História Summer Camp - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Royz
Personagens Koudai, Kuina, Subaru, Tomoya
Tags Kazuki, Koudai, Kuina, Lemon, Nasubaru, Royz, Subaru, Subaruxkuina, Tomoya, Yaoi
Visualizações 7
Palavras 2.699
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


se tem alguém lendo ainda não sei, mas que esse capitulo tá otimo... ta mesmo

Capítulo 9 - Nono dia


Estávamos todos no refeitório almoçando já que havíamos perdido a hora para o café da manhã, não que isso realmente importasse.
O dia estava chuvoso e até mesmo um tanto frio então não sabíamos ao certo o que faríamos pelo resto da tarde.

- O dia está tão bom pra ficar na cama vendo filmes e comendo porcaria. - Resmunguei me debruçando sobre a mesa do refeitório. - Ah é esqueci que não estou em casa.

- Voltou a reclamar? Achei que já tivesse superado isso. - Koudai falou de boca cheia o que me fez rir.

- Vocês ficaram sabendo do luau? - Tomoya e Kuina se sentaram à mesa animados.

- Como assim? - Perguntei confuso. - Luau?

- É sabe com fogueira, música e álcool. - Tomoya riu. - O diretor do acampamento não está hoje então, a galera quer fazer isso.

- De onde diabos vão arrumar bebidas nesse fim de mundo? - Koudai perguntou um pouco confuso.

- Bom algumas pessoas que trabalham aqui são fáceis de serem subornadas. - Um garoto com metade de seus cabelos verdes disse se metendo em nossa conversa.

- Quem é você? - Arqueei a sobrancelha totalmente perdido, de onde ele havia surgido?

- Takemasa. - O garoto disse animado. - Vão comparecer na festa ou não?

- Claro, onde vai ser? - Kuina perguntou logo em seguida, o encarei rapidamente. - O que?

- Naquela clareira no meio do bosque, as dez da noite. - Explicou o de cabelos verdes.

- Estaremos lá. - Koudai respondeu logo em seguida, o de cabelos verdes logo saiu de nossa mesa e se juntou a seus amigos rindo.

- Eu sou o único que acha isso uma furada? - Perguntei sério.

- Vai ser legal, tem todo ano. - Tomoya respondeu tranquilamente. - Nada de mais acontece, só muita gente bêbada.

- Então nós vamos mesmo? - Olhei para Kuina que acenou positivamente com um sorriso nos lábios. - Tá, mas se formos pegos...

- Cala boca Subaru, estava reclamando que não tinha nada pra fazer ate agora. - Koudai me interrompeu dando um tapa em minha nuca. 
Resolvi ficar em silêncio e terminar meu almoço então.

O dia continuou chuvoso por uma boa parte da tarde, imaginei que se continuasse assim os planos não seriam realizados. 
Na verdade eu estava muito confortável em meus pijamas deitado na cama abraçando Kuina, parecia o plano perfeito para a tarde.

~*

- Para o seu azar a chuva passou e está ficando quente de novo. - Koudai disse entrando no quarto e sorrindo em seguida. - Atrapalho algo?

- Não somos você. - Resmunguei para Koudai me arrumando na cama com cuidado, Kuina estava dormindo. - Fala baixo.

- Já são quase oito horas, seria uma boa vocês levantarem e se arrumarem para o luau. - Koudai voltou a falar. - Acorda a bela adormecida aí que o Tomoya disse que ele demora pra se arrumar.

- Ele tá tão bonitinho dormindo... - Fiz bico voltando a acariciar os cabelos do platinado.

- Subaru eu vou pular em cima de vocês dois em dez segundos.

- Não precisa, sai daqui anda. - Resmunguei para o ruivo mais uma vez.

- Expulso do meu próprio quarto, que ofensa. - Disse levando a mão ao peito como se realmente estivesse ofendido, mas acabou saindo do quarto de qualquer jeito.

Eu não queria acorda-lo, estava dormindo tão bem... droga.

- Kuina acorda. - Disse baixinho ainda acariciando seus cabelos. - Hey...

- Hmm me deixa Baru... - O maior disse manhoso escondendo o rosto na curva de meu pescoço.

- Vamos nos atrasar para a festa Kuina. - Sorri, o platinado parecia um bebe fazendo manha daquele jeito. - Acorda.

