História The Divorce (Jikook) - Capítulo 10


Escrita por: ~ e ~Mozomi_Chan

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Bangtan Boys, Bangtan Sonyeondam, Beyond The Scenes, Bts, Chimchim, Hopemin, Jihope, Jikook, Jimin, Jungkook, Kook, Kookmin, Kpop, Park Jimin, Taekook, Vkook
Visualizações 427
Palavras 3.600
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 10 - X (FINAL)


Fanfic / Fanfiction The Divorce (Jikook) - Capítulo 10 - X (FINAL)

Lise encontrou Jimin sentado no chão do banheiro que ficava fora do terraço, com o queixo encostado contra o vaso sanitário.

- Querido, está passando mal?!

Jimin assentiu com um gesto de cabeça.

- Chamarei o médico.

- Não, Lise. Preciso apenas descansar por alguns momentos.

Com esforço, conseguiu se levantar então se dirigiu à escada. Sabendo que jamais conseguiria subi-la, seguiu para o único santuário que seus instintos ofereciam como alternativa, o quarto de sua mãe.

De volta ao útero, pensou, sentindo o olhar preocupado da governanta sobre si. Lise sentia que falharia em seu dever se não informasse Jungkook do ocorrido.

Mas Jungkook não precisava de informação. Na ocasião em que Jimin recebeu o envelope, ele também estava recebendo o seu. Quando olhou para as fotografias, o telefone começou a tocar.

Era o pai de Taehyung, que havia recebido um envelope também. Tão alarmante quanto essa chamada foi a outra, de Eunsook, sobre um jornal de Seul com notória reputação de informar mexericos sobre a alta sociedade. Não era preciso ser um gênio para saber o que estava prestes a ser revelado.

Jungkook seguia para casa e quando seu celular tocou. Desligou-o e arremessou-o sobre o banco de passageiro, onde deixara o envelope das fotos. Não lhe importava quem mais recebera cópias, sua única preocupação era que sabia que Jimin deveria estar olhando para a mesma horrível evidência.

Estacionando o carro, apressado, correu em direção à mansão. Encontrou Lise no hall, com o telefone no ouvido.

- Onde está Jimin? - ele indagou, subindo os degraus, quando a governanta o deteve.

- Está no quarto da mãe dele, senhor.

Mudando de direção, Jungkook se encaminhou para o corredor e tirou o paletó ao atingir o terraço. A gravata foi jogada a esmo, e estava prestes a ultrapassar a mesa do café na varanda, quando viu o envelope e os retratos espalhados ali. Sentiu o estômago embrulhar e uma raiva enlouquecedora.

Parando apenas para juntar o material, continuou através do terraço e entrou no quarto destinado a sua sogra. Encontrou Jimin deitado na cama em posição fetal. Chorando.

Desabotoando o último botão da camisa, Jungkook se aproximou do leito.

- Jimin?

Ele não deu sinal de que tivesse ouvido. Estaria esperando que Jungkook se ajoelhasse a seus pés, pedindo perdão?

- Essas fotos são falsas. E espero que você acredite nisso. Era um duro desafio. Ainda assim, Jimin não reagiu em resposta.

- Jimin! Isto não é hora para dramaticidade. Você é fotógrafo profissional. Quero que me diga como eles fizeram isso, para que eu possa me vingar dos culpados.

- Vá embora...

Num lapso de impaciência, Jungkook se curvou e agarrou-o pela cintura, levantando-o do colchão e fazendo-o sentar-se. Então, arrumou-lhe os cabelos desalinhados sobre a testa. Ele estava arrasado.

- Agora apenas ouça, amor.

- Mentiu para mim! Disse que ele não significava nada para você mas... olhe... olhe Você, em seu iate, nu, abraçando-o, enquanto ele disfarçava um escorregão.

- Isso nunca... Jimin o interrompeu:

- Veja. Como pôde se deitar com ele, dormindo feito um inocente? Eu nunca o perdoarei...

Jungkook tomou o resto das fotos da mão dele.

- Tem de acreditar que estas fotos são falsas!

- Falsas?!

- Pense um pouco com a cabeça, em vez de com o coração.

- Não tenho coração, Jungkook. Você o arrancou do meu peito e o jogou fora.

- Melodrama não vai ajudar nesta situação.

