História Sweet Lies - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Lee Sunmi, Pentagon (PTG)
Tags Baekhyun, Exo, Original, Triple H
Visualizações 20
Palavras 1.840
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Ecchi, Festa, Fluffy, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello!

Eu queria agradecer a todos vocês que favoritaram e aquelas que comentaram, isso me incentiva mais e mais a escrever essa fanfic, então, obrigada de coração <3

(Capítulo não betado)

Boa leitura ^^

Capítulo 5 - Capítulo 4


Fanfic / Fanfiction Sweet Lies - Capítulo 5 - Capítulo 4

Acordei entre os braços de Baekhyun, o mesmo ainda se encontrava totalmente tomado pelo sono. Tão sereno, tranquilo… tão puro. Para conseguir me levantar precisei me mover devagar para não acordá-lo, assim que consegui sair de seus braços fiquei observando-o, o mesmo parecia estar sonhando com algo bom para sorrir de uma forma meiga de repente, logo se desfez o sorriso.

Sai do quarto do mais velho pronta para ir atrás de minhas roupas, antes me deparei com um corredor repleto de fotos de família, todos sorrindo em um dia de nevasca fraca, em dias ensolarados, no exterior. Pareciam estar tão felizes nesses momentos juntos, como eu costumava ser, pensei. Me livrei dos devaneios indo em busca de minhas roupas.

Encontrei apenas meu shortes, salto e jaqueta, nenhum sinal de minha camiseta branca apenas isso. Me vesti deixando as roupas de Baekhyun dobradas em cima da mesinha de centro, antes de saí precisei fazer algo que não seria certo, mas precisava deixá-lo em paz, livrá-lo de mim.

Descendo as escadas devagar com as chaves do carro do mais velho em mãos, peguei seu carro em uma enorme garagem do edifício onde o mesmo mora e saí sem problema algum. Dirigi até a boate onde Baekhyun trabalha, estacionei o carro em frente ao local e entreguei a chave para um de seus funcionários.

— O que está fazendo com as chaves do carro dele? — perguntou o barman.

— Apenas entregue a ele e diga que sinto muito — digo, logo entro no carro que peguei de Hwi Taek noite passada e sigo em frente.

Chegando em casa percebo que estou sozinha, ninguém para me encher de perguntas ou me fazer sentir a pior pessoa do mundo por ter saído sem dizer para onde iria. Apenas eu e minha consciência pesada com tantos problemas e preocupações, apenas eu e minha maldita culpa para me assombrar pelo resto de minha vida.

 

[...]

 

Acordei deitada no sofá com a televisão ligada no jornal nacional, me levantei ainda sonolenta e sem paciência alguma para saber sobre as notícias e tragédias, mas antes que pudesse desligar o aparelho ouvi meu nome ser citado, imediatamente aumentei o volume.

— A polícia ainda não sabe o paradeiro da principal suspeita do assassinato de Dok2, porém, recebemos informações sobre a invasão e atos de vandalismos na antiga barbearia da família Kang, a filha mais nova Kang Seul-gi foi encontrada com hematomas e cortes por seu corpo. As autoridades a levaram de imediato para o hospital central de Seul, aparentemente a jovem se encontra inconsciente mas sem nenhum risco de vida — disse a repórter, meus punhos se fecharam com toda a força — Quando polícias revistaram o local encontraram uma mensagem para a filha adotiva do falecido casal Kang, dizendo — suspirou — “Nós sabemos como encontrá-la Ella, é apenas uma questão de tempo”. — a repórter olhou atentamente para a câmera — Mais informações sobre o caso, serão informados. Boa noite

Desliguei a televisão correndo em seguida para meu quarto, peguei uma camiseta qualquer, um moletom de E’dawn para cobrir bem meu rosto, uma calça preta e meu salto da mesma cor. Saí sem me preocupar com os garotos e quando iriam voltar, desejava chegar o mais rápido possível ao encontro de minha irmã. Seul-gi precisava de mim mais do que nunca.

Chegando no hospital precisava entrar sem ser reconhecida por ninguém, precisava de um plano para conseguir vê-la. Andei rapidamente para a porta dos fundos encontrando uma enfermeira fumando, apenas me aproximei com o capuz na cabeça, escondi meu cabelo e peguei o canivete que Hyo Jong me deu para caso precisasse me proteger. Me aproximei da enfermeira quando a mesma se distraiu e coloquei a lâmina contra suas costas.

