História The guys and the maid - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kaichou wa Maid-sama
Personagens Ayuzawa Misaki, Gerald Walker (Wokeru Jerarudo), Takumi Usui
Tags Alien Usui, Ciumes, Drama, Misaki Ayuzawa, Romance
Visualizações 53
Palavras 1.455
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey unicorns <3 Aqui está mais um capitulo pra vocês, mas antes disso eu gostaria de agradecer a minha querida leitora ~PrincessWinter1_ Ela andou me inspirando muito com seus magníficos comentários, obrigada linda! E sem mais delongas, vamos ao que interessa.

Capítulo 3 - Who does he think he is?


Fanfic / Fanfiction The guys and the maid - Capítulo 3 - Who does he think he is?

Misaki acompanhava o loiro, enquanto ele apresentava e informava o que fazer em cada parte. Realmente era muita coisa, se perguntava se realmente daria conta, mas esse pensamento negativo se foi quando lembrou da sua mãe e da sua irmã mais nova, e das dificuldades que passavam. Foi quando Usui parou e passou a observa-la, o que não foi de muito agrado para a morena. 

- Está entendendo tudo, Misaki? - O loiro parecia estar provocando, e Misaki franziu o cenho. 

- Estou senhor... Er... Senhor... 

- Usui Takumi, mas eu não gostaria que me chamasse pelo nome. Então, vejamos... O que me diz de patrãozinho? 

Os nervos da Misaki  subiram a flor da pele. 

- Não, isso seria constrangedor! - A menor respondeu tentando conter a fúria, que aumentou mais ainda quando percebeu que o desgraçado estava rindo. 

- Certo, certo! Então, Mestre pra mim já está ótimo. 

- O que? 

- Isso mesmo, da partir de já, me chame apenas de mestre, Misa-chan. 

Usui deu de ombros, deixando pra trás uma empregada enfurecida. 

- Raku irá providenciar seu uniforme, enquanto isso você pode se acomodar em um dos quartos. 

- Não será preciso, eu não irei morar aqui, tenho faculdade a noite e preciso ajudar minha mãe em casa. 

- De qualquer modo, reserve um quarto para por suas coisas - Usui saiu em direção a sala, e só então Misaki pôde concluir que odiava Usui Takumi. Que tipo de formalidade ele achava que tinha para chama-la de "Misa-chan"? E que história era aquela de "Mestre"? Já era de se estranhar, mal tinha conseguido o emprego e já passou a odiar seu próprio patrão. 

               .  .  . 

Usui ia passando pela sala quando viu Gerard entrando pela porta, parecia feliz e animado. 

- E que aurá é essa que o senhor apressadinho vai carregando? 

- Ah Usui, não é nada demais, apenas assuntos da Inglaterra - O mais velho deu um sorriso de orelha a orelha. 

- Entendi - Usui já ia subindo as escadas quando Gerard acrescentou

- E a empregada nova? Como se saiu? 

- Apresentei pra ela algumas partes da casa, do resto Raku vai cuidar.  - Usui mudou o tom de voz quando falou sobre Misaki, o que fez Gerard estranhar.  Ele parecia ter a voz mais animada, o que não era o normal dele. 

Gerard começou a rir

- O que é tão engraçado? - Usui perguntou desconfiado. 

- Oh, me desculpe, é que você está parecendo um adolescente apaixonado!  - E voltou a rir

- Do que você está falando? Não seja idiota! Eu nunca vou me apaixonar, ainda menos por uma mera empregada. 

- E quem falou alguma coisa sobre empregada? - Gerard passou a encarar Usui, agora com sorriso sarcástico. 

Usui se calou, e foi para seu quarto. Sempre foi calmo e não se importava com o que os outros diziam, mas Gerard sabia perfeitamente como lhe irritar.  

                 .  .  . 

A cabeça de Misaki estava um caos, poderia perfeitamente dizer que estava enfurecida, antes confusa e agora zangada, só faltava essa. 

Ao passar pela casa, viu o homem de antes sentando elegantemente no sofá e lendo um jornal, aquele que tinha deixado uma boa expressão consigo. Mas se era irmão de Usui, certamente era do mesmo jeito, só não estava mostrando esse lado. 

Quando ia se retirar, o homem a chamou. 

- Senhorita? Algum problema? Precisa de alguma informação? 

- Não senhor, eu só estava procurando por onde começar... 

- Entendi, mas não deve começar enquanto não estiver vestida adequadamente, ou irá sujar sua roupa

Mal o moreno tinha falado, e já estava Raku prensado na porta com um pacote em mãos. 

- Senhor, eu consegui o uniforme e...  aaahhh! 

Raku tinha tropeçado e caido  no chão, realmente era um rapaz bem desajeitado. 

- Me desculpe Gerard-san, me desculpe mesmo, eu... 

- Não se preocupe com isso Raku, agora me diga, se machucou? 

O menor deu um enorme sorriso, retribuindo a preocupação de Gerard. 

- Estou ótimo senhor! 

- Que bom, então tome mais cuidado com o chão. 

- Irei tomar. 

