História Sentimentos e Redenção (reescrevendo) - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Narusaku
Visualizações 89
Palavras 1.969
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi amoressss mais um cap pra vocês, bem fresco e emocionante #guentacoração

Boa leitura :D

Capítulo 5 - Confissão


   

    Sakura piscou duas vezes e então compreendeu a situação.

    - Ele é meu bom amigo, não há porque ter tanta insegurança.

    - D-desculpe - Ela falou timída - Mas ele pareceu muito triste e preocupado com o que aconteceu com você.

    - Não precisa ficar preocupada quanto a isso. Provavelmente ele deve achar que depois de tudo Sasuke deveria ter alguma consideração por tudo, mas não é a obrigação dele.

    - Então você não quer mais esperá-lo?

    - Não, eu preciso seguir em frente Hinata e o Naruto também, fizemos nossa parte.

    - Ele está a dias fechado na sua casa sem sair para fora, não quer falar comigo de jeito nenhum.

    - Eu vou tentar falar com ele! Fique calma.

    A princesa do Byakugan saiu da casa da rosada, plenamente aliviada.

    Sakura seguiu onde Naruto morava, um pequeno apartamento quase no centro da aldeia, e onde ela já estivera algumas vezes tentando acordar ele sem sucesso. Notou que havia algo errado com ele, as cortinas fechadas e quando entrou no prédio a porta estava trancafiada. Ela bateu. E só havia o silêncio.

    - Naruto abra a porta - Ela pediu gentil e ele não respondeu - Abre logo a droga da porta! Antes que eu quebre tudo.

    Sendo assim, ele obedeceu e abriu a porta. A pequena análise de Sakura foi o suficiente para ver que ele estava abatido.

    - O que houve com você? - Ele balançou a cabeça e ela entrou no local - A Hinata está preocupada...

    - Se lembra da nossa conversa antes de irmos a Lua atrás do Toneri? - Ela o olhou confusa, mas ele só fitava o chão.

    - Sim, sobre a Hinata...

    - Não - ele a cortou - Sobre eu gostar de você ser uma competição.

    - C-claro - ela falou trêmula - Onde quer chegar com isso?

    - Eu estava enganado - A rosada piscou duas vezes, tentando entender o que se passava, mas antes disso seu coração já era capaz de compreender e disparou.

    -Enganado?

    - Desde que Sasuke mandou a carta, a algum tempo, eu não consegui me aquietar, tentar sair da aldeia, mas não resolveu muito.

    - P-Por quê? - ela estava atordoada.

    - Eu não deveria... - Ele apertava com força a porta - Não consigo mudar o que sinto por você, eu realmente tentei, mas eu ainda amo você - Ela foi rapidamente falar algo mais foi cortada - Não é algo da minha cabeça, uma infantilidade, é só que eu não posso mentir para você.

    - Naruto...

    - Mas não posso fazer nada a respeito, a Hinata esperou tanto tempo, ela realmente é uma namorada maravilhosa, eu não posso estragar com tudo.


    - Então - Os olhos da rosada umideceram-se e as lágrimas saíram - Você me chamou aqui para confessar?

    - Eu só quero que me de um tempo, que não fique perto de mim, para eu poder realmente te esquecer.

    - Isso - Ela enfiou a cara na parede - Eu... Não queria perder você.

    - Me perdoe, eu juro que tudo vai ser como antes.

    - Não me deixe sozinha... - Mas era tarde, a porta se fechou em seu rosto e ela se sentiu rasgar por dentro.

    Seu coração moído em pedaços, uma dor que a dilacerava enquanto ela tentava dormir e rolava na cama em meio as lágrimas. Claro que ele era seu amigo, mas aquilo não estava certo.

    Foi para o hospital e depois passou no prédio sendo cosntruído da cliníca. Se havia algo que ela queria era fugir totalmente de Ino, Shizune ou de Tsunade, pois sabia que iam prensá-la na parede. Enquanto caminhava pela aldeia, seus olhos pairaram no restaurante onde Naruto frequentava. Sentou-se e pediu uma tigela grande de ramén enquanto tentava processar o que havia acontecido nos últimos dias. Talvez, ela devesse esquecer do que havia escutado, sobre o loiro amar ela. Em termos ele tinha razão, sendo que a própria Sakura era testemunha que a amiga era apaixonada desde criança por ele.

