História The Mysterious Killer - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Justin Bieber
Personagens Ariana Grande, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Ariana Grande, Jariana, Justin Bieber
Visualizações 271
Palavras 2.685
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi pessoas lindas do meu coração.
Hoje eu não vou falar muito pois estou com um pouco de pressa, mas queia agradecer aos favoritos e comentários do capítulo passado. Vocês realmente gostaram dele não é?
ÓTIMA LEITURA<3

Capítulo 29 - Ela é Minha


Fanfic / Fanfiction The Mysterious Killer - Capítulo 29 - Ela é Minha

Ariana P.O.V

 

Dois dias haviam se passado e eu dediquei todo meu passatempo em melhorar meu diagnóstico para poder agir em relação ao meu trabalho.

Estou realmente ansiosa para voltar a trabalhar depois de tudo o que aconteceu. Sinto-me renovada e feliz, como se um peso fosse tirado de minhas costas. É realmente muito bom.

Como o médico que minha mãe fez o favor de chamar para me ver aqui em casa, disse que eu estava evoluindo e que a perda de memória era improvável de acontecer comigo, eu estou agora me arrumando para correr. Acordei com um ótimo ânimo e já que só começo a trabalhar depois de uma semana, nada melhor do que passar o tempo me distraindo, fazendo coisas que eu amo.

Verifiquei minha aparência no espelho: rabo de cavalo, calça legging, camiseta, protetor solar e água. Tudo o que preciso.

Sorri. Eu estava muito bem para quem tinha parado de correr por um tempo, mas devo melhorar meu ritmo de corrida para ficar melhor ainda.

Estava prestes a sair do meu quarto, quando escutei meu celular tocar. Atendi, sem ver quem era.

- Alô?

- Oi linda - abri meu melhor sorriso - como você está?  

- Eu estou muito bem - falei animada e escutei sua risada do outro lado da linha - na verdade estou tão bem que vou correr agora - a linha ficou muda de repente - Justin?

- Eu estou aqui - parou por um momento - é bom que você faça exercícios - senti que não era exatamente isso que ele queria me dizer.

 - Você vem aqui de noite? - perguntei para mudar de assunto vendo que de um momento para o outro, este o incomodou.

- Uhum... Eu vou sim. E você vai à casa do Joseph hoje não é?

- Eu confirmei com ele.

- Que horas a festa vai começar?

- Hmm - pensei por um tempo - às 20h00min. Por quê?

- Só para saber - escutei sua respiração pesada - É melhor eu desligar, estou te atrapalhando não?

- Não, você nunca atrapalha, mas agora eu realmente tenho que ir, pois se não vai ficar muito tarde para eu correr - olhei em meu relógio vendo que eram 9h30min.

- Tudo bem...

- Justin?

- Hum?

- Eu te amo - disse um pouco envergonhada.

- Eu também te amo Ariana - disse como se tivesse tirado um peso das suas costas e isso me fez sorrir - até a noite

- Tchau - disse desligando logo em seguida.

Suspirei e deixei meu celular no criado mudo. Eu não iria levá-lo, pois correr para mim é um momento de paz e não quero ter de parar toda hora para atender uma ligação.

Desci as escadas e avistei Edward e Joan na cozinha conversando animadamente e isto me fez sorrir. Trinta e cinco anos de casados, e o amor continua o mesmo entre os dois. A amizade e companheirismo do dois são coisas tão intensas que me deixa feliz por poder ver isso de perto.

- Pai, mãe, eu vou correr agora, mas volto na hora do almoço.

Ambos sorriram.

- Tudo bem, Ariana. Pode ir. Sua mãe pegou bem no seu pé esses dias. Você precisa de um descanso - meu pai disse, levando um olhar feio de dona Joan, fazendo-me rir da situação.

- Tudo bem então - caminhei em direção à porta - eu vejo vocês mais tarde.

Dito isso, comei a caminhar, agradecendo pelo dia estar bonito.

 

Passei por diversos lugares. Praças, restaurantes, shoppings, hospitais, parques e outros lugares, todos com um ar de alegria. Eu só não esperava que fosse ver a única pessoa que talvez, não quisesse ver neste momento.

