História Solangelo para sempre - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Provações de Apolo (The Trials of Apollo), Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Personagens Originais
Tags Solangelo
Visualizações 150
Palavras 2.179
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Fantasia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Amores tô de volta com mais cap pra vcs ❤️ Tá vindo fortes emoções por aí e eu espero que vcs gostem.

Capítulo 26 - Cinema de verdade


Fanfic / Fanfiction Solangelo para sempre - Capítulo 26 - Cinema de verdade

Pov. Nico


Acordamos com Naomi nos chamando para o almoço, acordar cedo realmente não era meu forte e eu acabei influenciando Will que caiu no sono também.

– Espero que goste da comida da minha mãe, ela não cozinha muito mas quando o faz é sempre bom.

– Você sabe que eu não me importo com essas coisas.

– É, eu sei. – Will se deitou por cima de mim e colou nossos lábios rapidamente – Sabe o que eu quero mesmo?

– Hummm? – Perguntei sem fazer som e aproveitei a sensação de ter ele ali, o peso do corpo dele era familiar, o cheiro era familiar, os cabelos caindo por sobre os olhos, o gosto, o calor, tudo nele era familiar para mim.

– Quero mesmo é que a noite chegue logo pra eu poder dormir sem roupa abraçando você – ele sussurrou me fazendo abrir um sorriso – , depois de fazermos amor, claro.

– Você tá muito safado Solace.

– Vai me dizer que não gosta? – Ele piscou pra mim. – Sabe mesmo, mesmo, mesmo o que eu quero Nico?

– Não, mas você vai me dizer... – acariciei a bunda de Will apertando por cima do jeans.

– Quero dar pra você...

– Isso foi bem ousado de s falar, Solace, mas para o seu prazer eu quero muito comer você. – Segurei os cabelos de Will com força e o puxei para um beijo quente, mas não aprofundei as coisas já que Naomi estava nos esperando.

– Por que parou? Estava tão gostoso.

– Sua mãe está nos esperando. Vamos lá Solace, deixe de ser dengoso, a noite continuamos.


O almoço foi muito divertido, a mãe de Will era tão engraçada e gentil quanto ele. Na verdade eu podia ver claramente porque Apolo se apaixonou por ela. Naomi era a versão feminina de Will, impossível não amar.

Durante a tarde, ouvimos Naomi tocar e cantar, Will tentou cantar e até acompanhou Naomi, mas ele achava que era péssimo quando na verdade parecia um anjo cantando. Fomos até a praia caminhar um pouco e depois voltamos e assistimos o pôr do sol da varanda do quarto de Will.

A noite finalmente chegou e Will estava ansioso para ir ao cinema, Naomi disse que ia pedir pizza para nós e enquanto estivéssemos fora ela daria um pulo no hospital.

Tomamos banho juntos, tentei segurar a onda porque Will estava fazendo tudo propositalmente, desde a hora que saímos da cama ele está me provocando. Mesmo tendo espaço ele fazia questão de passar por perto de mim, suas mãos estavam sempre me tocando, se algo caía ele pegava do chão empinando a bunda gostosa dele na minha direção. Quase engasgo quando ele apertou meu pau por debaixo da mesa. Agora mesmo ele estava me provocando no banho e eu tentei ignorar, mas era quase impossível. Só de vê-lo sem roupa eu já ficava duro.

– William você está me deixando louco assim! – Rosnei pressionando ele na parede do banheiro e rocei nossas intimidades causando um duplo gemido.

– Estou apenas atiçando as coisas. – Ele disse fugindo de mim.

Vestimos nossas roupas, o que foi bem difícil com o pau duro, e saímos do quarto. Não podíamos usar as sombras porque eu não conhecia o local, por isso decidimos pegar um táxi.

– Essa parte de Manhattan eu não conhecia apesar de viajar muito nas sombras ainda não conheço muito bem essa ilha.

– Vamos fazer isso juntos. – Ele falou e eu pisquei em concordância.

A viagem levou dez minutos de carro, Will me guiou para dentro do shopping. Haviam tantas pessoas ali que eu queria me esconder no canto e sumir nas sombras, mas não o fiz. Nossas mãos estavam entrelaçadas e nós caminhávamos lado a lado, Will como sempre carinhoso não parava de beijar o dorso da minha mão ou os meus dedos e as vezes beijava minha bochecha com afeto.

Compramos as entradas e eu deixei Will escolheu o filme já que até os terror pareciam idiotas considerando tudo que eu já vi no mundo inferior, ele preferiu um ficção científica. Nós entramos na sala e eu fiquei espantado com o quanto tudo tinha mudado, carpete, sons de qualidade, uma tela enorme, mini camas para dois, graças aos deuses. Me acomodei no peito macia e quente de Will e fiquei vidrado o filme inteiro.

