História Suicidas - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Romance, Sexo, Violencia
Visualizações 7
Palavras 2.350
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Harem, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - Capitulo 4 Mick Festa


 

Acordei com um barulho de algo caindo na cozinha, me levantei rapidamente ao perceber que minha mãe não estava deitada no sofá e fui em direção a cozinha, quando cheguei lá minha mãe estava abaixada pegando a penela que avia caído.

- Mãe o que aconteceu? - falei quando chegue perto dela e a ajudando ela a se levantar - você esta bem?

- Estou bem. Só derrubei uma panela. - ela disse ao se levantar com a panela na mão - que bom que você acordou, já pode tomar café. - ela falou indo se sentar a mesa.

Eu preparei um pão para mim e para ela e peguei dois copos de soco, eu a servi e logo depois me sentei a mesa junto com ela e comecei á comer calmamente.

- Que horas você vai sair? - ela perguntou sem olhar para mim

- Não sei direito. Que horas são?

- 9:30 - ela disse olhando para o relógio na parede.

- Logo - eu levantei deixando o pão na mesa, e fui até a sala para pegar meu celular, logo depois voltei para a cozinha e me sentei novamente, reparei que Roy tinha me mandado uma mensagem, mas antes eu precisava mandar uma mensagem para falar com Rafaela, para peguntar se ela poderia ficar com minha mãe quando eu saísse.

Mick: Rafa você poderia ficar com minha mãe hoje?

Fiquei esperando uma resposta, e em quanto ela não respondia eu olhei o que Roy tinha mandado.

...felizes q vc vai voltar a sair com a gente

Mick: OK

Roy: Eu já falei com todo mundo sobre vc

Roy: Marcamos de se encontrar na praça perto da sua casa

Roy: a gente se vê lá as 19:10

Roy: não vai dar mancada tem alguém q vai estar esperando vc mais q os outros.

Depois de ver a mensagem de Roy o respondi rapidamente e percebi que avia recebido a resposta de Rafaela.

Mick: Rafa você poderia ficar com minha mãe hoje?

Rafa: Mas é claro meu querido. Você tem cuidado tanto de sua mãe, merece sair um pouco e se divertir 

Mick: Obg. vc poderia vim aq umas 18:40?

Rafa: tudo bem querido

Coloquei o celular na mesa e continuei comendo, quando terminamos fomos dar uma volta pelo parque, e mais uma vez eu via a felicidade de minha mãe em ter sua vida antiga de volta, ela não parava de sorrir e admirar a paisagem que estava a sua frente em quanto andava, passamos o dia inteiro passeando indo aos lugares que ela mais gostava, voltamos para casa só quando percebemos que já estava começando a ficar tarde.

Quando chegamos em casa olhei para o relógio e percebi que já era 18:29 e lembrei que a Rafa ia chegar daqui a pouco, queria deixar tudo pronto antes de sair. Falei para que minha mãe para que fosse se deitar um pouco - Depois de um dia inteiro passeando ela parecia bem cansada - ela sem reclamar foi para o seu quarto, mostrando apenas seu sorriso antes de subir as escadas.

Comecei a preparar algo para que minha mãe e Rafa comecem sem que precisassem preparar nada, quando estava quase terminando escutei o barulho da campainha, fui até lá e antes de  abrir a porta olhei na tela de meu celular 18:45, dei um pequeno sorriso ao ver a hora abri a porta vendo o sorriso no rosto de Rafa.

- Oi querido - ela falou ainda com o sorriso em seu rosto, era possível ver as rugas de expressão em seu rosto que começaram a aparecer pela idade - tudo bem

- Claro. E você como sempre pontual não é ? - disse dando espaço para que ela pude-se passar

- Por você e sua mãe, minha melhor amiga a anos, lógico que seria - ela falou entrando - e sua mãe como ela esta?

- Ela parece estar ótima desde que cheguei em casa ontem depois da escola ela tem passado todo tempo comigo, ela parece até que já esta curada, hoje passamos em todos os seus logares favoritos que a tempos ela não vai - falei com empolgação - ela disse que o médico disse que ela já esta muito melhor e poderia começar sua vida novamente. De onde avia parado. Não é incrível?

- Isso é ótimo. Principalmente por que você vai poder sair com seus amigos novamente não é?