— Fique parada — digo disfarçando minha voz — Retire suas roupas e me dê seu cartão de identificação

— Por favor, não me machuque — ela disse com a voz chorosa

— Faça o que eu digo, que isso não irá acontecer — digo — Vamos! — exclamei

A enfermeira me entregou suas roupas ficando apenas com sua camiseta branca e calça preta que vestia por baixo de sua calça branca. Me vesti rapidamente amarrando meu cabelo em um coque justo e coloquei a máscara branca para cobrir minha boca e nariz. Entrei no hospital sem ser vista ou parada por alguém. Procurei pelo quarto de Seul-gi, perguntei para as recepcionistas fingindo que iria trocar o soro da mesma, assim que me informaram corri até o quarto.

Chegando no quarto número duzentos e vinte e nove, abri a porta devagar olhando para Seul-gi com todos aqueles curativos espalhados pelo corpos, manchas roxas em seu rosto, braços e pernas, sem contar seu tornozelo enfaixado.

— O que eu fiz? — sussurro para mim mesma, me aproximando da cama após fechar a porta — O que eu fiz com você, minha irmã? — acariciei seu rosto lentamente — Seul-gi me perdoe — cai de joelhos ao lado de sua cama, segurei sua mão — Me perdoe

— Ella? — ouvi a voz dela, ergui meu olhar de encontro com o dela — Onde eu estou?

— Seul-gi — a abracei, ouvindo a mesma gemer de dor em meu ouvido — Me desculpe — sorri — Você está no hospital central de Seul

— Eu só me lembro de três homens entrando na barbearia dos nossos pais, logo me encontraram escondida nos fundos e me jogaram no chão, começaram a me acertar sem parar com chutes, foi horrível — chorando ela se lembra do ataque, apenas a abracei impedindo que contasse mais algum detalhe sobre o que fizeram — Como soube que eu estava aqui?

— Jornal transmitiu para toda a Coréia do Sul — suspirei — Eu cometi um erro Seul-gi, e acabei colocando você no meio disso tudo — senti uma lágrima contornar meu rosto — Me perdoe

— Não precisa pedir perdão, o importante é que você está aqui — disse a mais nova me abraçando em seguida — Não me deixe de novo, por favor

— Eu não vou — digo — Vou encontrar quem fez isso com você. Eu juro! — exclamei em um tom afirmativo.

 

[...]

 

Após deixar Seul-gi no hospital pela mesma precisar passar pelo processo de internação até melhorar, precisei deixá-la. Dirigi até em casa sendo surpreendida por Hwi Taek me esperando dentro de outro carro branco, do mesmo modelo que esse que estou agora, mas com a placa totalmente diferente. Sabia que o mesmo queria se precaver e evitar que nos encontrassem, então apenas sai do carro entrando no veículo que Hui dirigia agora.

Enquanto dirigia percebi que E’dawn não estava presente, olhei para Hui que parecia nervoso, apenas me virei para olhar a cidade através do vidro da janela, quando menos esperei o mais novo parou o carro sem aviso algum e encarou a rua. E’dawn havia sido jogado pelo carro após o atropelarmos, o mesmo se mexia pouco mas isso não impediu Hui de sair do carro e pegá-lo pela gola da camiseta, começou a esmurra-lo sem parar.

— Hui! — gritei — Pare — corri em sua direção — Hwi Taek para por favor — segurei seu braço o puxando para trás, mas ele apenas me empurrou

— Sai daqui, porra — gritou me empurrando com força para trás, apenas observei o mesmo bater em Hyo Jong que ria — Continue rindo seu filho da puta

— Você só sabe isso? — perguntou E’dawn.

— Seu desgraçado — disse Hui o ameaçando novamente, antes que pudesse tomar alguma atitude o empurrei para longe de Jong

— Parem com isso — digo olhando para ambos — Parecem animais — respirei fundo — O que está acontecendo com você? — perguntei

— Esse desgraçado quase nos entregou com as brincadeiras suicidas dele — disse Hui — Isso poderia comprometer todos nós

— Olha, ele se importa com alguém além dele mesmo — disse E’dawn rindo — Não preciso de você pra me dizer o que posso ou não posso fazer. Sou livre para fazer o que eu quiser

— Nós podemos resolver isso. Vamos entrar no carro e esquecer que tudo isso aconteceu, por favor — digo — Pode ser?

 

[...]

 

Voltamos para casa imediatamente puxei E’dawn para a cozinha, o sentei em cima da mesa e comecei fazer seus curativos com o kit de primeiros socorros ao lado. Enquanto fazia seus curativos Hyo Jong me encarava de forma meiga como sempre fez desde que começamos a nos relacionar de forma aberta, parecia sempre estar disposto a fazer qualquer coisa por mim, e eu por ele.

