História The Boss (Imagine Min Yoongi) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Boss, Bts, Hot, Min Yoongi, Suga
Visualizações 146
Palavras 3.706
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Enjoy it!

Capítulo 1 - Capítulo Único


Demorou alguns segundos até que Mr. Min recuperasse a compostura do recente fora que havia acabado de receber de uma funcionária que demitiu na frente dos outros e olhasse para todos a sua volta ainda um pouco atordoado. Ajeitou sua gravata com uma mão e seus olhos pareciam estar procurando alguma coisa quando pararam em mim ao lado da porta do seu escritório, ajeitou sua postura mais uma vez sem desviar seu olhar escuro e penetrante, o que me fez sentir um leve tremor nas pernas. 

— Voltem ao trabalho! – Ordenou antes de vir andando até mim. 

Eu não reparei no que as pessoas fizeram depois de sua ordem direta, estava perdida demais na forma como ele estava me olhando, mas provavelmente haviam
voltado a exercer suas funções como se nada tivesse acontecido. 

— Vai direto para minha sala. – Falou baixo quando passou por mim e eu apenas assenti. 

Após ouvir a porta bater ao meu lado, fui atrás dele. Caminhei pelo primeiro espaço da sala dele, que era onde eu ficava e então abri a segunda porta que dava para o ambiente onde ele trabalhava, onde tudo era muito mais requintado e escuro. Yoongi estava parado de frente para o pequeno bar que havia ali, enchendo um copo com whisky e de costas para mim. 

— Você está bem? – Perguntei quando percebi que sua mão direita continuava colada ao lado do seu corpo fechada em punho e levemente trêmula.

Ele apenas riu sem humor antes de virar segurando o copo que antes enchia. — Aceita? – Perguntou oferecendo a bebida a mim. 

— Eu não bebo. – Torci os lábios ao lembrar do gosto do álcool em minha boca quando experimentei pela última vez. 

— Mas é claro! – Riu mais uma vez sem humor algum, mas dessa vez soou mais como um “como não reparei nisso antes?”. 

— Você está bem? – Perguntei novamente enquanto ele virava de uma vez só em sua boca o conteúdo do copo. 

— Não se preocupe, querida. – Estremeci assim como em todas as vezes que ele me chamava desse jeito. 

O que posso fazer por você? – Fiz a pergunta que já estava acostumada a repetir quase todos os dias quando ele me chamava em sua sala, porém dessa vez Yoongi me olhou como se estivesse pronto para me devorar apenas com seus olhos escuros como a noite. 

— Sente-se. – Apontou para o sofá de couro preto que sua sala possuía. 

Demorei alguns segundos para finalmente sentar no objeto e voltei a encará-lo tentando entender o que queria. Min Yoongi era um homem claro quanto aos seus objetivos, ele dizia o que queria e raramente não conseguia realizar seus desejos, seja eles quais fossem. 

— Por que acha que te contratei? – Perguntou se jogando, mas ainda assim de forma elegante, do outro lado do sofá com o corpo voltado para minha direção e um dos braços apoiado no encosto do sofá. 

— Hm… Pois eu estava um pouco desesperada pela vaga? – Brinquei e consegui arrancar uma pequena gargalhada dele, sorri pelo meu feito do dia.

— Boa resposta, foi pela forma como você me respondeu agora que eu te contratei. – Disse voltando a ficar sério. — E porque você é muito bonita. – Completou e eu senti minhas bochechas esquentarem com o elogio. 

— Desculpe… Mas de que forma te respondi? – Questionei quando me recuperei de seu elogio repentino. — E obrigada. – Agradeci ainda um pouco desnorteada e isso o fez rir novamente. 

— Você não tem medo, você me respeita e faz o que eu digo, mas da forma que quer, sem me consultar ou sem tremer quando eu passo por você e te vejo colando figurinhas coloridas na minha agenda de negócios, porque essa é a forma que te faz memorizar meus compromissos. – Responde e é minha vez de soltar uma pequena risada. — Carinhas vermelhas de raiva para reuniões, com óculos de sol para momentos de lazer, girando os olhos para momentos de lazer com mulheres… – Sua voz soou um pouco mais rouca ao dizer o último fato, então voltei a ficar séria e desinquieta com onde ele queria chegar. 

— Eu só… 

— Ora, senhorita! Você não se justifica, você me encara claramente enquanto pensa em como poderia me matar mentalmente quando eu te corrijo. – Sorri mas não com deboche ou ironia, é divertimento. — Seus olhos ficam mais escuros quando faz isso, assim como quando está me olhando pensando que não percebi. 

