História The babysister - Imagine SuHo - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Visualizações 272
Palavras 2.280
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Lemon, Luta, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Opa, olha eu aqui rs' ♡
Bom dia, boa tarde, boa noite, boa madrugada. Tudo bem com vocês?

Aaaaaaa, ontem eu tava lendo os comentários de vocês no capítulo anterior, mas gente, PENSE EM UMA PESSOA BESTA, sim essa pessoa sou eu, eu fiquei toda besta lendo os comentários, minha cara já tava doendo de tanto sorrir, tive que levar um tapa pra acordar pra vida.

Mas enfim, eu estou muito feliz por saber que vocês estão gostando da fanfic, eu não pensei que iria chegar nem a 20 favoritos mas já estamos com 71 fav. Muito obrigada pelo carinho e por tirarem um pouco do tempo de vocês para lerem. ♡ Bom, vamos pro capítulo né?

Espero que gostem do capítulo de hojeeee. Boa leitura

Capítulo 9 - Eighth chapter


1 mês depois...

Segunda-Feira 10:56 da manhã 

Um mês já havia passado, durante esse tempo aconteceu várias coisas e muitas coisas mudaram, principalmente minha rotina, que agora estava mais corrida. Com o primeiro salário que recebi, consegui pagar a mensalidade da faculdade, Suho me ajudou a pagar a quimioterápia da minha avó e também ajudou Chanyeol, contratando o mesmo para que trabalhasse em uma de suas empresas. Suho havia nos ajudado muito e isso fez com que nós ficassemos mais próximos.

Meu horário de trabalho acabou mudando também, pois como minhas aulas na faculdade começaram eu teria que estudar pela manhã, então eu só iria para o trabalho ás 13:00, Yura e Yuki também começaram a estudar, e eles estudavam pela manhã, o que facilitava, pois eu chegaria da faculdade no mesmo horário que eles chegassem da escola. 

Estava no último horário de aula do dia, prestava atenção em tudo o que o professor falava e anotava as coisas mais importantes, eu faço faculdade de medicina, meu sonho é criar meu próprio consultório e ajudar várias pessoas, eu jurei a mim mesma que ajudaria a todos, deis de que meu irmão mais novo morreu. 

Fui despertada de meus pensamentos assim que o sinal tocou anunciando a saída dos alunos. Alguns alunos começaram a se retirar da sala e eu fui arrumar minha mochila, na sala ficaram só alguns alunos, incluindo minhas amigas e eu. 

— Arruma mais rápido, vai vai vai — Iara disse ao meu lado enquanto tentava me apressar, a encarei séria e a mesma riu, ela sabia que eu não gostava que me apressassem. 

— Vocês tem alguma coisa pra fazer agora a tarde? — Lohanna, minha amiga, perguntou enquanto arrumava a mochila nas costas. 

— Eu vou trabalhar — Eu disse terminando de arrumar minhas coisas. 

— Eu vou pro curso de inglês — Iara disse e a mais nova suspirou. — Mas por quê? 

— Eu queria sair pra comer hoje a tarde — Ela disse e eu e Iara rimos. 

— Dá pra parar de pensar em comida? — Eu perguntei rindo junto de Iara, Lohanna suspirou e revirou os olhos. 

— Não fica assim Loira, vamos tirar um dia pra sair com você — Iara disse se referindo a baixinha de cabelos loiros.

Saímos da sala e vimos que haviam algumas meninas cochichando algumas coisas pelo corredor, Iara estava ao lado de Lohanna e eu estava mais atrás delas, um grupo de meninas passou por nós enquanto cochichavam e eu pude ouvir algo como "Ele é bonito, vamos lá ver". 

— Do que elas estão falando? — Perguntei e corri para ficar ao lado de Iara e Lohanna. 

— Devem ter visto um macho, não podem ver um que já tão abrindo as pernas — Iara disse revirando os olhos fazendo nós rirmos. 

— Vamos lá ver também — Lohanna disse e puxou Iara correndo, Iara segurou minha mão me puxando também. Chegamos em frente a escola, um grupo de sete meninas estavam na nossa frente e continuavam com os mesmos cochichos. 

