História Tempestade de Neve - Imagine Jungkook - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jin, Jungkook, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Hentai, Jimin, Jin, Jungkook, Sadomasoquismo
Visualizações 114
Palavras 1.478
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Incesto, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii, gente andei muito ocupada com TCC etc, mas agora do de volta. Pretendo logo atualizar as outras histórias, mas pra me redimir trouxe mais um bebê pra coleção. Espero que gostem dessa introdução <3

Capítulo 1 - A aposta


Fanfic / Fanfiction Tempestade de Neve - Imagine Jungkook - Capítulo 1 - A aposta

S/N on

  Era um dia frio, estávamos no meio o inverno, a qual é uma estação bem severa na Coréia, enquanto eu refletia sobre minha vida. Estava tentando me adaptar à nova casa, mas era difícil, devido a todas mudanças que aconteceram ultimamente. Meu pai veio a falecer ano passado e esse ano minha mãe tentou recomeçar a vida dela, conhecendo um cara bem legal... porém o seu filho não tinha nada a ver com ele.     

   O nome do menino é Jungkook, meu mais novo meio irmão, e agora eu tinha que conviver com ele diariamente, já que nos mudamos para a casa do meu padrasto a 2 semanas. Eu estava sentada no sofá, enrolada em uma coberta quentinha, observando a janela da nova casa onde eu podia ver os flocos de neve encostando no vidro e derretendo. Não tinha ninguém, até que o silêncio se quebra com o barulho da chave na porta, era o Jungkook.

– Ah... você está aí, achei que ia ter a sorte de chegar com a casa vazia. – Ele falou num tom grosso.

Eu olho para ele e vejo seus olhos me analisarem e depois revirarem de descaso, juntamente eu sentia uma brisa gelada invadindo a sala já que ele não fechava nunca aquela porta.

– Ainda não entendo seu problema comigo, e fecha logo essa porta! – Eu respondi, desviando meu rosto do seu olhar de julgamento.

   Ele fecha a porta e larga sua mochila num canto, ele vestia um casaco comprido mas parecia fazer parte do uniforme, vestia também um cachecol e uma espécie de coturno. Passou na minha frente sem me olhar e foi em direção a cozinha.

– Eu só fechei a porta porque eu tava com frio mesmo, porque essa casa é minha e não sua. E eu não tenho problema, quem tem é você. – Ele disse isso soltando uma risadinha e me olhou para ver se conseguiu me atingir.

– Ai ai Jungkook, nem parece que sou mais nova que você. – Falei rebatendo. – E além disso, você tem que começar a se acostumar com a ideia de eu e minha mãe morar aqui, eu também não queria isso, mas não tenho culpa de ter azar na vida.

–  Aaaaa, chega de papo, cheguei cansado demais pra gastar energia com você. – Ele disse subindo as escadas indo em direção ao quarto dele.

  AAAAAAA que menino mais irritante! Como alguém pode ser tão infantil? Com certeza ele tem nada a ver com o pai. E por mais que ele tenha esse comportamento, ainda consegue ser cobiçado pelas meninas da escola, inclusive elas já estão me perseguindo para que eu consiga fazer elas saírem com ele. Realmente ele quando estava de boca fechada até que era... bonitinho, mas logo se desfazia isso. Antes que eu continuasse meus devaneios, Jungkook desce as escadas agora com uma roupa mais confortável, um moletom e uma calça do mesmo, só que mais escura e meias.

– Você sabe quando eles (pais) vão chegar? – Jungkook me perguntou enquanto comia uma maça.

– Eles não avisaram. Essa reunião realmente está demorando muito e está tão frio lá fora! – Me levantei fazendo ele soltar a maça que estava comendo ao me olhar.

  Quando sai debaixo das cobertas, com intenção de ir pegar um chá na cozinha, percebo que eu SÓ estava de moletom e meia, fazendo o Jungkook corar instantaneamente.

– EI S/N! Vista algo, não sou obrigado a ver isso. – Ele falou isso mas percebi que ele ficou desestabilizado ao me ver assim, então aproveitei pra zoar.

– Olha, ninguém ta reclamando ‘’disso’’. – Falei me insinuando e rindo, me cobrindo com a coberta.

– Eu não sabia que você era assim S/N, de passar o rodo. – Ele falou isso para provocar, mas parecia querer tirar essa dúvida.

 Antes que eu pudesse responder o telefone toca, o qual o Jungkook atende.

Telefone on

Pai: Alô!       

Jungkook: Alô, fala pai.

Pai: Eu e sua madrasta teremos que viajar hoje mesmo, é uma oportunidade única para expandirmos nosso negócio. Voltaremos semana que vem, vocês ficarão bem?

Jungkook: Não pai! Eu vou ter que ficar sozinho com essa pirralha? 

Pai: Para de drama! Ela tem quase sua idade. Isso vai ser bom para vocês se aproximarem. Se cuidem, promete?

 Jungkook: Tá bom... prometo.

Telefone off

S/N on

– O que houve?? E eu não sou pirralha. – Falei fazendo biquinho.

