História The Mask - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 7
Palavras 1.471
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Luta, Romance e Novela, Saga, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Self Inserction, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Bom dia/tarde/noite, glossário ao fim.

Capítulo 2 - Confronto


Fanfic / Fanfiction The Mask - Capítulo 2 - Confronto

Tristan.

 

(Se eu soubesse, naquela hora, o que iria acontecer comigo, eu nem sairia da minha cama).

 

Estava com muita pressa, então peguei a primeira coisa no meu armário, vesti e depois peguei meu equipamento de batalha, me armei e saí pedalando o mais rápido possível. O que iria acontecer quando eu chegasse? Iria saber quem começou o ataque e pegar a cabeça da(s) pessoas. Apertei bem os punhos contra manopla da bicicleta e fui subindo e descendo nas ruas, quanto mais eu me aproximava melhor podia ver os rastros de destruição que a batalha deixava, pessoas socorrendo os feridos dos dois lados( Não somos monstros, ajudamos os humanos, mas eles viram prisioneiros de guerra, sempre é bom negociar afinal de contas eles podem ter companheiros nossos do outro lado, se eles não viraram traidores).

 

 

Um certo espadachim me para, a fim de atualizar-me sobre a batalha.

 

— My King, você ch- — Ele cuspia sangue pela boca enquanto alguém tentava estancar o ferimento em seu estômago. — chegou finalmente — Ele falava com dificuldade porque, aparentemente, seu lábio foi cortado por um shape numa velocidade assustadora (é, isso pode arrancar mesmo seu couro se não tomar cuidado). — Skaters, surgiram de todos os lados, foi uma emboscada assustadora, e-eu estava junto na patrulha quando eles apareceram. Os dois generais mais próximos chegaram uns minutos depois do alerta.

— Tudo bem, obrigado pelo seu esforço, meu nobre guerreiro. Deixe tudo comigo agora. — Sorrio, demonstrando confiança enquanto fecho os olhos dele com as pontas dos dedos. — Descanse agora. — Ele assente. Ouço algo entre um soluço e um "entendido" e volto a pedalar para o núcleo do problema.

Vou pedalando e vejo arqueiros abatidos e mais espadachins —  a ordem não estava toda ali, era só o mínimo dela, afinal era um ataque apenas. Continuo pedalando e controlando minha respiração pois aquilo estava me enfurecendo, estava me deixando irado. O caminho formando sangue e cadáveres estava me tirando do sério, mas principalmente, por ter dois dos meus generais envolvidos. Já tinha participado de inúmeras batalhas ao decorrer dos anos e visto várias carnificinas, mas o que eu vi lá, a responsabilidade disso assombraria meus pesadelos para sempre.

 

 

 

Alguns minutos antes da chegada do Rei.

 

 

— Dylan, tome cuidado com eles, do jeito que são habilidosos com equipamentos, eles devem ter uma posição equivalente a nossa. — Hope dizia enquanto se esquivava de um ataque enquanto tudo que se ouvia era o som alto do metal batendo contra metal.

 

— Sei me cuidar muito, muito bem, Hope. Afinal, somos ambos generais. — Dylan dizia virando de lado usando o quadro para se defender em uma velocidade absurda. — Não serei morto aqui, Hope. Você e eu sabemos disso muito bem. — Ele me lança um enorme sorriso após dizer isso.

"Por que sempre tão convencido?", reviro os olhos enquanto digo, mentalmente, logo focando novamente no importante.

 

Não tinha tempo para pensamentos idiotas. Deveria me focar na batalha, na minha batalha para ser mais exata, mas, no fundo eu não conseguia, estava preocupada com ele, com os machucados dele, porque seria eu quem cuidaria dele mais tarde, assim como ouviria as reclamações e os "quase peguei ele aqui e ali". Ele sempre foi meio "o mundo gira ao meu redor" mesmo, ele sempre foi isso, sempre querendo estar na frente e proteger os outros, sempre tão admirável, exatamente por isso me esforcei ao máximo para permanecer ao seu lado. Claro que, inúmeras vezes, a diferença era assustadora mas eu compensei isso com muito trabalho duro e com coragem e me declarei para ele, e sabe o que ele disse?

"Sempre estive te observando".

 

Isso mexeu tanto, tanto, mais tanto comigo e depois ele me contou tudo, como sempre me observava, como eu era tão esforçada em fazer tudo que fazia, ele disse que as vezes eu parecia assustadora, mas contei que estava apenas focada. Ele disse que a cada vitória minha em uma luta era para ele motivo de sorriso no outro dia. Então sim, eu estava distraída na luta, muito. Mais era por um motivo especial, era por amor e acabei não prestando atenção na minha luta. — Urro de dor ao ser acertada e tudo fica escuro.

 

 

 

Dylan

 

Engulo em seco piscando os olhos para acordar se o que acabei de olhar não ser real.

