História Skool Luv Affair - VKOOK - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, TWICE
Personagens Dahyun, Jennie, J-hope, Jimin, Jungkook, Mina, Momo, Nayeon, Suga, V
Tags Baekhyun, Jinyoung, Mark, Markjin, Naseok, Rose, Taekook, Yoonmin
Visualizações 122
Palavras 2.262
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OPA AMIGOWS
tenho nada pra falar aq n kkkkk
Boa leitura ae sz

Capítulo 27 - Discharge From Hospital


Jungkook P.O.V

    Acordei no susto com o toque ensurdecedor do meu celular, logo levantei minha cabeça e peguei o celular na má vontade. Atendi, era meu manager perguntando onde eu estava. Respondi logo recebendo o dito que ele estava a caminho. Disse que não precisava e confirmei quando o mesmo perguntou se eu tinha certeza. Não queria a presença dele no momento, apesar de eu gostar bastante dele. Desliguei o telefone e deixei que minha mão despencasse sobre a cama. Estava inconsolável no momento pois Taehyung não estava ali, como não vi isso antes? Olhei em volta para ter certeza de sua ausência e nada dele.

    Passei a mão pela testa até meus cabelos tirando-os de minha testa tentando me acalmar, mas eles voltaram para sua posição de sempre ao tirar minha mão. Levantei indo até o banheiro. Lavei meu rosto e saí do banheiro. Me retirei do quarto e rodeei o andar procurando o sumido. Logo me veio a ideia que ele poderia estar no refeitório comendo algo. Sendo assim, fui ao elevador apertando o botão para o refeitório do hospital. Lá, rodeei também o local umas 2 vezes, porém nada. Liguei para Jennie, mas ela estava em casa resolvendo algo e também não sabia onde ele poderia estar. Guardando o telefone no bolso, fui ao pátio na intenção de esfriar a cabeça. Lá me sentei em um dos vários bancos em frente à uma árvore logo apoiando meu cotovelo em meu juelo, assim colocando minha mão por debaixo da minha franja e fechando meus olhos pensando onde ele poderia ter se enfiado.

    Após um tempo pensando, consegui me acalmar e pensei que poderia ter uma possibilidade dele estar no terraço, pegando um ar talvez... Se não fosse o caso, rodearia aquele hospital inteiro no desespero. Levantei minha cabeça e dei uma última olhada nas crianças que brincavam ali, nisso me deparei com a traseira que um menino da minha altura brincando com uma criança. Lembrei do meu irmão mais velho, cujo viajou para o exterior faz tempo e perdi contato com o mesmo. Decidi levantar e ir ali cumprimentar a criança e o menino que brincavam de pedra, papel ou tesoura. Não sei o porquê, mas senti que deveria fazer isso. Quando estava perto deles, a criança me fitou e o maior se virou para ver o que a criança olhava que a fez tirar a atenção dele. Nisso eu gelei, travei. Era Taehyung agachado brincando com o menininho. Ele está mesmo bem?

 - Jungkook! - Ele disse meu nome feliz, mas não consegui responder, não sabia nem o que eu sentia naquele momento. - Jungkook?! - Ele levantou se posicionando melhor na minha frente e o menininho sumiu em um piscar de olhos. - Você tá bem? - Ele agora me segurava pelos ombros.

 - Eu não... Eu... - Logo ele me impediu de falar me dando um abraço.


    Aquele abraço era tudo o que eu precisava. Dias sem poder fazer isso, sem sentir o corpo dele no meu. Deslizei minha mão pela sua nuca sentindo suas sedosas madeixas e escondi meu rosto em seu pescoço sentindo sua fragrância barata que eu adorava exalar. Nisso comecei a chorar. Chorar muito. Não de tristeza ou decepção, mas de felicidade. Deu certo... Tudo está bem agora. pensando assim, tirei meu rosto de seu pescoço e o encarei. Desci meu olhar para seus lábios e ele logo me satisfez o desejo naquele momento selando seus lábios nos meus por alguns segundos. Quando nos afastamos no beijo, desgrudamos nossos corpos e ele secou minhas lágrimas que ainda eram expostas. Sorri aliviado e ele retribuiu o gesto. Só aí fomos perceber que a maioria das pessoas do pátio nos olhava, então decidimos nos mover para dentro do hospital.

    Lá, me dei a vez de falar.

- Você comeu? - Perguntei preocupado.

 - Não posso comer ainda, só quando eles deixarem. - Ele disse triste.

 - E quando vai ser isso?


 - Também não sei... Ei, quer ir pro terraço?

 - Fazer o que lá? - O olho estranho.

 - Ver a cidade, mesmo com parapeito dá pra ver tudo!

 - Sério? - Gostei da ideia.


 - Eu vi ela de noite e é muito bonita! vamos?

 - Sim!


                                               [...]