    - Não posso nem cogitar pensar nele dessa maneira, certo? - Falou para si mesma tentando entender o que se passava em sua cabeça.

    Então sua mente voltou no tempo como flashs de memórias, a arrastando para os exames chunnin, o ataque de Pain, até chegar onde ela tinha esquecido. Antes de ir atrás de Sasuke, a rosada sabia que havia soltado um peso gigante nas costas de Naruto, peso esse que ela tentou livrar dele quando confessou que o amava. As palavras foram duras, e claro ele não acreditou em nada. Depois disso ela aceitou que jamais esqueceria Sasuke e nunca daria uma chance a Naruto, entendendo que o que ele sentia por ela de certa forma era um capricho infantil.

    Mas agora ela não tinha certeza de mais nada, exceto que Naruto estava afastado dela e ela sentia-se infinitamente solitária e magoada. Agradeceu a refeição e se levantou para ir embora, quando sentiu o braço quente roçar com o seu.

    - Desculpe - ela murmurou ao ver que se tratava do loiro.

    - Está indo para casa? - ela assentiu com a cabeça de costas para ele - Eu te acompanho.

    - Você diz que quer se afastar e depois se oferece para ir comigo até em casa? Você é mesmo um idiota.

    - Eu sei - ele sorriu - Mas não é como se eu pudesse controlar algo.

    No outro lado da cidade, uma reunião com o clã Hyuga era feita. Hiashi, o pai de Hinata, com seu semblante sério, anunciou o início da reunião.

    - Como sabem, tivemos três anos para nos prepararmos para esse evento, e apesar das controvérsias, podemos começar.

    - Aqui senhor - um membro da família secundária lhe entregou a tábua de pedra que ficava no profundo escondido, onde apenas membros do alto escalão entravam.

    - O clã Hyuga por gerações é uma das famílias mais nobres da aldeia de Konoha, mas como sabem, o desejo de nossa progenitora maior foi impedido diversas vezes. Eu já estou velho para isso, portanto, em breve repassarei a liderança do clã para minhas filhas Hinata e Hanabi - As meninas ouviam atentas - Esta tábua foi deixada pelo filho de nossa progenitora, Hamura.

    Os demais membros trataram a cochichar durante o evento.

    - O príncipio dos shinobis surgiu da grande Kaguya que nos transmitiu por seus filhos a nossa herança suprema que é nossa identidade : o Byakugan. E sendo uma família suprema, o que nos restou nesta aldeia? - Ele chamou os membros que não responderam nada - Sim, é esse vazio, apenas nos tornamos servos sem valor para esta aldeia. Ninjas que sacrificaram suas vidas por um ideal de paz criado pelos Hokages. Mas agora será diferente, iremos criar uma era, como Kaguya e Hamura sonharam, uma era de paz entre os shinobis, onde o Byakugan reinará! - Então os membros aplaudiram alto, enquanto Hinata e Hanabi permaneceram chocadas ouvindo a história - Esta tabuleta diz que o Byakugan, nossa herança suprema retirada gota a gota de nós sem nenhum sentido, é a identidade do mundo onde vivemos, sem Byakugan, não existiriam tantos outros jutsus, kekkais e diversas modelagens de chackra, somos a origem, somos o poder!

    - Papai - Hinata o chamou - I-isso... Não está certo - O homem fechou o cenho - Toneri pensava assim e quase destruiu tudo, você...

    - Eu fui sequestrada pai, levaram meus olhos - Hanabi se impôs.

    - Silêncio - Ele colocou a mão sobre elas - Toneri era um maluco sem destino, uma marionete. Não estamos propondo sacríficios desnecessários, apenas queremos o que é nosso por direito, não haverão mortes.

    - Onde o senhor quer chegar?

    - Hinata, você sabe que irá me suceder, não precisa fazer nada além de se casar com o Naruto Uzumaki.

