História Son Of God - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber, Pattie Mallette, Ryan Butler
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Fanfic, Hillsong, Justin Bieber, Religião, Romance
Visualizações 55
Palavras 2.064
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Drogas
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá 💓
(Capítulo não revisado)

Capítulo 19 - Ele precisa ?



Estela Wilson

Quarta-feira

20:28 PM

  Enquanto deixava a água quente passar pelo meu corpo até chegar ao chão, pude ouvir meu celular começar a tocar. Ao mesmo tempo que queria saber quem era, meu corpo implorava por mais alguns míseros minutos dentro do banheiro.

  O dia foi bastante corrido. Comecei com a faculdade, depois tive que fazer um trabalho com o resto do grupo em uma das bibliotecas da cidade, em seguida tive que ir para o serviço, e depois disso passei na igreja por alguns minutos e vim para a casa.

       Nem se quer tempo para conversar com o Justin eu tive.

  O toque do celular começou a tocar novamente me fazendo bufar o mais alto e fundo possível. Enrolei uma toalha no meu corpo e outra no cabelo e fui em direção a escrivania pegando meu celular, e digo uma coisa. Eu  sorri quando vi seu nome em minha tela.

- Justin ? - Perguntei me sentando na ponta da cama.

- Demorou pra atender. - Ouvi uma gargalhada, mas não era do Jaxon era de uma mulher. - Estela ?

- Oi. E-eu estava no banho. O que queria ? - Perguntei indo pegar a minha roupa.

- Achei estranho, você não me ligou hoje, e nem se quer foi lá em casa.

  Era isso mesmo ? Ele sentiu a minha falta ? Ele notou isso ? Meu coração acelerou de um modo totalmente descompensado. O que é isso ?

- Sentiu minha falta ? - Perguntei zoando ele. Talvez pra não ficar estranho o " clima ".

- Jaxon sentiu sua falta.

Claro que ele colocaria a culpa no irmão que nem se quer entende o que é sentir falta de algo.

- Jaxon ? - ri. - Aham!

- Não adianta rir, Estela. - Ele agora parecia sério. - Alguma novidade sobre o caso da minha mãe ?

- Nada ainda. - A voz da tal mulher soou mais perto.

- Para Caitlin, eu não quero baba no meu rosto. - Justin disse a ela, enquanto eu so ouvia calada. - Caralho, Chris da um jeito na sua irmã.

- Onde você está ?

- Na casa de um amigo. - Riu, mas não foi pra mim. Tenho certeza disso.

- Ah sim. - coloquei o celular no viva voz e fui me trocar.

- O que fez hoje ? Tipo, algo de bom ?

  Ele nunca tinha me perguntado isso antes.

- De bom? Absolutamente nada. E você ?

- Também fiz nada. O que vai fazer amanhã ?

- Não sei ainda, por que ? Vai fugir de casa na hora que eu sair do serviço pra não me ver ?

- Contrário disso. Queria saber pra não sair de casa. Jaxon passa mais tempo te chamando, do que falando mama.

  A risada da tal Caitlin tinha cessado por alguns minutos dando o lugar a vozes de menino.

- Estranho. - Falei.

- O que é estranho ?

- Você parece que tá querendo me ver. - Afirmei querendo implicar com ele. - Ou é impressão minha ?

- Com certeza é impressão sua, Estela.

- Percebi.

  O silêncio entre nós dois apareceu quando ele começou a falar com seus amigos do outro lado da linha. Pensei em desligar a chamada. Até porque não fazia sentido para mim, ficar ali ouvindo tudo.

- Ei crentinha. - Um dos garotos me chamou por esse apelido desnecessário. - Tem como você desgrudar do pé do Justin ? Resolveu fazer dele seu testemunho ?  - Sua voz saiu seria entre as risadas no fundo. - Ryan me dá meu celular. - Justin pediu. - Você está acabando com nosso amigo com essas pregações sua, o garoto nem se quer tem tempo de se divertir, cai fora menina... - Ouvi o celular caindo no chão em seguida o Justin chingando seu amigo. - Estela, está aí ainda ?

- O que você anda dizendo para seus amigos ? - Perguntei. - Eu ando te atrapalhando ? Foi isso que eu entendi ?

- Estela não é isso. Esses garotos são uns idiotas, não liga para o que eles falam. - Pediu. - Larga de mentira Justin, você mesmo disse que não aguenta mais ela no seu pé. - O mesmo garoto, o Ryan disse.

