História The Alphas - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bastardos Inglórios
Personagens Bridget von Hammersmark, Coronel Hans Landa, Personagens Originais, Sargento Donny Donowitz, Shosanna Dreyfus (Emmanuelle Mimieux), Tenente Aldo Raine, Tenente Archie Hicox
Tags Bastardos Inglórios, Guerra, Guerrilha, Romance
Visualizações 7
Palavras 1.799
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ecchi, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Romance e Novela, Survival, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olááá~~~~

Os personagens não me pertencem, nem mesmo os "oc's" que foram em sua maioria criados por amigos meus! Espero que gostem!

Lembrando que as únicas línguas que eu sei falar são inglês, português e o básico do básico de alemão... Então a maioria das falas em outras línguas vieram do Google Tradutor.

O personagem que está na capa de hoje é o Magie, que é francês e tem como música que define "In for the Kill" (Indo para exterminar) da banda La Roux:

"Vamos à guerra para fazer paz
Vamos ser frios para gerar calor
Na escuridão nós podemos enxergar
E você não foi cego pela luz que vem de mim"

Capítulo 3 - Drei


Fanfic / Fanfiction The Alphas - Capítulo 3 - Drei

Conforme os dias iam passando, mais os homens iam se irritando por ficarem parados. Não era costume para os Bastardos formar uma estratégia antes de um ataque. Já os Alpha tinham uma paciência extraordinária, tinham suas rotinas e mantinham sempre o foco.

De manhã, Wölfin caçava algo, agora acompanhada por algum dos Bastardos, mesmo que ela sempre lançasse seu melhor olhar de ódio quando alguém resolvia acompanha-la, a loira tinha seu estilo de caça e detestava ter companhia.

Beta treinava com suas facas e quando a russa voltava com a comida a preparava para o almoço. A morena estava sempre acompanhada, fosse por Six e Magie ou por Donny e Omar. Os dois americanos gostavam de conversar com a britânica.

Six acordava tarde, e sempre passava o resto da manhã conversando com alguém ou escutando os planos malucos ou histórias de Magie. Já o único homem Alpha, acordava uma hora antes dela, e nesse tempo treinava com sua Katana, que ganhara no tempo que fora mandado para o Japão para ser um espião dos aliados. O francês se disfarçara de italiano descendente de japoneses (algo que ele realmente era) e passara quatro longos anos disfarçado.

Já a rotina de Major era um mistério para todos os Bastardos, sabiam que ela acordava cedo, mas estava sempre dentro de sua barraca acompanhada pelo cachorro que suspeitavam dormir, já que este acompanhava Wölfin em seu turno.

-Quando nós vamos fazer algum ataque? – Questionou o Urso Judeu para Aldo, enquanto brincava com seu taco de beisebol.

-Vamos aguardar nossas ordens. – Afirmou o tenente recebendo um bufo como resposta.

-Xeque-Mate. – Ouviu-se a voz de Beta.

Em algumas tardes Beta e Magie se embrenhavam em partidas de xadrez, que normalmente eram vencidas pelo estrategista, mas uma e outra vez, por cavalheirismo ele liberava uma e outra vitória para a Madam, apelido que ele dera para a morena.

O francês adorava apelidos, passava horas escolhendo. Wölfin era Vodca, Six recebeu o apelido de Kawaii-chan o que em japonês significava senhorita fofa. Já a Major ele chamava de Scheiβe o que em alemão significava literalmente merda, coisa que a ruiva falava muito. Dentre cinco palavras pronunciadas (em qualquer língua) três eram Scheiβe.

-Wölfin, Six werden sich fertig machen, lass uns auf die Jagd gehen. (Wölfin, Six vão se preparar, vamos em uma caçada.[Alemão]) – Afirmou a ruiva saindo de sua barraca com sua Mauser 98k empunhada, e suas costumeiras facas extremamente afiadas no cinto. Usava o mesmo sobretudo que tinha no dia que juntaram as equipes.

Wilhelm traduziu rapidamente o que a garota dissera para Aldo enquanto as garotas iam se arrumar.

-Precisa que algum dos meus homens vá junto? – Questionou o tenente se aproximando.

-Não. – A ruiva respondeu secamente. – Assim como vocês tem seu próprio modo de ataque, nós temos o nosso.

-Mas, ter mais algum atirador seria melhor. – Ele teimou, sabia que seus homens precisavam de algum ataque.

-Se esse fosse o caso, Beta iria junto. – Afirmou ela se afastando.

Six logo saiu de sua tenda usando um longo vestido azul-marinho, e depois veio Wölfin segurando uma Mosin Nagant [1], suas facas presas no cinto e seus cabelos presos em um rabo de cavalo que marcava seu rosto ainda mais.