– E então gostou do filme? – Will perguntou ao final.

– Eu amei, ainda mais com esses óculos legais, em vários momentos inclusive eu me assustei coma proximidade das coisas. – eu contei e Will riu.

– É, eles foram mesmo um ótimo invenção da tecnologia.

Estávamos saindo da sala seguindo num corredor com várias pessoas em volta e só depois de alguns passos é que percebi que fomos cercados por cinco garotos. Will apertou minha mão nervoso e me encarou.

– Então quer dizer que o casal de bichinhas resolveu vir ao cinema, justamente na minha sessão... – Um dos idiotas falou e os outros riram. Eram mortais normais se bem que ser preconceituoso não dá pra se considerar normal.

– O que vocês querem? – Will perguntou com a voz falhando.

– Vocês vão levar uma surra pra aprenderem que cinema não é lugar de viadinho. – O idiota que parecia ser o líder avançou e Will tentou me defender se pondo entre nós dois.

– Você não vai machucá-lo! – Will falou furioso e eu apensa observei.

– E quem vai me impedir? Você? – Ele rosnou e eu senti nojo.

Olhei para Will e ele fez um movimento afirmativo para mim.

– Ta afim de treinar hoje amor? – Perguntei.

– Pode deixar que eu dou conta. – Ele respondeu e pela primeira vez vi o filho de Apolo com raiva.

Will avançou e dei um soco cruzado entre os olhos do idiota número 1 fazendo ele desmaiar imediatamente. Ele segurou um chute do segundo e deu uma cotovelada nas costelas dele. O terceiro tentou mais Will nem deixou ele se mexer, aplicou um golpe de judô fazendo o idiota caiu de costas contra o piso duro, os outros dois fugiram antes mesmo de Will avançar.

Encarei meu namorado com orgulho e sorri.

– Isso foi impressionante Solace, nota dez! – Brinquei e ele me puxou nos fazendo andar rápido.

– Vamos engraçadinho, não quero ser expulso do shopping na primeira vez que levo meu namorado ao cinema. – ela respondeu e depois sorriu.

Pegamos outro táxi e voltamos para o apartamento, não estava tão tarde e Naomi ainda não tinha chegado. Só depois que fomos a cozinha percebemos um bilhete dela dizendo que voltaria pela manhã pois havia uma emergência no hospital, se desculpou e disse que tinha pizza comprada para nós dois.

– Parece que temos casa toda pra nós. – Will falou perto do meu ouvido me abraçando por trás e eu senti um arrepio naquela região.

– Sabe Will – virei de frente pra ele e o puxei para mim com força – , eu esperei o dia todo pela noite. – Sorri sombrio e ele me olhou com os olhos azuis faiscando.

Nos beijamos ali mesmo na cozinha, tudo esquentou de repente e nós caminhamos e tropeçamos até o quarto de Will.

– Você é tão sexy Nico Di Ângelo. Como pode não perceber que toda vez que você cora assim me deixa tão louco pra te beijar?

– Olha quem fala, o cara de olhos azuis mais brilhantes que eu conheço. Você tem espelho em casa, certo Will? - Brinquei.

Sem nenhuma vontade de perder mais tempo segurei no pescoço do loiro e choquei seus lábios nos meus causando um frisson no meu corpo.

- Will, seu gosto é delicioso... - grunhi em seu ouvido – hoje eu quero sentir você por inteiro, quero ficar dentro de você.

– Você não tem nenhuma noção do quanto suas palavras incendeiam meu corpo. Ativo ou passivo desde que seja com você será perfeito. – Will falou entre os beijos.

Chegamos a cama e ele me deitou tirando minha calça, na verdade ele está abrindo bem devagar enquanto eu o encarava sedento.

– Will – falo com a voz rouca e sexy – não seja malvado. – Eu pisco pra ele e passo a língua umedecendo meus lábios.

Ele retirou totalmente a minha roupa e a sua também fazendo minha ereção saltar pra fora da cueca e eu vi os olhos de Will brilharem em luxúria, fico de joelhos na cama enquanto ele está deitado.

- Isso vai se delicioso – digo e em seguida envolvo toda a cabeça do membro de Will com meus lábios e desço a língua por toda a extensão dele. Will solta um gemido baixo vindo da garganta, impossível de segurar.

Chupo e faço movimentos de vai e vem segurando-o pela base, a cabeça fica vermelha pela pressão dos chupões e ele arfa de prazer se mantendo parado.

- Nicoooo.... - ele geme mais uma vez- Ohhh, você é... muito.. bom.. nisso... - Will segura os meus cabelos com força e soca cada vez mais fundo e mais forte na minha boca, preciso me concentrar para não engasgar.

Pressiono com um pouco mais de força e sugo repetidas vezes, sinto o pau de Will engrossar e ele relaxar, percebo que ele está perto do ápice, então eu paro e ele grunhi em reprovação.

