História The Family Business - Capítulo 61


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Abaddon, Adam Milligan, Bobby Singer, Castiel, Charlene "Charlie" Bradbury, Crowley, Dean Winchester, John Winchester, Rowena MacLeod, Sam Winchester
Tags Sobrenatural, Supernatural, Winchester
Visualizações 63
Palavras 2.971
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sci-Fi, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 61 - Presságio


Fanfic / Fanfiction The Family Business - Capítulo 61 - Presságio

POV MALU

Entrei na cozinha naquela manhã arrastando os pés enquanto dobrava as mangas de uma das camisas de flanela xadrez de Dean que eu estava vestindo. Sam me observou atentamente quando me aproximei e depositou um beijo em minha testa.

_ Você está horrível - ele comentou.

_ Você também é feio e eu não falo nada. O importante é ter saúde - respondi.

_ Não é disso que estou falando.. - ele riu.

Dei de ombros enquanto me sentava na cadeira.

_ Faz panqueca pra mim Sammy, as suas panquecas são as melhores do mundo.. - pedi lhe lançando um olhar de gato de botas - Por favor..

Ele bufou se levantando.

_ Só vou fazer pro meu sobrinho não passar vontade - comentou e eu ri.

Dean entrou na cozinha com a cara fechada enquanto Sam misturava e batia os ingredientes fazendo a massa.

_ Hm.. Bom dia? - falei enquanto o via encher uma xícara de café silenciosamente.

_ Bom dia - respondeu secamente e saiu da cozinha.

_ Nossa.. o que houve ? - perguntei assim que ele saiu do cômodo.

_ Eu não sei.. - Sam deu de ombros - Há quanto tempo ele não transa ?

_ Hm.. desde hoje de manhã - respondi rindo e Sam fez uma expressão enojada.

_ Poupe-me dos detalhes Malu.. - riu - Calda de morango?

Assenti.


[...]


Me aproximei da sala e Dean mexia no computador sério.

_ Tá tudo bem com você? - perguntei.

_ Sim - respondeu secamente - Por que não estaria ?

_ Porque você está sendo grosso e irônico.

_ Eu sou grosso e irônico.

_ Não sem motivo - falei.

_ Não aconteceu nada - ele disse e eu desisti de conversar, indo em direção a escada - Achei um caso.

Voltei até ele observando a tela do computador.

_ Algumas strippers foram mortas na boate de uma cidade que fica a quatro horas daqui - explicou.

_ Espera aí, vou chamar o Sammy - falei e Dean bufou - Ah.. acho que já entendi.

_ O quê?

_ Você está com ciúmes de mim com o Sam ?

_ O quê? Eu não estou com ciúmes.

_ E o que é então? - perguntei - Poxa Dean, eu sou sua mulher. Pode se abrir comigo.

_ Não quero falar sobre isso - disse.

Revirei os olhos. Sam desceu as escadas e se juntou a nós.

_ Atrapalho? - perguntou, notando o clima tenso.

_ Não - falei.

_ Sim - Dean respondeu.

_ O que? Você acabou de dizer que.. - comecei a falar mas ele me interrompeu.

_ Eu sei o que eu disse - Dean respondeu me encarando.

_ Olha só Winchester, não sou obrigada aguentar a sua tpm não. Apenas passe o caso - falei irritada.

Dean bufou novamente.

_ Kelly Smithers, 23 anos, dançarina, foi encontrada morta nos fundos de uma boate chamada Sweet Dreams. Depois dela, mais duas vítimas também foram encontradas mortas. O engraçado é que alguns dos homens que estavam na boate disseram ter visto Kelly dançando no pole dance num horário em que o corpo já tinha sido encontrado. 

_ Temos que verificar os corpos - falei.


POV DEAN

_ Eu não estou com um bom pressentimento - Malu comentou - Algo muito errado vai acontecer..

_ É um caso com strippers - ri - Isso é fantástico. Sempre esperei por isso...

_ Espero que não se esqueça que viemos trabalhar - Sam comentou.

Bufei revirando os olhos.

_ Claro..

_ Aqui, trouxe as balas de prata - Sam falou jogando um saquinho com balas para mim e outro pra Malu.

Carregamos as armas e guardamos na roupa.  Malu vestia uma calça preta apertada, botas de cano alto com salto e uma blusa justa de couro. Sua maquiagem era forte e seus cabelos estavam soltos, lisos em cima com as pontas cacheados. Ela estava extremamente sexy.

_ Então, vamos manter o plano - ela falou - Eu vou me infiltrar no meio dos funcionários da boate como nova dançarina e interrogar as pessoas atrás de informações. Precisamos identificar o metamorfo antes que ele troque novamente de pele e mate outra dançarina.

_ Tudo bem - falei e Sam concordou - Vamos circular pela boate procurando por informações também.

