História Teclomiose - Capítulo 7


Escrita por: ~ e ~cpf

Postado
Categorias Liam Payne, One Direction
Personagens Liam Payne, Personagens Originais
Visualizações 54
Palavras 1.740
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


helloou pessoas, como vcs estão? já voltamos pra alegria de todo mundo kshdks esperamos que gostem, uma ótima leitura!

Capítulo 7 - .olhem só o que vocês fizeram comigo!


Fanfic / Fanfiction Teclomiose - Capítulo 7 - .olhem só o que vocês fizeram comigo!

Depois que finalizo meus serviços na casa de Payne, sigo atrás dele para avisar que estou de saída. Liam permaneceu no quarto o dia todo, nem ao menos desceu para entregar-me a bandeja com as coisas sujas e querendo ou não, isso preocupa-me, tendo em vista que ele quase matou-me de susto.

Chego a porta e após respirar fundo diversas vezes, bato e espero por sua resposta. Segundos passam-se e escuto a tranca virar de um lado para o outro, em seguida, o portal afasta-se para trás e tenho a visão de meu patrão.

― Olá. ― cumprimento-o. ― Bom, já deu o meu horário e achei justo vir te informar.

Liam permanece quieto enquanto olha-me. Por conta disso, sinto-me um enorme incomodo.

― Era só isso mesmo. ― reforço. ― Até amanhã.

Quando estou para virar-me, Liam faz um sinal para que eu espere e assim faço. Ele volta ao quarto e tento não olhar para dentro, é muita invasão para uma pessoa só.

― Tome. ― Liam entrega-me um pequeno rolo de notas. ― Adiantado.

― Mas... ― fico perplexa. Por que ele está pagando-me tão cedo? ― Não! Não posso aceitar, mal trabalhei.

― Apenas pegue, Nikki e não ouse contestar a minha vontade.

― Mas Liam... ― sua cabeça balança de um lado para o outro. Encaro o dinheiro sobre minhas mãos e sinto algo estranho. ― Não foi isso o que acertamos. ― devolvo e olho-o. Liam está confuso. ― E eu não vou querer quebrar nosso contrato. Desculpe-me, mas não irei aceitar porque sei que está dando pelo fato de eu ter salvado sua vida e não quero ser recompensada com dinheiro por conta disso. Poderia ser qualquer um em seu lugar e eu iria salvar da mesma forma.

Ele fica quieto e com o cenho franzido. Eu sei que preciso dessa grana, mas não vou aceitar. Não é certo comigo, nem com ele.

― Agradeço e agora, tenho que ir.

Antes que ele fale algo, caminho para o andar inferior e consequentemente, para a minha casa.

...

Adentro ao apartamento de Payne e desfaço-me das roupas pesadas que estão presas em meu corpo, em seguida, vou para a cozinha e assusto-me ao ver Liam sentado na cadeira que sempre coloco minha bolsa.

― Bom dia, Liam. ― desejo com a voz baixa. Ainda não estou cem por cento feliz depois do caso de ontem. Sinto que ele só fez aquilo para humilhar-me.

― Bom dia. ― responde no mesmo tom. Coloco minha bolsa na outra cadeira e vou atrás de meu avental para dar inicio ao meu trabalho. ― Nikki? ― olho-o.

― Sim, Senhor?

― Por favor, pare de me chamar assim. ― passa a mão por sua testa e suspira pesadamente.

― É questão de respeito. ― encara-me e balanço a cabeça.

― Mas me irrita. ― sua voz aumenta um pouco. ― Vá fazer o seu trabalho logo e não precisa servir o café.

Liam ergue-se e caminha para fora da cozinha, deixando-me um pouco confusa com tal cena. Por que diabos ele estava à minha espera? ― se é que estava mesmo. Espanto qualquer pensamento em relação a Payne de minha mente e vou cumprir meu trabalho.

A cozinha está uma bagunça de pratos e copos com restos de comida e bebidas, deve ser por isso que Liam negou o café e trouxe antes de mim, um batalhão para alimentar-se. Possuo a leve impressão de que será muito difícil trabalhar para ele, mas não darei o braço a torcer.

Após a limpeza dos cômodos inferiores, faço uma pausa para dedicar-me ao almoço. Entre um preparo e outro, a campainha toca e vou atendê-la quando percebo que Liam não descerá. O que estranha-me. Se ele está esperando por alguém porque não vem recebê-la?

Abro a porta e encontro uma mulher e um homem.

― Liam está? ― ele pergunta.

― Sim, está. Entrem. ― vou para o lado e eles entram. ― Só um minuto, irei chamá-lo.

Ambos vão para a sala e eu subo atrás de Liam, rezando para que ele esteja de bom humor para ver suas visitas. Com o som do piano ecoando pelo andar, sigo para a sala e dessa vez, bato na porta fazendo a melodia cessar. Uma fresta abre-se e posso enxergar os olhos dele.

― Você tem visitas. ― aviso e sua expressão torna-se surpresa. ― É um homem e uma mulher.

― Avise que já irei descer.

Assinto e desço de volta para a sala, onde passo as informações recebidas para o casal que agora, encontra-se sentado no sofá. Para não ser uma intrusa, sigo para a cozinha com o intuito de finalizar a refeição que iniciei, porém, segundos depois uma discussão começa e assusta-me.

Desligo o fogo e vou até a entrada do cômodo, onde posso ver Liam apontando dedos para cima dos dois e gritando.

― Olhem só o que vocês fizeram comigo! ― sua fúria é algo que nunca pensei que iria ver. ― Como tiveram coragem? Como puderam?

