História The Night - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camren
Visualizações 3
Palavras 1.311
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia)
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hi

Capítulo 3 - Chapter 2


O dia amanheceu, Sinuhe apressou-se para acordar Camila afinal, eram 7:30 da manhã.

A mulher de cabelos curtos passou pelo pequeno corredor que ligava a sala e os dois quartos, que eram dispostos frente à frente, separados pela porta do banheiro.

Abriu a porta de madeira marrom escura, e deslizou com cuidado para dentro do quarto. Camila dormia serenamente, Sinuhe abaixou-se, ficando na mesma altura em que Camila estava e passou a mão nos seus cabellos.

Camila remexeu-se na cama, abrindo os olhos devagar, quando encontrou com os de sua mãe, sorriu.

A pequena levantou e foi ao banheiro se arrumar, após colocar o uniforme branco com mangas azuis marinho.

Sinuhe foi para a cozinha, terminar de fazer o café da manhã. Alejandro estava com a cara enfiada na geladeira, roubando um presunto.

"O que está fazendo aí?" Sinuhe parou, colocando as mãos na cintura.

Alejandro estacou no lugar, a porta da geladeira cobria seu rosto.

"Er, nada.."

"Aham, tá roubando presunto que eu sei." Sinuhe abriu um sorriso satisfatório quando seu marido levantou a cabeça e revelou suas bochechas cheias de presunto, parecia um hamster.

Sinuhe deu um leve tapinha na cabeça de seu marido e entrou na cozinha, colocou três pães sírios no tostador após passar uma boa quantia de manteiga. Enquanto isso, Alejandro preparava dois cafés e um leite quente semi desnatado com nescau.

Em outro cômodo, Camila escovava seus dentes, cuidando para manter a torneira fechada, como sua mãe havia lhe ensinado.

Camila saiu do banheiro e, a passos sonolentos, dirigiu-se à mesa. Puxou uma cadeira e sentou. Sua mãe trouxe três fatias de pão em um prato, junto com seu leite. Alejandro trouxe os demais cafés.

Os três comeram sem pressa, Camila tomando seu leite de vez em quando, ela nunca havia gostado muito do sabor do leite, parecia muito denso ou que não se desmanchava na boca, como se alguma fina membrana o envolvesse e assim, descesse por seu esôfago.

Após ums 10 minutos, Camila entrou no carro e colocou seu cinto de segurança, como estava acostumada, para ela, se sentasse em um carro sem o cinto, era totalmente desconfortável, parecia que faltava algo.

Alejandro deu a partida e abriu o portão da garagem. O Siena andava rapidamente pelo paralelepípedo, até chegar ao asfalto, e de lá, partir para a avenida. Por volta de 15 minutos, chegaram na escola.

Apesar de Camila ter acordado bem mais cedo do que o habitual, ela estava radiante, nervosa e feliz por experimentar algo diferente.

Chegaram na escola e pouco depois estavam na frente da porta do turno integral. Era detalhada com desenhos de árvore e bichinhos. Sinuhe abriu a porta e logo uma moça de cabelos louros surgiu na porta.

"Oi! Posso ajudar?"

"Ah, sim. Por favor. Viemos deixar nossa filha..."

"Qual o nome dela?"

"Camila Cabello"

A moça procurou por uns instantes em sua lista e logo achou.

"Seja bem vinda minha flor, meu nome é Lígia. Fique à vontade."

Lígia abriu os braços mostrando a sala para Camila, a mesma era cheia de puffs coloridos espalhados aleatoriamente. Cheios de crianças em cima, olhando algum filme.

Camila caminhou pelos puffs e logo achou um vazio.

Deitou-se e mirou a TV. Estava passando um filme de animação. Rio para ser mais específica.

Ela nunca tinha visto àquele filme, estava animada para saber o que o passarinho azul faria.

De repente, sentiu uma cutucada em seu ombro.

"Er...oi." um menino de cabelos extremamante loiros, quase brancos, a chamava.

"Oi.." Camila o olhou envergonhada, não era muito boa falando com pessoas.

Quando era mais nova, era extremamente tímida. Quase não falava. Sua mãe sempre a contava, que quando tinha uns 3 anos, chegava ao ponto de quando estava no topo do escorregador, descia para outra criança passar, se esta chegava e queria subir no brinquedo.

Camila observou o garoto por alguns instantes. Sua pele era extremamente clara, seus olhos azuis eram quase brancos, seu cabelo tinha um volume rebelde de ondulação, seu nariz era pequeno e fino e seus lábios eram rosa, porém finos. Seu rosto tinha formato redondo, com queixo triangular.

