História The Little Brother - 2a TEMP. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Hyung Won, I'M, Joo Heon, Ki Hyun, Min Hyuk, Personagens Originais, Show Nu, Won Ho
Tags Changki, Infiniteyu, Joohyuk, Monsta X, Showhyuk
Visualizações 115
Palavras 1.181
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


37 favoritos só no prólogo? Porr#, vocês são F#DA!!!!

Capítulo 2 - Unum


Alguns meses haviam se passado desde que Kihyun havia ido embora e tudo parecia estar, lentamente, voltando ao normal. Changkyun havia visto o mais velho, no café em que trabalhava, mais quatro vezes e parecia que as visitas ao estabelecimento ficavam cada vez mais frequentes.

Changkyun não pedia muito ao rezar, todas as manhãs, para a força maior que ele julgava o proteger diariamente. Ele pedia uma vida simples, um pouco de amor, comida na mesa todos os dias, bombas de banho e iPhones - porque os últimos ele amava demais para não ter.

Suspirou, aliviado, ao entrar na banheira com sua bomba de banho de essência favorita: romã. Era como um ataque ao seu olfato e tato, ambos agradecendo pelo pouco que Changkyun os oferecia. Sorriu, encostando a cabeça na beirada da banheira e fechando seus olhos. Gostava do cheiro adocicado da fruta, gostava das lembranças que preenchiam sua mente.



Trancou a porta atrás de si, adentrando a casa e sorrindo ao ver as luzes do corredor e quarto acesas. Andou em passos lentos pela sala de estar, tirando os sapatos antes de entrar no quarto de seu hyung. Abriu a porta lentamente e entrou, prendendo a respiração com a cena: Kihyun havia acabado de sair do banheiro e o cheiro forte de romã ainda pairava no ar. Ele estava com o cabelo molhado e somente uma toalha cobria suas intimidades. Changkyun engasgou com a própria saliva, abaixando a cabeça, por instinto, ao ver seu hyung virar-se.

- Ah, já chegou - disse, aproximando-se do garoto.

- S-sim, hyung - murmurou, sentindo o calor emanar do mais velho.

Kihyun levou a mão direita até o queixo do garoto, levantando sua cabeça e sorrindo ao ver o rubor tomar conta do rosto do mais novo. Sorriu, depositando um beijo na testa de Changkyun.

- Fiz lasanha, está com fome? - perguntou, nem mesmo esperando uma resposta e puxando o garoto pela mão até a cozinha.



Changkyun abriu os olhos ao ouvir leves batidas à porta, ouvindo a voz calma de Hyungwon o chamar.

Por vezes, o moreno sentia-se vazio. Por vezes, sonhava com seu hyung e pensava se o veria, no dia seguinte, no café em que estava a trabalhar. Por vezes, brincava com seu poodle, lembrando da promessa de seu hyung de lhe dar um cachorrinho, um dia.

Suspirou pesarosamente e levantou-se da banheira, esvaziando-a e secando o próprio corpo sem demora. Changkyun vestiu-se com pressa e pegou seu celular, o qual descansava na pia cor-de-baunilha. Ele saiu, quase que orgulhoso, do cômodo. O cheiro forte de romã tomava conta do corredor a cada segundo e ele adorava as lembranças que acabavam por vir junto com ele.

- Ei, Hyungwon perguntou se vai jantar... - Hoseok perguntou, vendo o garoto parado no corredor semi-iluminado da casa.

- Oh? Claro, sim, o que tem hoje? - perguntou, saindo de seu transe e sorrindo para o mais velho.

- Uh, pra ser sincero, não sei... - o mais velho murmurou e Changkyun riu.

- Porra, que desnaturado! - disse, ganhando uma risada escandalosa e um tapa no braço.

- Tem medo da morte não? - Hoseok questionou, ainda rindo - É alguma massa, mas não fui ver o que é, ainda. Deve ser o macarrão ao m...

- Molho branco, que ele sempre faz. Pensei na mesma coisa - Changkyun sorriu.

Uma pausa agradável fez-se presente. Hoseok somente apreciava a presença do mais novo, lembrando o quanto o garoto havia sofrido em seu passado. O mais velho era grato pela confiança que o outro tinha nele e em Hyungwon, mesmo que parecesse uma bobeira.