- Acho melhor desligar, não quero te atrapalhar mais do que já atrapalho.

- Estela! - Foi a única coisa que ele disse antes que eu apertasse o botão de finalizar a chamada.

  Eu não queria hipótese alguma me sentir se quer afetada com o que tinha ouvido. Mas, sou humana, sinto o que todos sentem. Não consigo não me deixar afetar pelas as coisas do dia-a-dia.

  Com a cabeça agora pensando no que acabará de acontecer, resolvi descer até a cozinha para comer alguma coisa. Não estava com muita fome, mas também dormir com estômago vazio não iria me ajudar em nada amanhã.

  Minha mãe não estava em casa. A reunião com os casais de corte acontecia hoje, ela e muito menos o Rick iriam perder esse momento. Eu havia implorado para irem junto só pra poder comer algumas guloseimas que teria, mas não é não. Mães!

  " Larga de mentira Justin, você mesmo disse que não aguenta mais ela no seu pé. "

Como eu não pensei na hipótese dele estar mesmo não me aguentando mais ? Não, espera! Se ele não tivesse me aguentando não teria me ligado pra saber o motivo de não ter ido na casa dele hoje. Que coisas mais confusas.

Justin anda se esforçando muito, eu vejo isso no seu modo de agir comigo e até mesmo com o seu irmão. Não posso dizer que foi Á transformação, mas houve sim uma mudança, pequena mas houve. E se isso aconteceu, foi por que Deus agiu. E não foi eu a responsável. Deus e eu somos uma dupla, aliás, a dupla infalível.

Eu preciso ignorar todos os tipos de comentários que venha me desanimar, como o do Ryan. E se eu o incômodo, qual o problema ? E se ele for meu testemunho ? Qual é o problema ? Nenhum!

Tenho que ver que será esse e outros obstáculos que o inimigo irá colocar no meu caminho para que eu desista de ajudar o Justin. Que eu desista dos planos de Deus. Oras, quem é ele para fazer algo na minha vida ? Satanás não tem nenhum poder sobre mim, e muito menos nas minhas escolhas e ações. Ele simplesmente não é nada, e se mantém abaixo dos meus pés.

Eu aceitei esse caminhada com Deus, e tenho que crer que nada, absolutamente nada irá nos atrapalhar.

Quando terminei de bater a vitamina de morango com banana, subi para o meu quarto já disposta para dormir mais de oito horas. Acredite, isso é quase que impossível para mim, dormir isso tudo.

O copo eu havia largado no criado mudo. Meus pés estavam coberto pelo enorme cobertor, sem contar que a luz já estava desligada quando a campainha soou.

Não acredito que minha mãe deixou que eu conseguisse arrumar a melhor posição para tocar a campainha. No segundo toque me levantei indo para fora do quarto.

- A senhora não levou... - Parei de falar quando encontrei o Justin parado na minha frente. - Justin ?

- Posso entrar ? Tá meio frio aqui fora. - Assenti assim que notei que ele vestia uma regata branca.

- Aconteceu alguma coisa com o Jaxon ? - Perguntei atrás dele.

- Ele está bem. - Ele sorriu de canto quando me olhou. - Você já estava deitada ?

- Estava. - Notei que ele me olhava dos pés à cabeça. - Por que veio aqui a essa hora ?

- Nem está tão tarde assim. Deve ser umas dez da noite agora. - Disse. - Você desligou na minha cara, por que ?

- Porque!

- Você não deveria fazer isso. Ninguém desliga na minha cara.

- Você não me bota medo. - Ri passando por ele me sentando no sofá. Não demorou, e ele riu junto.

- Desculpe pelo o que o Ryan disse. Eu falei sim aquilo pra ele, mas foi bem antes de te conhecer de verdade. Você realmente vivia no meu pé, era muito chato. - Seus olhos não estavam em mim. - Quero dizer, ainda é chato. Mas, não como antes.

- Você é o único que diz isso.

- Talvez por que as outras pessoas tenham medo.

- Acho que não... Mas por que não me conta como foi lá com sua mãe ? Não nos vimos a dois dias.

- Não aconteceu nada de mais.

- Certeza ? - O encarei como se olhasse no fundo da sua alma. - Justin ?

- Por que tá me olhando assim? - Franziu a testa.