— Eu ainda não entendi o que quer. – Engulo a seco e sinto minha respiração pesar de uma hora para outra, como se tivesse descoberto meu segredo, na verdade ele tinha, então eu estava me sentindo invadida como se, de repente, ele pudesse ter lido todos os meus pensamentos todas vezes que eu ficava  o olhando sem que supostamente percebesse. 

Ele não me respondeu, simplesmente inclinou seu corpo para frente ficando mais próximo de mim e então fechei meus olhos quando seu perfume adentrou por minhas narinas. Ele não me tocou, ou tentou qualquer coisa que aparentemente eu ainda não o havia permitido a fazer, mas com o nível de aproximação e a posição em que estava, era possível sentir sua respiração quente acariciando parte da pele do meu pescoço. 

— Quero que alivie o meu estresse por hoje, querida. – Sussurrou e então finquei minhas unhas na pequena parte exposta da minha coxa devido a saia que usava subir quando eu me sentava. 

Virei meu rosto em sua direção e a poucos centímetros estavam seus lábios, vermelhos e bem desenhados, pareciam macios e terem o gosto do whisky que havia acabado de tomar, mas de uma forma muito mais gostosa do que direto do copo. Seus olhos pareciam ainda mais escuros, se isso fosse possível, e sua respiração continuava acariciando minha pele, me fazendo imaginar como seriam suas mãos passando pelos mesmos locais que ela batia no momento. 

Eu estava um pouco embriagada pela dose de Min Yoongi que estava recebendo naquele dia, então quando ele se aproximou de forma perigosa e alarmante, eu apenas continuei parada, esperando pelo o que vinha a seguir e intercalando meu olhar entre seus lábios e olhos, que não deixavam de encarar os meus. Então seus lábios tocaram os meus por alguns segundos, comprovando minha teoria de serem macios e quentes, como tudo nele parecia quente, porém meu corpo pareceu perceber o que estava acontecendo e eu coloquei uma das minhas mãos em seu peito o afastando de mim um pouco. 

— O que foi? Muito ruim para você? – Perguntou com os olhos fechados, como se naquele momento estivesse com medo pela primeira vez de algo que alguém dissesse. 

— Não! – Exclamei um pouco atordoada com a ideia dele ter pensado não ser bom para mim e agarrei o colarinho de seu terno com a mão que antes estava usando para empurrar-lo. — É só que… Isso parece tão errado. – Disse baixo demais com medo de soar patética. 

— É você quem me diz se acha isso certo ou errado. – Me encarou ainda sem se afastar enquanto eu mantinha minha mão amassando seu terno caro. 

Por pelo menos uma vez, se permita. Pensei mentalmente e então fechei meus olhos antes de puxá-lo em minha direção grudando nossos lábios novamente. Dessa vez, sem sutileza alguma, suas mãos vieram até minha cintura e me agarram com força me tirando do meu lugar e me colocando sobre seu colo. Sua língua estava dentro da minha boca e o gosto de whisky caro misturado a bala de menta era tudo o que eu conseguia sentir, além de mãos apertando com força minha bunda por cima da saia que havia subido completamente. Antes de separar nossos lábios, ele fez questão de morder e sugar meu lábio inferior arrancando um gemido de aprovação meu, desceu beijos pela minha mandíbula e chegou ao meu pescoço onde deixo pequenos chupões e lambidas. 

Enquanto eu perdia totalmente o sentido do que estava a minha volta, para me concentrar apenas em Min Yoongi com suas mãos em mim, ele subiu ainda mais minha saia enfiando as mãos por debaixo da mesma e arranhando minha pele com a ponta de seus dedos. Seus lábios voltaram aos meus, onde já pediu passagem com a língua de imediato, gemi dentro de sua boca ao receber mais um apertão, dessa vez sem o tecido da saia para atrapalhar. 

Ele se levantou comigo no colo e me colocou de pé em sua frente, antes que eu pudesse resmungar por termos nos separado alguns centímetros, ele foi para trás de mim colando nossos corpos novamente e esfregando seus lábios contra minha nuca. Uma de suas mãos segurou minha cintura com força, provocando algo entre a dor e o prazer, enquanto a outra descia lentamente até a parte da frente da minha calcinha. Minha saia estava praticamente como um cinto embolada em minha cintura e eu senti uma leve pontada em meu ventre quanto mais seus dedos se aproximavam da minha intimidade. Sem cerimônias, ele enfiou a mão por dentro da minha calcinha e eu estremeci com meu corpo colado ao dele, esfregou seus dedos por entre minha intimidade e então soltou uma risada nasalada em meu ouvido.