Jimin notou uma ponta de humor na expressão de Jungkook. Aquele humor o enraivecia mais ainda e ele começou a esquivar-se e a contorcer-se até que Jungkook, por fim, o liberou.

- Estou partindo.

- Fugindo de novo? Tome cuidado, porque posso deixar que faça isso. Não passarei a vida temendo a próxima vez que decidir escapar!

Jimin o encarou e viu a ira escurecer-lhe a face.

- Por que você está zangado comigo? - reclamou, perplexo.

- Não estou, Jimin. Tenho é ódio disso tudo. - Indicou as fotografias. - Você não foi o único a receber cópias.

Então Jungkook lhe contou quem mais as recebera.

- Isso é sério, Jimin. Alguém quer causar um escândalo, e preciso de sua ajuda, não de seu desprezo. - Com isso, Jungkook começou a olhar em volta do quarto.

Focalizando o que procurava, andou até o velho computador de Jimin e começou a verificar os pinos e as tomadas.

- Sabe como usar isto aqui. Mostre-me como faço para isto funcionar.

- Esse computador não é usado há três anos. Talvez não funcione por falta de uso.

- Pelo menos tente!

Notando como Jungkook parecia sério, Jimin o obedeceu. Foi uma surpresa verificar que o equipamento negligenciado funcionava.

- E agora, Jungkook?

- Escaneie essas fotos num programa adequado. Coloque-as na tela para que possamos examiná-las em detalhes.

- Uma razão seria útil.

- Eu já lhe disse. Elas são falsas. Trata-se de montagem.

- Tem certeza?

- Sim, absoluta! E gostaria muito de um pouquinho de confiança de sua parte.

- Falsas, você disse...

- Verifique por si mesmo se estou mentindo.

O desafio colocou-o em movimento. Com toques hábeis no mouse, Jimin fez o que Jungkook lhe pedia. Se ele estivesse mentindo, saberia que Jimin descobriria em poucos minutos. Se estivesse falando a verdade, então...

- Por que isso está acontecendo, Jungkook? Quem você acha que fez essa barbaridade? É preciso uma terceira parte envolvida para tirar fotografias como estas. Alguém muito íntimo de você para estar numa posição de flagrá-lo em lances como esses.

- Hyunji, é claro.

- Hyunji? Oh, não! Sua irmã não tem nada a ganhar ferindo você e o melhor amigo dela!

- Ganha o que sempre quis. Durante toda a infância, minha irmã fantasiou sobre um de seus irmãos casar-se com seu melhor amigo.

- Não quero crer nisso.

- Ela foi mais esperta do que eu supunha. Denegrir Taehyung e a mim para o pai dele, que me honrou com sua confiança quando permitiu que o filho ficasse no iate comigo. Vi um homem no cais, tirando retratos do iate. Esta aqui.

- Apontou um dedo para a tela. - Mostre-me como eu estava vestido naquele dia.

- Com nada.

- Eu usava uma bermuda, Jimin! O sujeito deve ter sido pago por alguém. Hyunji é a pessoa mais lógica. O plano era ver você saindo de cena com um divórcio e eu sendo forçado a me casar com Taehyung.

- Nada disso faz o menor sentido! Ninguém chega a tais extremos para o interesse de alguém mais.

- Interesse de quem mais? De Taehyung? Ele está sendo manipulado tanto quanto nós. Olhe para a evidência. Hyunji manda Taehyung em seu lugar para Hangzhou. Essas fotos foram tiradas lá. Já falei que vi o camarada tirando esta aqui.

- E aquela em seu quarto? Como o "camarada" entrou lá?

Jungkook parou para pensar, antes de responder:

- Ele deve ser um membro de minha tripulação. Estava muito longe de mim para poder reconhecê-lo.

Jungkook pensava que tinha uma resposta para tudo. Mas Jimin recordava uma conversa que tivera com Yunmi na véspera, e foi assaltado por uma suspeita muito diferente para desafiar as afirmações de seu marido.

Concentrando a atenção na tela, levou apenas segundos para localizar a primeira discrepância. Em instantes, circulara muitas... a falta de um dedo, um ponto da grade do iate que não se ajustava bem. Com o mouse deslizava para todos os lados, e Jimin copiou e depois colou cada detalhe em um quadro separado, ampliou-os e começou a imprimi-los.

