História The Motogirl - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ação, Aventura, Camila Cabello, Camren, Colegial, Drama, Lauren Jauregui, Romance, Sexo, Suspense
Visualizações 467
Palavras 2.138
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Ficção, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 13 - Calm down


Fanfic / Fanfiction The Motogirl - Capítulo 13 - Calm down

Lauren Jauregui Point Of view  

A iluminação do quarto está baixa, a única lâmpada ligada é do abajur encima do criado-mudo ao lado da cama, e a temperatura está bem agradável por isso não estou me cobrindo com o edredom.  

Olho para o lado e noto que Camila não está deitada, apalpo o colchão e olho pelo quarto procurando por ela, então a vejo em pé a frente dos pés da cama, logo em seguida ela me olha intensamente e parece está tramando algo.  

 o que você está fazendo? Já esta tarde, volte a dormir – falo me sentando na cama e ela não responde apenas começa a passar as mãos pelas curvas do seu corpo, como se estivesse se exibindo para mim, depois ela vira de costas e parece rebolar, então percebo que ela está apenas de calcinha e uma enorme blusa que bate um pouco acima das suas coxas – Camila? 

 eu pareço sexy? – ela pergunta se virando de frente e levanta os cabelos com as mãos na nuca de uma forma sensual.  

 você é sonâmbula? Por que está agindo assim? – pergunto me sentindo um pouco desconfortável com a cena. 

Ela se debruça sobre a cama e fica de quatro sobre a mesma com sua cabeça um pouco acima dos meus joelhos. Em seguida camila começa a engatinhar, subindo encima de mim e eu tento me afastar pra trás indo até a cabeceira da cama e deito no colchão por nao ter mais pra onde ir. Rapidamente tento sustentar seu olhar, mas parece um pouco impossível já que Camila me olha de um jeito que faz minhas bochechas queimarem – Camila – sussurro tentando manter minha cabeça firme para olhar o que ela está fazendo. Ela passa uma das mãos sobre minha coxa e lentamente vai subindo até entrar sobre o pano da blusa que estou usando para dormir. Meu corpo se arrepia ao sentir a ponta dos seus dedos frios tocarem a minha pele quente.  

Camila mantem o contato visual e isso me deixa ruborizada, minha respiração começa a ficar ofegante e meu coração começa a acelerar. No momento não sei se é de medo ou de tesão. Ela levanta o tecido da minha blusa e deixa minha barriga exposta, então ela abaixa a cabeça lentamente até seus lábios tocarem minha barriga. Em seguida ela começa a dar beijos que me deixam arrepiadas, e sem conseguir controlar minha respiração começo a arfar e ela parece gostar, pois suas mãos agarram minhas coxas e apertam com vontade. Depois Camila desce os lábios frios até o cós da minha calcinha e isso me assusta mais do que me excita então a empurro tirando ela de cima de mim. 

 não, não, não – repito ofegante e abro meus olhos me dando conta de que na verdade tudo não passou de um sonho e na verdade Camila esta do meu lado acordando após ouvir minha voz.  

 o que foi? – ela pergunta ainda sonolenta esfregando os olhos – pesadelo?  

 não – respondo e tiro os fios de cabelo que estão caídos sobre seu rosto – foi um sonho bom com um final estranho – dou um sorriso sem mostrar os dentes – e você é linda sim quando acorda – ela rir e cobre o rosto com uma mão.

 meu deus, esqueci desse detalhe – ela continua sorrindo e isso me deixa feliz. E é estranho o sorriso dela me trazer essa sensação de felicidade.   

 bom dia a propósito – dou um beijo na sua testa e me afasto para poder olhar seu rosto.

 bom dia – ela diz esticando o braço e se joga encima de mim na tentativa de me abraçar.

 você vai me esmagar – falo brincando enquanto o corpo de Camila está sobre o meu e meus braço estão envolta do corpo dela.

 está me chamando de gorda? – Ela levanta a cabeça que antes estava na curva do meu pescoço e nossos rostos acabam ficam próximos demais. 

 Não – respondo e me lembro do sonho enquanto encaro sua boca e sinto um desejo de beija-la. Então ela sustenta o olhar e parece fazer o mesmo que eu, reveza seus olhares para minha boca e para meus olhos. 