- Então, senhorita Misaki não é mesmo? - O moreno esbanjava elegância, era gentil  até mesmo com os empregados. 

Misaki assentiu com a cabeça. 

- Ótimo, então aqui está seu uniforme, vista-se e comece, e se tiver qualquer dúvida pergunte a Raku e ele irá lhe explicar tudo. 

- Sim senhor! 

O maior retirou-se, e Misaki aproveitou para dar uma bofetada em Raku. 

- Ai! Por que fez isso Ayuzawa-san? 

- Pra você deixar de ser desajeitado, não é possível que durante todos esses anos você não tenha mudado nada. 

- Quem não mudou foi você, parece que acumula força a cada vez que bate em alguém - O menor acariciava sua cabeça, que devia estar dolorida. 

Os dois riram, e Misaki pensou que não seria tão ruim assim trabalhar lá, tendo Raku como companheiro. O empregado começou a lhe explicar alguns detalhes que Usui não avia dito,  Misaki vestiu seu uniforme e logo pegou uma vassoura destacada e começou seu trabalho. 

- Que coisa, até as vassouras são elegantes nessa casa - A menor falou pra si própria. 

Depois de algumas horas de Limpeza, suor derramado e cansaço, Misaki sentou-se na escada para descansar. Quando pensou que ia ter alguns minutos de paz, foi surpreendida por uma voz rouca e calma. 

- Resolveu descansar um pouco Misa-chan? 

A menor se virou para ver quem era, e ninguém merece, lá estava  Usui Takumi, o homem que não deixou uma boa expressão para Misaki. 

- Na verdade, eu só ia terminar algumas coisas e ir embora... - A morena sentiu vontade de empurrar ele daquela escada, mas era melhor se retirar. 

Quando foi se levantar para sair urgentemente dali, sentiu alguém puxar seu braço. 

- Ora, pra que tanta pressa? Não se sente bem na presença do seu mestre? - O maldito antes sarcástico, agora deu um sorriso de canto. 

O sangue da Ayuzawa fervia, sentia como se fosse esbofeta-lo. 

- É claro que não, apenas preciso terminar meu trabalho - Puxou seu braço de volta. 

Usui a encarava, é só agora percebeu que ela trajava um lindo uniforme de maid, e isso o excitou. A roupa destacava perfeitamente o tom de pele de Misaki, como se fosse feito apenas para ela. Teve que comentar algo relacionado aquilo. 

- Vejo que o uniforme lhe caiu muito bem... 

Misaki resolveu ignorar aquele comentário, ou então seria presa por assassinato. Estava aturando muito aqueles comentários, a qualquer hora iria explodir. 

Terminou o que devia, vestiu-se como antes e foi avisar a Raku que já estava indo embora. Mas o menor parecia apressado. 

- Me desculpe Ayuzawa-san, preciso tratar de algo que o senhor Gerard me pediu, espere aqui, quando eu chegar vou levar você pra casa. 

Misaki nem mesmo falou algo e o empregado desparou pra fora. É claro que ela não iria esperar, precisava chegar em casa para ir a sua faculdade. 

Quando ia cruzando a porta, novamente foi surpreendida pela voz que parecia vir do além. 

- Eu irei te levar pra casa - Usui estava com os braços cruzados encostado na coluna. 

- Não será preciso, irei a pé. 

- Tem certeza? Só acho que você não gostaria de chegar atrasada na sua faculdade não é mesmo? Que horas acha que são? 

Misaki surtou ao olhar o relógio, a esse ponto iria se atrasar pra faculdade, e já avia faltado muito. Seria melhor aceitar a proposta do loiro, mesmo que se forçasse a isso. 

- Não irei incomodar? - A menor tentava fazer uma voz calma, e isso fez Usui gargalhar. 

- É claro que não minha maid, espere lá fora que vou pegar a chave do carro. 

Misaki ficou da cor de um tomate. Quem ele pensava que era para a chamar daquele jeito? Ela resolveu se acalmar, não estava a altura de discussões. 

               .  .  . 

Usui dirigia tranquilamente o carro, e ao seu lado Misaki, que se sentia desconfortável e perdida em pensamentos. 

- Então, você mora só com sua mãe? - O loiro quebrou o silêncio. 

- Não, moro também com minha irmã mais nova. 

- Entendo, e seu pai? 

- Ele morreu quando eu era criança.  - Misaki respondeu sem nenhum tipo de tristeza no olhar. 

Mas Usui prosseguiu com suas perguntas. 

- E você tem algum namorado? 

- Acho que esse tipo de pergunta não é necessária! - A morena respondeu agora bem séria. 

- Então não está mais aqui quem perguntou. 

Usui jurou a si mesmo a alguns anos que nunca iria se apaixonar, mas aquela simples garota tinha algo que lhe chamava a atenção, e ele precisaria de um bom tempo para descobrir o que era, mesmo que demorasse. 



       


Notas Finais


Foi isso! Me desculpem por qualquer erro de ortografia. O próximo capitulo vai demorar um pouquinho, mas prometo que assim que eu puder, irei postar. Beijos sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...