- Eu não queria muito sair, - confessei - mas ela disse que eu precisava me divertir com outras pessoas também

- Concordo com ela, eu vou lá ver como ela esta - disse indo em direção a escada - a é o cheiro da comida esta uma delicia, ótimo como sempre na cozinha não é Mick - ela gritou lá de cima e pude escutar o som da porta do quarto de minha mãe se fechando.

Voltei para minhas tarefas , quando terminei olhei para o relógio e vi que só tinha 20 minutos para me arrumar e sair de casa. Fui para meu quarto peguei minha roupa e fui direto para o banheiro, tomei banho o mais depressa que pude e me troquei mais rápido ainda fui até meu quarto e vesti meus tênis e peguei uma toca, já que não tinha tempo para arrumar meu cabelo, mas antes de sair fui até o quarto de minha mãe e antes de bater na porta escutei minha mãe e Rafa conversando sobre algo - o que parecia ser sobre mim.

- Ele não pode saber disso, ele esta tão feliz não deve contar isso a ele

Escutei um longo suspiro - Você sabe que ele vai descobrir mais tarde, e vai ser ainda pior para ele

- Eu sei mas não quero me lembrar dele triste e nem preocupado. Por favor eu sei que isso não é justo para ele mas... - ouve um longo silencio até que escuto a voz de Rafa novamente

- Tudo bem, não irei contar, mas eu não esperava isso de você.

Decidi então bater na porta e então escuto Rafa falando para que eu entrasse.

- Desculpe incomodar - falei abrindo a porta - eu já estou de saída, eu deixei tudo pronto para vocês.

- Não precisava querido - minha mãe disse esticando a mão para que fosse até ela e assim eu fiz - espero que se divirta ao máximo, certo?

- Sim mãe - dei um beijo em sua testa - não demorarei muito, tchau Rafa.

- Nada disso - disse minha mãe quando cheguei a porta - fique o tempo que quiser, nada de chegar muito cedo. - apenas dei um sorriso e sai do quarto.

Sai correndo de casa pois já estava 10 minutos atrasado, quando cheguei á praça fiquei aliviado por todos terem me esperado.

- Valeu por me esperar - disse cumprimentando Roy, que logo de cara deu um sorriso.

- Sabia que ia se atrasar por isso mandei você vim mais cedo

Olhei sem acreditar para ele, percebendo que ele avia me mandado o horário errado de proposito - Eu não acredito. Deixa isso pra lá já chegou todo mundo, pra irmos logo ao cinema?

- Não ainda falta a Lucy, falando nela olha ela ali - olhei para onde Roy estava olhando e vi Lucy vindo em nossa direção, Lucy não fazia meu tipo, mas tinha que admitir ela esta muito linda.

- Oi Mick - ela parece feliz de algum modo.

- Ah oi - Roy me empurra um fazendo com que eu chegasse mais perto de Lucy e quando olhei para ele furioso ele estava sorrindo. - Idiota - disse o mais baixo o possível.

- Falou algo?

- Oh foi mal eu... eu não disse nada

Ela me olha alguns instantes - Tudo bem então. Podemos ir?

- É claro já esta todo mundo aqui mesmo - Roy disse colocado um dos braços no meu ombro - vamos indo em direção a FESTA!!

- Você não disse que íamos no cinema - falei irritado 

- Eu sabia que se eu falasse que era uma festa você não iria vir e agora não da pra voltar pra traz 

Eu olhei para Lucy, era como se os olhos dela pedissem que eu ficasse e fosse aquela festa. Não disse nada apenas caminhei junto com eles em direção da tal festa. 

Quando chegamos a rua estava cheia de carros e a casa onde estava ocorrendo a festa estava tocando musica alta e cheia de pessoas, quando entrei fui para a cozinha pegar uma bebida já que estava ali mesmo porque não aproveitar?

- E ai cara? - Bruno apareceu atras de mim segurando meus ombros em quanto colocava a bebida no copo - fico feliz de te ver saindo novamente.

- E ai Bruno - disse cumprimentando ele - é hoje eu achei que irai a um cinema, mas invés disso Roy me arrastou pra cá. Ele é um cara legal e um dos meus melhores amigos, mas as vezes eu só queri dar um soco na cara dele 

- Hahaha. entendo como é isso, mas - foi como se eu soube-se naquele instante oque ele iria dizer - como vai a sua mãe?

Bruno era a unica pessoa que eu avia contado sobre minha mãe, já que nos conhecíamos desde pequenos - Parece que finalmente os tratamentos estão fazendo efeito, ela finalmente esta voltando a ser como antes. E seu namoro como vai? 