O clima fica diferente, um silencio se cria entre nós, e Camila com uma feição diferente, coloca a mão no meu pescoço e aproxima os lábios do meu. Delicadamente ela me dá um selinho, parece receosa sobre minha reação, então se afasta e me olha. Em forma de dizer que está tudo bem dou um sorriso e tiro uma das mãos das suas costas e coloco em seu pescoço a puxando para mais um beijo.

Nossos lábios se encostam devagar e logo vão se sugando numa velocidade que aumenta a cada arrepio que eu sinto. Ela aprofunda o beijo e nossas línguas se encostam causando arrepio, enquanto minha mão aperta a região da sua cintura no intuito de gruda-la mais a mim, se é que isso é possível. Ela suga meu lábio inferior e dá uma leve mordida, então sinto sua língua passar entre meus lábios e procura pela minha. E assim que se encontram Camila faz questão de chupa-la e meu corpo todo se arrepia. Desço minhas duas mãos pelas suas costas e agarro sua bunda com força fazendo ela soltar um gemido entre o beijo. Ela se afasta e se ajeita sobre mim. Antes ela estava deitada com as pernas entrelaçadas na minha e agora ela está sentada um pouco acima da minha região pélvica. Ela joga os cabelos para trás e me olha sorrindo. Minhas mãos ainda estão na sua bunda e ao me dar conta as coloco na sua cintura. Ela se curva sobre mim novamente e me beija. Não consigo controlar meus instintos de aprofundar o beijo, e ele passa de lento para um beijo feroz. A mão de Camila aperta meu braço e a minha aperta sua cintura. Enquanto o beijo vai se aprofundando as mãos vão explorando o corpo uma da outra. E a minha vontade é de apertar a bunda da Camila com muita força, então faço isso e ela morde meu lábio inferior. Sua boca se afasta da minha e logo encontra meu pescoço, ela deposita beijos enquanto minhas mãos apertam suas coxas, sua bunda, sua cintura e suas costas. O arrepio é inevitável e quando Camila morde levemente o lóbulo da minha orelha eu solto um pequeno gemido.

Meu corpo esta energizado, da pra sentir minhas bochechas pegando fogo, minha respiração esta mais acelerada do que nunca e descontrolada. Nem sei mais quando suspiro, quando respiro, quando arfo ou quando fico sem ar e acabo gemendo sem querer.

Ela parece estar do mesmo jeito que eu, da pra ouvir suas arfadas e sua respiração ofegante. Ela me encara com as bochechas rosadas e com os lábios entre abertos. Nossos narizes estão se tocando levemente e nossos lábios estão a um centímetro de se tocarem de novo. Decido que está na minha vez de ficar por cima, então a coloco para o lado e a beijo fazendo nossas regiões intimas se tocarem e isso me lembra a sensação de medo que tive durante o sonho, mas não é nada comparado a sensação de felicidade e prazer que estou sentindo.

Após beija-la intensamente e sentir suas mãos apertar cada centímetro do meu corpo, decido beijar seu pescoço e morder sua orelha da mesma forma que ela fez comigo. E a cada suspiro que ela solta um aperto na minha bunda vem junto e isso me excita. Da um arrepio bom e uma sensação de querer sentir isso mais e mais vezes. E mesmo que meu cérebro esteja gritando pra parar porque ainda é cedo demais pra tudo isso e que eu não sei nem como faz pra transar com uma mulher, meu corpo todo está dizendo pra continuar e se deixar levar por essa sensação boa.

Ela busca meus lábios desesperadamente e me beija sugando minha língua com força e apertando ainda mais meu corpo. Sinto sua mão deslizar pela minha barriga subindo em direção ao meu peito, ela aperta meu seio esquerdo e isso me faz soltar um gemido instantaneamente. Me afasto do beijo e encaro seus olhos que parecem me devorar de tanto desejo, ela dá um sorriso ao ver meu estado e então me jogo para o lado saindo de cima dela. Definitivamente esse não é o momento. Não estou preparada e creio que ela também não.

 o que foi? – ela pergunta e eu dou um pulo pra fora da cama – eu fiz algo errado?

 preciso ir ao banheiro – digo nervosa e deixo o quarto às pressas. Puta merda o que eu estou fazendo?

Pego minha mochila antes de entrar no banheiro e tomo uma ducha gelada me fazendo repensar em tudo o que aconteceu. Estou com medo do que estou sentindo.