- Ariana? Que surpresa te ver aqui - Nathaniel parou para me cumprimentar e me surpreendeu com um abraço que durou mais do que gostaria.

- Nathaniel? Caramba, já faz tempo que não nos vemos não é?

- Faz sim - encarou-me de baixo para cima, parando seus olhos na direção de meus seios - você realmente está bem - elogiou -me, sorrindo malicioso - como vai sua vida sem mim? - direcionou seus olhos para meu rosto ao perguntar isso.

- Bem - eu literalmente estava incomodada com aquela conversa. Ele era bem convencido de vez em quando.

- Duvido - se aproximou de mim, mas eu me afastei.

- Nathaniel, eu tenho um carinho extremo por você, mas nós dois sabemos da razão pela qual terminamos o namoro. Não quero confusão.

Ele me encarou com as sobrancelhas erguidas. Totalmente indignado.

Depois do que aconteceu comigo, a única coisa que eu me lembrava era de meus parentes. Nem de meus amigos eu me lembrava. Lembro-me que quando a Clarice recebeu a notícia, ficou totalmente abalada e lembro-me também que fiquei assustada quando de repente, ela me abraçou e começou a chorar em meu ombro. Enfim, meses depois, quando comecei a me recuperar,conheci Nathaniel na escola onde estudava quando o mesmo foi buscar sua prima. Começamos a nos conhecer e, depois de algumas semanas, nós resolvemos começar a namorar e ele foi ótimo em me ajudar a superar tudo. Nosso namoro durou dois anos e foi quando eu percebi que o mesmo não me amava do jeito que eu o amava. Ele sempre me manipulava para ir à cama com ele, não conversava comigo direito e sempre ficava perto de outras garotas do que de mim. Mesmo assim, eu não guardei rancor dele, pois o mesmo me ajudou bastante quando eu precisei de ajuda, só que não servimos para ficar juntos. Quando eu conversei com ele e nós resolvemos terminar, o mesmo não se importou muito, deixando-me triste por isso. Mas, como disse, eu agradeço por tê-lo conhecido, pois foi por ele que conheci Joseph e, mesmo com o término do namoro do filho dele comigo, Joseph me procurou e, sabendo da minha ambição por psiquiatria, sugeriu que trabalhasse para ele, fazendo-me avançar na vida.

Enfim, pensando nisso tudo, vi que Nathaniel encarava-me sacana e percebendo a besteira que cometi, pigarreei.

Ele riu e disse: - Tudo bem, Ariana. Eu te entendo. Com certeza está mais madura - olhou novamente para meu corpo - e mais gostosa - mordeu o lábio inferior.

Afastei-me indignada com o que ele disse.

- Eu tenho que ir - disse continuando a me afastar - eu realmente preciso ir.

Virei-me para continuar a caminhar.

- Nos vemos na festa - gritou quando estava longe dele.

Fechei os olhos, por me lembrar disso.

Ele também vai estar na festa.

 

                                                (...)

 

Suspirei aliviada.

Acabei de tomar banho e meu corpo não estava mais dolorido após a corrida e eu podia me arrumar com calma. Já eram 18h00min e daqui a pouco a festa de Joseph começaria e eu não podia estar mais animada.

Ele faria 61 anos. Era uma grande caminhada. Passamos por tanta coisa e eu o agradeço por sempre me ajudar.

Enquanto eu terminava de passar creme em minhas duas pernas, meu celular apitou avisando que uma nova mensagem havia chegado.

Clarice: Amiga, está tudo certo por aqui. Pelo visto chegarei aí, mais rápido do que imaginava. Amanhã mesmo estarei em Nova York. Mando outra mensagem quando chegar.

Ariana: Tudo bem Clarice. Estou indo agora para a festa que Carla fez a Joseph. Mas não se preocupe, assim que você chegar irei te buscar no aeroporto.

Enviei a mensagem a ela, avisando-a antes que Clarice me perguntasse outra coisa. Eu preciso urgentemente me arrumar.

 

Coloquei o vestido que Carla havia me presenteado, não sei por que, e fui ao banheiro secar meu cabelo para depois passar chapinha nele. Eu o queria liso hoje, não ondulado como costuma ficar.

Após terminar de arrumar meu cabelo, eu logo passei uma maquiagem que ressalta o castanho de meus olhos e um batom cor vinho.