-Beta deixe as coisas preparadas, hoje teremos um visitante. – Falou a ruiva com um sorriso maléfico.

Assim as três garotas saíram do esconderijo, deixando os Bastardos emburrados. Eles já estavam cansados de não saber sobre os planos dos Alpha. Era como navegar em um barco sem saber se viria uma tempestade ou o mar se manteria tranquilo.

Beta e Magie colocaram uma mesa bem no centro das junções das barracas, e uma cadeira em sua frente. Em cima da mesa começaram a colocar objetos que poderiam ser utilizados em tortura. Os Bastardos então entenderam a frase de Major, mas a curiosidade bateu. Quem iria praticar a tortura? Seria a própria alemã ou a russa? Ou elas pediriam para que algum deles realizasse? Ou seria Magie a fazer esse trabalho? Beta estava fora de questão, apesar de sua habilidade com as facas não viam motivo para ela realizar esse sujo trabalho, isso é claro incluía a doce e inocente Six.

Quando o sol começou a se por as mulheres chegaram. Wölfin e Major carregavam um nazista desacordado, que parecia bem pesado, sua patente era claro, era um capitão, ele com certeza saberia as informações que elas precisariam.

-Six vá trocar de roupas. – Ordenou Major enquanto prendiam o soldado na cadeira, Baron começou a rosnar para o homem. – Halt Baron!(Parado Baron! [Alemão])

O cachorro sentou-se ainda em posição de guarda, as orelhas atentas a qualquer movimento. Enquanto isso Six corria para sua barraca voltando depois usando uma calça preta e uma blusa da mesma cor.

-Rozbudzić go, chcę jak najszybciej zacząć.(Acordem-no, quero começar o mais rápido possível.[Polonês]). – Ordenou a menina se aproximando com seu costumeiro sorriso inocente.- Nauczmy go, dlaczego nazywa się Six.(Vamos ensina-lo porque me chamam de Six.[Polonês]).

Major se aproximou do homem e pegou o balde de água que estava ao lado da cadeira jogando no homem que acordou de susto.

-Guten Morgen Dornröschen, lass uns ein bisschen spielen?(Bom dia bela adormecida, vamos brincar um pouco?[Alemão]). - A ruiva falou com um sorriso maléfico - Du sagst mir, was ich auf der richtigen Weise wissen will, oder durch die schlechte, du wählst.(Você me conta o que eu quero saber pelo bom caminho, ou pelo mau, você que escolhe.[Alemão]).

O homem se manteve em silêncio, e isso resultou em um tapa dado pela ruiva. A marca da mão dele ficou no rosto dele, que apenas estreitou os olhos para Major.

-Ich werde niemals etwas sagen, das mein Land verraten würde.( Eu nunca vou dizer algo que trairia meu país.[Alemão]). – Ele falou e depois cuspiu no rosto da mulher. – Luder! (Vadia![Alemão])

-On jest twój.(Ele é todo seu. [Polonês]). – Major sorriu maleficamente se afastando e deixando Six se aproximar do homem.

-Nun, Herr, Captain, lass uns unseren Witz anfangen. Aber zuerst muss ich dir erklären, wie es funktioniert. (Bem senhor capitão, vamos começar nossa brincadeira. Mas antes eu tenho que te explicar como funciona.[Alemão]). – A garota falou sorrindo. - Mein Name ist Six, denn wenn ich in die sechste Folter komme, hast du entweder deinen Mund geöffnet oder dich auf diese Folter geöffnet. Werden wir noch spielen? Oder möchtest du lieber jetzt sprechen? (Meu nome é Six, porque sempre que eu chego na tortura de número seis, ou você já abriu a boca, ou vai abrir naquela tortura. Ainda vamos brincar? Ou você prefere falar agora?[Alemão]).

O homem se manteve silencioso, enquanto a garota sorria e ia até o primeiro objeto. Uma agulha.

-Magie, tenez-le. (Magie, segure-o.[Francês.]) – A mais nova ordenou e logo o francês segurou o homem fortemente, mesmo que ele estivesse amarrado, ainda havia a chance de que ele se mexe-se demais e atrapalhasse sua tática. – Nummer eins (Número um[Alemão]).

Six então enfiou a agulha por baixo da unha do homem fazendo-o gritar, pegou outras de cima da mesa colocando em outras das unhas dele. O homem gritava.

-Also, sprichst du? (Então, vai falar? [Alemão])

O homem a olhou com ódio, e cuspiu em seu rosto. Levando um soco de Major que ainda se mantinha ao lado da mais jovem. Wölfin olhava de longe escorada na árvore de sempre, pronta para ajudar caso chamada. Beta separava os objetos e Magie segurava os braços do homem.