— Já está molhada, querida. – Gemi como resposta e ele passou a usar apenas um de seus dedos para estimular meu clitóris. 

Como resposta automática aos toques que eu já havia imaginado receber inúmeras vezes, além dos sons de prazer que saiam por entre meus lábios, arqueei meu corpo um pouco sentindo minha bunda encostar em sua ereção. Sua boca estava próxima ao meu ouvido e eu podia ouvir sua respiração pesada e senti-la quente batendo em minha pele, enquanto sua mão  continuava massageando meu ponto de prazer. 

— Eu esperei bastante por isso. – Disse retirando a mão de dentro da minha calcinha e ganhando um gemido de reprovação meu. — Eu não vou parar mais, não fique decepcionada. – Sussurrou divertido em meu ouvido e eu apenas assenti fechando os olhos com força. 

Suas mãos vieram até à frente do meu corpo e começaram a desabotoar minha camisa branca. Um botão por vez, lentamente como se estivesse me torturando, meus olhos continuavam fechados e eu levei uma de minhas mãos em busca de seus cabelos, onde arrastei a ponta das minhas unhas até sua nuca o arranhando, na esperança de lhe causar ao menos um pingo do sofrimento que estava fazendo a mim. Achei que surtiu efeito, pois sua respiração soou um pouco mais pesada em meu ouvido e suas mãos se apressaram em puxar minha blusa fora me deixando com o sutiã à mostra. 

— Tira o resto para mim. – Pediu passando a língua pela ponta da minha orelha. 

Ainda de costas para ele e um pouco trêmula pelos minutos anteriores, levei minhas mãos até minha saia, a desenrolando em meu corpo para ter acesso ao zíper na parte de trás. Deslizei o mesmo com certa dificuldade e arranquei a peça de roupa logo após retirar meus saltos, levei a ponta dos meus dedos ao fecho do sutiã em minhas costas e mordi os lábios ao sentir as mãos de Yoongi me auxiliando a abri-lo. O leve roçar de sua pele na minha descendo as alças pelos meus ombros me fizeram arrepiar e soltar o ar de forma pesada pela boca.

— A última eu tiro. – Disse em meu ouvido encostando seu corpo no meu novamente.

Me senti em desvantagem por ele ainda não ter retirado nenhuma peça do que vestia, mas não houve tempo de protestar quando suas mãos desceram de abaixo dos meus seios até minha cintura com lentidão e firmeza, parando bem ao lado da parte mais fina da calcinha que eu usava, sob ameaça de descer a peça íntima a qualquer minuto.

— Yoongi... – Deixei que seu nome escapasse por entre meus lábios como um pedido de clemência a tortura que estava me fazendo passar, porém essa não era a intenção dele.

Como resposta ele apenas me guiou até o sofá e me colocou sentada sobre o mesmo, com as costas um pouco distante da parte de trás do mesmo. Murmurei algo que nem mesmo eu consegui entender, somente pela frustração de ele ainda estar vestido enquanto me faltava uma única peça de roupa para estar totalmente exposta. Mr. Min sorriu com a cena de uma pobre garota desesperada e retirou apenas a parte de cima do seu terno, como se tivesse entendido o motivo da minha reclamação. 

— Você pode gritar bastante, as paredes são a prova de som aqui. – Falou enquanto enrolava as mangas de sua camisa social branca e jogando sua gravata ao chão junto com as outras peças de roupa que estavam por lá. 

Outro suspiro pesado acompanhado de uma leve dor prazerosa em meu ventre foram as respostas que ele precisava. Ficou de joelhos bem a minha frente e abriu minhas pernas colocando cada uma de suas mãos em uma coxa minha, eu deixei que meu corpo pendesse para trás ficando praticamente deitada e totalmente aberta para ele. 

Seus dedos passaram por cima do tecido preto rendado pressionando meu centro, minha forma de manter a dignidade foi morder os lábios para não começar a gritar com um simples toque. Ele beijou o local e a sensação dos seus lábios macios naquela parte do meu corpo, me fizeram fechar os olhos esperando por mais. Como castigo por estar me demonstrando, aparentemente, forte demais, Yoongi deu mais alguns beijos, lambidas e massageou meu clitoris, tudo isso sem nem cogitar a ideia de retirar minha calcinha para finalmente senti-lo sem barreira alguma. 

— Eu posso brincar disso a noite inteira, Mr. Yoongi. – Soltei depois de tomar fôlego para tal ousadia. 

Depois de alguns segundos surpreso pelo o que havia acabado de ouvir, sua risada sexy e divertida ecoou pelo ambiente. Em um movimento inesperado por mim, ele fincou os dedos na última peça que eu usava e rasgou com um forte puxão que deixou minha cintura queimando enquanto eu soltava um gemido alto de dor, prazer e surpresa.