- Nada. Vai, me fala o que aconteceu lá. - Eu fui até para o sofá onde ele estava me sentando ao seu lado.

Ele parecia pensar, tipo, muito mesmo. Até por que ele abria e fechava a boca várias vezes.

- Eu fiquei um pouco nervoso quando eu me toquei que a viria. - Sua voz saiu baixa. - Eu até já imaginei ela sendo presa, mas nunca pensei que aconteceria.

- E como ela estava ?

- Bem, aparentemente.

- Vocês conversaram sobre alguma coisa ?

- Nada de mais, somente sobre o Jaxon. Ela queria saber como ele estava.

- Só isso ?

- Ela...Ela disse que eu não tinha e nem deveria ajuda-la. Sabe, pelas as coisas que ela fez. Pelo menos ela sabe que é a culpada disso tudo.

- Você senti mágoa da sua mãe ? - Perguntei curiosa.

- Por que a pergunta ? - Ele que estava com as duas mãos apoiadas no joelho, virou o rosto para mim me olhando com a testa levantada.

- Não sei... Você sempre a culpa, tudo que aconteceu na sua vida. Tenho certeza que antes disso tudo acontecer, vocês dois eram bastante grudado um no outro. - Ele assentiu. - E isso tudo, esse amor todo, acabou ?

- Sim.

- Certeza ?

- Não. - Respondeu rápido. - Isso por acaso é uma sessão de terapia ?

- Acho que não. - Ri.

- Mas ta parecendo.

- Você que está achando isso. Eu sou quero saber mais sobre o que você sente e pensa a respeito da sua mãe. Sou sua amiga, não sou ? - Apoiei minha mão encima da sua.

- Uma conhecida já está bom pra você ?

- Depende, seria uma conhecida amiga ?

- Pode ser.

- Posso te perguntar uma coisa ?

- Já tá perguntando, Estela.

- Você sente falta da sua mãe ? Quero dizer, do que ela era antes...

- Sinto... Muito.

- E ela sabe ?

- Você acha que nós dois conversamos sobre sentimentos ? Me poupe, Estela. - Agora suas mãos estavam na nuca. Ele parecia tenso.

- Foi só uma pergunta.

- Agora eu posso fazer um pedido para você ? - Assenti.

Mais uma vez ele demorou para falar. Estranhei quando ele se levantou e ficou na minha frente me olhando. Oh céus, o que ele queria ?

- Pode parecer estranho...Mas, você pode cantar pra mim aquela música da última vez que fui na igreja com você ? Ela de algum modo me acalma...bom, não que eu esteja bravo, mas sei lá... Me sinto bem. - Pediu e explicou completamente nervoso.

- Trouxesse -me ao fim de mim mesmo, e quanto tempo isso levou. Quando meu ALELUIA cessou, nova canção me deste, e para ti eu vou. - Eu estava em pé na frente dele. - Para eu vou, para ti, eu vou. Me rendo a ti.

Devagar, Justin deixou que eu o abraçasse. Minha voz não era a melhor, mas com o silêncio da casa, acabou melhorando um pouco a situação.

- Confesso seguro estou, mas teu amor me envolve, e as mentiras que ouvi se esvai-em. Quando eu me entregou a ti. E para ti eu vou.... E para ti eu vou. Me rendo a ti... Me lembras-te de tuas promessas, me moldas, te até meu ser desfeito ser, teu amor me envolve, não a medo em teu amor, capturou- me....

Quando terminei de cantar a música, pensei que ele me soltaria mas ele fez ao contrário, ele simplesmente me apertou mais entre seus braços não querendo que eu me afastasse.

- Não a medo no amor de Deus... O amor de Deus diz quem somos, não a barreiras. Amor invencível, furioso, incontrolável é o amor dEle por nós. - Falei sussurrando. - E quando nós nos juntamos, não a nada que possa nos separar.




Notas Finais


Que lindo 😍

Essa música é simplesmente linda  😍😍😍😍.

Justin não admite, mas sei lá, ele quer e ao mesmo tempo não quer. Ele tem que sair dessa justiça própria que ele está vivendo, e se entregar sem medo.

Em Jeremias 28:11 fala o seguinte  

" Porque sou eu que conheço os planos que tenho para vocês. Diz o senhor. Planos de fazê-lo prosperar e não de lhes causar danos, planos de dar lhes esperança e um futuro. " Basta busca-lo de todo o coração ✝💓


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...