História The Lost Empire. - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Atlantis: O Reino Perdido, Bangtan Boys (BTS), Lendas Urbanas
Personagens Chen, D.O, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Milo James Thatch, Personagens Originais, Rap Monster, Rei, Suga, V, Xiumin
Tags Bts, Fluffy, Jeon, Jungkook, Kim, Kooktae, Kookv, Lemon, Long-fic, Taehyung, Taekook, Universe, Vkook, Yaoi
Visualizações 31
Palavras 1.546
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Fantasia, Ficção, Fluffy, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi.

Boa leitura. ♥

Capítulo 31 - Eldorado


Fanfic / Fanfiction The Lost Empire. - Capítulo 31 - Eldorado

– O que? – Repeti ainda descrente. – Jimin?

– Sim Jeon, a problemas. Recebemos essa mensagem perdida de 6 mêses atrás de alguém que trabalhava com Jimin que era responsável por escavar coisas que são difíceis de ser encontradas. – Minho suspirou, o velho remexeu as folhas que estavam encima da mesa enquanto todos prestávamos atenção. – Mas parece que aí então alguma coisa o encontrou.

– E Jimin e sua equipe estão desaparecidas desde então? – Sowon perguntou.

– Não exatamente. – Suga interrompeu enquanto lia as informações. – Aqui diz que depois de Glastonbury Jimin foi visto no Deserto de Sonora por um dos agentes de longa data do Sr. Choi.

– Esse é o Local onde eu e Yuju estivemos atrás do pais de Namjoon. – Sowon se prontificou parecendo um pouco assustada, a garota mexeu nos cabelos. – Mas não faz sentido Jimin ter ido para lá.

– Sowon se você sabe de algo diga. – Suga disse finalmente largando os papes e voltando sua atenção à garota.

– Á uns 8 meses atrás eu e Jimin fomos designados para investigarmos um local de escavação onde recebemos informações sobre a lenda de Excalibur.  

– A espada da mágica do rei Arthur? – Hoseok indagou.

– Sim, o local era na Grã-Bretanha, mas eu não pude ir por que eu e Yuju estávamos atrás dos pais de Namjoon. – Ela suspirou e retirou um de seus equipamentos que se assemelhavam a câmera/celular. – Um mês depois eu recebi um dos logs de Jimim que o mesmo me instruiu a não revelar por que poderia conter informações não verídicas.

 

A garota colocou o aparelho na mesa da forma que todos nós podíamos ver, e então deu play.

 

– Log de número dois, barra, três do Jimin; boa noite. – No vídeo o garoto passou a mão sobre a testa, passando seus cabelos para trás como de costume, Jimin no vídeo estava visivelmente cansado e com as bochechas rosadas que indicavam que possivelmente tinha ingerido álcool. – Já fazem aproximadamente um mês que iniciamos nossas pesquisas e escavações aqui na Grã-Bretanha, á algumas semanas descobrimos uma caverna conservada que indicava rumores sobre a possível existência da famosa espada mágica do grande Rei Arthur.

O garoto coçou o nariz e então olhou para trás.

– Estamos escavando a horas aquele lugar, mas as únicas informações que temos até agora é que possivelmente a espada foi transportada para Inglaterra, algumas pessoas dizem que estamos dando um tiro no escuro que a famigerada história não passa realmente de uma Lenda, mas de acordo com algumas runas encontradas nesta caverna A espada mágica Excalibur é de origem muito mais antiga do que sua atual descoberta.

Jimin se ajeitou mais uma vez na cama, conferindo novamente se estava sozinho.

– Algumas escrituras dizem que o metal que forja a espada foi concebido pelos deuses Ymir e Sutur provenientes da cultura nórdica e que uma cópia da espada foi levada até Odin. – Jimin cortou sua fala para olhar num relógio de pulso. – Droga estou sem tempo; Duas espadas podem ser transformadas em uma juntando as duas partes... Uma lança nórdica que é capaz de dar a quem a possuir a força de um Deus, eu tenho que descobrir se é real ou não.

Um último suspiro.

– Log dois, barra, três do Jimin; Encerrado.

 

O vídeo se encerrou.

 

– Tá mas o que isso tem a ver com Sonora? – Yuju perguntou. – Nós estivemos lá atrás do que D.O sempre dizia ser o Eldorado e de onde dizia que os pais de Namjoon estavam, mas tudo que encontramos foram catacumbas e cavernas que quase deixaram a gente mortas lá embaixo.

– É, mas Jimin não sabe que vocês estiveram lá, sabe? – Suga continuou.

– Não... E se provável que ele tenha encontrado essa tal Excalibur ela tenha listado todos os lugares “exóticos” – A garota fez aspas com a mão. – Como sendo possíveis receptáculos para a segunda peça da espada.

– ‘Tá, mas eu ainda não entendi o por que vocês precisam de mim também? – Taehyung pela primeira vez se pronunciou.

– Por causa disso Taehyung. – Sowon retirou um pequeno medalhão com escritas atlantes na sua parte da frente, e algumas palavras antigas alemãs. – Dizem que os atlantes são descendentes diretos dos Asgardianos e se isso for verdadeiro.

Ponteou para o Medalhão.

– Pode ser que estejamos falando de uma arma Atlante também.

O silêncio invadiu o local.

 

– Se isso tudo for verdade, pode ser que nós humanos desconheçamos boa ou se não toda a nossa existência de vida. – Finalmente o senhor Choi, ele se levantou e caminhou até a sua parede retirando de lá uma espada embainhada em uma ‘’casca’’ de pedra. – Esta é o uma cópia autentica da espada Excalibur antes de ser puxada da pedra por Arthur, se acharem Jimin com uma dessa, podem confiar ser a verdadeira.