    Passamos um bom tempo no terraço conversando sobre nosso futuro como coisas absurdas tipo filhos e até casamento. Antes era mais estranho falar disso pois não tínhamos tanta intimidade, porém conversando sobre isso novamente parece que a ideia se concretiza mais e mais. Como Taehyung não podia ficar muito tempo fora da cama por causa do soro e da ferida da cirurgia, voltamos logo para o quarto. No caminho, já praticamente em frente a porta, nos deparamos com Jennie em choque ao ver Taehyung bem. Ela o olha dos pés a cabeça e continua sem reação.

 - Tae... - Ele também a impediu de falar dando-a um abraço. A expressão dela ficou mais leve e retribuiu o abraço do irmão.

    Sorri de canto e deixei os dois sozinhos entrando no quarto. Tirei o celular do bolso e fui até o grupo do Kakao passar a informação para eles que Taehyung estava bem. Todos ficaram alegres pela notícia e Nay, do jeito que ela é, deu uma ideia de sairmos para fazer algo. Ela não sabia o que ainda, mas que quando decidisse iria falar. Antes que eu digitasse mais alguma coisa, Jennie e Taehyung adentram o quarto e eu logo guardo o celular de volta no bolso.

 - Estava falando com alguém? - Tae me perguntou enquanto entrava.

 - Mandei no grupo que você estava bem. - Sorri simples.

 - Nay não falou nada demais? - Ele sentou e logo se deitou na cama.


 - Nem visualizou... - Olhei para a flor da mesinha ao lado da cama tentando disfarçar a mentira.

 - Ela quer fazer algo né? - Ele me pergunta com uma expressão de quem já sabia a resposta.

 - Hein?


 - Você é muito ruim mentindo. - Tae sorriu e Jennie riu quando escutou o que o moreno disse.

 - Ai... - Passei a mão na nuca sem saber o que dizer.

 - O que ela quer fazer?

 - Pra falar a verdade nem ela sabe, queria fazer algo mas não sabia o que. - O fitei.

 - Ah... Já já ela decide, ela não é de demorar muito nessas coisas.

 - Mesmo que eu soubesse eu não te contaria porque seria surpresa. - Faço uma expressão confiante.

 - E se... - Ele apoiou as mão sobre a cama, ficando praticamente de quatro, e se aproximou de mim bruscamente. Eu sentia sua respiração fluir em meu rosto. - Eu te castigasse? - Ele fez uma cara maldosa.


 - Ai eu mereço... - Jennie saiu do quarto por um momento.

 - Como assim? - Perguntei quase tendo um treco.

 - Sem contato físico durante uma semana. - Ele sorriu maléfico.


 - Ih ala, que audácia é essa? - Me afastei um pouco dele.

 - Você disse que não me contaria... - Ele sentou na cama. Sua posição parecia a de um gatinho.

 - Mas eu seria massacrado pelos outros por estragar a surpresa, principalmente por Nayeon!


 - Eu sou ótimo atuando, finjo surpresa. - Ele diz como se fosse muito simples.

 - Ah para Tae. - Estava com uma expressão meio cabisbaixa.

 - Tabom, tabom. Já entendi. - Ele sorri tranquilo.


 - ... Não vai insistir? - Franzi uma sabrancelha.

 - Não sou você. - Ele diz brincando.


    Sorri para ele e ele retribuiu o gesto.

 - ... Yah! Você não usou o celular depois de acordar?

 - Não.


 - Por quê?

 - Era pra ser surpresa.


 - O que?

 - Eu ter acordado tão rápido. Eles achavam que iria demorar mais pra eu acordar.

 - Ah...


 - ... Você ta com fome?

 - Não. - Meu estômago ronca. - To. - Ele ri.

 - Noona! - Ele a chama em um tom alto.


 - O que? - Ela entrou com o celular em uma mão e a outra tapando o mesmo.

 - Está falando com alguém? - Ela confirma com a cabeça. - Baekhyun hyung? - Ela repete o gesto anterior. - Vai com ele e com o Jungkook comer alguma coisa.


 - E você?

 - Não posso comer e não quero ver vocês comendo, se não seria um castigo. Podem ir, eu espero. - E aquele sorriso quadrado angelical destruidor de corações é estampado em seu rosto. Não resisti e acabei sorrindo também.


 - Não demoramos! Vamos Kook. - Ela fez um sinal com a cabeça.

 - Ok, noona. Já volto, Tae. - Acenei para ele e saí do quarto junto com Jennie.


                                            [...]
 

Taehyung P.O.V

    Estava mexendo no celular enquanto esperava Kook e Jennie, estava ansioso para dar-lhes a notícia. Nesse momento, Nay me solicitou uma chamada de vídeo, na mesma hor atendi. Pela minha surpresa, não era apenas ela que estava na chamada.

 - Oi Taehyung!! - Ela disse.

 - Oi taetae! - Jimin falou ao lado dela.

 - E aí? - Era Hoseok sorrindo.

 - Oiee! - Sorri.


 - Ta tudo bem? - Nay perguntou sorrindo.