— Eu também posso, mas não faz parte dos meus planos esticar muito a parte com roupa dessa brincadeira. – Sussurrou contra minha intimidade, fazendo questão que o ar quente que saia de sua boca e de sua respiração enquanto falava, batessem naquela área me fazendo se remexer com se sensação. 

Sem mais torturas relacionadas à espera, seus lábios finalmente tocaram onde eu eu queria e sua língua se arrastou de baixo para cima várias vezes enquanto eu gemia de forma baixa. Suas mãos continuavam apertando minhas coxas e mantendo minhas pernas abertas, para que ele pudesse me proporcionar aquilo. Ele sugou meu ponto de prazer com força, para voltar a brincar com sua língua nele logo após, aquilo me fez agarrar seus cabelos com meus dedos enquanto que com os outros eu fincava minhas unhas no braço do sofá. 

— Geme bem alto, que isso acaba mais rápido. – Disse ao parar por alguns segundos para me olhar com olhos estreitos e um sorriso maldoso nos lábios. 

Ele substitui sua língua por dois dedos, os pincelando de uma extremidade a outra, ameaçando penetrá-los em minha vagina vez ou outra. Eu deixei de bancar a orgulhosa quando sua boca se juntou novamente a tortura em meu clitoris e seus dedos ficaram parados em minha entrada, exercendo uma leve pressão, mas sem enfia-los totalmente. Puxei seus negros cabelos com ainda mais força ao soltar gemidos altos. 

Yoongi riu sugando mais uma vez meu ponto de prazer e enfiando lentamente seus dedos em minha vagina, quando finalmente o fez completamente, começou a dar leves estocadas com os mesmos, sem deixar de fazer pequenos movimentos acompanhados de sugadas em meu clitóris. Ele aumentou o ritmo até que eu estivesse realmente gritando e implorando por mais; meus músculos se apertaram em volta de seus dedos e logo um tremor gostoso junto de uma sensação de prazer passaram por todo meu corpo. Ele passou a língua mais algumas vezes, após retirar seus dedos de dentro de mim, aquilo me fez tremer mais vezes por estar tão sensível devido meu recente orgasmo. 
 
Demorei alguns segundos para ter algum tipo de reação além de ser a de tentar me lembrar como se fazia para voltar a respirar normalmente. Yoongi subiu beijos pela minha barriga até chegar a minha boca onde selou nossos lábios em um beijo lento e quente. Aproveitei para usar as minhas mãos na difícil missão de abrir os botões de sua blusa, enfiei as mesmas por dentro daquele tecido e alisei seu corpo o sentindo se retrair ao meu toque em seu abdômen. Ele se afastou para terminar de retirar aquela peça de roupa e jogá-la no chão logo após, assim que senti confiança em ter minhas forças de volta, o empurrei para o lado o fazendo se sentar ao meu lado. 

— Minha vez. – Sorri antes de levar a mão ao zíper de sua calça. 

Yoongi sorriu malicioso enquanto eu me ajeitava de joelhos bem ao seu lado. Passei a mão por cima de sua cueca sentindo o quão rígido ele já estava e beijei seu membro, só para ter o prazer de vê-lo arfando com meu ato. Puxei o elástico que estava o mantendo preso ali dentro e longe de mim, o fazendo pular na minha frente. 

Sem muita enrolação, o enfiei dentro de minha boca. Eu havia esperado muito tempo por isso, por mais que bem no fundo meu real desejo era torturá-lo como havia feito comigo. Desci minha boca por seu membro e utilizei uma de minhas mãos para me auxiliar a lhe dar prazer da maneira que eu queria. Mr. Min investiu com seu quadril para cima enquanto eu o sugava em um movimento de vai e vem, de seus lábios saiam gemidos roucos que me faziam sentir meu ventre se contorcer novamente. A visão de sua cabeça jogada para trás, com olhos fechados e a boca entreaberta, era como a oitava maravilha do mundo para mim, tudo que meu corpo pedia ali era ele dentro de mim. 

— Eu quero você dentro de mim. – Interrompi o que fazia para confessar que estava com pressa de senti-lo. 

Ele se levantou para finalmente tirar toda sua roupa e mordi os lábios ao vê-lo daquela maneira na minha frente, mais alguns segundos de espera até que ele achasse uma camisinha na gaveta de sua mesa e viesse até a mim com ela já posta. O puxei pelo braço e o joguei sentado no sofá novamente, arrancando uma risada do mesmo. Passei uma perna minha por cada lado de seu corpo e me sentei em cima de seu membro, sem penetração, rebolei ali o sentindo pulsar abaixo de mim e isso arrancou um gemido de nós dois. 