Sorri, ao ver a imagem refletida no espelho.

Eu estava linda.

Coloquei meu salto alto e completei o conjunto com um brinco lindo que ganhei de minha mãe no meu aniversário de 20 anos.

 Passei perfume e finalmente estava pronta.

Olhei as horas e eram quase 19h00min. O tempo passa minuto rápido, mas ainda tinha muito tempo antes da festa começar.

 

Fiquei tão produzida como agora, porque dessa vez não era uma festa comum em que os convidados eram os mais íntimos. Era uma comemoração de grande porte.

Ontem, quando conversei com a mulher de Joseph, ela me disse que há tempos não faziam algo parecido e logicamente, Joseph merece por ser um homem tão bom como é.

Levantei de minha cama onde estava sentada e saí do quarto dando de cara com minha mãe, prestes a bater na porta.

- Minha filha! Você parece uma princesa - elogiou-me - Ariana, eu realmente tenho que te dar os parabéns, você realmente se produziu - parou por um instante me olhando orgulhosa - porque todo esse capricho? Meu genro, vulgo, Justin também vai estar lá? - sorriu maliciosa, fazendo-me corar na hora. Ontem quando eu e Justin descemos juntos para tomar café da manhã, minha mãe não parava de nos encarar e quando ia perguntar para ela o que tinha acontecido, Joan me surpreendeu, perguntando o que tínhamos feito noite passada.

É lógico que ela sabia, mas parece que queria que nós contássemos a ela.

Quando o Justin entendeu o que ela quis dizer, caiu na gargalhada, deixando-me envergonhada. Para piorar, o filho da mãe realmente contou para ela. Na casa dura: “estávamos fazendo amor. E olha que ela quis fazer mais de uma vez”     

Depois disso, minha mãe não para de fazer esses comentários.

- Mãe, Justin não vai à festa - disse, vendo seu sorriso desmanchar aos poucos.

- Por quê?

- Porque Nathaniel vai estar lá - ela revirou os olhos - e eu tenho medo do Justin reagir de um jeito... Ruim... Sabe?

- Por causa do ciúme? - completou.

 - Exatamente - suspirei - não quero brigar com ele.

Ahhh é bom que briguem mesmo - franzi o cenho - assim vocês podem ter sexo de reconciliação depois - disse, simplesmente, fazendo-me arregalar os olhos.

- Mãe! - exclamei, ouvindo sua risada - chega disso não é? Vai me constranger para sempre?

- Não minha querida - riu antes de me abraçar - agora vá porque a casa do Joseph é um pouco longe e se você demorar mais é capaz de não encontrar vaga - afirmei com a cabeça e despedi-me dela e de meu pai antes de ir.

 

Quando abri a porta, vi de imediato um carro preto, de vidros fumês, do outro lado a rua.

Fiquei um pouco incomodada, pois sentia que estava sendo observada por alguém dentro do carro, mas tentei dispensar esses pensamentos e entrei em meu carro, dando partida no mesmo e indo em direção ao meu destino.

Depois de uns cinco minutos olhei de soslaio para o retrovisor e vi o mesmo carro atrás de mim. Franzi o cenho achando estranho. Alguém estava realmente me seguindo?

Ao me fazer aquela pergunta, surpreendi-me por ver que ele havia feito uma curva e saiu do meu campo de vista. Deixando-me aliviada e continuei a dirigir calmamente.

 

 

                                                 (...)

 

- Ariana, que saudade que eu estava de você - Carla me abraçou calorosamente e eu retribuí. Apesar de não mais conviver com eles, eu sempre tive uma relação muito agradável tanto com Carla, como com Joseph e eu fico feliz por isso.

 Apesar de terem um filho como o Nathaniel e serem podres de ricos, eles nunca foram esnobes ou algo do tipo.

- Fico feliz por vir e poder compartilhar desse momento - encarei Joseph de longe - eu realmente gosto muito de vocês e é muito bom estar por perto.

Antes que Carla pudesse me responder, alguém a interrompeu.

- Nossa, quando eu acho que você não consegue ficar mais bonita - virei-me e vi Nathaniel, fazendo-me querer socar a cara dele de tão intrometido que era.