- Tá gostoso aqui. - Voltou a falar com a voz rouca por conta do sono. - Me deixa.

- Não, você estava animado pra festa e agora você vai. - Ri fazendo cócegas em sua barriga, o maior pulou gargalhando.

- Já acordei, já acordei. - Kuina dizia em meio a suas risadas. - Para Subaru.

- Vai lá se arrumar e depois vamos todos juntos. - Disse para ele que concordou me dando um breve beijo antes de sair do quarto.

Droga, agora eu preciso me arrumar também.

Levantei-me da cama me espreguiçando e indo até o banheiro para tomar um banho o qual acabei demorando até de mais, me obriguei a sair quando ouvi Koudai esmurrando a porta do banheiro.

- Pode ir, apressado. - Resmunguei saindo do mesmo e indo procurar uma roupa.

- Você parece uma noiva se arrumando, meia hora no banho Subaru. - Koudai gritava do banheiro.

- E você parece minha mãe reclamando assim. - Gritei como resposta finalmente me vestindo e indo arrumar o cabelo. 
Acabei me maquiando um pouco, apenas para mudar a cara de sono de sempre... Eu estava bonito.

Não que eu fosse feio sem maquiagem...

- Já parou de se admirar no espelho? - Koudai estava quase mais arrumado que eu. - To bonito?

- Tá uma gatinha. - Ri dando um tapa em sua bunda, o mesmo riu alto.

- Idiota, vamos logo. - Koudai me puxou pelo pulso para fora do quarto onde Tomoya e Kuina nos esperavam.

Kuina estava tão bonito, os hematomas de seu rosto agora quase não apareciam mais, e por conta de sua maquiagem estavam imperceptíveis.

- Vamos logo, já estamos atrasados como sempre. - Koudai resmungou. - Achei que Subaru ia se casar hoje, demorou tanto...

- Cala boca, vamos...

*~

Demoramos alguns minutos para chegarmos até a clareira, não era tão perto da parte dos dormitórios infelizmente...E já estava bem escuro o que dificultava um pouco para acharmos o caminho certo.

~ Kuina ~

Pra falar a verdade comecei a pensar que estávamos perdidos depois de quase quinze minutos andando até que finalmente começamos a ouvir risadas e músicas vindo de não tão longe.

- Finalmente. - Ouvi Subaru resmungar e apressar o passo, ele se irritava tão fácil e isso acabava o deixando adorável. Ele fazia caretas tão fofas quando estava bravo.

O mesmo garoto de cabelos verdes nos cumprimentou nos entregando copos com alguma bebida transparente dentro e disse para ficarmos a vontade, foi o que fizemos.

Tomoya e Koudai se sentaram lado a lado em um tronco comprido que estava perto da fogueira, eles dois estavam tão próximos... Tomoya nem parece o mesmo que dizia para eu tomar cuidado me apaixonando por Subaru. 
Na verdade agora ele apoiava totalmente a ideia. É claro, ele também arrumou alguém para si, e Koudai era muito divertido... eles combinavam.

Me sentei do outro lado da fogueira olhando os dois conversarem, Subaru logo se sentou ao meu lado após pegar mais um pouco de bebida com Takemasa.

- A noite está bonita né? - Ele sorriu entrelaçando os dedos de sua mão aos meus.

- Bastante... - Retribui o sorriso e terminei minha bebida logo em seguida. - Hum, estou sem...

- Vamos dividir. - Subaru disse entregando seu copo para mim após tomar um gole.

- Você tá tão bonito hoje. - Resmunguei segurando o copo. - Está tentando impressionar o garoto ali? - Disse me referindo ao de cabelos verdes.

- To normal, você que tá incrivelmente... - Ele pareceu pensar antes de falar. - Bonito.

- Não ia falar isso. - Fiz bico tomando mais um gole daquela bebida, julgava ser vodka.

- Na verdade eu ia falar gostoso... - Subaru riu, senti minhas bochechas queimarem.

- Idiota... - Desviei olhar ficando nervoso, eu odiava ser tão tímido assim. - Pare com isso.

Mais alguns copos de bebidas vieram e se foram, aproveitei para terminar com alguns cigarros também. Me deixavam menos nervoso.

- Eu já volto. - Subaru sussurrou em meu ouvido se levantando e saindo de perto de mim, me perguntava onde o mesmo estava indo.