Camila Cabello Point Of view

Nós estávamos nos incendiando aos poucos e apesar do medo eu estava gostando. Foi um momento de descoberta de sentimentos, eu nunca havia sentindo isso antes, meu corpo nunca reagiu a um beijo de tal forma, minhas bochechas nunca arderam tanto e o arrepio que eu senti toda vez que Lauren apertava minha bunda era bom e diferente. Foi prazeroso. Estou descobrindo aos poucos o que Lauren é capaz de fazer comigo. Eu sei que não tenho experiência nenhuma e nem sei exatamente como se faz sexo com alguém do mesmo sexo, mas enquanto estávamos aos beijos quentes eu esqueci completamente esse detalhe.

Ela acabou de deixar o quarto toda nervosa e completamente sem jeito, e eu apenas fiquei aqui na cama tentando controlar meu estado emocional e meu corpo que está em chamas. E apesar dela ter fugido, o que eu acho que foi bom pra ambas, eu estou feliz. Eu nunca imaginei que isso iria acontecer tao rápido, talvez seja difícil controlar os sentimentos e a curiosidade que está consumindo a gente.

Levanto da cama depois de alguns minutos e pego meu celular, já é quase onze horas e eu nem tinha me dado conta de que acordamos tão tarde. Depois saio do quarto mandando mensagem de bom dia pra minha mãe e deixo o celular sobre a mesa quando chego na cozinha. Prendo meus cabelos e começo a preparar o café.

[...]

Já fiz o café da manhã, já arrumei a mesa e estou aguardando Lauren que está demorando no banheiro mais do que o normal. Dou um grito chamando por seu nome e ela responde aparecendo na cozinha com os cabelos molhados, soltos sobre os ombros, e com uma roupa diferente da que ela foi dormir. Ela sorri um pouco sem jeito e se senta à mesa.

 está tudo bem? – pergunto enquanto ela começa a se servir

 sim, e você? – ela responde sem nem me olhar

 estou bem... – coloco meus ovos mexidos no prato e a observo comer – tem certeza que está bem? Você esta estranha.

 estou? – ela me olha arqueando as sobrancelhas.

 eu fiz algo que você não gostou? – pergunto e ela nega com a cabeça

 pelo contrario você fez algo que eu gostei – ela me olha e eu me engasgo com o café fazendo ela rir – está bem? – balanço a cabeça positivamente tentando me recompor

 então por que saiu correndo? – pergunto e ela parece se engasgar também

 foi preciso, antes que aprofundássemos as coisas – ela explica e eu concordo

Então tomamos café em silencio e quando terminamos ela me ajudou a lavar e guardar as coisas.  Durante a tarefa eu brincava com ela ou fazia alguma palhaçada apenas pra faze-la rir. É bom ouvir o som da sua risada. Nós nos divertimos e o clima havia voltado ao normal. Então ela foi escovar os dentes e eu arrumar o quarto da minha mãe.

 já terminei – ela grita na sala e eu termino de dobrar os lençóis da cama. Ao chegar na sala vejo lauren terminar de fechar sua mochila e colocar uma das alças nos ombros.

 não queria que você fosse embora – digo cruzando os braços a frente do peito fazendo um pouco de drama.

 nós nos falamos por mensagens – ela fala caminhando até mim – amanha a gente se ve na escola – lauren puxa meus braços levemente pra que eu descruze eles.

 é que é bom ficar do seu lado – digo dando um abraço e sinto sua mão acariciar meus cabelos. Em seguida ela segura meu rosto com as duas mãos e me faz encara-la.

 você é sempre fofa assim ou só está fazendo uma exceção pra mim? – ela pergunta tentando segurar a risada.

 exceção – respondo e ela me da um selinho se afastando com um sorriso. Então puxo seu corpo pela cintura e busco seus labios para um beijo mais intenso. Então alguém bate na porta e a gente se afasta um pouco assustadas como duas crianças quando são pegas roubando doce.

 sua mãe? – ela arqueia as sobrancelhas apontando pra porta e eu sinto um nervosismo correr em minhas veias.


Notas Finais


obrigado pelos favoritos e pelos comentarios. A fic passou das onze mil exibições e isso me deixa feliz.
obrigado de coração.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...