Mas uma coisa que eu devia admitir. Ele estava muito lindo com o seu terno. De tirar o fôlego. Felizmente eu não sinto mais nada por ele. E ainda bem, porque Nathaniel estava acompanhado de uma garota ruiva dos olhos azuis.

- Ah, Nathaniel que bom que te encontrei. Achei que você tinha sumido - Clara comentou - Ariana, essa é a nova namorada do meu filho, Megan - após ela ter dito o nome da moça, a mesma sorriu e me cumprimentou.

- Namorada? - perguntei confusa.

- Sim, eles estão juntos há um mês - franzi o cenho, tendo uma vontade de rir. Essa garota realmente vai sofrer, mas não adiante nem eu discutir, pois já fui uma teimosa que realmente queria aceitar que ele era o amor da minha vida - Não formam um casal bonito? - estranhei quando Clara me fez aquela pergunta, estranhando ainda mais o fato de Nathaniel ter dito tudo aquilo para mim mais cedo e ainda ter a cara de pau de me encarar, sorrindo como se quisesse me comer.

Qual é ele estava com a namorada.

- Sim, eles formam sim - disse e olhei para minha ex sogra - Eu realmente preciso cumprimentar o aniversariante - sorri nervosa.

- Pois então vá, minha querida - disse, começando a conversar com Megan.

Quando as duas estavam distraídas, vi quando Nathaniel piscou para mim.

Desviei o olhar, passando pela multidão até encontrar quem queria.

- Joseph, parabéns - abracei-o, sendo retribuída com mais força.

- Obrigado, Ariana - sorriu feliz - você está realmente muito bonita.

- Obrigada - falei o encarando - Clara realmente caprichou na decoração não é? - perguntei rindo, sabendo que ele não gostava destas festividades grandes.

- É - revirou os olhos - eu a disse que não precisava, mas ela insistiu - deu de ombros - está tudo bem, ela pensou em mim.

Assenti, concordando e querendo dizer algo a mais, porém fui interrompida por um homem que o chamou para conversar com os seus amigos.

- Tudo bem se eu for lá, Ariana? - assenti mais uma vez.

- Vai lá. A festa é sua - disse, recebendo um beijo no rosto.

Sem mais nada a fazer, resolvi ir à varanda, ver a lua. Daqui a pouco eu comeria alguma coisa.

 

Sentei em um banco e relaxei. A noite está muito linda.

Não vou ficar muito tempo aqui. Umas duas horas e meia, aqui e eu vou embora. Também quero aproveitar a noite com Justin.

Respirei fundo, no mesmo compasso que alguém sentou do meu lado.

- O que você quer Nathaniel? Cadê sua namorada?

- Ah, ela é meio grudenta demais - suspirou e me encarou - eu gostava mais de quando era você - sorriu malicioso e eu revirei os olhos.

- Não estamos mais juntos - desviei os olhos dele ao mesmo tempo em que foquei no carro à nossa frente, um pouco distante, mas perto o suficiente para eu reconhecer. Era o carro que estava em frente à minha casa.

- Mas podemos voltar - ele sussurrou em meu ouvido, mas eu pouco me importava depois de ver quem saia do carro.

Justin.

- Nós podemos aproveitar o que você acha? - tentou por as mãos em minha coxa, mas foi empurrado bruscamente, antes que o fizesse.

Arregalei os olhos e suspirei aliviada por ver que estávamos longe o suficiente para não chamar atenção.

Em um piscar de olhos, vi Nathaniel caído no chão e Justin me encarando com o maxilar travado.

Ficamos assim, nos encarando, por um tempo até que Justin foi até Nathaniel, se agachou à sua altura e disse firmemente.

- Você vai prestar atenção no que eu vou te dizer agora. Sai de perto da Ariana, porque eu não aturo pessoas do seu porte.

- Do meu... Porte? - ele tentou dizer, mas ainda estava fraco pela pancada.

- Ela é minha, só minha. E se eu ver você perto dela de novo, esquece que algum dia você já teve mãos.

Disse e me encarou de novo, antes de respirar fundo, se levantar e mexer em seu colar.


Notas Finais


E aí?
Vocês gostaram?
Me digam, é sempre muito bom falar com vocês, e me incentiva muito.
Até o próximo capítulo.
<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...