História Sempre precisei de você - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Drama, Jikook, Namjin, Romance, Vhope, Violencia, Yaoi
Visualizações 65
Palavras 1.000
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Volteeeeei, gente desculpa pela demora, semana de prova sabe? mas enfim, mais um cap pra vcs.
Espero que gostem.

Capítulo 6 - Pai, por favor, para--


 

                                                                ⁠ ⁠⁠⁠                  Jimin on

Quando cheguei em Casa fiquei pensando no que tinha acabado de acontecer.


EU AINDA NÃO ACREDITO, ELE REALMENTE ELE TENTOU ME BEIJAR E O PIOR É QUE EU REALMENTE QUERIA...

Fiquei me olhando no espelho ainda sem acreditar, me deitei na minha cama e fiquei imaginando aquela cena acontecendo de vários ângulos quando eu peguei no sono.                             
                                                                                                               (...)

De repente escuto a porta de entrada da minha Casa batendo com força, quando eu desço correndo pelas escadas para ir ver, vejo as coisas todas reviradas, tudo espalhado, jogados por toda casa, levaram algumas coisas mas eu tinha que dá um jeito de arrumar tudo e esconder dos meus pais as coisas que “misteriosamente sumiram" antes que eles chegassem... Quando eu começo arrumando a sala meu pai entra furioso, ele me vê com algumas coisas que estavam no chão na minha mão como que se eu tivesse feito aquilo.

NÃO TO ACREDINTANDO QUE ISSO TA ACONTECENDO!

Ele tirou os sapatos e o cinturão.

-Explica.- ele ordenou.

-Eu tinha acabado de voltar da escola e peguei no sono e quando acordei estava tudo assim.- falei com medo.

-E por quê você está em casa?-fala ele com os braços cruzados com o cinturão na mão.

-Porque eu passei mal na escola e resolvi voltar.- menti, era pra eu ter ficado na escola mas de um jeito ou de outro eu ia apanhar dele.

-E você não ouviu nada!?!- ele dá com o cinturão nas minhas costas.

-Não-- tentei conter a dor.

-Por que você deixou “alguém" entrar na minha casa?- ele fala e me bate de novo.

-Eu estava dormindo.-expliquei.

-Estava dormindo? Nem em casa era pra você estar, muito menos dormindo.- ele me joga no chão e começa a me bater nas costas.-Eu acabo de perder o emprego e você faz uma coisa dessas em casa? Achando que eu não ia ver?- ele chuta minha barriga.

-Por favor, pai, para-- eu falo e ele me levanta.

-Pai?!? Você me chamou de pai? Eu não sou seu pai.- ele dá uma joelhada no meu estômago me fazendo cair no chão.-começo a sentir gosto de sangue na minha garganta.-eu tenho vergonha da sua existência.-começa a me pisar.

Sinto minha visão ficar turva, não aguento mais segurar as lágrimas e as deixo cair.

-Já disse pra você não chorar na minha frente,-ele chuta minha cabeça.-você não é homem, é um viadinho de merda.-ele bate nas minhas costas de novo com o cinturão dessa vez com a fivela.-Você não merece nem respirar o mesmo ar que eu.

-Desculpa pai.- falei chorando, quase sentindo que eu iria desmaiar.

-Já disse pra você não me chamar de pai-ele chuta meu estômago novamente-E você disse que não tinha sido você, e por quê ta pedindo desculpa?- ele pisou na minha cabeça me fazendo apagar. Quando acordo, ainda no chão cheio de sangue, olho pro sofá e ele estava la. -Acordou? Tava demorando.-ele chuta meu estômago me fazendo cuspir sangue. Tentei me levantar. -Fica no chão!- ele chuta minha coxa me fazendo cair de novo. Eu não sentia mais as minhas pernas. Me bate ainda mais, quando Ele vê que eu não aguento mais, ele para. -Levanta e vá pro seu quarto.- ele fala mas eu não consigo.-VAI!-ele grita.-Mas eu não consigo e continuo jogado no chão cheio de sangue.-Ah, não consegue?- ele aproveitou minha posição e bateu com a fivela de seu sinto fazendo ter alguns cortes e marcas rochas na minha pele, bateu mais uma vez, só que agora fez um ferimento das costas até o ombro, ele chutou mais uma vez minha coxa.-Você quer ajuda?- ele bateu a ultima vez com o cinturão, ficou uma marca das costas até o lado direito do meu pescoço.-Vem.-ele me levanta e me arrasta para meu quarto e me joga no chão me fazendo bater com a cabeça no cômoda.-Aprenda a ser homem e a cuidar da sua casa!

 -Sim senhor.-respondi já fraco mas com todas as forças que me restavam. 

-E se você contar o que acabou de acontecer pra alguém-ele bateu no meu rosto, fraco, em comparação com o que ele tinha acabado de fazer.-Eu farei coisas piores com você.- ele falou segurando com força no meu rosto. Tentei virar o rosto para que ele não me tocasse mais.-Parece que você não aprende ne?- ele deu um murro no meu pescoço me fazendo desmaiar, só consegui ver os pés dele indo em direção a porta.

E la no chão próximo da cama eu fiquei sangrando. Depois que eu acordei, a dor continuava. Com bastante dificuldade, tentei me levantar, me apoiei na cama e tentei andar e caí de joelho no chão, não aguentei e comecei a chorar, não conseguia andar por causa dos chutes que ele tinha dado em minha coxa.
Tentei mais uma vez, foi difícil mas, eu me apoiei nos móveis do meu quarto e fui em direção ao banheiro. Tirei a minha blusa que agora estava rasgada e suja de sangue e me olhei no espelho e vi as minhas costas toda machucada, com cortes e marcas roxas, era algo horrível de se ver, tinha uma marca no meu pescoço, como eu iria pra escola amanhã? Eu não podia ficar em casa com meu pai. Entrei debaixo do chuveiro e liguei a torneira e senti pouco a pouco a água queimar meus ferimentos, não aguentei e gemi de dor, senti as pernas fraquejarem e caí mais uma vez, só que agora no chão do banheiro. Não consegui me levantar e fiquei lá debaixo da água. Depois de um tempo me levantei e fui novamente pra frente do espelho. Peguei a toalha e passei por cima dos ferimentos lentamente, quando olhei para a mesma estava suja de sangue. botei uma bermuda e fui até minha cama e me deitei com as costas pra cima pra evitar sujar a cama, provavelmente meu pai contratou alguém para arrumar a casa. Dormi pedindo a Deus pra não acordar mais. Eu não aguentaria outra daquela ou pior.


Notas Finais


Sr. Park filho da puta.
Como eu passei um tempinho sem postar, ja vou postar outro.
Espero que tenham gostado e bjs na bunda de vcs.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...