Aproveitei para pegar mais uma bebida, todos se reuniam cantando alguma música animada e rindo, eu começava a me sentir sozinho de mais.

Subaru estava demorando de mais para voltar, estava ficando preocupado... Será que ele estava bem?

Suspirei apagando meu último cigarro e levantando do banco, eu iria dar uma volta e aproveitar para procurar o loiro até então desaparecido. Resolvi então seguir o caminho que o mesmo havia feito minutos atrás.

~ Subaru ~

A festa estava bastante divertida, pelo menos pude matar a vontade de álcool e risadas idiotas por conta do mesmo. 
Jogar conversa fora com Kuina estava sendo ótimo, ele estava tão gostoso, nunca me cansaria de dizer isso... Eu poderia beija-lo ali mesmo.  
Disse que iria dar uma volta sozinho, apenas um pretexto para que o maior fosse me procurar, eu tinha certeza de que ele não teria paciência para esperar eu voltar.

Ouvi os passos de Kuina logo atrás de mim e me escondi atrás de uma árvore sorrindo, eu havia acertado,  assim que ele passou do meu lado sem perceber o puxei pelo braço ouvindo um grito abafado saindo de seus lábios.

-Você quer me matar, Baru? - Ele disse soltando o ar e se encostando na árvore atrás de si. - Meu Deus.

-Talvez. - Ri quando ele arregalou os olhos e tentou voltar a andar, mas o puxei e o prendi na árvore, com um braço em cada lado de sua cabeça. Kuina me olhou assustado mas sua expressão logo suavizou quando me viu aproximando dele.

Colei nossos lábios e logo começamos um beijo calmo, nossas línguas brincando uma com a outra, nossos lábios se movendo calmamente um contra o outro, enquanto minha mão direita estava na nuca de Kuina, mantendo o ritmo dos nossos movimentos.

Não demorou muito para que as coisas esquentassem e o beijo ficasse cada vez mais desesperado. Nossas línguas brigavam por controle, enquanto Kuina me puxava pela cintura para mais perto de si, até que nossos corpos estivessem totalmente colados, senti o calor e a eletricidade passando por toda parte do meu corpo até chegar naquele lugar específico. Eu não iria aguentar mais nenhum minuto. 
Segurei a cintura de Kuina e o trouxe para mais perto, se é que era possível, sentindo nossos membros já completamente duros roçando um contra o outro, com a mão livre comecei a subir a camisa de Kuina e passei as pontas de meus dedos sobre a pele macia, sentindo a mesma se arrepiar.

Kuina trocou nossas posições, agora eu é quem estava encostado na árvore. Não tinha entendido o porquê até sentir os dedos finos do garoto apertando meu pênis por cima da minha calça, um gemido rouco saiu por meus lábios que foi logo abafado pelos seus. 
Ele fazia movimentos leves por cima de minha calça, o que já fazia grande efeito em meu corpo, eu não aguentaria por muito tempo.

-K-Kuina. - O nome saiu mais como um sussurro depois dele afastar suas mãos de mim. Apenas para leva-las até cintura de minha calça, desabotoando o único botão que havia ali, mas me afastei antes que ele continuasse. - Você não disse que queria esperar?

-Apenas esqueça isso, Subaru. - Ele sorriu e voltou a se aproximar para continuar o que estava fazendo. Mas voltei a afastar dele, que me olhou um tanto nervoso. - Você não quer?

-Aqui não, alguém pode ver. - Suspirei pensando no que poderíamos fazer, me lembrei de uma pequena casinha que tinha ali por perto, onde guardavam alguns materiais do acampamento. Achei que seria muito útil.
Segurei a mão de Kuina, que me seguia sem dizer uma palavra sequer, e comecei a nos guiar por meio a floresta. Chegamos em poucos passos, não era tão longe e por sorte a porta estava destrancada.

Entrei na pequena casa e puxei Kuina, logo trancando a porta atrás de nós e o encostando na parede.

-Você tem certeza? - Perguntei pela última vez. Kuina sorriu e confirmou apenas com um aceno de cabeça, logo me puxando para um beijo desesperado.

