História Sugar Baby - Capítulo 6


Escrita por: ~

Visualizações 119
Palavras 1.466
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Festa, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Últimas Esperanças


Era seu quarto encontro e o sentimento de ansiedade estava mais presente que antes, talvez por no dia anterior ter se encontrado com um homem que provavelmente matava pessoas como se fosse apenas tomar um café. Jungkook havia rido de nervoso e quase se tornado um assassino também após Taehyung questionar se não deveriam informar à polícia sobre os feitos de Yongguk.

"Hyung ele é rico e para ter informantes com certeza não é pouca coisa, se nós denunciarmos ele a próxima mancha na camiseta dele vai ser nossa!", o menino argumentou gesticulando dramaticamente.

Na noite anterior eles tiveram novamente a conversa sobre o Kim desistir de se arriscar em encontros, dessa vez o jovem quase cedeu, mas ao ver que eles jantariam lamén instantâneo mais uma vez lembrou-se porque topou investir naquela situação arriscada, então disse a Kook que continuaria e por essa razão estava vestindo uma camiseta e shorts limpos.

Seu encontro era em um parque conhecido do centro da cidade, nada de restaurantes com diversas estrelas que ele não podia usar roupas confortáveis. Seu amigo se encontrava na porta do apartamento andando em nervosismo.

— Kookie, ele não parece ser ruim. – Suspirou.

— O chefe de mafia também não parecia ser ruim! – Rebateu, mas mesmo assim abriu a porta para os dois saírem.

— Nós não sabemos se ele é um chefe de mafia. – Sussurrou sabendo que não era um argumento bom o suficiente.

Dessa vez um ônibus bastou para chegar à localização marcada, os dois estavam um pouco aliviados, pois não era a primeira vez que frequentavam o parque, ou seja, o lugar era familiar.

O mais velho andou até o ponto referencial que o britânico havia lhe dito e o esperou até que ouviu uma voz um tanto quanto fina chamar seu nome.

— V! – Exclamou o homem de olhos azuis.

— Boa tarde, Lewis. – O coreano tentou pronunciar o nome estrangeiro fazendo com que uma risada escapasse da boca do outro.

— É Louis, mas não se preocupe até as pessoas que falam em inglês erram. – Sorri mostrando algumas ruguinhas no cantos dos olhos fazendo que o menino sorrisse junto, talvez tudo daria certo. – Não acredito que você tem a mesma altura que eu!

— E ainda estou crescendo. – Complementou ainda sorrindo, mas o seu pretendente agora apresentava outro sentimento, pena.

— V, devo já informar-lhe que não vou poder ser seu sugar daddy. – O sorriso do mais novo se desmanchou. – Você é lindo, mas já consegui um baby para mim desde que marcamos o encontro.

O sentimento de tristeza se apoderou do corpo do coreano. Estava errado, não daria tudo certo. Sentou-se no banco que estivera sentado enquanto esperava o homem, estava emocionalmente exausto.

— Hey, garoto, desculpa. – Sentiu um braço envolver seus ombros. – Olha, eu garanto que achará alguém para você, não sei se quer ir embora porque esse encontro não vai dar em nada, mas se quiser ainda podemos fazer algo.

Taehyung olhou para Louis e viu que esse realmente estava se sentindo culpado e tentava o consolar. Suspirou novamente, não tinha nada a perder.

— Eu não tenho nada para fazer hoje. – Acabou respondendo que resultou no homem sorrindo e logo se levantando.

— Então vou te levar para o fliperama que descobri nessa cidade, crianças ainda gostam disso, certo?

Os dois passaram o resto da tarde em frente à telas que disponibilizavam inúmeros jogos, até se aventuraram em um carro choque que fez Louis resmungar o resto da tarde que não era justo, pois ele já pilotara carros de corrida e mesmo assim não conseguiu fugir do mais novo.

— Qual é o seu nome, V? – Perguntou assim que sentaram para comer um sorvete na lancheria do fliperama.

— Taehyung. – Respondeu sem pensar duas vezes, não teria grandes problemas ao dizer seu nome já que o homem parecia não apresentar ameaças, também porque um assassino já tinha seu nome, não poderia ficar pior. – Posso fazer uma pergunta?

— Claro, Rudolf. – O Kim franziu suas sobrancelhas em confusão e recebeu uma risada como esclarecimento. O homem esticou sua mão e limpou a ponta do nariz do coreano que estava com sorvete de morango, fazendo ele entender o nome.

— Como é o seu sugar baby?

