avisar e se desfaz dentro de Bill que gemeu, alto, manhoso e bem demorado. Sentir aqueles jatinhos de gozo lhe atacando foi uma sensação nova.

Dipper se deita em cima de bill, ambos respirando descompassado.

-ja.. ja acbou...?- pergunta insatisfeito.

-sabe que não

Realmente sabia, conseguia sentir ainda dentro de si que o membro do outro ainda estava duro.

Bill roda Dipper trocando de lugar ficando sentado em cima do pênis do outro.

-pede- dessa vez era o loiro quem falava sorrindo travesso.

-pedir..?- olha confuso

-pede pra mim... fazer..

-Bill..-corta o outro sorrindo.- me cavalga

O demônio sorri começando a se mover devagar. Dipper segura em seus quadris  o fazendo se mexer mais rápido. Bill coloca uma das mãos na barriga do dipper pouco definida tentando se apoiar.

Depois que Bill pega o ritimo uma das mãos do mais novo vai para o membro esquecido dolorido do outro e inicia uma masturbação acompanhando os movimentos.

Bill gemia, dipper gemia, a cama do garoto fazia barulhos que mostravam a velhice, o clima no quarto estava abafado, o som dos corpos se chocando era maravilhoso para os dois.

Quando os dois chegam ao apice além de gozarem juntos, bill vacila e acaba perdendo o controle de si próprio e seus braços que antes eram apenas dois viram quatro ficando pretos desdas mãos até  os cutuvelos em degrade.

Dipper estava imerso que de inicio nem sente, mas depois percebe que tinha mais de duas mãos o alisar. Abre os olhos vendo os quatro braços.

-Que...QUE PORRA É ESSA?- pergunta gritando assustado.

Bill abre o olho e vê  o que aconteceu.

-Droga- tenta esconderr os braços mas dipper ainda estava dentro de si e isso o distraia. Tentou duas vezes sem sucesso.

Dipper se levanta saindo de bill vestindo a cueca olhando assustado.

-QUE PORRA É ESSA? VOCÊ É UM MONSTRO?- foi uma má  escolha de palavras? Foi mas tava desesperado, falou o lhe vinha a mente.

-Dipper calma, não sou um monstro- tenta mais uma vez e consegue voltando ao normal.

-o que você é-  se afastava ainda muito confuso e assustado.

-(suspiro) Dipp...

- não me chama de Dipp.

-que seja, Dipper Pines, você  já sabe o que eu sou.- passa a mão  pela testa tirando o excesso de suor.

-sei? Acho que não, nada me vem a mente.

-ah jura? Eu, amarelo, sobrenatural, irmao gêmeo,  azul, nada mesmo?-  pergunta e Dipper nega.- aqui vai a dica: entidade triangular.

-.... pera.. PERA QUE?- se lembra do que seu tio lhe disse-  VOCÊ É A ENTIDADE AMARELA DO MAL QUE EU DERROTEI NO PASSADO?

-surpresaaaaa- balança as maos sorrindo.

-não acredito.- memorias começam a fluir em sua mente. Lutas, acordos, prisões... mabel... tivo stan... ford...

-pois é, to de volta. E vocês acharam que tinham me matado.- alcança suas roupas no chão começando a se vestir.

-aquele lugar na floresta.... era onde você ficava!-se lembrou- você... você não era humano, por que você...

-tenho forma fisica? Fácil, eu pudia fazer isso desdo início, só não queria. Cansa ficar assim por muito tempo.

-você era um triangulo com um olho... por isso do tapa olho?- pergunta curioso mas ainda assim assustado.

-ah isso?- bill tira o tapa olho e finalmente mostra o que tanto escondia. Um olho amarelo com um rico no meio.- esse é meu olho verdadeiro, mas como pode ver, ele não é... humano.

-nem você, você é um demônio! - dipper já estava confuso. Não  sabia se sentia raiva, medo ou tristeza.

-verdade. Mas quem liga! Eu mudei olha, não fiz nenhum mal até agora, quer dizer eu so criei momentos bons com você. -se levanta colocando o tapa olho- olha, ainda sou o mesmo cara que você conheceu na festa da pacifica.

- não, agora é diferente. Eu sei quem você é! Você é o maldito que tentou destruir o mundo.

-isso foi antes, tenho novos interesses agora- em parte era verdade mas um pequeno pedaço de si queria aquela maldita formula pra destruir o mundo.

-ah é? O que então- pergunta caindo na cama da mabel.

-depois daquilo tudo que eu fiz e como vocês me aprisionaram- enfatisa a palavra aprisionaram- eu tive muita raiva, mas também tive um bom tempo pra pensar e rever alguns conceitos. Quando meu irmão  veio me salvar, ajudei ele com um probleminha na nova dimensão dele e percebi algo lá.

-o que- Bill já  estava em cima de dipper o cercando com sua presença esmagadora

-era uma versão alternativa daqui. Todos estavam lá, até mesmo.. você. E foi nessa outra dimensão que eu descobri que eu não posso te matar.

-que?

-eu.. eu não consigo te matar- passa uma mão pela bochecha do castanho.- você se tornou algo muito... importante pra morrer.

-.....- estava sem palavras, aquilo o surpreendeu.

-no inicio eu até que queria acabar com você- segura no pescoço do dipper- Ai eu lembrei da sua coragem ao me enfrentar, seu esforço contra mim... isso .... me excitou- beijou os labos de dipper que estava paralisado.- sabe... querer destruir esse mundinho lá no fundo ainda quero, mas qual o sentido em destruir o mundo do único  ser vivo que conseguiu de alguma forma se esgueirar para dentro do meu ser...

Sussurrava nos lábios  de Dipper o impressionando ainda mais a cada palavra.

-Pinetree- aquele apelido antigo que usava quando o garoto tinha 12 anos.- Eu... eu acho que... eu t...


Notas Finais


.
.
.

Tem mais amanhã gente hehehehe tchaaauu


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...