A tudo isso, Jungkook observava em muda fascinação, como se todos os retratos revelassem a fraude evidente.

- Quer que eu faça o mesmo com o restante delas? - perguntou Jimin, quando terminou.

- Não, a menos que você tenha de se certificar de que todas são falsas.

Foi um golpe limpo perante a falta de confiança dele. Jimin reconheceu aquilo com um suspiro.

- Suponho que agora queira um humilde pedido de desculpas.

- Mais tarde, amor. Como recompensa.

Mas nenhum dos dois sorriu quando Jungkook disse isso. Falsas ou não, as fotos roubaram algo deles, e Jimin teve de se perguntar se jamais haveria uma volta outra vez.

- Jungkook, Hyunji sabe sobre meu trabalho. Lembre-se disso quando confrontá-la.

- O que quer dizer?

- Apenas vá lá com a mente aberta.

Não era de sua conta destruir a imagem perfeita de Taehyung. De qualquer modo, ainda não estava certo de suas suspeitas.

Porém, determinara-se a descobrir tanto quanto Jungkook.

Desse modo, assim que Jungkook se foi, Jimin imprimiu o segundo lote das cópias. Em seguida chamou um táxi e dirigiu-se à mansão dos Kim. Foi recebido por uma empregada que o introduziu em uma saleta de visitas e correu para procurar o patrão.

Taehyung demorou muito. Jimin passou a mão pelos cabelos. Transpirava de nervoso. Não sabia se fizera a coisa certa indo lá, nem mesmo tinha certeza de como iria lidar com aquilo... tudo o que sabia era que Taehyung tinha de ser julgado culpado ou inocente.

Taehyung apareceu num traje elegante com uma expressão afável, que, de alguma maneira, não cabia naquela ocasião, considerando que Jimin podia ser o esposo ciumento que viera confrontá-lo.

- Teremos de ser breves - Taehyung afirmou, com frieza. - Meu pai está a caminho de casa e não gostará de encontrá-lo aqui. Agora que você constatou a verdade sobre mim e Jungkook, poderemos esperar que saia de nossas vidas para sempre?

Os dedos de Jimin apertaram a alça da mochila.

- Foi você quem mandou as fotos, então?

Taehyung assentiu. Era até decepcionante que admitisse aquilo com tamanha facilidade.

- Embora tenha de acrescentar que qualquer coisa que eu diga a você aqui negarei para qualquer outra pessoa. Mas estava em meu caminho, Jimin, e estou farto de ser rejeitado por Jungkook. Duas semanas atrás ele me prometia se divorciar de você e se casar comigo. De uma hora para outra, fui posto de lado... por motivos de negócios, é claro. Não foi sempre assim?

- Como é?

- A falta de um acordo pré-nupcial entre vocês dois colocou Jungkook numa situação terrível.

Era como estar na presença de uma força destruidora. Taehyung se mostrava calmo, a voz nivelada, e Jimin já podia sentir-se sendo manipulado.

- Tenho de admitir que o que fui forçado a fazer não é muito bonito. Mas uma pessoa com aquela fortuna não se pode permitir ser explorado por um esposo ávido. Nem mesmo suportar arriscar sujar os nomes de nossas duas famílias com o escândalo que você causaria se quisesse dificultar o divórcio. Mas anote minhas palavras, querido: vai acabar assinando esse divórcio quando souber de tudo. Estou enojado de ter de mentir para todos. É hora de as pessoas saberem os fatos.

- Sobre seu caso na China com meu marido.

- Um relacionamento que começou muito antes de você abandoná-lo, se quer saber. Ele me visitou em Washington.

Jimin se lembrava de todas as viagens para Washington também.

- E, desculpe-me contar, mas ainda ontem Jungkook esteve comigo, durante a festa. Temos um apartamento em Seul, onde nos encontramos na maioria dos dias da semana.

- Sem evidência fotográfica desses encontros? - desafiou-o Jimin.

- Pode ser obtido.

- Oh, estou certo de que pode...

Jimin tirou as cópias impressas dos retratos de sua mochila e colocou-as na mesa entre eles. Taehyung nem sequer dignou-se a olhar.