— Saiam do meio demônias — Iara disse se enfiando no meio das meninas, ela paralisou e olhou para um ponto fixo da rua, fiquei nas pontas dos pés para tentar ver o que era, já que as meninas estavam na minha frente, fiz como Iara e me enfiei no meio das meninas, logo saindo do tulmuto e ficando ao lado de Iara, olhei na direção que ela olhava e me deparei com... Ele, Kim Junmyeon. 

— Suho? — murmurei. Ele estava encostado em seu carro enquanto mexia em seu celular, assim que o mesmo me viu, ele sorriu e acenou. 

— Olha só, agora o namoradinho dela vem buscar ela — Iara disse provocando, olhei para ela séria. 

— Quem é ele gente? — Lohanna perguntou confusa. 

— É o namora... — Interrompi Iara. 

— É o pai das duas crianças que estou sendo babá.. — Eu disse e sorri enquanto olhava para Suho. 

— Sorrisinho de apaixonada — Iara disse e Lohanna riu. — Vamos lá, vem — Ela disse me puxando — Tchau Loira — Acenou para a mais nova, logo atravessamos a rua e fomos até Suho. 

— O que você tá fazendo aqui? — Perguntei me aproximando do mesmo. 

— Vim te buscar — Ele disse como se fosse simples, todas as meninas que estavam no portão estavam nos olhando e conversando, já imaginava os boatos que estariam por vir. 

— Coé, nem dá carona pras amigas da namoradinha não? — Iara perguntou e Suho riu. 

— Olha quem tá bem ali — Ele apontou para um carro preto e vi Baekhyun encostado no mesmo. 

— Ah tá, tchau — Ela disse e saiu correndo, toda doida. Olhei para Suho com um olhar de reprovação.

— Eu não acredito que você realmente fez isso — Eu disse rindo. 

— Eu não ia deixar você ir andando sozinha, então eu vim logo te buscar — Ele disse dando de ombros e entrando no carro, suspirei e revirei os olhos, fui até a porta do passageiro e abri, adentrando o carro, entrei e coloquei o cinto. Olhei para Suho e o mesmo já estava me olhando. 

— Não está esquecendo de nada? — Ele perguntou meio malicioso, o encarei e ri. 

— Acho que não — Disse inocentemente enquanto cruzava os braços e virava pra frente. 

— Jagiya, olha pra mim — O maior disse e então eu o encarei. Incrível como esse homem pode ser tão bonito 

— Tem certeza que não está esquecendo de nada? — Perguntou novamente e eu ri, me aproximei do mesmo e selei nossos lábios, o maior segurou minha nuca e aprofundou o beijo, nos separamos quando o ar fez falta e Suho me deu mais um selinho, fazendo nós dois rirmos. 

— Primeiro nós vamos buscar as crianças na escola — Ele disse girando a chave para ligar o carro, apenas assenti e não disse nada, encostei a cabeça na janela e fiquei olhando para as ruas movimentadas de Seoul, eu amava ficar olhando tudo pela janela enquanto o carro estava em movimento. — Como foi na faculdade hoje? — Ele perguntou concentrado na rua.

— Vai bem, tô cheia de trabalhos pra fazer, mas eu tô cansada — Disse e fechei os olhos suspirando. 

— Você fica bonita nesse uniforme — Ele disse se referindo ao uniforme amarelo que eu vestia. 

— Eu sei — Disse rindo. 

— Convencida — Riu. 

Chegamos em frente a escola das crianças, tivemos que descer do carro para poder esperar Yura e Yuki bem na frente da escola, várias crianças saíam e corriam em direção aos seus pais. Logo vi duas coisinhas fofas saindo da escola, assim que nos viram, correram até nós. 

— Unnie! — Yura gritou correndo até mim e pulando em meus braços. 

— Yura, oi meu bem — Disse enquanto a abraçava rindo. 

— Nonna — Yuki veio até mim abraçando minhas pernas, me abaixei e abracei ele. 

— E eu fico como? — Suho perguntou cruzando os braços, nós rimos e as crianças foram abraçar ele. 

— O senhor foi buscar a Nonna na faculdade papai? — Yuki perguntou enquanto abraçava o pai. 