– Desculpe, mas prometo que vai ser melhor se fizermos juntos. – Garanti sem entender como eu tinha tanta certeza disso.

– Você me deixa louco Di Ângelo. – Will falou lento buscando ar.

Continuei por cima dele colando nossos corpos já suados. Beijei Will nos lábios e depois fui descendo pelo seu pescoço e ombro, ele apenas gemia baixinho em concordância. Continuei a descer e alcancei o botão do seu peito, beijei e Will gemeu meu nome de forma muito urgente. Pousei um dedo em cima do outro e acariciei, olhei meu garoto de cima e vi a expressão de prazer em seu rosto.

- Tá gostoso amor? - Perguntei sendo malvado.

- Ohhh, está....Nico... - ele gemeu.

- Você é malvado na cama? - perguntei e chupei seu outro botão, ele arfou debaixo de mim e eu fiz nossas ereções de tocarem.

Will inclina sua pélvis na minha direção e eu me esfregava nele.

– Você é... - adorei ouvir isso.

Will era lindo sem roupa, os quadradinhos levemente definidos me faziam querem lambê-lo e foi exatamente isso que eu fiz. Lambi todo o abdômen de Wil acariciando seu membro e depois o envolvi novamente em meus lábios. Lambi os testículos de Will e ele soltou um leve gritinho e segurou meus cabelos fazendo-me quase engasgar com a força e a profundidade da estocada em minha boca. Me concentrei em chupar e fazer movimentos de vai e vem, ele investia contra minha boca e eu pressionava a cabeça dele fazendo-o estremecer. Continuei chupando e deixei um dedo acariciando sua entrada, deslizando devagarzinho pra dentro dele.

– Nico... eu estou... perto... - ele rosnou e era verdade ele estava quase liberando quando eu parei.

– Você é delicioso, meu amor – tomei seus lábios num beijo quente e nossas línguas duelavam. Me afastei o suficiente para pegar o lubrificante ao lado e esguichei uma quantidade na minha mão. Lambuzei meus dedos e toquei a entrada de Will o fazendo se contorcer e gemer.

– Hoje eu quero entrar todo em você – falei com os lábios roçando os de Will. Deslizei um dedo devagar e observei sua reação, ele estava adorando e eu ainda mais quando o vi se masturbar. Coloquei o segundo e Will arfava gemendo entre os beijos que eu dava em sua boca inchada e vermelha.

– Você quer agora? - Perguntei vendo que Will estava apertando meus dedos.

– Sim Nico... agora... por... favor.... – ele implorou e eu adorava vê-lo entregue daquele jeito.

Minha ereção estava no máximo, eu pus uma camisinha e passei mais lubrificante em mim. Entrei em Will devagar e senti o quão gostoso era estar dentro dele. Ele era tão apertado que eu tinha que me controlar ao máximo para não gozar antes de aproveitar mais. Esperei ele se acostumar e então iniciei os movimentos de vai e vem.

– Todo Nico.... todo...

Ah eu não podia ouvir aquilo sem sentir o prazer que aquela palavra me deu, me debrucei sobre Will e beijei sem interromper os movimentos. Will levantava sua pélvis e eu investia dentro dele com movimentos ritmados. Ele chupava meu pescoço e gemia cada vez que eu ia mais fundo.

– Eu...vou... acelerar... não posso esperar mais.... – falei e Will voltou a se masturbar.

Ah eu não resistia aquilo, era lindo vê-lo sob aquela ótica, sem roupa, se masturbando com os olhos fechados e a boca levemente aberta soltando gemidos surdos e eu dentro dele.

– Olhe pra mim – eu pedi.

– Nico...

– Olhe – pedi novamente – quero vê-lo enquanto gozo, quero... senti-lo por inteiro...

Ele continuou o carinho em si mesmo e eu acelerei as estocada, oh deuses eu estava fundo dentro dele e ele apertou quando alcancei sua próstata.

– Oh Nico.... eu vou...

– Eu também... eu...

Gozamos os dois juntos e foi difícil manter os olhos abertos nesse momento, mas eu pude ver seus olhos azuis claros brilharem olhando nos meus.

Continuei estocando devagar aproveitando a sensação deliciosa de estar em Will, mas o cansaço falou mais alto então eu sai de dentro dele devagar e desabei em cima do seu peito me aconchegando no seu corpo. Nossas respirações estavam aceleradas e uma camada de suor nos banhava. Ele me abraçou e nós ficamos aproveitando a sensação gostosa do pós-orgasmo antes do banho.

– Nico – ele sussurrou – eu amo você.

– Também amo muito você mio sole.



Notas Finais


Gostaram?
Quem não favoritos a fic, por favor favorite, isso é importante! Obrigada amores❤️❤️❤️❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...