- Você não passa de um mentiroso, Taehyung. Adora manipular os outros. Hyunji foi manipulada para mandá-lo à China. Minha sogra, também, por seu sempre tão gentil ímpeto de agradá-la e oferecer-lhe uma alternativa mais fácil de dispensar o genro.

- Isso é o que você diz.

 Jimin riu.

- Jungkook exalta suas grandes habilidades de organização... Não é um elogio muito apetitoso para o homem que ele ama, concorda? Pelo visto, você sabe como organizar uma grande festa. - Sorriu com cinismo dessa vez. - Quanto a mim, luto para organizar qualquer coisa, mas ele me chama de feiticeiro e de causador de problemas. No entanto, quando fazemos amor, meu marido delira em meus braços e depois dorme agarrado a mim. Não como isto. - Colocou um dedo sobre a foto. - Não com ele ocupando um lado da cama, enquanto eu ocupo o outro.

Taehyung baixou os olhos para a fotografia. E então Jimin indicou outra, ampliada, mostrando mais evidências do crime.

- Graças a Deus, Jungkook ainda tem todos os dedos. - Jimin pôs o indicador sobre o que estava faltando, em cima da barriga de Taehyung. - Se ele ficasse de pé atrás de você como aqui, o alto de sua cabeça alcançaria mais que a altura do nariz dele, não somente o queixo. Você é de estatura média, como ele. Não é assim tão delgado nem tão curvilíneo. E quando você cortou, recortou e colou com o mouse do computador, deveria ter prestado atenção a preencher os vazios, como a grade do iate aqui, que parece não ter continuidade sem motivo aparente. Um bom manipulador deve ser cauteloso, e você se esqueceu de um pequeno detalhe: sou fotógrafo profissional.

Jimin balançou as cópias impressas.

- Lido com fotografia computadorizada quase todos os dias, há anos. De forma que sei, sem me preocupar em ampliar a cena da cama, que as dobras do lençol não têm uma caída natural.

O leve dar de ombros de Taehyung e sua indiferença mais uma vez surpreenderam Jimin.

- Você é um bobo, Jimin. Sei o que faz para ganhar a vida, e estas fotos foram sempre destinadas a serem expostas como falsas. Fiz isso só para atenuar um escândalo. Pretendia expô-las pelo que são, portanto sugiro que use isso para aumentar seu poder num acerto de divórcio.

- Há apenas um pequeno problema com seu plano, Taehyung. Não tenho razão alguma para querer um divórcio.

- Mas Jungkook o quer de verdade, ou está só protegendo os interesses comerciais?

- Sim, eu o quero.

Os duas se voltaram e depararam com Jungkook em pé, na sala.

- Eu o quero a cada minuto em que estou acordado, e a cada minuto em meus sonhos também. Você tem um sério problema com seus sonhos, Taehyung. - E, sem esperar por resposta, dirigiu-se a Jimin. - Vamos, meu amor?

Jimin não titubeou e se aproximou de seu amado.

Mas Taehyung não ia desistir sem lutar.

- Só porque essas fotografias não são verdadeiras, não significa que não dormimos juntos. Conte a ele, Jungkook, como passamos as noites em seu iate. Diga-lhe como Eunsook pensa que Jimin é um prostituto e sua irmã despreza o ar que ele respira. Conte-lhe como sua família inteira sabia que esse homem teve um amante enquanto morava aqui em Seul com você, e como você tentou descobrir quem era esse amante, chegando a questionar se a criança que ele carregava pertencia a esse outro amor.

As pernas de Jimin bambearam. Encarou o marido.

- Por favor, Jungkook, diga que ele está mentindo! Mas Jungkook empalideceu como Jimin jamais vira. E pior: desviara o olhar.

- Vamos embora daqui, Jimin. Alguém mais estava de pé atrás dele.

- Taehyung, pare com isso - suplicou Hyunji. - Não entendo por que você...

- Você não entende. O que tem a ver com isso? Não serei usado por seus irmãos!

Todos olharam atónitos para Taehyung, que não mais se mostrava calmo e ponderado.

- Sempre tive de tomar conta de você, Hyunji, a adorada por todos. Não tem ideia do que é ser rejeitado sem cessar. Meu pai me rejeitou porque não fui a filhinha que ele e mamãe queria. Seu irmão me rejeitou porque não fui o que ele mais sonhava.