Entramos na boate e cada um foi para um canto.


POV MALU

_ O que uma gata como você faz aqui sozinha sentada no bar? - Sam sorriu gentilmente enquanto se sentava ao meu lado.

_ Esperando um homem interessante vir conversar comigo - falei sorrindo para ele - E parece que a tática funcionou.

Ele sorriu.

_ Posso te pagar uma bebida? - perguntou.

_ Aceito um suco - sorri - Nada alcoólico.

_ Não bebe?

_ Estou trabalhando - falei - Daqui a pouco é minha hora de dançar.

Conversamos alguns minutos e ele se afastou, finalizando o plano.

_ Então você é nova aqui? - o barman perguntou sorrindo para mim.

Ele era um homem alto, forte, loiro, olhos castanhos e tinha uma tatuagem tribal no braço.

_ Sim - falei - Vou começar hoje. Como é o público aqui?

_ São bem exigentes - comentou - A maioria são grandes empresários procurando por sexo, drogas, diversão e mulheres bonitas. Mas você com certeza se encaixa nesse último padrão.

_ Obrigada - sorri timidamente.

Ele colocou um copo sobre o balcão do bar e encheu de whisky.

_ Por conta da casa - sorriu - Boa sorte.

_ Valeu - sorri enquanto virava o copo de uma vez, sentindo a garganta queimar - Estou um pouco preocupada com as histórias das dançarinas que foram assassinadas.

Vi o homem enrijecer atrás do balcão. Havíamos conversado com várias pessoas, visto os corpos e ele era um dos principais suspeitos. Eu tinha certeza de que era ele o metamorfo.

_ Não sei muito sobre os assassinatos - falou - Preciso ir. Tenho clientes para servir.

Ele se afastou.

Sai do bar passando pela área onde havia pequenos palcos improvisados com pole dance. Avistei Dean conversando com uma dançarina loira e alta. Ele lançava alguns olhares sugestivos para o decote da garota que estava praticamente sentada em seu colo.

Encontrei Sam sentado numa das mesas lendo um livro.

_ É fácil encontrar você - sorri para ele enquanto sentava na mesa - Nós dissemos se misturar Sam. Isso é uma boate.. um strip club.. não se lê em locais assim.

_ Ah.. - ele sorriu - Ninguém está prestando atenção em mim. Os caras estão preocupados em arrumar com quem fazer sexo essa noite e as mulheres com quanto dinheiro irão ganhar com isso. Não vão me notar.

_ Tudo bem - ri - Eu terei que dançar essa noite. Preciso que peça a Dean para se sentar próximo ao palco. Preciso dele.

_ Ok - ele sorriu e fechou o livro - Boa sorte.

_ Obrigada.

Me afastei de Sam e voltei para perto do palco dos fundos. Dean e a stripper ainda conversavam animadamente. Passei por eles tempestuosamente indo até o camarim das dançarinas.

Analisei calmamente um closet cheio de fantasias, sapatos e lingeries que havia no lugar. Sorri satisfeita enquanto analisava minha imagem no espelho.

Eu estava vestindo uma calça de couro vermelha, com sapatos de veludo vermelho com salto bem alto e um cropped vermelho de renda que mais parecia um sutiã. Uma calda feita de veludo vermelho saia da calça e combinava com o acessório que agora eu colocava na cabeça enquanto ajeitava os cabelos: chifres.

Peguei o Trident e sorri novamente para o espelho. Diabinha. Havia adorado aquela fantasia. Retoquei o batom vermelho e sai do camarim, indo para o palco.


POV SAM

_ Sammy, aonde a Malu está? - Dean perguntou enquanto se aproximava.

_ Ela teve que dançar - falei - E pediu pra você se sentar próximo ao palco.

_ Por que?

_ Eu não sei.

Uma música sensual invadiu meus ouvidos enquanto todas as luzes estavam apagadas. Uma silhueta surgiu no palco contornada por uma fraca luz vermelha, permitindo ver a sensualidade que a fantasia de diabinha lhe dava. As luzes se acenderam mais e ela começou a dançar.

Olhei para o lado e Dean não estava mais comigo. 


POV DEAN

Malu se movia perfeitamente, em movimentos sexys e precisos, fazendo parecer que a música acompanhava seus movimentos e não o contrário.

Staci, uma das dançarinas havia me chamado e fui ver o que era. Sai de perto de Sam e passei entre a multidão procurando pela loira alta mas ela apenas desapareceu. Olhei para o palco novamente.

Observei atentamente enquanto Malu descia do palco e caminhava entre as mesas, com todos a observando atentamente. Ela olhou em volta procurando por algo e acabou desistindo, se aproximando de Sam.

Sam estava sentado em uma das mesas próximas ao palco e ela se sentou no colo dele sorrindo maliciosamente. A ruiva distribuiu alguns beijos no pescoço dele e e sua gravata sussurrando algo em seu ouvido. Sai da boate indo em direção ao camarim, ainda irritado.