 - Tá até melhor do que eu imaginava, o médico passou aqui faz pouco tempo e me deu uma notícia muito boa!

 - O que? Fala!


 - Ele disse assim: ''Quando alguém tem um tumor maligno e faz a cirurgia de remoção, tem chances de crescer novamente outro tumor. A pessoa só é curada quando esse tumor não cresce mais. E meus parabéns, além de acordar bem rápido depois da cirugia você também não vai ser mais incomodado com um tumor em seu organismo.''. Ai eu fiquei muito feliz! Ele também disse que o meu caso é um dos mais raros então eu to ansioso pra Jennie e Jungkook voltarem pra eu contar pra eles.

 - Ai que bom Tae!! Você é incrível, sério. - Ela sorriu e eu retribui o gesto.

 - Onde eles foram? - Jimin questiona.

 - Foram comer, eu ainda não posso comer então disse pra eles não comerem aqui porque seria muita sacanagem...

    
Hoseok ia falar algo, mas o impedi quando virei para ver que Jennie e Jungkook já tinham chegado.

 - Ta fazendo chamada de vídeo? - Jungkook pula na cama e fica ao meu lado aparecendo também na chamada.

 - Oi Kook! - Nay cumprimenta.

 - E aí que que vocês estavam falando?

 - Fala pra ele aí, Tae. A gente vai comer, depois a gente se fala.

 - Tabom.


 - Ué... - Jungkook parecia confuso.

    Nayeon deu uma piscadela e encerrou a chamada. Eu então desliguei o celular e deixei na mesinha logo fitando o mais novo com um sorriso. Ele não precisou falar que estava curioso para saber o que era, pois estava visível apenas pela sua expressão. Então me dei a vez de falar, observando Jennie se sentar no banquinho ao lado da cama atenta no que eu iria falar. Disse tudo o que havia dito para Nayeon, Jimin e Hoseok e eles ficaram com um sorriso de orelha a orelha. Jungkook, não se contendo, me abraçou já deixando-se desmoronar em lágrimas. Percebi que Jennie também deixava lágrimas escorrerem pelo seu rosto pequeno. Então ergui um braço em um gesto dela vir para um abraço também. Ela não hesitou e veio logo pelo outro lado da cama me abraçando já derramando suas lágrimas quentes sobre mim. Nisso eu acariciava a cabeça dos dois na esperança de acalmá-los.

    Não esperava essa reação dramática vinda dos dois, porém eles tem todo o direito, pois também sofreram bastante por minha causa. Então apenas permaneci ali paciente até que eles voltassem ao seu estado normal. Quando o mesmo ocorre, o médico entra no quarto informando que eu já tinha permissão para comer e que a comida ia chegar em alguns minutos. Outro detalhe dito pelo profissional foi que eu logo logo receberia alta do hospital com a minha recuperação rápida. Agradeci pelos cuidados do mesmo e ele apenas disse que era o trabalho dele. Eu, teimoso, agradeci novamente e ele se despede já se retirando do quarto. Os dois deitados ao meu lado olharam para mim e abriram um sorriso, cada um com a mensagem ''Agora está tudo bem.'' escrita neles. Obviamente não me segurei e sorri de volta passando segurança.

                                       [ 50 horas depois ]

 - Não está esquecendo nada? - Jennie pergunta olhando em volta do quarto.

 - Eu não trouxe nada, tu que carregou as tuas tralhas de casa pra cá. - Ri.

 - Aish cadê minha carteira?... - Ela perguntava para si mesma em voz alta enquanto olhava para debaixo da mesa.


    Olhei em volta do quarto e travei o olhar no bolso de trás da calça dela. Eu sorri.

 - Você tá bem, noona?

 - Por que a pergunta?

 - Bota a mão no seu bolso de trás.

 - O que você ta faland... - Ela cortou a frase ao perceber a carteira no bolso. - Ai eu não acredito... - Ela disse rindo de si mesma.

 - Vamos?!

 - Vamos.


    Eu estava saindo do quarto com a mais velha, quando recebo uma mensagem. Era Nayeon. Parei por um momento para ver a mensagem e respondê-la.

 - O que foi? - Jennie pergunta a 3 passos de distância na minha frente.

 - Pera aí...

                                 * mensagens On *

 Nay: Hj no shopping 17:30
 Nay: N atrasa
 Taehyung: Oq é isso?
 Nay: Vc vai ver, só vai!
 
                             * mensagens Off *

    Já sabia que era a surpresa, mas o que exatamente poderia ser? Estou ansioso!

 - Anda, Taehyung!

 - Estou indo, noona!


Notas Finais


Sei que muitos esperavam esse finalzinho feliz deles com o Tae vencendo o câncer, então espero um bom feedback kkkkkk
Esse é o cap. 27, sinto lhes dizer então que o fim da fic está perto, então preparem os lencinhos :'v
Enfim, espero realmente que tenham gostado ;)
Até o próximo capítulo sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...