- Taehyung, eu nunca...

- Não você. - Taehyung voltou-se para Jungkook. - Junghyun! Junghyun me rejeitou quatro anos atrás! Disse-me que éramos muito jovens para saber o que o amor significava. Mas eu conhecia o amor. Esperei e esperei em Washington por ele, mas não apareceu. Você chegou em vez dele, sem nenhuma notícia sobre Junghyun. Então, voltei a Seul para fazer com que ele me amasse. No entanto, quando cheguei, Junghyun já planejava se casar com Chohee. Fiquei de fora e lá estava você, Jungkook, escondido na China com o coração partido! Bem, por que não superarmos juntos nossa dor? Você pensava nisso, sei que sim. Pode mentir para Jimin, mas sei que foi por mim que pediu a seu tio Woobin para iniciar o processo de divórcio!

- Então Woobin deu com a língua nos dentes...

- Não! Não discuti isso com ninguém.

- Se é assim, como você sabia que não havia um acordo pré-nupcial? - Jimin interveio.

Taehyung assustou-se, procurando novas mentiras que não podia encontrar.

- Acho que isso está indo longe demais. - Agora era o pai de Taehyung. - Você conseguiu impedir que as fotos fossem publicadas no jornal, Jungkook?

Jungkook fez que sim.

- Nesse caso, por favor, deixe minha casa e leve sua família junto. - O sr. Kim decidira que o filho havia ferido gente demais para um só dia.

~

O percurso de volta aconteceu em total silêncio. Jungkook levou Hyunji para a casa primeiro. Quando ela desceu do carro, voltou-se para Jimin:

- Desculpe-me, Jimin. Nunca pretendi...

- Mais tarde, Hyunji - interrompeu o irmão. - Todos conversaremos mais tarde, mas agora Jimin e eu temos de ir.

- Tudo bem, Jungkook.

Com brusquidão, Jungkook ligou o motor e partiu. Quinhentos metros adiante, ele parou no acostamento.

- Vamos, Jimin. Fale. Mais um segundo e você vai explodir.

- Muito bem. Vamos pôr os pingos nos is. Fui insultado e ameaçado em cada oportunidade que surgiu, fui posto a desfilar em frente à nata da sociedade como um trofeu. Depois, sou forçado a ver aquelas malditas fotografias. Acha que pelo fato de eu poder provar as montagens, os retratos perderam o poder de me ferir?

- Não. - Jungkook se aproximou.

- Não acabei ainda! Enfrentei o veneno... enquanto você perseguia o culpado no lugar errado! Eu ouvi Taehyung difamá-lo e ainda assim acreditei em você. - Soluçou. - Por que tem de ser assim, por que estamos trilhando a mesma estrada de três anos atrás?

- Não é a mesma coisa!

- Mas tem o mesmo gosto horroroso! Eunsook está preparada para tentar gostar de mim pelo seu bem, e agora sua irmã quer fazer o mesmo. Importo-me se elas gostam de mim? Não, não me importo! Na realidade, acho que não me importo mais com você!

- Não está sendo sincero.

Jimin fitou as feições duras de Jungkook e desejou que ele não estivesse certo.

O silêncio se fez presente. Jungkook parecia atônito. Uma Mercedes prata veio pela estrada e parou ao lado de Jimin.

- Algo errado? Podemos ajudá-lo?

Jimin voltou-se para encarar Jackson. Ao lado dele, no assento de passageiro, sua mãe se curvava para olhá-lo.

- Sim, Jackson. Você pode me dar uma carona. - E Jimin se acomodou no banco de trás da Mercedes.

- E Jungkook...

- Dirija.

Jackson olhou-o, perplexo.

- Sinto muito por lhe falar desse modo... - Jimin se desculpou, e lágrimas começaram a rolar.

- Dirija, Jackson - murmurou Eunbi, com toda a calma. Calado, Jackson fez o que lhe mandaram, olhando pelo retrovisor, onde viu o sobrinho abandonado ao lado do carro vermelho, parecendo um homem que acabara de ser destruído.

O automóvel de Jackson fora estacionado em frente à mansão. Ao entrar, Jungkook não pensou duas vezes sobre onde procurar por seu esposo, e subiu a escada correndo para o quarto deles, mas era a porta do quarto ao lado que estava aberta.