— Eu já entendi que está querendo se vingar. – Disse com uma voz rouca e segurando em minha cintura enquanto eu rebolava em cima dele. 

Eu ri e mordi meus lábios antes de me apoiar em meus joelhos. Segurei seu membro com uma de minhas mãos e o posicionei em minha entrada, sentando lentamente e o sentindo me preencher da maneira como eu havia imaginado várias e várias vezes. Quando finalmente ele estava por completo dentro de mim, permaneci parada o sentindo pulsar nas paredes da minha vagina, suas mãos apertavam minha cintura e então voltei a rebolar lentamente fazendo com que meu nome escapasse de sua boca e aquilo quase que foi o motivo do meu segundo orgasmo. 

Apoiei minhas mãos em sua barriga e comecei a quicar o sentindo sair e me preencher novamente logo após, suas mãos continuavam me apertando. Seus cabelos pretos e molhados de suor colados em sua testa e a forma como ele olhava atentamente para nossas intimidades se chocando me fizeram dar uma leve fraquejada.

— Oh, Yoongi. – Gemi. 

Sem interromper nossa conexão, ele se levantou e caminhou comigo até sua mesa onde me pôs sentada e começou a dar estocadas com mais rapidez, gemi seu nome mais algumas vezes enquanto ele repetia palavras sujas sobre o quão apertada eu era. Sua boca se juntaram a minha novamente enquanto seus movimentos de vai e vem ficavam ainda mais rápidos, meu nome escapou por entre seus lábios mais vez, logo após ele distribuiu chupões em meu pescoço. Algumas coisas que estavam na mesa foram ao chão enquanto sua investidas diminuíram, porém pareciam ficar ainda mais profundas. Finquei minhas unhas em seus ombros e desci minhas mãos por suas costas o arranhando, ali provavelmente ficariam marcas, assim como em meu pescoço e em minha coxa onde ele segurava com tanta força que deus dedos afundavam em minha carne. 

— Yoongi, eu acho que vou… – Avisei ao sentir minha vagina se apertar em volta de seu membro. 

Suas investidas voltaram a ser fortes e rápidas, enquanto minhas pernas voltaram a tremer juntamente com meu corpo. 

— Yoongi.. – Gemi seu nome quando finalmente me desfiz. 

Deu mais algumas estocadas até ele mesmo alcançar seu próprio prazer e seu corpo colou no meu. Ele apoiou as mãos na mesa atrás de mim, enquanto permanecia com as pernas enlaçadas em volta de seu quadril e minhas mãos em sua costa. Eu podia sentir seu peito subindo e descendo de forma descompassada assim como o meu. 

— Você é ótima em aliviar meu estresse. – Ele beijou meu pescoço quando finalmente estávamos quase voltando ao normal. 

— Eu faço de tudo para facilitar seu dia. – Eu ri depositando um pequeno beijo em seu ombro. 

Yoongi finalmente saiu de dentro de mim arrancando um gemido de frustração meu. Ele se livrou da camisinha e vestiu sua cueca de volta enquanto eu permanecia sentada em cima de sua mesa, sem ter certeza se eu aguentaria meu próprio peso ao pôr meus pés no chão. 

— Eu estou sem calcinha agora. – Disse ao notar a peça rasgada no chão. 

— A partir de amanhã, você não precisa mais vir com uma. – Sorriu malicioso para mim e se aproximou novamente. 

— Isso é uma ordem? – Perguntei dando um sorriso malicioso passando minhas em volta de seu corpo novamente. 

— Sim, acho melhor cumpri-la. – Brincou e eu achei agradável a forma como ele estava leve e fazendo piadas naquele momento. 

— Eu vou pensar no seu caso. – Falei afastando alguns fios negros de seu cabelo suado de sua testa. 

— Adiciona na minha agenda uma carinha virando os olhos para amanhã. – Pediu e eu ri sentindo suas mãos agarrarem minha cintura. 

Com certeza eu colocaria uma carinha dessa durante todos os dias daqui para frente. Aliviar o estresse de Mr. Min seria o mais fácil dos meus serviços.


Notas Finais


Oi, oi, oi, tudo bem?

Eu criei esse perfil há alguns anos atrás para justamente postar meus hots, porém nunca fiz isso e o deixei aqui esquecido. Bom, agora resolvi que devia vir aqui postar alguma coisa, então aqui está meu primeiro hotzinho para vocês.

Espero que gostem e assim que der volto com mais histórias para alimentar a imaginação de vocês.

Beijos, até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...