― Liam, simplesmente, aconteceu. ― a moça tenta explicar. ― Eu e Dan não temos culpa.

― Cale a boca, Fay! ― arregalo os olhos com a proporção que está tomando a briga. ― Eu nunca pensei que você fosse capaz de ser tão baixa.

― Não escolhemos isso. ― Dan justifica. ― Aconteceu há muito tempo, mas queríamos te contar agora porque é o momento certo.

― O momento certo? ― sua indignação só cresce. ― Dan, esse não é o momento certo para nada.

― Para nós é. ― Fay olha-o de um jeito penetrante, mas em segundos, sua atenção muda para mim. ― O que sua criada faz ali? ― viro o centro das atenções e praguejo-me por tal acontecimento.

― A deixe em paz e não a meta nisso. ― Liam defende-me.

― Ela deveria se pôr em seu lugar. ― sinto-me um bicho por conta da forma que ela fala.

― Você não tem do que reclamar, não mora aqui e Nikki faz o que bem entender.

― Bom, nesse caso, ela também irá adorar a noticia que tenho para dar.

― Fay... ― Dan segura-a pelo braço e ela sorri.

― Sabe Liam, além de eu e Dan estarmos namorando, vamos casar. ― Sua mão é erguida e mesmo de longe, avisto uma coisa enorme e brilhante em seu dedo.

Payne dá passos para trás e percebo que suas mãos passam a tremer. Meu coração dispara quando ele joga-se no sofá e deixa as lágrimas caírem por seu rosto. Ele está entrando em um estado do qual nunca vi, mas alguém precisa intervir.

― Saiam daqui! ― berro contra os dois e ambos olham-me. ― Saiam já daqui! ― vou para cima deles.

― E quem você pensa que é para nos mandar embora? ― Fay aponta seu dedo para mim. ― Você é simplesmente a empregada, não manda em nada. Vá fazer seus serviços e nos deixe tratar de nossos assuntos em paz.

― Você não vai falar assim comigo, não. ― tento impor-me, mas é tão difícil tendo em vista que ela é uma pessoa mais chegada a Liam do que eu, que sou simplesmente a empregada.

― E como você quer que eu diga? Com palavras mais fáceis para você entender?

― Quero que retire-se, ou eu irei chamar a segurança do prédio, ou até mesmo a polícia. Tenho certeza de que a madame não gostaria de ir parar na delegacia por conta de sua própria insistência.

― Fay, vamos embora. ― Dan arrasta-a em direção a porta e eles saem, batendo-a.

Volto-me para Liam e tomo consciência de que ele está passando mais mal do que pensei. Sua respiração está acelerada, o suor toma conta de sua face e suas roupas já encontram-se um pouco molhadas. Ajudo-o a retirar a camisa que veste e deito-o com o máximo de conforto possível.

Busco uma garrafa com água e uma toalha. Sento ao lado de meu patrão e passo a toalha por seu rosto, secando seu suor. Em seguida, dou-lhe um pouco de água para tomar e tento acalmá-lo com algumas palavras.

― Vai ficar tudo bem, Liam. ― aliso seu rosto com a toalha. Ele está suando tanto que receio ter que pegar outra peça.

― Por que eles fizeram isso comigo? Por quê? ― sinto uma pontada no peito ao vê-lo falando daquela forma. Tão desolado, perdido e confuso.

― Eu queria poder te dar essa resposta, mas não a possuo. Me desculpe. ― abaixo o cabeça e encaro o pano sobre meus dedos. ― Mas não se importe com aqueles que querem o seu mal, Liam. Isso só aumentará a carga negativa dentro de você e você não pode. Não depois que foi parar no hospital. ― retorno a olhá-lo. Liam parece mais calmo, ou é o que seus olhos fechados aparentam.

Ele não responde-me e entendo seu silêncio. Pelo que pude observar, ele, Fay e Dan tinham uma grande amizade e provavelmente, ela era mais que uma amizade para ele. Parte-me o coração saber que apunhalaram Liam de forma tão covarde. Ele pode possuir um milhão de defeitos ― dos quais não sei por não conhecê-lo, mas não merecia isso. Ninguém merece isso.

― Eu quero me desculpar por ontem. ― fala. ― Eu não tive a intenção de te deixar mal por conta do dinheiro, mas sim, queria que já pudesse ter algo para gastar... Entende?

― Tudo bem Liam. ― sorrio. ― Esqueça isso, esqueça ontem.

― E por hoje de manhã também. Fui rude sem necessidade.

― É, isso é verdade. Mas está tudo bem agora, fique tranquilo.

― Eu sei que não deu o seu horário, mas pode ir. Eu quero ficar sozinho.

― Você tem certeza? ― assente. ― Bom, qualquer coisa, pode me ligar. Eu estarei perto do telefone.

― Obrigado.

Ele vira-se para o outro lado e suspiro com a face derrotada que meu chefe ostenta. Liam não terá um fim de dia bom e isso entristece-me, mas nada posso fazer para mudar isso, muito menos, contestar sua palavra.

...

Finalizo meu jantar e sirvo-me da refeição, logo, sento a mesa e alimento-me. Depois de três garfadas, sinto uma vibração sobre o tampo e vejo ser meu celular. Um número desconhecido liga-me.

― Alô, quem gostaria? ― pergunto.

― Você disse que qualquer coisa, eu poderia ligar. Bom, eu te liguei.


Notas Finais


esperamos que tenham gostado, até breve amores sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...