Jimin, parado ao lado da janela, olhava ao redor, de braços cruzados,

- Jimin, não acredito que você tenha sido infiel a mim. E quero que saiba que, se eu o amasse mais do que já amo, teria de ser internado, porque me tornaria perigoso. E se pareci insensível quanto às mentiras de Taehyung é porque fui ferido por aquelas fotos também.

Jimin suspirou.

- Taehyung faz parte de minha família desde que ele e Hyunji eram colegas de escola, Jimin. Eu o considerava uma boa pessoa e visitava-o cada vez que estava em Washington. Mas me enganei a seu respeito. E peço que me perdoe pelo atrevimento de eu questionar a paternidade de nosso filho. Há uma só pessoa que poderia ter posto essa ideia imunda na cabeça de Taehyung, e esse alguém é Woobin. Como sei disso? Porque uma vez ele ousou sugerir tal sordidez.

- Woobin?!

- Sim. Eu estava infeliz, você também. Vivíamos dentro de um vazio onde não nos comunicávamos. Woobin era a pessoa mais próxima entre mim e meu pai. Ele me perguntou sobre nosso casamento, e quando eu, muito tolo, confidenciei que estava preocupado com sua constante ausência, o miserável sugeriu que talvez devesse descobrir aonde você ia. Agora sei que deixou vazar informações confidenciais sobre a falta do contrato pré-nupcial.

- Woobin contratou o fotógrafo também?

- Espero que não. Tomara que as fotos tenham sido ideia de Taehyung. - Jungkook o olhou com ternura. - Já lhe ocorreu que ele tirou aqueles retratos antes de saber que você e eu voltaríamos? O que significa que sempre planejou usá-las, se eu resolvesse não honrar a proposta de casamento. Como acha que me sinto com isso?

- Um bobo, suponho. - E, sem aviso algum, Jimin caiu nos braços dele. Porque era o lugar ao qual pertencia. - Tive um dia horrível. - As lágrimas desceram contra o peito de Jungkook.

- Posso mudar isso...

Jungkook o tomou no colo e o levou para a cama.

Mais tarde, Jimin e Jungkook desceram as escadarias para encontrar a casa repleta de pessoas que queriam mostrar lealdade. Eunsook, Hyunji e até mesmo Junghyun viera com Chohee.

Eunbi e Jackson pareciam aturdidos, porque alguém havia lhes contado a sequência inteira de eventos.

Yunmi chegou com Akira Sato, trazendo champanhe.

- Para dar as boas-vindas a Jimin!

- Nossa, os rumores se espalham como fogo na mata! - Jimin comentou com o marido.

Mas suas faces estavam coradas de felicidade. Tudo transcorreu em clima de festa. Quando todos foram embora, Jimin sentia-se um pouco tonto.

- Parece que nos tornamos muito populares de repente.

- Populares demais... Depois do casamento de meu irmão, você e eu voaremos para o Caribe - decidiu Jungkook. - E já lhe aviso que vai ser difícil conseguir me tirar da cama, até mesmo para ir até a varanda.

- Não concordo. Acho que poderemos sair da cama de vez em quando para fazer amor nas lindas águas azuis...

~

'' Sim, Jimin era teimoso. E como Jungkook amava aquela teimosia! ''


Notas Finais


Bom pessoal, infelizmente acabou, foi muito bom ter compartilhado essa história com vocês. E para aqueles que comentaram muito obrigada, vcs são demais.

Não deixem de acompanhar nossas outras filhas:

https://spiritfanfics.com/historia/look-whos-here-dad-9991358 (HunHan)

https://spiritfanfics.com/historia/big-love-9238353 (KaiSoo)

https://spiritfanfics.com/historia/honeymoon-operation-9020216 (MarkSon)

https://spiritfanfics.com/historia/sweet-temptation-10562343 (ChanBaek)

https://spiritfanfics.com/historia/one-kiss-9247346 (YoonSeok) - Voltaremos a atualiza-la na segunda feira

Estamos aceitando sugestões para próximas histórias...

Pra quem shippa 2Won (MonstaX) fiquem ligados.

Kissus, bye (tô chorando) ❤


~Licci
~Mozomi


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...