    - Casar?! - ela indagou corada - Mas eu ainda sou muito nova...

    - Nossa família chegará aos poucos minando a liderança, com você casada e Naruto como Hokage, será mais fácil convence-lo a colocar membros do clã na liderança da ANBU, até pensarmos em suceder ele como Hokage.

    - Pai... Você quer que me case com ele para fazer ele perder o posto que ele tanto sonhou?

    - Filha, ele não será suficiente para o posto, é um irresponsável, não vamos tirá-lo definitivamente - ele tentou amenizar.

    - Eu não posso concordar com essa ordem - ela disse chorosa.

    - Você prefere um golpe de estado com mortes então?

    - Eu não queria isso...

    - O clã, é a família, primeiro proteja a sua para pdoer proteger a dos outros. SE VOCÊ NÃO COOPERAR, TE DESTITUIREI DO CLÃ E MANDAREMOS VOCÊ PARA OUTRA ALDEIA!

    - Não! - ela se protegeu.

    - Então coopere com seu clã!

    - T-tá...

    - Tente persuadir o Uzumaki, para que se casem em breve, entendido?

    - C-certo, vou fazer isso...

    O caminho até a casa foi mais longo que ela imaginou. Sakura mantinha a distância e a mão enfiada no bolso enquanto andava ao lado do loiro, silenciosa. Palavras eram desnecessárias enquanto ela pensava sobre seu passado e ele não se pronunciava sobre nada.

    - Obrigada - Ela agradeceu abrindo a porta sem encará-lo.

    - Está sendo difícil para mim também. Você sempre gostou do Sasuke.

    - Eu fui uma imbecil, tá legal?

    - A gente não escolhe de quem gosta.

    - Eu sei! - ela gritou irritada - Mas eu deveria... Não deveria ter criado esperança em ficar com o Sasuke, ele nunca vai ser capaz de retribuir.

    - Você está enganada! - ele se alterou - Como pode ter tanta certeza? Você foi a única que chegou perto de entender ele.

    -Isso não tem valor nenhum, ele sempre me viu como companheira de equipe, nada mais! Seremos sempre amigos, eu já não aguento mais, eu não quero mais ele! - Ele gritou exagerada.

    - Já chega! - disse o loiro a segurando pelos ombros. Ela ficou quieta - Não diga que não o quer mais, não fale isso para mim. Eu odeio...

    - Pessoas que mentem para si mesmas - ela retirou a mecha do cabelo grudada no rosto - Eu sei, você já me disse isso. Você é quem está mentindo para si mesmo querendo engolir algo que até eu já cansei de fingir que existe.

    - Eu não posso saber que você está dessa maneira - Ele apertou os ombros dela com força - Isso vai me forçar a ir contra o que prometi - Ela engoliu a seco e o encarou - Eu não consigo, não devo, mas eu não sei mais o que fazer.

    - Naruto - ela sussurrou seu nome, mas ele estava tão perto do seu rosto vermelho, que ela não tinha certeza se ele havia ouvido suas palavras, ela encarou os olhos azuis do loiro uma última vez antes de fechar.

    Sentiu o suave roçar dos lábios quentes dele nos seus e seu corpo estremeceu, antes que pudesse avançar ele mesmo se afastou.

    - Merda! Eu não posso ficar perto de você, entende agora?

    - Não faça isso por favor, eu não posso perder você...

    - Me perdoe por favor, eu prometo que irei voltar a falar com você, mas agora não dá.

    - Naruto! - ela o chamou, mas novamente, era tarde demais, ele havia sumido. Ela caiu sentada e colocou as mãos sobre o rosto ainda quente.

    - O que está havendo comigo?

    Ele por sua vez corria por entre os prédios, tentando regular sua respiração e o coração disparado, e então se lembrou que havia marcado de ver a namorada a noite, como ele se odiava, Sakura nao saía de sua mente, ele precisava ter uma conversa clara com Hinata, por isso foi diretamente a casa dela. Era hora de decidir o que ele iria fazer com sua vida.


    

   


Notas Finais


E agora? hohohoho até o próximo amores :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...