Ele vai indo muito bem, valeu por se importar - ele da um tapinha em minhas costas - e você como vai? vi você chegando com a Lucy, estão ficando?

Dei um sorriso sem graça - Não, nos só chegamos juntos - ele me lançou um olhar meio desconfiado, mas fingiu que acreditou

- Ok . Depois vamos voltar juntos assim colocamos o papo em dia, agora vê se aproveita e comemora a melhora da sua mãe - ele pega a garrafa de bebida e sai indo em direção a sala.

Quando reparei estava com um pequeno sorriso no rosto, fazia tempo que não conversava com Bruno, mas direcionando minha visão um pouco mais para o lado vi Lucy e olhando. A noite passou praticamente assim eu conversando com pessoas que não conversava avia tempo e troando olhares com Lucy. Quando dei por mim percebi que já era 22:45, procurei Bruno e acabei encontrando ele lá fora junto com Jennifer, Lucy, Igor e Ágata.

- E ai Mick a gente estava te procurando, já estamos indo você vem com a gente ou vai ficar?

- Não... Não vou om vocês já estou um pouco bêbado acho melhor eu ir.

- Então vamos - eles começaram a andar e eu os segui ficando entra Lucy e Bruno - se você quiser dormir em casa, pode ir meu irmão esta lá, então eu e David não vamos aprontar nada.

- Acho melhor n.....

- Falando no seu irmão - fala sério até agora não entendi porque Jennifer esta aqui, o Bruno odeia ela por ficar enchendo o saco dele para ele convencer o irmão á voltar a ficar com ela - Você conversou com seu irmão sobre oque lhe pedi?

- Bruno boa sorte com ela - aumentei o passo para chegar até Igor.

Em quanto andávamos falávamos coisas idiotas e riamos por tudo o que víamos pela frete até que vi uma garota de capuz andando de cabeça baixa esbarar sem querer no Bruno

- Presta atenção garota... - escutei Jennifer reclamar com a garota que não mexia um minusculo até que Bruno brigou com Jennifer por tratar a garota daquele jeito, a menina foi embora logo depois de dizer algo para Bruno. 

- Ei cara. - falei indo até ele - Quem era?

- Eu não sei, mas parecia estar com problemas.

Achamos melhor pegar um ônibus para voltarmos para casa, porque ninguém estava totalmente sóbrio. Chegamos no ponto bem na hora em que o ônibus estava passando, deixamos as meninas entrarem primeiro logo depois Igor, eu e Bruno, que estava revirando o bolso da calça.

- Tudo bem cara? - Igor falou meio que brincado com a cara que Bruno estava fazendo

- Acho que derrubei minha carteira. Eu vou correndo buscar, vão vocês na frente. - ele sai correndo do ônibus procurando sua carteira.

- Posso me sentar aqui senhorita? - falei fazendo uma gracinha para me sentar ao lado de Lucy

- Mas é claro senhor. - ela falou sem conseguir segurar o sorriso

- Obrigado - disse me curvando e quase caindo pelo ônibus ter começado a andar, me sentei antes que caisse de verdade.

- O que aconteceu com o Bruno?

- Acho que perdeu a carteira - disse com um sorriso preso no rosto - se estiver com sono pode deitar no meu ombro, eu te acordo quando chegarmos - falei vendo ela bocejar

- Obrigada - ela disse com a voz sonolenta e se deitando em meu ombro.

 A viagem foi tranquila, tirando o fato de que Igor não estava tão bem, quando chegamos no ponto onde Lucy descia, há acordei, ela desceu junto com Jennifer e Ágata, ficamos apenas eu e Igor no ônibus então achei que seria melhor levá-lo até a casa dele já que não faltava muito para chegar lá. 

Descemos do ônibus e Igor vomitou umas quatro vezes antes de chegar a casa dele, peguei a chave do bolço dele para abrir a porta, levei ele ate o banheiro e o coloquei em baixo da água fria, aproveitei e coloquei minha cabeça em baixo da água também.

- Igor é você? - escutei a mãe de Igor dizer vindo até o banheiro - hora Igor, você deu trabalho a mais um amigo - ele estava tão bêbado que não dizia coisa com coisa, não segurei a risada - você também não esta tão bem não é? vou pegar uma toalha pra vocês e arrumar um lugar para você dormir.

Não me lembro de nada mais, a não ser a hora em que me deitei naquele colchão e me cobri com aquelas cobertas quentinhas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...