Os Bastardos observavam a distância, um pouco chocados pela calma da polonesa, nenhum deles achara que o motivo de ser chamada de seis fosse tão negro.

Six se afastou indo pegar o segundo objeto. Uma faca afiada, Beta realmente se esforçara para mantê-la bem afiada.

-Nummer Zwei (Número dois [Alemão]) – A garota falou fazendo cortes nos braços do homem, o sangue se acumulava no chão. Então ela rasgou a camisa dele fazendo um corte circular no peitoral do homem bem sobre o lugar onde estava o coração. -Wann wird die Übertragung stattfinden? (Quando será a transferência? [Alemão]).

-WOCHE ZU KOMMEN! (SEMANA QUE VEM! [Alemão]) – Ele gritou enquanto a mulher continuava a fazer círculos cada vez mais fundos em seu peitoral, para depois fazer um corte no meio do músculo, fazendo o soltar um grito agourento. – Mittwoch am Morgens! (Quarta de manhã! [Alemão])

-Wie viele Männer werden eskortieren? (Quantos homens vão escoltar? [Alemão])- Continuou ela.

-40 oder 50 Ich weiß es nicht! (40 ou 50, eu não sei! [Alemão]) – Ele gritou jogando sua cabeça para trás.

-Werden sie das Kaninchenloch benutzen, um durch die Lastwagen zu kommen? (Eles vão usar a toca de coelho para passar com os caminhões? [Alemão]) – Questionou Major.

-JA! (Sim[Alemão]) – Ele gritou. - Das ist alles was ich weiß, bitte ... ich schwöre! (É tudo que eu sei, por favor... Eu juro! [Alemão]).

-Okay, also danke für deine Hilfe. Du warst sehr hilfsbereit, Sir. (Certo, então agradecemos sua ajuda. Você foi de muita ajuda senhor. [Alemão]) – Six falou meiga se afastando dando espaço para Major.

-Kennst du den Namen unseres Geschwaderkapitäns? (Você sabe o nome do nosso esquadrão capitão? [Alemão]) – Questionou a ruiva se aproximando do homem.

-Nein... (Não... [Alemão]). – Ele falou quase em sussurro.

-Das ist das Detail. Kein lebender Nazi kennt das Alpha. Ich glaube du hast verstanden wo ich hin will. (É esse o detalhe. Nenhum nazista vivo conhece os Alpha. Creio que você entendeu aonde que quero chegar. [Alemão]). – A ruiva abaixou sua boca bem ao lado do ouvido do homem. - Ich wäre sogar schnell, aber es stellt sich heraus, dass ich nicht mit deinem Gesicht gegangen bin ... Dann werde ich noch etwas mit dir spielen. (Eu até seria rápida, mas acontece que eu não fui com a sua cara... Então eu vou brincar um pouco mais com você. [Alemão]).

Com um assovio Baron se lançou mordendo a perna do homem com seus dentes extremamente afiados. O homem novamente começou a gritar. A alemã então pegou uma de suas facas cortando a garganta do homem, fazendo sangue saltar para todo o lado.

-Auf Wiedersehen.( Adeus. [Alemão]) – Ela falou com um sorriso maléfico. - Baron freigeben (Solte Baron. [Alemão])

Imediatamente o cachorro soltou e se afastou deitando-se na frente da barraca da dona. Wölfin se aproximou ajudando a líder a soltar o homem e então as duas acompanhadas por Magie sumiram floresta adentro para sumir com o corpo. Beta ordenou que Six fosse se lavar, e ela rapidamente limpou todos os vestígios da tortura. O esquadrão Alpha estava tão acostumados com isso que nem mais se preocupavam em brigar para quem fazia o que. Já os Bastardos, que não esperavam que eles realmente fossem reagir tão bem para tudo que fizeram, os Alpha nem pareciam afetados por tudo que fizeram. Agiam com naturalidade. Realmente havia um pouco de surpresa nos olhares dos homens que tinham como costume cortar os escalpos dos nazistas que matavam.


Notas Finais


Curiosidade de hoje: O criador do Magie é apaixonado pela cultura oriental, e queria de todas as formas possíveis que o personagem entendesse e amasse (como ele) tudo ligado ao Japão. Já que todas as outras personagens são menos de humor, eu acabei usando Magie como uma fuga para a fanfic não ficar tão parada e séria.

[1] Mosin-Nagant (Russo: Винтовка Мосина) é um fuzil militar de ação de culatra, de cinco tiros, que foi utilizada pelas forças armadas da Rússia Imperial e mais tarde pela União Soviética e por várias outras nações do bloco de Leste.

Gostaraam????


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...