POV MALU

_Aonde está dean? - perguntei a Sam sussurrando.

_ Eu.. eu não sei - Sam respondeu levemente constrangido por eu ainda estar sentada em seu colo - Eu avisei pra ficar perto do palco.

_ Bom.. antes você que um desconhecido - dei de ombros antes de me levantar do seu colo - Me espere próximo aos camarins.

Voltei pro palco e encerrei a dançar com as últimas batidas da música. Todos bateram palmas e eu sorri.


POV SAM

Malu surgiu do meio da multidão sorrindo.

_ Eu poderia ganhar muito dinheiro com isso - ela comentou.

_ Você se saiu bem - dei de ombros rindo.

_ Onde está Dean? Espero que ele não fique bravo por eu ter.. bom, você sabe. Eu tive que fazer isso, o coreógrafo pediu. Poderia ter sido ele se ele estivesse por perto.

_ Tudo bem - falei ainda sentindo minhas bochechas esquentarem.

Nós voltamos para o camarim.

_ Preciso trocar de roupa e tirar esses saltos - ela falou - Sem chance de caçar um metamorfo com esses saltos. Sem contar que eu tenho certeza de que é o barman, ele é forte, não vai morrer sem lutar antes.

Assenti.

Entramos pela porta do lado do palco e caminhamos pelo longo corredor. Malu se aproximou da porta verde musgo e a abriu.

Para nossa surpresa, Dean estava no camarim. Ele estava sentado no sofá de veludo vermelho, o mais surpreendente era a mulher loira sentada em seu colo com as pernas em volta da cintura dele enquanto os dois se beijavam.

Malu arfou surpresa fazendo com que os dois se separassem. Dean nos encarou espantado. A ruiva se virou passando por mim rapidamente e voltando pelo corredor.

Dean empurrou a mulher de seu colo e se levantou, indo atrás da Malu.


POV DEAN

_ Kiddo, espera.. eu posso explicar - falei enquanto segurava o pulso dela.

Ela puxou o braço se afastando de mim e atravessando a rua.

_ Não precisa explicar nada Winchester. Eu vi com meus próprios olhos. Apenas volte pra sua stripper.

Ela andava apressadamente pela rua e eu ia atrás dela.

_ Por favor, me escuta..

_ Não Dean. Eu não vou te escutar. Só.. só volte pra lá e esqueça que eu existo. Por que nesse momento é o que eu vou fazer com você.

Antes que eu pudesse falar qualquer outra coisa, ela desapareceu na frente dos meus olhos.


POV SAM

_ O que você pensa que está fazendo Dean? - perguntei enquanto via ele guardar as coisas no carro.

_ Preciso ir atrás dela Sam.

_ Vamos resolver o caso primeiro. Mais alguma dançarina pode..

_ Que se foda as dançarinas Sam! Eu preciso conversar com a Malu.

_ A culpa dessa burrice é toda sua. As dançarinas não tem nada a ver com isso. Vamos matar o metamorfo e depois você pode ir atrás da Malu... Deixa ela se acalmar enquanto isso.

_ Tudo bem.. - ele suspirou derrotado.


POV DEAN

Dirigi como um louco, desesperado para chegar ao Bunker. Depois de matar o metamorfo que realmente era o barman, juntamos as coisas e partimos pra casa. A viagem foi rápida e silenciosa, e eu estava desesperado.

Assim que estacionei na porta do Bunker, sai do carro apressadamente e entrei na casa.

Subi as escadas indo direto pro quarto, mas ele estava vazio. Olhei todos os cômodos do lugar. Biblioteca, sala de armas, banheiros, quartos. Nem sinal dela. Entrei novamente no nosso quarto.


POV SAM

Vi Dean descer as escadas lentamente, enquanto limpava algumas lágrimas.

_ Ela se foi Sammy..

_ Como assim? - perguntei confuso - O General Lee não está na garagem, mas talvez ela só tenha ido dar uma volta para esclarecer a cabeça ou sei lá..

_ Ela se foi.. - repetiu, as lágrimas agora dominando seu rosto - Todas as coisas dela sumiram. Roupas, sapatos, tudo... Ela apenas deixou a aliança.

Arfei.

_ Talvez ela só precise de um tempo..

_ E se ela não voltar mais? E se ela desaparecer e eu nunca mais ver ela ou nosso filho?

_ Acalme-se. Não acho que ela seria capaz de fazer isso..

_ Mas é o que eu mereço.. - ele suspirou se sentando no último degrau da escada - Eu sou muito idiota. Eu.. eu fiquei com ciúmes de vocês dois e acabei deixando que a stripper me beijasse. Eu... - ele suspirou novamente afundando o rosto nas mãos.