— Tem dezessete anos igual a você. – O mais velho começou, tinha descoberto a verdadeira idade de Taehyung ao perguntar se este queria uma bebida alcoólica. – Mais baixinho, uma voz grossa demais para a idade, tem covinhas quando sorri, olhos verdes e cabelos castanhos cacheados. Um pouco birrento e muito manhoso, se entrega fácil demais, é ingênuo e sempre quer ajudar as pessoas, é do tipo de pessoa que você diz que é "muito puro para esse mundo".

O mais novo sentiu uma emoção confusa dentro de si, um misto e felicidade e inveja. Achava lindo como o homem falava do seu namorado, mas doía em seu peito não ter a mesma coisa para si.

— Se não fosse por ele eu provavelmente te convidaria para outro encontro junto com um convite para oficializar um relacionamento, vocês são parecidos em vários aspectos.

Já estava ficando tarde e Louis ofereceu para levá-lo até uma pizzaria, mas Jungkook estava o esperando.

— Ele esta te esperando desde o começo do encontro? – O homem indagou fazendo o mais novo afinar acenando com a cabeça. – Ele deve estar morrendo, convide ele para vir junto, não tem problema.

E assim os três fizeram uma competição de quem conseguia comer mais pedaços de pizza. Jungkook ganhou após 22 pedaços fazendo os outros dois arregalarem os olhos.

— Eu estou em fase de crescimento! – Tentou se defender, mas não conseguiu tirar o pavor do olhar dos mais velhos.

Antes de irem embora o britânico os impediu dizendo que queria fazer mais uma coisa com Taehyung. Os dois adolescentes entraram no Range Rover do homem que parou depois de alguns minutos na frente de uma loja da Gucci, saiu do carro e logo abriu a porta para os dois que o seguiram. Dentro da loja escolheu algumas peças e as largou nas mãos do menino de cabelos descoloridos.

— Experimente e escolha a que você mais gosta. – Disse simplesmente e o Kim fez o que lhe fora mandado, acabou por ficar em duvida entre um moletom azul com figuras bordadas e uma camisa espada com flores, estava quase chegando a uma conclusão quando o mais velho segurou o moletom e olhou para vendedora. – Vamos levar este e a camisa que ele está vestindo.

— Mais alguma coisa, senhor? – A mulher que os atendia perguntou.

— Espere. – Louis disse olhando para Taehyung como se algo faltasse e assim que a resposta veio a sua mente se aproximou da atendente exigindo algo que os dois meninos não ouviram, quando ela voltou segurando diversas gravatás o homem segurou uma azul marinho que continha o bordado de uma cobra foi em direção do adolescente passando ela pelo seu pescoço e fazendo um nó, então se afastou admirando. – Eu disse que você e Harry se pareciam, os dois nasceram para usar Gucci.

A carona para casa foi em meio a cantorias das musicas que a radio tocava e uma sacola contendo roupas de preço que Taehyung nem conseguia imaginar pesando em seu colo.

— Se um dia quiser me procurar meu nome é Louis Tomlinson, só colocar no google. – Foi a última coisa que os dois ouviram do homem antes de entrarem no prédio e subirem para o apartamento dos Jung.

Kim teve que explicar tudo que havia acontecido para o amigo incluindo porque o britânico não poderia ser seu sugar daddy, quando terminou a animação que estava sentindo se esvaziou do seu corpo deixando apenas a tristeza e cansaço, mais um encontro e não tivera resultados. Sentiu seus olhos se encherem de lágrimas e os braços de Jungkook o rodeando.

— Taetae vai dar tudo certo. – Ele dizia enquanto passava seus dedos pelo cabelo do mais velho.

— Quando, Kookie? Parece que o universo está rindo de mim! – Chorou mais forte contra o peito de Jeon. Estava estressado consigo mesmo, pois não conseguia fazer nada sozinho, era inútil.

— Entre no site de novo, eu aposto que você tem muitas notificações. – O de cabelos negros se desprendeu do abraço para pegar o computador logo entrando na conta do Kim. – Eu sei que você não vai desistir, então vamos tentar de novo.

E assim os dois fizeram. Realmente havia um número absurdo de notificações no perfil do adolescente, mas agora tendo mais cuidado em escolher os homens os dois descartaram grande maioria das mesmas, até chegarem a uma foto que Jungkook automaticamente clicou.

"Suga, 34 anos."

Jeon passou por todas as fotos do homem que mandara mensagem para seu amigo.

— Esse, Tae.

— Tem certeza, Kook?

— Sim.

O encontro fora marcado para o dia seguinte e as mãos de Kim voltavam a suar com a ansiedade tomando conta de seu corpo, se dessa vez não desse certo acabaria desistindo de tudo



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...