Uma observação interessante para Camila: o garoto não tinha pintas. A pequena até achou diferente, já que ela mesma tinha várias.

"Você é da minha turma, não é?" O garoto falou de repente. "Camila?"

"Sim.." Camila disse, envergonhada.

"Bem vinda Camila! Meu nome é Matt"

"Obrigada, prazer Matt"

Uma hora se passou e o filme havia acabado.

Matt apresentou Camila para duas outras colegas, Camila as reconhecia fr sua sala.

"Esta é a Maggie" Matt apontou para uma garota baixa de tinha cabelos louros quase ruivos , que usava um boné roxo com uma flor branca. Seus olhis eram castanhos e seu rosto era redondo.

"E esta é a Frann" Apontou para outra menina, esta de cabelo curto, com i rosto fino e olhos cor de mel.

"Oi!" As duas disseram em uníssono.

"Vem, tem um lugar pra você " Matt ajeitou uma mesa na ponta de um quarteto, havia uma ao lado dele, mas parecia estar ocupada.

"Obrigada" Camila ajeitou-se. Sua mochila estava ao lado, Lígia devia ter a trazido.

"Bom, a Carol ja deve estar voltando..."

Frann disse.

A porta abriu-se e uma menina de cabelos escuros e pele morena entrou, ela sorria, com as mãos cheias de tinta.

"Volteiii" a menina exclamou  animada.

"Nós vimos isso" Maggie disse rindo.

Matt olhou para Camila, a mesma tinha um olhar de confusão.

"Ah! Camila, está é Carol. Carol, Camila."

"Eu te conheço de algum lugar..." a morena disse. "Ah! Você é da outra turma!"

Camila sorriu, não sabia o que dizer no momento.

...

Sob sua cama, agora em 2017, Camila relembrava seus dias no turno integral. Ela sentia falta de menos preocupações, pessoas mais verdadeiras, amizades em geral.

Tanta coisa havia mudado em poucos anos, Camila sempre tentara ser a melhor amiga e pessoa o possível. Mas parece que isso não a trouxe boas experiências.

As vezes ela se pergunta se ela esta fazendo o certo.. ou se ela é a vilã.

É difícil ser você mesmo num mundo com tantas pessoas falsas que te colocam para baixo, pisam em você para se sentirem bem.

Bom, isso acontecera com ela, seu interior foi mudado aos poucos, até que um dia, nem ela mesma sabia quem era.

Com esta mudança, foi se submetendo à vontade alheia, até que em um certo ponto, ela não aguentou mais.

Uma das coisas que passavam por sua cabeça, todos os dias, era o do quão idiota ela fora.

Idiota por se afastar de sua melhor amiga por motivos fúteis, idiota por brigar com ela, uma das melhores pessoas que já conheceu na vida.

Ah, como ela queria voltar atrás...arrependimento virou um de seus medos.

Porém, voltar atrás talvez não fizesse a pessoa na qual ela é hoje.

Suas experiências amadureceram dua alma, seu coração e seus pensamentos, a menina que antes era tímida, insegura e que tinha medo em ficar sozinha, ja nao existia mais.

A nova Camila agora estava bem consigo mesma, algumas coisas ainda a atormentavam, seu interior estava juntando seus pedaços aos poucos, talvez fosse um processo demorado.

Poderíamos falar de cara o que aconteceu, mas não é tão simples assim.

Podemos dizer, que tudo aconteceu em volta de uma única pessoa, diversos fatores contribuíram, é claro, porém talvez este fosse o pior, e o nome dela era Fernanda.  (Famosos não serão rebaixados a esse nível para substituir um nome, deixando claro, nem todas as Fernandas são más kkk, mas essa, essa é).

Agora, vamos avançar para o ano de 2012. Camila está no quinto ano.

Novos colegas entraram e sua turma, e Matt, bom, Matt saiu do colégio. Após ser espancado por seu melhor amigo por motivos que Camila  não sabia, o garoto saiu. Camila sentiria falta de seu amigo que guardava puffs para ela, que sentava ao seu lado no almoço, que a ajudou quando uma lapiseira foi cravada acidentalmente em sua boca, e por isso ela tem uma cicatriz na mesma, pequena e redonda.

Sentiria falta das trocas de cedulas colecionáveis entre os dois, e as aulas de queimada que Matt a dava no recreio.

Infelizmente, a vida não é constante.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...