Coloquei minhas mãos em suas coxas e o  puxei para enlaçar suas pernas em volta da minha cintura, enquanto eu o apertava contra a parede e meu corpo pude sentir seu pênis roçando em meu abdômen, fazendo uma fricção que fazia Kuina gemer a cada segundo.
Afastei meus lábios dos dele e desci até o seu pescoço, onde comecei fazer um caminho de mordidas e chupões, o fazendo ofegar, com minha mão livre desabotoei sua calça e com sua ajuda a retirei por completo. Peguei seu pênis, agora livre, entre meus dedos e lentamente comecei o masturbar, sentindo seu corpo inteiro se contrair contra o meu. Eu aumentava os movimentos e quando via que ele estava quase lá, eu parava. Não queria que ele chegasse a seu ápice, não agora.

Retirei a camisa de Kuina junto com a minha e as joguei junto com sua calça, distribui beijos por seu peitoral enquanto levava três dedos até seus lábios, o sentindo chupar cada um deles, afastei minha mão assim que percebi que estava totalmente lubrificados, o coloquei virado para a parede e penetrei o primeiro dedo, não demorando para colocar o segundo e o terceiro. 
Depois de alguns segundos Kuina gemeu baixo, assentindo com a cabeça dizendo que estava tudo bem. O virei de frente para mim e o vi desabotoar minhas calças desesperadamente com os dedos um tanto trêmulos, o ajudei a terminar de retirar meu jeans junto com a cueca e os joguei com o resto de nossas roupas. Puxei Kuina para mim e o fiz entrelaçar suas pernas em minha cintura novamente, grudei nossos lábios em um beijo calmo enquanto levava meu pênis até sua entrada, o penetrando lentamente ouvindo o platinado gemer arrastado.
Queria ter certeza de que não o machucaria de maneira alguma, quando eu já estava completamente dentro de Kuina aguardei por alguns segundos sentindo meu membro ser esmagado por seu interior, eu iria ficar louco, mas não demorou muito para que permitisse que eu me mexesse, comecei o estocar lentamente, aumentando o ritmo aos poucos. Os únicos sons possíveis de se ouvir dentro daquele lugar era os gemidos abafados por conta do beijo, e nossos corpos batendo um contra o outro a cada estocada. 
O corpo de Kuina se contraiu assim que eu acertei em um lugar específico, me concentrei em acerta-li ali várias e várias vezes. 
Levei minha mão até seu pênis e comecei o masturbar no mesmo ritmo das estocadas, seus gemidos eram altos e me deixavam ainda mais excitado. 
Não demorou muito para que ele se desfizesse em jatos fortes em minhas mãos. E eu não aguentei por mais tempo assim que sua entrada se contraiu em meu pênis, sentindo meu corpo entrar em completo êxtase.
Me retirei de dentro de Kuina o ouvindo gemer manhoso, sorri selando nossos lábios mais uma vez, um beijo mais calmo dessa vez.

- Isso foi... - Kuina sorriu tentando recuperar o fôlego. - Meu Deus.

- Ótimo... - Respirei fundo começando a juntar minhas roupas e me vestir.

- Muito... - Kuina sorriu fazendo o mesmo que eu. - Como eu estou?

- Maravilhoso, como sempre. - Puxei o maior pelo braço o beijando mais uma vez, era impossível ficar longe de seus lábios por muito tempo.

- Precisamos voltar... - Disse fazendo biquinho.

Foi o que fizemos, voltamos para o luau logo em seguida, aparentemente ninguém havia notado nosso repentino sumiço, nos sentamos em volta da fogueira e bebemos mais alguns copos de vodka...

Passavam-se das quatro da madrugada quando resolvemos voltar para o quarto, Koudai disse que passaria a noite com Tomoya, então Kuina e eu ficaríamos juntos...
Agradeci mentalmente por aquilo, tomamos um banho juntos antes de finalmente nos deitarmos para dormir.

- Baru? - Ouvi a voz de Kuina falar baixinho contra meu pescoço. - Tá acordado?

- O que foi? - Respondi sentindo a pele ali se arrepiar. - Hum?

- Obrigado por hoje. - Sorriu. - Foi maravilhoso. - Senti o mesmo beijar meu pescoço algumas vezes e então voltar a se acomodar em meu peito. - Boa noite.

- Durma bem Kuina. - Sorri acariciando seus cabelos até sentir que o mesmo havia pego no sono.

Aquela havia sido a melhor noite da minha vida...


Notas Finais


me perdoem se tiver erros, não revisei.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...