- É bom ter você aqui... - Hoseok disse e sorriu com sinceridade - Você é muito importante pra nós dois.

Changkyun não soube responder. Ele somente concordou com a cabeça e sorriu timidamente, ganhando um olhar reprovador do mais velho.

- Não me espera pra jantar - ele finalmente disse, vendo Hoseok dar de ombros.

- Eu não esperaria nem se tu pedisse - ouviu ele dizer enquanto se dirigia à sala-de-jantar.

Changkyun revirou os olhos e deu meia volta, entrando no quarto que havia, carinhosamente, apelidado de "cafofo". Encostou a porta atrás de si, agachando ao ver seu poodle, Genji, pular em suas pernas.

- Quem é o Gengu do papai? - brincou, acariciando o filhote e rindo - Ein? Quem é o Gengu do papai? - repetiu, vendo o filhote balançar o rabo, quase que freneticamente, com o apelido.

Sorriu. Seu cachorrinho de estimação era como um filho - Changkyun ainda pensava, entretanto, em adotar uma criança. Seu poodle em miniatura era seu xodó, sua dose diária de carinho e fofura. Ele, por vezes, passava horas brincando com o cãozinho, sem ao menos perceber.

O menino suspirou, levantando-se e abrindo a porta do quarto para que o bichinho saísse - e ele o fez. Seguiu o cachorro como se ele fosse seu dono e sentou-se à mesa de jantar, vendo seu prato já pronto.

Ao contrário do que achava da casa de Minhyuk, Changkyun gostava da decoração de onde vivia. A sala-de-jantar tinha suas paredes em um vinho-acinzentado que dava um ar aconchegante, além do piso em uma madeira na cor cinza-claro. O cômodo era amplamente iluminado pelas duas grandes janelas nas paredes, contando, também, com um grande lustre quadrangular. O lustre era a melhor parte, para Changkyun: algumas solitárias luzes pendiam mais baixo, enquanto outras ficavam mais próximas ao teto. Suas lâmpadas eram pequeninas, porém, em grande número. Tal lustre ficava acima da mesa principal, a qual era em um cinza um bocado mais claro que o do piso. A mesa comportava, facilmente, seis cadeiras em madeira escura e avermelhada com um acolchoado azul-escuro. As cores ricas predominavam no cômodo, o que dava um ar de luxúria e descontração. Os outros móveis - sofá, mesinha de canto, tapete persa - seguiam o mesmo alinhamento de cores.

"Enquanto isso, Minhyuk se gaba do sofá marrom-escuro...", pensou, rindo para si mesmo.

- Espero que tu goste, viu? - Hyungwon disse, sentando-se à mesa, enquanto Hoseok comia fervorosamente - Não tenho o costume de fazer lasanha, tomara que esteja ao teu gosto, Kyunnie.

Changkyun sorriu, vendo um grande pedaço hexagonal, quase que perfeito, de lasanha em seu prato. Os talheres prateados com detalhes em ouro brilhavam nitidamente ao lado do prato que chamava a atenção por sua cor preta fosca. A comida reluzia e o cheiro preenchia o cômodo; o presunto com as bordas levemente queimadas e o queijo completamente derretido. Parecia ser o pedaço perfeito.

- Quer? - Hyungwon perguntou, apontando para a garrafa escura de vinho tinto que descansava sobre a mesa.

Changkyun fez que sim com a cabeça, mergulhando seus pensamentos na comida ao provar da mesma pela primeira vez. Seu hyung logo lhe serviu uma taça de vinho, a qual não demorou a acabar.

O maknae não costumava comer muito, e, quando comia, era devagar e lento. Naquela noite, porém, a comida lhe desceu garganta abaixo a mil por hora. Quando terminou seu segundo pedaço, viu que ambos os garotos mais velhos o encaravam silenciosamente.

- E-eu fiz alguma coisa errada? - Perguntou, enquanto engolia em seco, claramente confuso.

- Não, é que... - Hoseok começou, porém logo foi cortado por Hyungwon.

- Queremos conversar com você, Changkyunnie...


Notas Finais


aaaaaa me alimentem com seus comentários, sinto tanta falta de vocês!!! Semana que vem volto c mais, mozões!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...