— Por que não me odeia como ele? — perguntou

— Porque eu não sou ele — o respondi — Eu faria qualquer coisa por você, sabe disso

— Eu sei — sorriu de forma fraca — Me desculpe pelos meus ataques de loucura, é que às vezes eu… — antes que pudesse continuar lhe roubei um beijo

— Eu entendo — sorri sem mostrar os dentes

— Onde esteve a noite passada? — ouvi a voz de Hui atrás de nós

— Por aí — digo — Bebendo, dançando e me divertindo. O mesmo de sempre

— Gostei do cabelo — ele disse, apenas sorri — E Hyo Jong me desculpe por agir de forma tão agressiva — disse apertando a mão do mesmo em sinal de respeito

— Esquece isso Hui — E’dawn tentou sorri, logo Hui saiu da cozinha nos deixando sozinhos novamente — Seu cabelo ficou melhor assim

— Obrigada — agradeci — Pronto — digo terminado o último curativo

— Obrigado Ella — agradeceu com um selar breve, em seguida saiu da cozinha

Fiquei um tempo ali pensando como poderia sentir coisas tão diferentes quando estava com E’dawn e Hui, me sinto livre e sempre preparada para fazer qualquer coisa, mas com Baekhyun é diferente, me sinto segura e pela primeira vez sinto que poderia ser amada por alguém, uma única pessoa. Ele.

 

[...]

 

Não contei para os garotos sobre o que aconteceu com minha irmã, apenas os segui para mais uma festa na mesma boate da noite passada. Esperava encontrá-lo lá, longe dos rapazes claro, não posso deixá-lo fazer parte dessa parte da minha vida. Entramos na boate para esquecer o que havia acontecido com Seul-gi decide beber um pouco e dançar, mas quando me aproximei do balcão alguém me puxou para um lugar escuro, logo entrei em uma sala decorada longe da boate.

— Por que você saiu daquela forma? — perguntou Baekhyun se apoiando na parede próxima a porta

— Eu não queria acordar você, pensei que seria mais fácil não me despedir — digo — Me desculpe

— Ella, eu não me importo sobre o que você faz ou o que deixa de fazer, só não faça mais isso — ele disse se aproximando de mim — E você esqueceu isso no meu apartamento — me entregou minha camiseta

— Obrigada — digo sem olhar para ele, mas logo ergui meu olhar percebendo que Baekhyun estava sorrindo — Por que o sorriso?

— Você não está parecendo aquela mulher que eu conheci, que adorava diversão — colocou uma mecha de meu cabelo atrás de minha orelha — Está diferente, mais frágil

— Não escuto isso a muito tempo — sorri — Você me faz lembrar a vida que eu tinha. A melhor parte pelo menos — ri — Me desculpe por roubar seu carro

— Não tem problema… na verdade existe um problema — olhei para ele confusa

— Qual? — perguntei

— Não se despediu da forma certa — sorriu com malicia no olhar, apenas sorri entrando no jogo dele

— Qual seria a forma certa? — Baekhyun se aproximou de mim, colocou uma de suas mãos em meu rosto e se aproximou devagar

— Esse — me beijou.


Notas Finais


Espero que tenham gostado. Deixem nos comentários o que acharam da fanfic, de sua continuação, etc.

Espero ter o apoio de vocês com essa história, assim como espero que gostem do capítulos futuros.

.................................................................. F A N F I C ...........................................................................

ℳ𝓲𝓷𝓱𝓪𝓼 𝒇𝓪𝓷𝒇𝓲𝓬𝓼
Among Lies (Colegial) - https://spiritfanfics.com/historia/among-lies--interativa-10892808
Spirit Animal (Power) - https://spiritfanfics.com/historia/spirit-animal--interativa-10783884
Lodestar (Girl Group) - https://spiritfanfics.com/historia/lodestar--interativa-10847855
Lullaby (Girl Group) - https://spiritfanfics.com/historia/lullaby--interativa-10626492

.........................................................................................................................................

ℱ𝓪𝓷𝒇𝓲𝓬𝓼 𝓭𝒆 𝓸𝓾𝓽𝓻𝓸𝓼 𝓪𝓾𝓽𝓸𝓻𝒆𝓼
Girls Neext Door - https://spiritfanfics.com/historia/girls-next-door--interativa-10538693 (@circusz)
Black Widow - https://spiritfanfics.com/historia/black-widow-interativa-10857258 (@hyxnangelz)
Mermaid - https://spiritfanfics.com/historia/mermaid--interativa-10822976 (@umasonelokona)
Prism - https://spiritfanfics.com/historia/prism--interativa-10777588 (@umasonelokona)
Wet Got Married - https://spiritfanfics.com/historia/we-got-married--interativa-10524945 (@taehyxnie)
Rainbow - https://spiritfanfics.com/historia/rainbow--interativa-10754442 (@taehyxnie)

Beijinhos^^
Até o próximo capítulo <33


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...