— Fui sim, por quê? — Perguntou e Yuki sorriu descendo do colo do mais velho e cochichando algo no ouvido de Yura, eu e Suho observavámos eles atentamente. Yura riu e cochichou outra coisa pra Yuki também. Eles começaram a rir nos olhando. 

— Do que estão rindo? — Suho perguntou. 

— Nada não papai — Yura disse rindo sapeca. 

— Ok pestinhas, vamos embora — Suho disse abrindo a porta de trás para as crianças entrarem, assim que elas entraram ele fechou a porta. 

— Tem ideia do que estavam falando? — Perguntei rindo. 

— Não, mas tenho certeza que era sobre nós dois. 

14:00 da tarde

O dia estava nublado e parecia que iria chover logo, quando nós chegamos as crianças me chamaram para mostrar seus novos desenhos e eu até ganhei dois desenhos dos mesmos, mas só que um deles me chamou atenção. Haviam duas crianças, um menino e uma menina, e um homem e uma mulher, na hora eu fiquei na dúvida e perguntei quem era a mulher do desenho, e eles disseram que era eu. 

Era íncrivel como eles eram tão inocentes, o mais engraçado, é que eles acham que eu e Suho vamos ficar juntos um dia, uma coisa que eu acho difícil de acontecer, eu não sabia ao certo o que eu e Suho tínhamos, pareciamos dois ficantes mas eu sabia que no fundo, eu sentia alguma coisa por ele, e ele parecia demonstrar o mesmo sentimento que eu. 

Estava de tarde e agora as crianças não paravam de reclamar dizendo que estavam com sono, mas elas tinham que terminar as atividades delas. 

— Unnie, hoje eu descobri qual é a mão direita — Yura falou sorridente. 

— Ah sério? E qual é? — Perguntei sorrindo para a menor, ela logo levantou sua mão direita e mexeu seus dedinhos gordinhos. Sorri e apertei as bochechas da pequena. 

— Nonna, já acabamos as atividades, podemos dormir agora? — Yuki disse enquanto bocejava. 

— Hmmm, deixa eu pensar — Disse e eles me encararam aflitos — Tô brincando, podem sim, vou guardar as coisas de vocês — Eu disse e eles sorriram, logo se levantando e correndo para o quarto. Peguei os cadernos deles que estavam sobre a mesa e guardei cada um na mochila certa. 

Suspirei e caminhei até o jardim, fiquei pensando na minha vida e em como tudo havia mudado, lembrei do desenho que Yuki e Yura fizeram para mim e comecei a pensar sobre isso, eu não sabia se Suho possuía sentimentos por mim, eu estava tão confusa em tentar saber o que nós dois realmente éramos. 

 — __________? O que está fazendo aqui fora? — Ouvi a voz de Suho se aproximar, o maior se aproximou de mim e me abraçou pela cintura. 

— Nada de mais... Só pensando.. — Disse e suspirei. 

— Pensando no quê? Posso saber? — Ele perguntou e eu me virei para olha-lo, suas mãos continuavam na minha cintura. 

— Posso te fazer uma pergunta? — Perguntei e ele assentiu. 

— O que você sente por mim Suho? — Tomei coragem para perguntar. Eu estava quase chorando, estava com medo de ele reagir de forma negativa. 

— E-Eu.. 

— O que nós realmente temos? — Perguntei e senti uma lágrima escorrendo em minha bochecha. O maior imediatamente enxugou a mesma.

— ________, eu te amo... — Ele encostou nossas testas. — Mas eu tenho medo de te machucar, ou até mesmo, me machucar. — Suspirou — Eu quero te fazer feliz __________, mas não sei se consigo, estou tão confuso.. — Ele parecia triste. Eu realmente deveria entender, ele acabou de sair de um relacionamento nada bom, e deveria estar chateado com isso ainda.

— Tudo bem, eu te entendo — Disse e o abracei, afundando minha cabeça em seu ombro. — Você acabou de sair de um relacionamento que não deu certo, e isso acaba te prejudicando mesmo você não querendo, mas está tudo bem.. — Senti ele retribuir o abraço e beijar o topo de minha cabeça. 

