História SORRY - Justin Bieber Fanfic - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cara Delevingne, Justin Bieber
Personagens Cara Delevingne, Justin Bieber
Tags Cara Delevingne, Fanfic, Justin Bieber
Visualizações 35
Palavras 1.124
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 8 - Eight


Saímos da Agência e decidimos ir no Starbucks para "comemorar" o nosso ensaio, o trajeto dessa vez estava numa vibe muito melhor do que antes.

É fácil puxar assunto, contamos algo um pro outro e Justin ficou com sua mão em minha coxa o trajeto todo, antes de irmos diretamente ao estabelecimento, eu pedi para que ele passasse em casa para que eu tomasse um banho e me arrumasse, porque se formos lá e aparecer paparazzis como da ultima vez quero estar arrumada, ele concordou - lógico que deixei a parte dos paparazzis de fora, e ele me elogiou mais uma vez sobre o ensaio de hoje de manhã.

Ele para em frente e retira sua mão da minha coxa para poder estacionar corretamente, ele desliga o carro e quando eu vou saindo e coloca a mão na minha coxa e me chama.

- Molly.. Me desculpa por ter agido como uma babaca com você aquele dia, eu não tenho nada demais com você - ele pausa antes de continuar e suspira - eu não sei o que aconteceu comigo aquele dia, eu me senti super-protetor, eu também não sei o que anda acontecendo comigo, cada vez mais eu quero ficar mais perto de você, quero estar com você, poder te abraçar -ele sobe sua mão para o meu rosto, acariciando minha bochecha - ou até mesmo te beijar, me desculpa mais eu nunca senti isso antes, eu nunca estive assim antes, mas eu não sei se é certo,sair se declarando por aí, nessa semana que estivemos juntos eu me senti mais vivo, me senti - ele começa á gaguejar e trava - eu me sinto... - novamente, trava.

- Você se sente o que Justin?

- Deixa - ele acaricia minha bochecha - na hora certa você saberá. Ok? - e deposita um beijo na minha testa.

- Tudo bem.

Abro a porta no carro e já vou abrindo minha bolsa para pegar a chave de casa e entrar. Feito isso subo para o banheiro direto. Tiro as minhas roupas e coloco no cesto de roupa suja. Pensando bem, essa casa precisa de uma faxina antes da minha mãe voltar. Pego a bolsa do chão e coloco encima da pia.

Faço minhas necessidades e prendo meu cabelo num coque para não desmanchar os cachos que foram feitos hoje de manhã. Vou para o box e ligo o registro e quando a água cai nas minhas costas está do jeito que eu gosto, morna e parece relaxar meus músculos, tomo um banho rápido, passando sabonete no meu corpo e me depilo, afinal, vou usar short e ficaria feio com alguns pelos à mostra.

Termino de me depilar e então retiro a espuma do meu corpo e desligo o registro. Pego numa toalha e já me seco no banheiro, vou para quarto e abro o guarda roupa que está uma zona, pego minha roupa íntima branca, escolho vestir uma blusa de mangas compridas de malha cor nude, com um coração azul desenhado no meio dela, pego também um short - talvez..curto? - jeans, e um vans preto, visto tudo e vou ao banheiro pegar minha bolsa que ficou lá, voltando ao quarto, pego no meu óculos de sol espelhado, e passo o batom vermelho que usei hoje no ensaio - o maquiador me deu ele para " arrasar " com o Justin - e retoco minha maquiagem leve de cedo.

Quando vou descendo as escadas Justin está lá, sentado no sofá, e passado alguns segundos, nossos olhares se encontram e ele se levanta e vem até mim, e paramos no meio da sala, ele coloca suas mãos na minha cintura e me dá um pequeno beijo na testa.

Eu sorrio com o ato e lhe dou um abraço, pois não há forma alguma de agradecer tudo que ele fez por mim esses dias, e como dizem: Um abraço vale mais que mil palavras. E é isso que eu admiro nele, ele me entende de uma forma única, uma forma maravilhosa, espetacular. Ele me compreende e me ajudou quando ninguém mais podia, porém a mídia só pega quando ele erra ou quando ele faz algo de errado.

Se a mídia me perguntasse sobre ele, eu falaria tudo que penso e não os defeitos dele, afinal, isso todos temos, e não é só por que ele é famoso ou tem alma de adolescente que tem que ser perfeito.

- Você está linda Molly. - ele diz, deve ser a centésima vez que me diz.

- Obrigada Bieber. Vamos?

- Sim. - ele coloca sua mão na minha cintura e vamos andando até a porta, eu tranco ela e ele abre a porta do seu carro para mim. Falando em carro...

- Justin cadê meu carro? - Digo procurando com a cabeça.

- Eu esqueci de te falar, depois de amanhã ele está pronto. - ele diz e pisca o olho entrando no lugar do motorista.

- Você levou o carro para arrumar e não me falou? - ele murmura um uhum - Quando chegar, eu pago.

- Já está tudo pago. - Ele liga seu carro e vai embora.

- Eu vou te agredir Justin! Não precisava. - eu não gosto de pedir ajuda para as pessoas, depois posso ficar como uma pessoa "frágil" ou "pidona".

- Já disse que eu faço isso por que gosto de você. Apenas aceite.

- Ok.

O caminho para o Starbucks foi feito com muita conversa nossa, risadas e " babados " da vida dele, até que ele decide parar numa floricultura - decidimos comprar umas rosas pra levar a minha mãe. E lá dentro havia uma fã dele, ela quase surtou e se fosse eu á 1 semana atrás também estaria louca, porém, quem diria que hoje eu iria fazer um ensaio sensual com ele e estaria aqui agora em seu carro esperando que ele comprasse um buquê pra minha mãe?

Por que toda vez que pega na minha mão ou coloca sua mão na minha coxa, borboletas surgem de Beleléu para rodopiarem no meu estômago? Por que tudo está correndo assim? Qualquer outra pessoa poderia estar adorando estar aqui, mas eu só gosto de estar com ele, gosto de quando ele pega na minha mão, gosto que ele coloque sua mão na minha coxa, eu gosto quando ele acaricia meu rosto, eu gosto quando eu deito no seu colo - como na vez do hospital - e ele fica fazendo carinhos no meu cabelo, eu gosto de ver ele dormindo, eu gosto do abraço dele.... Será que é possível eu estar gostando dele? Agora que percebeu isso queridinha? Eu já estava sabendo a muito tempo, lerda. Meu subconsciente atira e eu acho que posso concordar com ele desta vez.


Notas Finais


1.como vocês estão?
2.estão gostando da história?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...