 

"ISSO NÃO PODE...."

 

Sinto uma dor assustadora no meu coração enquanto vejo a Hope sendo acertada por um skate voando na nuca, arremessado tão forte e com o shape tão afiado que a degola atravessando seu pescoço cortado enquanto seu adversário desvia e sorrir dizendo "menos uma" e vem correndo para cima de mim. Não sei o que sentir vendo isso, meu coração explode de dor enquanto vejo sua cabeça cair e rolar no chão ainda de olho em mim.

 

"Não pude fazer nada"

 

Sinto como se o tempo parasse, como se tudo no mundo acabasse, meus pulmões doem, por que minha respiração acelerou tanto que estou sobrecarregando eles, de repente nada mais faz sentindo. Essa luta, essas guerras, essas batalhas, está tudo errado. Eu já tinha visto várias mortes antes e eram da minha família, mas ver ela morrer em particular acabou comigo totalmente. Não quero mais isso, não quero mais essa luta, eu não quero mais lutar.

 

Sem pensar muito corro em direção a ela, largando meus equipamentos de batalha pelo caminho, ignorando-os assim como aos feridos em volta. Logo que me aproximo, junto seu corpo do chão, apoiando-a como posso com os joelhos sendo sujos pelo solo. Ela estava tão fria, tão sem vida…

 

 — Hope, eu.... sei que não queria proteção, mas eu... sinto tanto, meu amor… — Murmurei com a voz levemente embargada, logo me lembrando que não posso me deixar levar por isso, por mais que doa.

 

Eu ainda estou no campo de batalha, posso me lamentar depois. Vou focar e viver para homenageá-la da melhor forma que puder.

 

Suspiro, o tempo volta ao normal, e me vejo cercado por dois inimigos, me irrito e levanto sem pensar duas vezes em ir na direção. Quero acabar com eles, quero acabar com quem jogou aquela shape na nuca da Hope e a matou, quero destruir todos eles. Em um rápido movimento, viro de lado levantando e jogando a bicicleta em cima dele, miro exatamente no pescoço com a parte da pedivela. Pulo soltando a bicicleta, vejo o pescoço dele ser arrancado enquanto pego seu skate que caia da sua mão me defendo da oponente da Hope.

 

— Você é uma deles, vai pagar pela dor que estou sentindo, vai pagar por ter levado ela de mim.

 

Cuspo as palavras enquanto me defendo usando os trucks do skate, vou recuando devagar até a minha bicicleta enquanto me defendo, pulo sem parar atrás dela, enquanto desvio dos golpes. A bicicleta estava caída então joguei o skate na minha adversária enquanto ela se distraía e levantei meu equipamento de batalha, sentei nele e empinei o pneu, indo para cima dela, pegando-a totalmente desprevenida e a derrubei. Usei o pneu e pressionei com toda a minha força contra o pescoço dela até arrancar completamente.

Logo depois, caí chorando no meio do campo de batalha. Chorei de dor, de tristeza, chorei por ela e desejei a morte. Eu queria morrer, e nesse momento senti alguém me tocando...

 

*Chegada do rei*

 

Tristan

 

 

Chego no exato momento que o vejo quebrando o pescoço do Dylan que me olhava sorrindo.

 

"Descanse em paz, meu amigo fiel" — Pensei jogando o meu capacete no inimigo e o assustando por jogar a bicicleta logo em seguida.

 

— SAIA DAQUI. — Gritei vendo o corpo dos dois, da Hope e do Dylan.

 

Nesse momento, chegaram reforços.

 

— AO ATAQUE. — Disse com todas as minhas forças.

 

Em poucos minutos a luta foi resolvida. Eles recuaram, de medo, de pavor, por ver a carnificina que eu fiz para descontar a morte dos meus generais, a morte de todos. Eu não teria pena dos prisioneiros, iria tirar cada gota de sangue deles se fosse preciso, mas agora, tudo que eu deveria fazer era cuidar dos machucados e levar os corpos para a base e ajudei nisso. Ajudei recolhendo o corpo de cada um dos mortos, assim que chegasse na base faria uma longa despedida de cada um e daria a notícia para suas famílias, dizer o quão corajoso e bravo cada um foi e daria minhas desculpas por não puder salvá-los, porque, afinal, a culpa disso era toda minha, por que afinal de contas, I am the king.

 

 

 

Glossário de palavras:

 

 

Peças do skate:

Shape: Prancha do skate, a parte em que você  coloca o pé para andar.

Trucks: suporte do skate, normalmente de metal, fica em baixo do skate, chamado vulgarmente de suporte.

Peças da bicicleta:

Manopla: fica dos lados do guidão, você apoia suas mãos nisso.

Pedivela: por onde a corrente passa, são aquelas partes afiadas também chamada vulgarmente de coroa.

 Pneu: vulgarmente conhecido como rodas.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...