— Eu fico feliz que entenda. — Me encarou e deu um sorriso que me fez ficar mais feliz ainda. 

Céus, como posso estar tão apaixonada por esse homem?

Suho aproximou nossos rostos e me puxou para um beijo carinhoso e calmo. Não estava nem aí se alguém nos visse assim, eu só queria estar em seus braços. 

[...]

16:00 da tarde 

Eu, Suho e Jade estávamos conversando na cozinha, ríamos muito e contávamos histórias que haviam acontecido conosco, Jade me contou várias histórias de quando Suho ainda era pequeno e eu só sabia rir, Suho ficava emburrado e pedia para ela parar mas ela continuava, e nós ríamos muito, ele acabava rindo também.

As crianças ainda estavam dormindo e eu iria acordar elas logo, mas decidi deixar elas descansarem mais um pouco. Estavamos conversando normalmente até que ouvímos a campainha tocar. 

— Eu vou abrir — Disse e me levantei. Eles assentiram e voltaram a conversar. 

Caminhei até saída da cozinha e logo fui até a porta, abri a mesma e me deparei com uma mulher um pouco mais alta que eu, ela possuía os cabelos longos e negros, era branca que parecia até mesmo ter banhado na farinha de trigo, seus olhos eram grande e seu rosto parecia ter passado por umas mil plásticas para ficar como é, não era possível uma pessoa ter o rosto tão perfeito. 

— Quem é você? — Ela perguntou com um olhar de desprezo enquanto olhava para mim, não entendi tal ato da mesma mas continuei normal. 

— Desculpe, mas eu que deveria perguntar isso — Disse e arqueei as sobrancelhas, espero que isso não tenha saído meio mal da minha parte, será que fui grossa demais? 

— Meu nome é Min-Ha — Ela disse e me olhou de cima a baixo — O que você está fazendo na casa do meu marido? 

— Seu o qu... — Antes que eu terminasse de falar fui interrompida.

— Quem é, Jagiya? — Suho perguntou se aproximando, assim que ele olhou para a mulher, seus olhos se arregalaram, ele parecia conhecê-la. — M-MinHa? — Ele falou o nome da mesma e eu logo a encarei, e foi ai que me lembrei, Jade havia me falado que MinHa era o nome da ex-esposa de Suho, e só poderia ser ela. 

— Oi meu bem, que saudades — A mulher disse se aproximando de Suho e o abraçando, Suho ficou imóvel e eu encarava eles confusa. Quem que essa cara de farinha de trigo pensa que é? 

— O que você está fazendo aqui Min-Ha? — Suho perguntou sério e rígido, enquanto tentava afastar a Min-Ha de si, mas ela não saía de perto dele. 

— Ué, eu voltei meu amor, e voltei para ficar... — Ela disse sorrindo de lado. 

— Você não tem o direito de entrar na MINHA casa dizendo que vai voltar a morar aqui, e você não é mais nada minha, Min-Ha — O mais velho falou sério a afastando de vez. 

— Não tenho o direito? Poxa — Ela fez um bico mas logo sorriu — Mas acho que você esqueceu que eu sou a mãe dos seus dois filhos, e que eu ainda tenho o direito de entrar aqui sim, tenho que passar um tempo com meus filhos. 

Ok, essa foi a gota da água.


Notas Finais


Cheiro de demônia no ar, cês tão sentindo?
KKKKKKKKKKK ENTÃO NÉ

Esse foi o capítulo de hoje nenês, o que acharam? O que será que a MinHa vai fazer com a _______? Como as crianças vão reagir a volta da mamãe? O que vai acontecer agora que a cara de farinha de trigo, voltou? Isso você só vê no próximo capítulo KKKKKKKKKKK, dando uma de globo repórter.
Me desculpem por todo erro ortográfico, espero que vocês tenham gostado nenês. ♡

Meu perfil ღ: @Pandinhaww
(Sigam para ficarem por dentro de todas as novas atualizações de fanfics novas ♡)

Sigam também ღ: @Gud3
(Ela é uma das minhas amigas escritoras, tem histórias super legais, então, dêem uma passada lá para darem uma olhada.)

Até o próximo capítulo ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...