– Bom, então vamos nos aprontar e saímos no anoitecer.

Suga deu a ordem final.

 

 

<dois dias depois.>

Deserto de Sonora, divisa entre México e Estados Unidos.

 

– Eu ainda não acredito que o povo de vocês tem aquelas coisas chamadas aviões e que demorou tanto para serem inventados, foi a coisa mais antiga que Atlântida tinha isso não considerando algumas histórias de que o primeiro rei de Atlântida podia voar.

– Morro com o Taehyung sem conhecer nada da civilização moderna. – Disse Yoseob tirando um riso de todos os presentes ali.

– Que? – Taehyung perguntou sem entender.

 

Continuamos caminhando por aquela estrada antes de Sowon nos guiar por dentre a floresta de arvores nativas, andamos mais alguns quilômetros ‘’mata’’ a dentro antes de darmos de cara com uma fissura no chão, onde Yuju que estava guiando foi a primeira e entrar, Sowon depois seguida por Taehyung, Yoongi e Yoseob e por ultimo eu.

 

– Uau, ‘pra um deserto até que aqui ta bem frio. – Suga comentou enquanto ligávamos algumas luzes fluorescentes para iluminar o túnel que percorríamos, túnel esse que foi ficando cada vez mais estreito.

– Cuidado, só para vocês saberem estamos andando encima dá uma área vazia, não olhem para baixo.

Yuju disse jogando uma luz fluorescente pela lateral que não havia paredes.

– Puta merda.... – Disse após dar uma espiada no que havia em baixo de nós, um salão aberto no meio do nada, mas estávamos à uma altura consideravelmente grande do chão.

– Como vocês acharam isso aqui? – Suga disse interessado.

– Entramos por outro lado bem distante daqui, e quando tudo ruiu, achamos essa saída. – Sowon disse simplista enquanto descíamos pela estranha escadaria.  

– Piores 72 horas da minha vida.

Yuju completou.

 

Depois de 36 minutos andando finalmente estávamos no chão – no fundo da cratera – para ser mais exato. Yoseob assumiu a frente junto com Yuju enquanto caminhávamos pela escuridão, seguimos vagando pelo salão escuro até notarmos uma rachadura na parede. Sowon indicou que deveríamos seguir.

– Que buraco pequeno. – Taehyung reclamou.

– Isso não é um buraco, é um túnel. – Yoseob corrigiu.

– Ah que seja. – Suga riu.

– Esse túnel parece diferente do que a gente saiu daquela vez não acha Yuju? – Sowon dizia enquanto engatinhávamos pela passagem.

– Sim, não me lembro de termos que engatinhar. – A morena concordou.

 

Continuamos engatinhando.

– Gente, eu acho que tem uma sala abaixo de nós. – Yoseob parou de se mover fazendo todos pararem.

– O que? – Sowon bateu a cabeça no topo da rocha. – Temos que continuar seguindo, deve ter milhares de coisas aqui embaixo que não vimos.

– Se continuarmos isso vai ceder. – Yoseob alertou. – Vejam, a gente consegue ouvir o barulho lá de baixo.

O Silencio pariu enquanto escutávamos um barulho semelhante ao de água corrente, Yoseob cravou seu material de escavação no chão até conseguir abrir um buraco suficiente no chão para vermos a sala abaixo de nós; era gigante.

– Como vamos descer? – Yuju perguntou.

– Não se preocupem com isso. – Yoseob retirou uma longa corda que havia trazido com sigo e fincou no chão junto de uma estaca para nos possibilitar descer e subir por ali. – Eu vou primeiro e aviso se podem descer.

Disse logo descendo pela abertura.

– Sera que tem chão abaixo de nós? – Taehyung perguntou.

– Sim! – A voz do furão ecoou.

– Okay então eu vou de próximo. – Taehyung se agarrou naquela corda sem quaisquer preparativos e desceu, seguimos um por um.

 

 

No chão, continuamos a seguir por um caminho até darmos em um lugar totalmente desconhecido, havia grandes pilastras e estatuas, havia uma ponte que nos separava de um portão gigante. Seguimos por ali até alcançarmos o portão e entrarmos.

 

– Meu deus!

– Eu não acredito nisso. – Disse enquanto admirava o que estava na nossa frente. – Nada disso deveria estar aqui... Não no mesmo lugar!

– O que é? – Taehyung perguntou no mesmo tom de exclamação que eu.

– É uma mistura de várias culturas da A e da Roa Inca; Nasoni, Asteca, Olmeca, Maia Inca... – Expliquei.

– Meu povo esteve aqui! – Taehyung correu me interrompendo e sendo seguido por Sowon, os dois correram até pararem de frente a uma das grandes esculturas.

– O Guardião do cristal... – Sowon disse ao lado de Taehyung.

– É claro. – Suga disse enquanto passava as mãos por uma das esculturas menores. – O guardião do cristal era um atlante, seus ensinamentos e a cultura atlante influenciaram um pouco de todas as outras.

– Um pouquinho de Atlântida dura um bocado. – Yoseob comentou.

– Tudo isso é feito de ouro... – Yuju comentou enquanto carregava uma cerâmica. – Sowon encontramos!

– Sim! – A garota exclamou enquanto descia a escadaria e começava a andar pelas catacumbas que haviam nesse salão.

– Meu deus, eu não acredito... Eles estão vivos!


Notas Finais


comentem ai qualquer coisa.

segunda atualização pra compensar o tempo fora.
tchau ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...