_ Bom, ela só fez aquilo porque você não estava por perto. Ela queria você perto do palco para que tivesse dançado com você. Mas como você não estava perto, ela preferiu a mim do que qualquer desconhecido. E sim, o que você fez foi muito idiota.



POV MALU

_ Whisky por favor.. - pedi ao barman enquanto me sentava em frente ao bar, ele sorriu gentilmente e encheu um copo - Deixe a garrafa.

Ele me olhou surpreso mas atendeu ao pedido.

_ Deveria estar bebendo assim considerando que você está grávida? - a voz sorridente soou ao meu lado.

_ Eu não me importo. Preciso disso.. apenas.. esquecer. O que faz aqui Gabriel?

_ Anjo da guarda lembra? Posso sentir quando você não está bem. O fato de você estar magoada e dolorida estava me incomodando então vim checar se estava tudo bem.. e claramente não está. O que aconteceu?

Ele se sentou ao meu lado enquanto tirava o pirulito da boca e se servia um copo de whisky.

_ Dean Winchester sendo Dean Winchester.. - suspirei - Parece que ele se cansou de brincar de casinha e resolveu voltar pra sua vida habitual...

_ Do que você está falando? - Gabriel pareceu confuso - Ele não... - me olhou com as sobrancelhas erguidas.

_ Me traiu.. - suspirei engolindo em seco e tomando um grande gole do whisky, que queimou minha garganta - Beijou uma stripper e aposto que se Sam e eu não tivéssemos chegado ele até teria transado com ela. 

_ Eu não acredito.. - Gabriel se levantou irritado - Isso.. isso é inadmissível! Eu vou acabar com ele..

_ Não Gabe.. apenas.. eu só não quero ver ele novamente. Nunca mais.

_ Oh meu docinho de abóbora... - ele sorriu gentilmente tentando me animar e se aproximou limpando as lágrimas que brotavam em meus olhos - Tudo vai ficar bem... Eu lamento que ele seja tão idiota.

_ Eu também.. - suspirei. 




POV DEAN

Ouvi um barulho familiar de asas e me levantei da cadeira. Estava na mesa dos mapas procurando por alguns feitiços de rastreamento. Eu precisava achá-la.

_ Você é idiota ou o que? - Gabriel gritou irritado aparecendo na minha frente - Por que sério, eu juro que não sei qual o seu problema.

_ Onde ela está Gabriel? Eu preciso conversar com ela...

_ Ela não quer ver você nunca mais. E eu vou pessoalmente cuidar para que isso não aconteça.

_ Gabriel, eu..

_ Só me explica Dean.. - ele estava magoada e irritado - Por que? Por que fez isso? Ela.. ela é a pessoa mais incrível que eu já conheci. E eu a amo. Muito.. e um idiota como você teve a sorte de conquistar o coração dela, mas simplesmente não deu valor. Por que ?

_ Gabriel, eu juro que tudo não passou de um mal entendido. Nós precisamos conversar, eu preciso me desculpar.. eu preciso dela... - arfei.

O anjo se aproximou de mim e apertou meu pescoço com a sua mão, me enforcando e tirando do chão.

_ Nunca mais... nunca, ouviu bem? Nunca mais se aproxime dela.

Ele me arremessou numa das prateleiras cheias de livros e eu bati minhas costas na madeira velha que se desfez em pedaços. 

_ Eu preciso.. - falei, ainda gemendo com a dor.

_ Você a traiu Winchester. Não é digno do coração dela.

Ele se aproximou novamente e me acertou um soco no nariz antes que eu pudesse me levantar.

Arfei com a dor sentindo o sangue escorrer.

_ Gabriel.. - Sam o repreendeu ao chegar na sala, preocupado.

O anjo agarrou o colarinho da minha camiseta ao se abaixar e me encarou.

_ Eu poderia te torturar até você morrer porque você merece sofrer, merece sentir a pior dor possível... - ele suspirou - Mas eu sei que a dor de ter que viver sem ela vai ser maior do que qualquer dor física que eu posso infligir a você.

_ Por favor Gabriel.. me diga onde ela está - pedi, com dificuldade.

O anjo apenas desapareceu.


POV MALU

O barman gentilmente veio até mim e anunciou que o estabelecimento estava prestes a fechar. Bufei e lhe entreguei o dinheiro, indo em direção a saída.

Estava mais sóbria do que havia planejado. Brinquei com o chaveiro do General Lee nas mãos o rodando enquanto me dirigia ao carro.

Cruzei o beco entre a porta do bar até o meu carro do outro lado da rua.

_ Olá minha querida.. - ouvi a voz conhecida e me arrepiei, me virando.

_ O que faz aqui? - perguntei.

De repente, tudo ficou escuro.


Notas Finais


Dean é vacilão, por isso que eu amo o Kevin 😂❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...