– Vamos passar uma semana sozinhos... nossos ‘’pais’’ vão viajar hoje mesmo. – Ele respondeu num tom triste.

– Eu não sei como vou sobreviver só com você me infernizando. – Falei emburrada.

– Nem eu! – Jungkook se sentou na outra ponta do sofá.

 

Quebra de tempo

   Já era tarde, já tínhamos jantado e agora não sabíamos direito o que fazer, até que fui surpreendida.

– Ei S/N, quer jogar algum videogame no meu quarto? Ta ficando frio aqui na sala, não quero cuidar de uma doente depois. – Jungkook disse isso se levantando e me estendendo a mão.

– Você é muito bipolar. – Falo rindo. – Mas aceito, não tenho nada de melhor para fazer. Só que vai na frente... preciso trocar de roupa. – Eu ainda estava embaixo das cobertas.

  Jungkook se lembrou do meu ‘’look’’ meio ousado e ficou vermelho novamente.

– AH... ok vou indo então, e não demora senão não deixo mais tu entrar no meu quarto. – Ele subiu correndo as escadas e eu fui em direção ao meu quarto.

 

Quebra de tempo

  Já estou pronta, sendo que na verdade só coloquei um shorts por baixo do moletom. Pois, por mais que estava nevando lá fora, dentro de casa era quentinho, então eu podia usar roupas mais confortáveis. Bati na porta do quarto dele.

– Posso entrar Kookie!!? – Eu chamei de Kookie só pra irritar pois sei que ele odeia.

– Entra, pirralha.

  Entro no seu quarto e vejo que está mais organizado do que eu pensava, ele se encontrava em cima da cama com tudo pronto pra jogar em sua tv. Ele me olha e me analisa de cima a baixo, e bate na cama, ao lado dele, me chamando para sentar ali. Vou em direção a cama e subo nela, me encostando muito próxima a ele, sendo que percebo que ele meio que se esquiva de início, mas depois se aproxima de novo. Ele parecia mais tímido que o normal e isso era até meio fofo.

– O que vamos jogar? – Perguntei.

– Ainda não escolhi, mas poderíamos apostar né? – Ele me olhou com um olhar desafiador... eu estava aflita com o que poderia vir, mas...

– Pode ser, se eu ganhar você é meu escravo essa semana, e caso contrário, sou sua escrava. – Acho que isso soou de uma maneira meio sexual pois ele até chegou a soltar um sorrisinho.

– Perfeito! Até que você é esperta. – Nisso que ele fala eu dou um tapa no braço dele. – Ah! Que agressiva.

– Sou mesmo! – Respondi.

 Fizemos o juramento, e começamos a jogar, ficamos umas duas horas jogando, ele parecia nervoso pois eu estava conseguindo ganhar dele. Quando eu estava quase cantando a vitória ele conseguiu me ultrapassar nos pontos e ganhar. Ele começou a gritar e rir mostrando aqueles dentinhos de coelho e começou a me zoar, quando eu estava prestes a levantar da cama e ir para o meu quarto ele segura meu braço e me puxa de volta.

– Onde você vai? – Ele indagou não soltando meu braço e olhando nos meus olhos.

– Ué? Vou pro meu quarto, já perdi mesmo. – Nesse momento ele desceu os olhos para minha boca.

– Você só sai do quarto quando eu mandar... escrava. – Ele soltou um sorrisinho, nessa hora eu arrepiei e não só pelo frio, mas por esse novo ‘’Jungkook’’ que tinha se instalado nele.

– Você não ta levando muito a sério? – Falei isso enquanto ele ainda me segurava e começou a puxar para mais perto de si.

– Promessa é promessa, vai ter que me obedecer por uma semana... – Estávamos tão próximos que já dividíamos a mesma respiração.

– Kookie...solta meu braço. – Sussurrei já encarando os lábios dele que estavam tão próximos.

   Ele me puxa mais para perto agora com nossos corpos colados, mas ainda com aquela certa distância nos nossos rostos. Uma mão ele ainda segura meu braço, mas a outra ele passa por trás da minha nuca e agarra meu cabelo para trás fazendo eu estar vulnerável e ainda mais no alcance dos olhos dele.

   Kookie aproxima seus lábios do meu ouvido e sussurra:

– Diga, ‘’por favor Kookie’’.

  Eu estava tão em transe com aquilo, que eu já não tinha mais controle sobre mim mesma, e eu não entendia o que estava rolando ali, mas estava gostando.

– Por favor... Kookie.

 Ele acaba com a distância que ainda restava para nos beijarmos, começando com um beijo devagar, mas logo ficou agressivo. Ele desce sua boca para o meu pescoço e deixa uma mordida a qual me faz soltar um gemido. Ele satisfeito solta meu braço e diz:

– Por hoje é só isso, agora pode ir. Mas, esteja preparada para o resto da semana... escrava. 


Notas Finais


Hehehe Jungkook danadinho! Não ficou la muito bom, mas espero que tenha entretido esse início de história, não pretendo fazer muito longa, em poucos capítulos termina, então aproveitem! \o


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...